Entrevista com um gay

18

Hoje postamos nossa primeira entrevista com uma fotinha que não é meramente ilustrativa, mas sim da pessoa real, muito chique rsrs

****************************************************************************

** Boa tarde Gabriel!! Quase eu não entrevistava um gay, porque as vezes tenho a impressão de que vocês estão muito bem acomodados e recebidos no Brasil atual, mas aí pensei que talvez não seja bem assim e eu que posso não estar enxergando direito. Nisso parti para a entrevista, que sempre me faz aprender muitas coisas!

 

Boa tarde! Fico feliz com sua iniciativa e primeiramente gostaria de dizer que é um prazer e uma satisfação enorme (isso me lembra o show Des-Concerto, da Pitty, pois ela diz ao público algo parecido, rsrs) estar aqui respondendo as tuas perguntas! Na verdade não estamos tão bem acomodados assim e nem tanto bem recebidos. O Brasil ainda segue certas tradições e sistemas de crença, logicamente estamos vivendo uma época de mudanças, mas ainda falta muito para sermos respeitados como deveríamos, se é que posso dizer assim.

** Se apresente pra gente!!!

Bem… Meu nome é Gabriel Guimarães Myslinsky, tenho 23 anos e vivo numa cidade pequena do sul de Minas (Madre de Deus de Minas). Aparentemente sou magro, alto, dos olhos e cabelos negros. Pertenço à classe dos homossexuais não-afeminados (mas respeito e simpatizo com quem seja, numa boa). Sou sexualmente versátil, gosto de Rock n’ Roll, ainda sou vagabundo, mas pretendo publicar alguns livros… Passei minha infância em São José dos Campos e aos 10 anos me mudei para Minas. Hoje vivo com a família (mãe, pai e 2 irmãos) e vou levando do jeito que posso (risos).

** Quando e como você descobriu sua orientação sexual, foi desde pequeno? Como foi aceitar isso?

Passei minha infância preocupado com uma artéria artificial que tenho no coração, vivia  pulando de médico em médico e acho que por isso não tive aquele tempo de observar a sexualidade. Dei meu primeiro beijo com 15 anos, numa garota. Aos 17 tentei a primeira experiência sexual (também com uma garota), mas não foi lá aquela coisa, senti que algo estava faltando sabe? Depois do fracasso, deixei de paquerar as meninas e passei a prestar mais atenção nos meninos. Fiquei um ano com este desejo, até que chegou aquele ponto onde eu não me aguentava mais de curiosidade. Enfrentar o medo foi sufocante na época, mas quando tive a oportunidade, não pensei duas vezes. Numa noite de sábado, no meio de um baile, um cara de cabelos cacheados me chamou para acompanhá-lo até uma rua escura. Lá ele me beijou! Posso dizer que foi hilário, eu não sabia onde colocar minhas mãos e não fiz um movimento sequer com os lábios. Ele me beijou sozinho. Confesso que demorei para me soltar, fui perder a virgindade aos 18 anos (as duas), com um moreno super bem dotado na frente e apertadíssimo atrás (imagina o sufoco, rsrs). Me aceitar não foi difícil, difícil foi começar. Julguei-me bissexual no primeiro ano da descoberta, mas quando percebi que meu lance era só com homem mesmo, bolei um plano mirabolante para me assumir. Meu pai que já desconfiava, bebia e me ofendia com palavras preconceituosas. Então peguei um gravador e gravei os absurdos, reuni minha família, joguei o cd com as gravações em cima da mesa e fui direto ao ponto: Pai… Sou gay e quero que me aceite, você e todo mundo aqui em casa. Se houver algum problema com isso, esse cd vai lhe dar muita dor de cabeça, porque vou entregá-lo as autoridades e você vai pagar por cada dano moral que suas ofensas me causaram. Saí do armário assim, hehe… Depois do bafão em casa, me assumir lá fora foi só uma questão de tempo. Embora hoje eu considere a atitude daquela época imatura e infantil, rsrs.

** Constantemente vemos histórias de homens que sempre se diziam gays, mas que depois falaram que se apaixonaram por “aquela mulher” e se casaram ou namoram sério. Nisso te pergunto: você acha que existe ex-gay? Rsrs!

Na minha opinião, tais relatos não passam de uma suposta confusão da parte daqueles que os fazem. Sexualidade é uma coisa natural, orgânica, hormonal, e assim como qualquer outra característica da personalidade, ela é desenvolvida e formada (e isso acontece, queira o indivíduo ou não). Depois de completamente formada, isso não pode ser mudado. O cara pode pensar que é gay, depois descobrir que é hétero (ou vice versa). Estaria mentindo se dissesse que isso não acontece, acontece sim, mas no meu ponto de vista esse é um sinal de confusão (porque eu mesmo já cheguei a me confundir). Devemos considerar que existem aqueles que nem sempre dizem o que sentem e chegam, por algum motivo, seja por medo ou repressão, a afirmar completamente o contrário. Existem aqueles que são honestos e sabem o que querem, porém, também existem aqueles que ainda não conhecem a si mesmos o bastante para chegar a uma conclusão. Então eu digo que não existe ex-gays, o que existe são pessoas que já confundiram sua orientação sexual. E são muitos os que passam por isso viu? (risos)

** Ainda sobre a questão de orientação sexual, é verdade que muitos homossexuais tem certo “preconceito” com aqueles que se dizem “Bissexuais”? Já ouvi alguns homens e mulheres falarem que se auto intitulam gays porque no meio deles muita gente vê os bi não como uma outra orientação sexual, mas sim como gente que não se decide, etc. O que você diria sobre isso?

Infelizmente sim, e esse é um defeito de muitos gays, o de querer generalizar a própria sexualidade, atribuindo a ela condições e aspectos erroneamente considerados fundamentais. A bissexualidade não deixa de ser uma opção (que prefiro chamar de orientação), embora seja facilmente confundida e mal interpretada. Se o homem ou a mulher se sente bem se relacionando com pessoas de ambos os sexos, esse é um direto dele(a) e não quer dizer especificamente que “fulano não se decide”. Por outro lado, a bissexualidade não dura a vida inteira. As pessoas se apaixonam, se envolvem, acabam gostando de alguém de verdade e isso consequentemente faz com que elas tomem uma decisão. Se auto-rotular homossexual por ter aversão à bissexualidade está fora de cogitação. E do mesmo modo, se dizer bi por ainda não aceitar a possibilidade de ser gay é outra forma de escolher um futuro constrangimento. As pessoas devem respeitar o direito de cada um, esse direito de se definir como bem entender sabe?

** A propósito, você acha que a maioria dos gays são gays mesmo, ou seriam bi?

Sinceramente eu não sei e nenhum argumento seria convincente para tal questão. Depois que a Lady Gaga apareceu (risos), parece que ser gay virou moda. Muita gente usa as cores do arco-íris, não por gostarem de pessoas do mesmo sexo, mas por quererem aparecer. Na época que me assumi, as coisas eram bem diferentes. Não tínhamos tanto apoio da mídia, a homossexualidade ainda se escondia nas sombras, enfim, o século XXI ainda estava em sua primeira década. Dando uma opinião extremamente pessoal, posso dizer que não a maioria, mas existe sim, muito gay de meia tigela andando por aí. Não que sejam bissexuais de fato, mas uma cambadinha de pôser buscando no mundo gay uma forma de ter identidade.

** Agora irei te fazer duas perguntas encomendadas, a primeira vinda de homens, e a segunda vinda de mulheres rsrs.

Ok, pode mandar ver, estou aqui para isso, rsrs!

1    Homens perguntando: A gente não tem nada contra os gays, inclusive somos amigos de vários, porém, por que diabos tem tanto gay que estereotipa a mulher, quer falar mais alto do que uma mulher, quer passar mais percebido do que uma mulher, e até se força a falar e a ter trejeitos “mais femininos” do que os de uma mulher de verdade?

Sabia que eu me faço a mesma pergunta? Por que diabos hein? (risos). Para responder a esta questão, acho fundamental diferenciarmos a orientação sexual da identidade de gênero. Ou seja, vulgarmente falando para melhor exemplificar: gostar de homem é uma coisa, querer ser mulher é outra. Essa é a questão! Muitos gays se sentem mulher. Isso não é errado, muito pelo contrário, é uma manifestação de personalidade. Mas como sempre costumo dizer: tudo em excesso é perda de equilíbrio e descontrole realmente incomoda. Ou seja, o exemplo de gay que se reflete nesta pergunta é aquele que quer ser mulher, mulher demais, e acaba passando dos limites. Muitos chegam a ser irritantes, escandalosos, conheço vários assim e não tenho nada contra, desde que não tenha meu espaço invadido por eles.

2   Mulheres perguntando: Falando SINCERAMENTE, você acha que é comum haver uma certa inveja da parte dos gays perante as mulheres? Frequentemente vejo gays sendo meio rudes com mulheres, tentando boicotar (tem um que fala para todo mundo que uma amiga linda nossa é plastificada, fake, etc), entre outras coisas. Uma vez uma amiga falou que acha que é inveja porque eles gostariam de ter nascido mulheres e que ela acha uma pena, pois a mesma falou que sonhava em ter um amigo gay para poder contar tudo, mas que parece que eles não querem muito ser amigos dela rsrs. O que você acha disso?

Por não ser assim, acho que não entendo essa inveja pelo feminino (já estou há mais de cinco minutos pensando numa resposta, rsrsrs, tá difícil), mas eu acho que… Não tenho certeza (risos). O fato em questão deve ser aquela vontade de ser mulher, certo? Me desculpa… Entendo essa inveja mencionada, mas não tenho argumentos. Boicotar, criticar, ter um certo tipo de aversão, não é comum, embora não seja raro.

Conheço alguns gays que desejam ser mulher, se vestem como uma, escondem o pau e fazem do cú uma buceta. Não quer dizer que todos são assim e a amiga não precisa desistir de ter um amigo gay. Se tem um que critica, boicota, inveja e fala mal, deixe-o de lado, mande-o à merda porque ele faz isso não por ser gay de fato, mas por ser um otário mesmo. Não deve se sentir ofendida por isso, pelo contrário! Se ele tem inveja, é sinal de que ele te admira e quer ser igual a você, fica se contorcendo por ter alguns centímetros a mais, então… Deixe-o de lado, não pense que todos são assim e procure por aqueles que te respeitem e mereçam sua amizade. Gays são os melhores amigos que uma mulher pode ter, mas alguns podem ser inimigos, faz parte porque ninguém é perfeito… Mas generalizar? Não querida, nem toda bicha vai te invejar e te odiar por você ser uma mulher de primeira! Quer um amigo gay de verdade? Olha eu aqui, rsrsrs…

** Por que tem homens que se consideram gays assumidos, mas que ao mesmo tempo morrem de olhar algumas mulheres em especifico (por exemplo na academia haha)? Seriam eles bi ou estariam apenas admirando algo sem segundas intenções? haha

Se realmente se consideram assumidos, porque desconfiar? Admirar uma mulher, reconhecer sua beleza  e sentir prazer ao olhar para ela é completamente normal. Admiração é diferente de atração, então consideremos este ponto. Se são bissexuais por isso, eu não sei, acho que depende de cada homem e sinceramente, não posso generalizar. O que é bonito realmente chama a atenção, tanto na academia como em qualquer lugar. Eu mesmo fico para morrer quando vejo alguma mulher de beleza invejável, admiro, mas não desejo mais nada além de um olhar satisfeito.

** Como “detectar um gay” rsrs?! Eu sei que nem tudo é 100%, mas certamente você deve ter algumas técnicas para saber se o bofe que você ficou afim também poderia ficar afim de você, ou se ele iria querer mais a sua amiga rsrs! Nisso as suas dicas poderiam também ajudar uma mulher  que gostou de um carinha e ficou na dúvida: e aí, será que ele é gay ou não é?! Você teria algumas dicas para ajudar a identificar “um gay” (caso ele não seja daqueles super assumidos que a gente já percebe na hora, claro!)?

