Como transformar a minha menina em uma mulher?

57

Leitor: Opa, tudo bem?

Minha questão é o seguinte, namoro a 9 meses, tenho 22 anos, trabalho e faço faculdade, ela tem 19, faz faculdade e tá entrando no mercado de trabalho.

O nosso principal problema é que, ela não se comporta como uma Mulher e sim como uma garotinha, sempre que vamos sair, ela tem que perguntar pra mamãe se pode ou não sair, que horas tem que voltar, que horas pode sair.

Ela tem mto medo do pai também, vive medrando, sempre com medo da reação dele.

Ele não sabe do nosso namoro, mas já me conhece e já disse que apoiaria o nosso namoro, pois sou um bom rapaz, estamos esperando apenas umas 3 semanas pra frente, pra poder dizer para ele que estamos namorando, mas ela  tem receio de que ele fique pior, prendendo-a mais em casa.

Tudo ela tem medo e tem que perguntar pra mamãe e pro papai se pode ou não fazer, isso já tá me enchendo o saco. Sou um Homem e quero uma Mulher do meu lado, não uma Menininha, o que faço??

Primeiro de tudo, é interessante que você saiba que cada família possui seus costumes. Se ela age assim, é porque provavelmente foi ensinada, doutrinada desde a infância a se portar com os pais dessa forma. Existem famílias que tem uma postura mais liberal, ao passo que outras são mais tradicionais, impondo maiores limites aos filhos, tal como me parece ser o caso da sua namorada. Isso é uma questão de cultura familiar. Uma determinada forma de comportamento que dentro da sua família pode ser considerada bobagem, em outras famílias pode ser recebida como uma conduta grave e de difícil aceitação e, namorar inclui saber conviver com essas diferenças e até mesmo adaptar-se a elas; posto que provavelmente as regras não irão mudar apenas porque você, um recém chegado na família, não se agrada delas.Ainda mais que ela é muito novinha. Alguém com apenas 19 anos de idade acabou de sair da adolescência e está dando os primeiros passos para a vida adulta e, como você mesmo disse, ela está entrando no mercado de trabalho agora. Todavia, mesmo trabalhando, se ela não conseguir ter financeiramente uma vida independente dos pais a ponto de satisfazer todas as necessidades dela, ainda assim não se poderá dizer como alguém independente a ponto de não precisar da autorização deles para mais nada (sem contar que tem muita gente independente que mesmo assim sempre leva em conta a autorização dos pais!).

Você quer cobrar uma postura independente, de mulher toda poderosa e bem resolvida de alguém que há apenas dois anos era uma adolescente – ela não tem 30 anos, mas sim 19! Ao que parece, você imaginou um namoro cheio de liberdades, onde os dois poderiam fazer o que desse na teia, sem precisar do aval dos sogros e isso nem sempre é uma realidade. Nem toda família aceita esse formato moderno de relacionamento, cabendo a você analisar se ama a sua namorada de verdade a ponto de moldar-se a isso ou não. Em caso de não adaptação, cabe a você tomar alguma atitude, tal como romper o relacionamento ou procurar um meio para contornar essa situação que tanto o incomoda – casando-se, por exemplo!-. Não se assuste quando eu sugiro que você se case como forma de sanar um problema que tanto o desagrada, porque se você quer cobrar dela uma postura mais decidida, bem resolvida, de mulher, presume-se que você não veja problema algum em ter uma postura mais enérgica em igual sentido. Sim, porque é preciso ser muito homem para tirar uma mulher do seio de sua família e casar-se com ela, assumindo uma responsabilidade que antes era da família dela. Não se engane! Ser homem não se resume apenas a sair para onde quer com a namorada e chegar a hora que bem entender. Isso qualquer adolescente rebelde faz!

Sua história me fez lembrar um brasileiro que namorava uma indiana e não podia beijá-la na boca porque na Índia não é permitido que casais de namorados se beijem, sobretudo  em público. Então ele, percebendo que gostava realmente da moça e a fim de ter maior liberdade com ela, casou-se! Afinal de contas, quem ama se compromete. Aceita o ônus e também o bônus!

Quanto ao fato de o sogro dizer que aceitaria e apoiaria o namoro de vocês, ao passo que ela está há três semanas embaçando para apresentá-lo à família dela, eu enxergo nessas duas posturas um paradoxo. O sogro quando lhe diz, mesmo você ainda não tendo sido apresentado a ele como o namorado da filha, que apoiaria a relação de vocês, está a meu ver querendo com isso estabelecer uma forma de controle, e de quebra deixando bem claro que está de olho, trazendo o romance para mais  perto, para onde ele possa ver e acompanhar, estabelecendo o controle que julgar necessário a essa relação, pois muito provavelmente ele já percebeu que existe algo a mais entre vocês. Penso que se ele fosse realmente esse bicho-papão como sua namorada pinta, ao invés de largar essa indireta, ele chegaria autoritariamente e já perguntaria qual é a sua.

Sua namorada poderia simplesmente peitar os pais. Porém, fica difícil cantar de galo quando ainda se depende tanto deles. Sem contar que consultar os pais sobre tudo me parece um costume culturalmente adquirido por sua namorada e que, por isso, está arraigado no espírito dela. Sendo assim, ainda que ela venha a se tornar financeiramente independente dos pais, enquanto ela ainda morar com eles, vai sentir a obrigação de pedir a opinião deles. Ainda mais que essa forma de comportamento incomoda a você e não a ela. Se você realmente a ama, resta tão somente compreender essa situação. A compreensão e a paciência são uma das principais expressões de amor. Afinal de contas, como alguém sabiamente escreveu: o amor tudo crê, tudo espera, não se ufana e é paciente.

Se mesmo assim não der para você, melhor procurar mulheres financeiramente e emocionalmente independentes e que por isso não devem satisfações “a ninguém”, ou seja, provavelmente mulheres mais velhas. Sim, porque mulheres com esse perfil que você gostaria que sua namorada tivesse, com a idade que você tem agora, geralmente são mais velhas que você….

Se ainda assim está muito difícil conquistar o sogro. aconselho ler esse post ” Dicas para agradar o sogro”. do blog.
Instagram
Share.

About Author

Colaboradora do Pergunte a uma Mulher. 25 anos, formada em Direito, adora assistir a um bom filme, apreciar uma boa música, ler um bom livro em uma tarde ensolarada e fresca, escrever sobre suas impressões do mundo e observar e refletir sobre a vida. Afinal, "sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão. Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão".