A família dela acha que sou um desocupado

17
Leitor: Olá, namorei durante 1 mês e meio e decidi terminar, pois não estava legal em questão da família dela, percebi que a cobrança sobre ela estava muita porque eu não estava trabalhando nem estudando nem nada se eu estivesse fazendo algo tudo teria ficado tranquilo ela não me cobrava isso, mas eu me sentia mal com isso, ai terminamos, passou uma semana refleti sobre tudo, o que era para eu ter feito no namoro não fiz fui demonstrando para ela depois que terminamos e ela dizia que tinha mudado muitas coisas só que eu não enxergava. Mas enfim agora estou correndo atrás para voltarmos, mas esta meio complicado os amigos dela faz a cabeça dela e outra o orgulho dela é demais.


       Vamos conversar sobre preconceito, ou conceito social para quem preferir. Hoje em dia alguém que que não trabalha e não é muito bem visto e, talvez se você fosse o pai dessa menina teria os mesmos “preconceitos”. Eu sei que todo mundo fala que o que importa é o amor e blabla, mas eu particularmente não acredito que seja apenas isso, ou melhor, pode até ser apenas o “tal do amor”, porém, ele não nasce do nada e a troco de nada como é nas novelas, mas sim é cultivado.
     Quando uma pessoa se relaciona, inevitavelmente ela busca coisas em comum na outra e, mais do que isso, pensa se ela “tem futuro”. Ter futuro não é bem ter dinheiro, mas sim uma perspectiva, e isso vale para ambos os sexos (o dinheiro acaba vindo como consequência). Antigamente, as mulheres não trabalhavam e poucas estudavam, mas pelo menos elas arrumavam a casa, cuidavam dos filhos e mais mil e uma coisas que cá para nós não é nada fácil e chega até mesmo a ser mais pesado que cansativo do que muito emprego de “machão”. Agora na modernidade a ideia não mudou tanto: apesar de homens e mulheres estarem cada vez mais iguais no mercado de trabalho, quem optar por não trabalhar nem estudar, ainda acaba ficando com a parte doméstica, ou seja, cuidar da casa e de tudo que tem a ver com ela.
           Você namorou ela apenas um mês, ou seja, (ainda) não dá para pensar em funções do lar para você. Nisso te pergunto: se você continuasse com ela como você iria se virar? e quando você quisesse fazer um agrado para ela? (que querendo ou não, nunca é de graça). As pessoas têm a constante mania de resumir o dinheiro (ainda mais relacionado a mulher) como 8 ou 80: se ela gosta é vagabunda e se não gosta é justa. Tudo bem que ela pode (e deve) ganhar o dinheiro dela, porém, você não gostaria de um dia ter um futuro legal a ponto de poder levá-la para um jantar ou um motelzinho bacana no dia que você estivesse com vontade? ou seria ela que sempre teria que bancar tudo? Se vocês tivessem filhos iria dizer ainda mais coisa, já que eles também precisam de cuidados e isso querendo ou não envolve ainda mais dinheiro, mas, como disse anteriormente isso ainda está longe do seu caso que é tão recente. Vale a pena lembrar que o dinheiro  e o estudo tem valor não necessariamente para dar algo de material (e inclusive relacionado a saúde) para ela (isso ela pode se dar sozinha, você daria apenas quando achasse que seria legal e/ou de bom senso dar algo), mas para você mesmo: como você vai pegar o busão que seja para vê-la? pedirá eternamente para ela? ou para os seus pais? E quando vocês estiverem em um parque, você não terá nem para a sua água? Querendo ou não o mundo de hoje é materialista e não se vive só de amor, e caso alguém diga que se vive sim, seria melhor ainda viver com o amor, mais uma boa qualidade de vida, certo?
          Eu acho que talvez seja exagero fazer tanta questão de voltar com ela, já que em apenas um mês não dá para ficar perdido de apaixonado por ninguém. Porém, acho importante você tomar algumas providências para a sua vida em individual, independente da sua decisão acabar sendo ou não voltar com ela – e que claro, a depender da sua escolha, te trará novas mulheres que verão futuro em você, assim como você gostaria de ver futuro nelas, certo?!.
          Primeiramente, tenha uma ocupação: você não precisa trabalhar e/ou estudar que nem um cavalo, mas acho legal você ver que rende, que faz algo na vida que é bacana, do tipo aprender algo que até então você não sabia, ou exercitar algo para se tornar melhor ainda!! Saia dessa zona de conforto, porque pelo o que estou vendo até você está se sentindo mal, porém, está acomodado a situação de não fazer nada. Lembre-se de uma coisa importante: ficar no ócio engana a gente porque é aparentemente gostoso e deixa a gente “livre de obrigações”. Porém, é bem isso que depois te deixará totalmente amarrado, já que mais cedo ou mais tarde você acabará vendo que não dá para viver nesse mundo ficando só em casa, saindo com os amigos, ou sei lá o que que você andava fazendo. Mente vazia é a oficina do diabo porque sair do ócio para o lado porco da vida e começar a se envolver com coisas que denigrem, como marginalidade e drogas costuma ser daqui para alí. Sei que muita gente vai achar que o que falei por último é exagero, mas pensem bem… Gente ociosa que conheci na melhor das hipóteses se tornou sustentada pelos pais, o que só é aceitável se você tiver uma boa desculpa para isso, tal como estudar ou ainda não ganhar o suficiente apesar da batalha – mas aí nem precisa falar que já sai da classificação do ocioso.
          Faça algo para você mesmo poder se ver como um bom partido, coisa que você, tal como incomodado, provavelmente não está se sentindo. Quando você ver que uma ou outra pessoa pega no seu pé, até vai e podemos nos iludir achando que é marcação, porém, quando não só família, como amigos e outras pessoas começam a chatear, aí é porque realmente a coisa está ficando preta e você precisa melhorar em algo. Tirando os seus amigos que estão ociosos como você, vale a pena ouvir a opinião de quem está do outro lado da vida, estudando, trabalhando, namorando e rendendo, tenho certeza que essa pessoa terá ótimas coisas para te contar.
           Depois de tudo e caso você ainda goste da ex, tenho certeza que ela e a família dela adorará saber que você quer ser alguém melhor e já está batalhando por isso. Não tanto por eles, mas acima de tudo por você – já que sogras e namoradas geralmente vem e vão, mas o seu currículo te acompanhará para sempre. Comece por você que depois as namoradas virão: você não vai querer uma sombra negra te acompanhando, vai?

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.