Héteros se “detectam” com facilidade, não é mesmo? Pode até parecer estranho, mas com os gays não é diferente. Também é válido entre nós aquele ditado: “Um gambá cheira o outro” (risos). Sexualidade flui. Para saber se o cara que estamos afim é ou não é, basta seguir o fluxo, não tem erro. Certamente existem alguns indícios que podem ajudar, tipo traços sutilmente femininos (digo, meio “suspeitos” saca?), sensibilidade na voz e nos gestos, o modo como se veste. E mesmo que tais indícios estejam ausentes, ou seja, se não estiver “na cara”, a identificação não se torna impossível. Quer dizer… Não existem disfarces perfeitos. O cara pode até se esforçar para não dar pinta, mas nada passa despercebido diante daquela intuição que muitos chamam de “gaydar” (radar gay). Tudo é uma questão de fluxo. Creio que padronizar não é uma boa, afinal, não existem condições para ser gay (ou hétero, ou bi, ou zoófilo, ou qualquer outra coisa que o leitor possa imaginar)… Na verdade, as pessoas se complicam muito, pois não precisamos detectar nada! (se é que posso dizer assim). O ser humano tem um mecanismo mental/orgânico/intuitivo incrível e nós temos muitas habilidades que ao menos conhecemos. Uma delas é o fato de não nos enganarmos com nossas atrações (olha a dica para as meninas aí!), ou seja, se você se sente atraído por gays logicamente será atraído por gays, não por héteros (e vice-versa). A dica é confiar na sua capacidade de identificação, que é natural e não lhe cobra questionamentos. Se sentiu atraído(a)? Se joga! Se enganou? Reflita, pois nossa atrações não erram…

** Reza a lenda que muito homem metido a machão ou a pegador, não surpreendentemente as vezes é gay e fica se fazendo de muito macho “só para ver se engana” rsrs! Isso faria sentido para você?

A palavra “homem” define um ser humano masculino. A palavra “macho” define um animal masculino. Certo? Entre nós existem muitos “animais” e você os descreveu na pergunta. O tipo de homem que tem esse comportamento só engana a si mesmo. Machão e pegador são definições pré-históricas no meu dicionário e homem de hoje que se mete a isso deveria morar numa caverna. Para mim não faz sentido, pois homem de verdade não precisa enganar ninguém e o mesmo vale para os gays. Infelizmente existem pessoas que rezam pela verdade, mas vive uma lenda!

** Você já pegou muito homem que se diz totalmente hetero macho viril pegador de mulheres mas que no escurinho corria para os seus braços? rsrsrs

Sim! Muitos e eu adoro fazer isso. Pois a maioria deles usam artifícios machistas para me “conquistar” e no fim acabam se entregando passivamente. São homens que se preocupam demais em manter uma vida convencional. A maioria destes são casados, autoridades ou de reputação religiosa. Sou um cara honesto e para mim é honesto igualar uma desonestidade (risos). Segredinhos? Todos têm… E cuidado viu meninas? Talvez eu já tenha dividido uma cama com seu namorado, marido ou até mesmo aquele bombeiro gostoso que te salvou de uma enchente. (brincadeira tá?)

** Eu tenho alguns amigos gays que falam que odeiam sexo com camisinha, que a preocupação seria a de não ter filho, mas como eles não podem ter filhos entre si, vai sem mesmo. O que você acha disso? E como ficam as DSTs?

Alguns gays se sentem incomodados com o uso da camisinha, acham que isso diminui o prazer, sentem como se estivessem transando com um boneco inflável, carne e borracha para eles não combinam. Algumas vezes se encontram desprevenidos, encontram aquele cara que lhes despertam o tesão e não se preocupam se ele pode estar infectado ou não. As aparências nem sempre são confiáveis e até mesmo aquele deus grego que você conhece na balada pode estar doente. Usar o termo “não vou engravidar ninguém, então que se dane”, na minha opinião é uma falta de responsabilidade. As doenças sexualmente transmissíveis são perigosas e não existe um método seguro para evitá-las além do preservativo. Se tiverem um parceiro fixo, ambos certos de que não possuem o HIV e confiarem um no outro, a camisinha pode ser descartada, mas mesmo assim não deixa de ser perigoso.

Além de nos manter seguros, o preservativo também é higiênico. Gozar lá dentro faz com que o passivo fique um bom tempo vazando esperma, cagando porra (uurrrgh!). E o ativo, caso o parceiro não goste de “fazer a chuca” (limpeza anal interna), sempre sai da transa com resíduos de fezes no pênis. Então… Os amigos que odeiam sexo sem camisinha devem pensar melhor sobre isso. Até porque existem muitos por aí que adoeceram e se revoltaram, quer dizer, estão passando o HIV adiante propositalmente.

Você não vai querer ser mais uma vítima não é mesmo? Minha dica e apelo é que usem camisinha, sempre e sem exceções!

** Uma curiosidade: se um dia uma mulher se apaixonar por um gay, o que ela poderia fazer: desistiria ou teria um plano B? rsrs

Se ela tiver os dedos bem grandes ou souber usar um dildo (o famoso cinto pica, rsrs), acho que está tranquilo (risos). Se apaixonar por um de nós não é raro meninas! Isso acontece porque muitas de vocês se sentem atraídas pela nossa sensibilidade, a capacidade de dialogar e entender bem o que vocês sentem. Acho que apenas desistimos quando cansamos de sofrer, mas se este não for o caso, porque não um plano B? Seja quem for, quando o coração está no comando, não há limites. E o que costumo dizer: se existir 1% de chance, vale a pena 100% de esforço!

Tem certeza que o cara é gay? Se enganar não é difícil, pois nem sempre as coisas são o que parecem. Não custa nada confessar, ter uma conversa sincera com o cara, mostrar o que sente e saber o que ele pensa em relação a isso. Procure saber se ele é gay mesmo. Use seu instinto feminino e não desista antes de ter certeza. Se for mesmo, tenha paciência e deixe o tempo resolver tudo. E não veja a situação pelo ângulo do fracasso, porque de fato aprendemos com tudo nessa vida.

** Constantemente ouvimos gays dizendo que se pudessem ter um desejo realizado, seriam héteros. É verdade ou não passa de uma “intriga da oposição”? rsrs

É VERDADE! Ser gay nos cobra a força de remar contra a correnteza, enfrentar valores condicionados, lutar contra a indiferença, sofrer para ser respeitado. É  bem mais fácil ter uma vida ao lado da maioria que nos apóia do que fazer parte da minoria que é sempre apontada e discriminada. Ninguém escolhe ser gay, ninguém escolhe passar por esse sofrimento (pois eu estaria mentindo se dissesse que somos completamente aceitos e felizes). Se eu pudesse escolher, certamente gostaria de ser hétero também. As pessoas deveriam pensar melhor antes de dizerem “você escolheu essa vida”. Não, não é bem assim. A intriga surge da falta de conhecimento, do desrespeito, de julgar sem saber o que isso realmente significa. Existem muitos por aí, vivendo no armário, com medo até mesmo de procurar entender o que se passa. Muitos rezam para deixar de ser gay, mas isso não acontece. Uma maçã não se transforma em banana (rsrsrs) e desejar ser hétero é uma ilusão que infelizmente muitos gays ainda acreditam ser verdadeira.

** Como você diria que é ser gay nos dias de hoje? Às vezes, tenho a impressão que eles estão muito bem, super bem resolvidos e felizes, mas não sei se essa seria apenas uma visão aparente ou seria algo real. O que é ser gay para você nos dias de hoje?

Eu moro numa cidade pequena e talvez minha resposta (que como todas as outras foi baseada em experiências de vida) não faça sentido para algumas pessoas. O mundo gay que me rodeia é aquele que ainda repousa nas sombras do medo e do preconceito. Ser assumido numa cidade com no máximo 10 mil habitantes não é fácil. Muitos querem se aproveitar de mim e usar meu corpo para se aliviarem sexualmente (porque esses caipiras de Madre de Deus, quando são rejeitados por várias mulheres, no fim da noite me procuram achando que não bancariam o veado se estiverem comendo). Por outro lado, os que gostam de verdade e realmente alimentam sentimentos, estão sempre preocupados com o que os outros podem pensar disso. É triste gostar de alguém que precisa bancar o machão na presença dos outros. É triste amar entre quatro paredes e saber que a sociedade é mais forte.

Ser gay para mim é sofrer, estar sempre negado, rejeitado e solitário. Mas também é ser forte, corajoso, destemido… É estar sempre sorrindo diante das dificuldades. É ter orgulho de ser “diferente”, de não ser “normal”, de não fazer parte da maioria que se julga mais feliz, mas que muitas vezes sofre mais do que eu.

