Já que o príncipe encantado não vem…

4

O conto de fadas moderno – no que as mulheres acreditam.

O século XXI taí, descobertas científicas e crianças que sabem que o Papai Noel do shopping ganha um salário mínimo pra aguentar tudo que sua mãe não quer aguentar enquanto faz compras, e que o verdadeiro milagre de natal se chama décimo terceiro.

A medicina derrubou mitos, hoje em dia já dá pra tomar manga com leite sem o sentimento de pecado e pânico, andar descalça naqueles dias ingratos, crendices até então acatadas como verdade pela maioria dos nossos avós, bisavós e afins. A ciência deu seu veredito. Tudo mentira.

Mas há coisas que a ciência não explica e a gente continua acreditando. Mais pela necessidade da esperança que por ignorância. Na Herbalife por exemplo. Eu particularmente, mesmo ouvindo que era um engodo gastei mesadas inteiras com aquele shake MILAGROSO que me fazia passar fome o mês inteiro e me rendia o mísero saldo de um kilo a menos na balança. E lá estava a dona Lucimar me falando que no começo era assim mesmo, mas que mês que vem eu ia ficar a cara da Kate Moss. Hoje em dia não recebo mais mesada, mas confesso que as vezes me pego tentada a comprar outro kit daqueles, pelo menos até voltar ao meu estado normal e me tocar que é melhor misturar a areia do gato no leite desnatado que dá na mesma e eu economizo uma fortuna.

Bem, herbalife não é minha unica crença. Eu acredito em coisas diferentes da minha infância. O bicho papão foi substuído pelos carboidratos, o inferno pela fila da Caixa Econômica Federal na hora do almoço, o Homem do Saco pelo bofe que eu conheci na balada. Bem, o bicho papão não sei que fim levou, mas os carboidratos estão nos meus quadris, a fila do banco é mais quente que o inferno e o Homem do Saco… err…

Quando a gente é criança, temos medos que imaginamos ser eternos. Conforme a idade vai passando, nossos medos mudam e a gente tenta acreditar que amadureceu. Pois é, aquele cara que andava ostentando o saco e queria te pegar de qualquer jeito e morríamos de medo, hoje em dia é o que corremos atrás. Instinto meio suicida, não é mesmo? Imagina na sua infância você colocando a sua melhor roupa como um grito pra falar “EI HOMEM DO SACO, ME PEGA!” Bizarro, né?

As relações que começam em baladas são muito estranhas. Não que não sejam válidas, conheço várias que resultaram em casamento. Outras em corações partidos, depende de N fatores.

Da wikipedia: Segundo a lenda, as crianças do saco que o velho carrega, eram crianças que estavam sem nenhum adulto por perto, em frente às suas casas ou brincando na rua. O velho pegaria a criança caso ela saísse sem ninguém de dentro de casa. 

Ok, vamos lá. Você não leva sua mãe pra night. Nunca leva. Na pré adolescencia e adolescencia você sente uma certa vergonha do que seus amigos vão pensar. Depois que você fica um pouquinho mais velha, você até para de pensar nessas bobagens, mas pelo menos no meu caso, já é hora da minha mãe ter vergonha de como me comporto. Então você não tem a supervisão dos seus pais? Você tá a mercê do Homem do Saco.

O Homem do Saco da mulher com mais de 21 anos da era moderna é o bonitão da balada. Eu diria ‘CORRE BINO, É UMA CILADA’, mas não dá pra avisar quando você saiu justamente em busca dele. Então fica aqui a minha dica sobre o homem do saco e o brucutu de balada, corre e chama a sua mãe.

Tinha mais tanta coisa pra falar nesse post, das coisas que pelo menos eu, com meus hormonios femininos acredito, que passaria horas escrevendo, mas como sou prolixa vou deixar pra outros posts, mas enumero algumas (poucas) aqui:

1- Que ele vai mudar depois da terceira tentativa de reconciliação;

2- Que vocês vão pro motel só pra conversar e ele não vai fazer nada que você não queira e nem ficar chateado;

3- Em amor eterno, amor verdadeiro no segundo mês de relacionamento;

4- Naqueles aparelhos de ginástica da Polishop que não exigem esforço;

5- Que são 4 horas da matina na boate e ele não ficou com ninguém porque só tava esperando você;

6- Que ele vai ligar obrigatoriamente no dia seguinte.

Claro que existem exceções, mas não se apegue a elas. Fé não é algo ruim desde que seja na coisa certa.

Não é pecado querer ser uma princesa da Disney nos tempos modernos, mas seja consciente ou você vai no máximo virar a Bela Adormecida que pegou no sono esperando o bofe te ligar pra um programinha a dois ou te pedir em namoro.

Fico por aqui, vou ali passar meu gel anti-celulite que não funciona porque por mais modernosa que eu seja, não podia ser totalmente descrente, tenho que acreditar em algo, e no príncipe encantado não tá rolando.

Com amor, MadameTPM

Instagram
Share.

About Author

Madame TPM

Colabora do Pergunte a uma Mulher. 30 kilos de pura TPM, o resto é banha.