Ele me traiu mas ainda o desejo

10

Leitora: Oi,gostaria de saber o que eu faço.

Namorava há 1 ano e 2 meses, terminei com meu namorado sexta-feira dia 17/08,enfim.

Terminei com ele porque descobri que ele transou com minha prima,ela dizia ser muito minha amiga eu falava muitas coisas sobre me para ela,quando descobri fiquei sem chão fiquei com nojo dele e com muita raiva dela,fui tirar satisfação com ele no dia que descobri e ele se quer falou nada,saiu e não disse uma palavra se quer. Então tirei a conclusão de como eu perguntei e ele não falou nada que era verdade mesmo.Tô arrasada,no sábado que ele veio falar comigo perguntando quem foi que falou,que as pessoas gostava de falar mal dele mesmo e que a gente não ia terminar assim.Eu falei que tava com nojo dele e não queria mais saber dele.Quando foi a noite ele saiu com os amigos dele e voltou só de manhâ ai ele foi falar pra outra amiga minha que eu não entendia ele,que eu não compreendia ele,que eu acredito em tudo que as pessoas falam.Ela disse que ele falou que mudou muito por minha causa,que me amava que tava arrependido por umas coisas que tinha feito comigo lembrando(ela não sabia que ele tinha me traído)então acho que ele falou isso porque ficou com ela mesmo.Mais o que eu tenho mais raiva é que ele não vem nem dá uma explicação,fica saindo com os amigos pra balada e fica dizendo que me ama pra minhas amigas e eu não consigo entender ele,ele me deixa muito confusa.Eu amo muito ele e não sei o que fazer quando eu vejo ele quero pedir pra voltar mais ele não tá nem ai o que eu faço me ajudem,quero saber se por essas coisas que ele falou pra minha amiga se ele me traiu mesmo e se ele ainda me quer,ou se espero ele vim atrás obrigada.

Primeiro de tudo, é interessante que, da próxima vez, você observe melhor para quem você irá contar detalhes da sua vida.  Às vezes, as pessoas podem utilizar aquilo que sabem a nosso respeito para nos prejudicar, utilizar contra nós ou operar em benefício próprio, como foi o caso da sua prima; a qual se utilizou da relação de confiança que tinha com você e do que sabia da sua vida para supostamente se aproximar do seu namorado.

Seu namorado parece que foi pego de surpresa quando você o confrontou e não conseguiu alegar nada em sua defesa. Para contornar a situação e preservar a imagem dele diante das suas amigas e se sair como bom moço, ele decidiu bancar a vítima, colocando na cabeça das suas amigas que não fez nada e que você é que é imatura por acreditar em “fofocas” de terceiros, e que todo mundo fala mal dele, ou seja, resolveu encarnar o enjeitadinho.

Sinceramente, essa é uma atitude, no mínimo egoísta, quando alguém tenta repassar uma culpa que sabe que é sua para a verdadeira vítima da situação, tentando manchar a imagem do outro, no caso, taxando-a de incompreensiva e insegura somente para proteger sua própria imagem, além de tentar fazê-la se sentir culpada. Sim, porque quando ele exalta os supostos esforços que ele fez pela relação de vocês perante suas amigas, é isso que ele quer, pois ele sabe muito bem que o que ele disser para elas sobre o relacionamento dos dois será repassado por suas amigas a você e, se é mesmo verdade que ele fez alguma mudança na personalidade dele por você, isso em nada tem a ver ou torna mais justificável e menos dolorosa uma traição! Ele pode até ter mudado em alguma coisa depois que começou a namorar você, mas parece que ainda não aprendeu a admitir os próprios erros; qualidade que considero fantástica em uma pessoa, pois quem detém essa capacidade com certeza terá maiores chances de evoluir em todos os sentidos, sobretudo como ser humano.  

Outra coisa: você não o pegou no pulo, mas sim soube disso por terceiros e deduziu que ele a traiu pelo comportamento dele quando você o confrontou. Bem, ele é esperto o suficiente para saber que a falta de provas concretas te induzirá inevitavelmente à dúvida se houve traição ou não, e é justamente essa dúvida que ele tenta fortalecer quando conta a versão dele às suas amigas, pois ele sabe que você o ama apesar de tudo, e certamente será movida por esse sentimento, que poderá ignorar as fortes suspeitas que pesam contra ele diante da falta de provas!!

Tem um ditado popular que diz que “quando a gente se abaixa demais, aparece a calcinha”. Então, não consideraria prudente você mesma pedir para voltar somente porque é apaixonada por ele diante das atuais circunstâncias e estando ainda cheia de dúvidas. Já parou para pensar que estando em dúvida, jamais conseguiria confiar nele, fazendo da sua vida e da dele um inferno? Sim, porque qualquer coisa poderá ser motivo para desconfiança. Sem contar que se houve mesmo traição, você poderá, pedindo a ele para voltar, estar confessando que realmente é a paranoica da história, ou seja, estará assumindo uma culpa que não é sua.

Outra coisa: amor por si só não se sustenta. Então, não é nada saudável manter um relacionamento com alguém que não demonstra nutrir consideração pela gente apenas porque amamos, visto que uma relação feliz é uma via de mão dupla, uma troca – a não ser que você seja daquelas que só em ter a pessoa amada do seu lado já se sente satisfeita sem que o outro necessite dar nada em troca.

Para não conviver com essa eterna dúvida que parece estar queimando seus miolos, seria interessante que você conversasse com sua prima (se já não fez isso) e tentar extrair desse papo suas próprias conclusões depois de ouvir a versão dela. Depois poderia chamar o seu namorado para uma conversa franca com igual propósito. A depender de como ele se mostrar nessa conversa, você avalia se quer continuar a relação e se houve mesmo traição ou não, analisando a versão dele e a da sua prima. O ideal seria ter essa conversa com os dois quando você estiver de cabeça fria para evitar que a conversa se transforme em uma briga, trazendo à tona velhos ressentimentos e fazendo com que você tire determinadas conclusões no calor das emoções, porque parece que o que está a perturbando mais do que a suposta traição em si é a dúvida se ela ocorreu mesmo ou não.

Instagram
Share.

About Author

Colaboradora do Pergunte a uma Mulher. 25 anos, formada em Direito, adora assistir a um bom filme, apreciar uma boa música, ler um bom livro em uma tarde ensolarada e fresca, escrever sobre suas impressões do mundo e observar e refletir sobre a vida. Afinal, "sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão. Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão".