Aí que o cara chegou

1
   Minha amiga sabendo desse blog pediu pra fazer uma continuação do post passado e o farei em uma ou duas partes (se render, mais)

   Tá, você conseguiu a presa. E aí? e aí que no começo é tudo instável, você não sabe se o cara chegou pra passar o tempo, se chegou porque você o tava encarando a festa toda  ou se chegou porque realmente estava afim. Supondo que ele realmente estava afim e sem querer ser pessimista: a depender do que você faça ele pode desistir pra sempre de você, ou no máximo te chamar pra sair mais uma ou duas vezes pra ver se confirma o fiasco.
   Aí você pergunta: então vou ter que fingir ser quem não sou pra segurar o cara caso eu ache que ele gostaria mais da menina do tipo X do que da do tipo Y? Não, definitivamente não. Até porque você nem sabe que tipo de mulher o cara gosta e, supor não é saber. E se você banca a santinha sendo que você é uma baita duma safada e no fim você descobre que ele gosta mesmo é de uma potranca boa de cama?( sim, tem caras que realmente se apaixonam por meninas que dão inclusive na primeira vez, mas isso seria assunto de outro post).
    E se você banca a educada sendo que o que você gosta é de soltar um bom e alto palavrão ou um relaxante arroto? Finge comer pouco sendo que o que mais gosta é de um belo x-tudo ou finge que não bebe e/ou fuma sendo que é uma baita duma admiradora das drogas lícitas. Certamente isso não terá um bom resultado.Primeiro porque vai que o lance da certo? Você vai ficar no estresse de ser o que não é a vida inteira? E depois, já pensou que piada seria descobrir que o cara te largou porque gosta exatamente do contrário do que você estava mostrando? ou seja, se te largou porque na verdade gosta bem daquilo que você é de verdade e não deixou que ele descobrisse? Você ia pagar de ridícula e ia trabalhar a toa pra tirar um belo de um zero no esquema amoroso.
   Então, se for pra pagar mico e ser rejeitada mais vale pagar na classe sendo você mesma porque, se for pra segurar o bofe, nada mais gratificante e sem estresse do que dormir sem calcinha quando você bem entender.


obs: claro que tem mulher que não tem noção do ridículo, aí sugiro que ela tente incorporar novos hábitos urgentemente a ponto de fazer intimamente parte do seu novo eu. Amanhã faço uma listinha do que considero ridículo que uma mulher faça e o mérito nisso seria apenas o de ela ser ela mesma.
Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Anonymous

    Conheci o blog hj e estou adorando. Vou indicar p minhas amigas. Parabéns à autora. Concordo c todo o texto acima. Fingir jamais, não leva a nada. Tati