Ser gay é ser homem de verdade, mesmo que pensem o contrário.

** Por fim, dê algumas dicas para aquelas pessoas que sabem que são gays, mas não sabem ou não conseguem assumir!

Que elas saibam que não há nada de errado com elas! Que o inferno são os outros! Que com o tempo, o armário será o próprio caixão! Não vale a pena viver escondido, fingindo, enganando as pessoas (principalmente aquelas que amamos). Não vale a pena deixar de lado a beleza da individualidade, temendo as regras que nos fazem estúpidos e alienados, para viver sem coragem, infeliz, ignorando a si mesmo para alimentar a ignorância alheia.

Então diga! Quem você é? Me diga! Me fale sobre a sua estrada, me conte sobre a sua vida. Tira a máscara que cobre o seu rosto! Se mostre e eu descubro se eu gosto do seu verdadeiro jeito de ser… E saiba que a vida está certa, que a natureza não erra, que Deus não cria seres humanos diferentes da sua própria criação, que é perfeita! Nascemos para ser o que fomos destinados a ser.

O que move as batidas do seu coração, o que faz o teu corpo tremer através dos teus desejos, o teu verdadeiro jeito de amar… Não reprima! Esta é sua melhor parte, então coloque-a para fora! Deixe o mundo conhecer a maravilha que você é e mostre que podemos ser felizes longe das definições que consideram necessárias para isso. Você não está sozinho! Eu estou lutando por você e por todos os que se sentem como você. E eu não sou o único… Debaixo do arco-íris existem pessoas lutando também, por um mundo mais tolerante, para que o amor seja manifestado não somente entre homens e mulheres, mas de pessoas para pessoas!

** Muito obrigada pela entrevista Gabriel, tenho certeza que ela poderá ajudar muita gente! Sei que você tem um blog, caso queira dividi-lo com a gente deixando o link aqui fique à vontade! Grande beijo!!!

Eu é que agradeço pela oportunidade de expor as minhas ideias num site que praticamente vi nascer e alcançar o sucesso na internet! Foi um prazer responder cada uma das perguntas. Dediquei meu tempo, atenção e carinho em cada linha aqui escrita. Espero mesmo ter ajudado, afinal, estou aqui para isso. Peço desculpas caso cometi algum equívoco e agradeço por cada leitura. Não deixem de comentar viu?

Obrigado, queridos leitores… Gays, héteros ou curiosos!

Meus Blogs? Aqui estão eles:

Visão de Mundo 

Mente pervertida 

Deixo também meu Facebook, caso você tenha gostado meeesmo e queira me conhecer melhor, rsrsrs. Pode mandar uma solicitação que aceitarei com muito carinho!

Gabriel Guimarães Myslinsky (caso queira pesquisar) [email protected] (caso faça a pesquisa por email) e …

Um grande beijo pra você Luiza e para todos os leitores

 Até a próxima…  Fuuuuuuuuuuui!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Fabíola Oliveira

    Gostei da entrevista com este rapaz. Super bem articulado… Beijão para ele!

  • Duo Postal

    Entrevista muito grande, porém bastante esclarecedora.

    http://duo-postal.blogspot.com

  • Ficou ótima a entrevista, parabéns!…e parabéns pelo blog também, ainda não conhecia! (:
    http://www.minhalocadoradeideias.blogspot.com.br

  • Legal!

  • Muito boa a entrevista do Gabriel que se mostrou bem inteligente e de personalidade nas respostas.
    Acho que falta a nossa sociedade um pouco de respeito aos homossexuais, pois cada um escolhe o que quer na vida.
    Vejo que o mais difícil para eles é assumir para a família que muitas vezes não aceita e tem atitudes agressivas.

    • Raul

      Tem que entrevistar o Silas Malafaia agora … kkkkkkkkkkkk

  • Andy antunes

    muito boa a entrevista , com certeza pode audar muita gente que passa ou já passou por tudo isso .

  • Anonymous

    Nossa, tudo que ele passou…com o pai e tudo….Não é pra qualquer um não! Tem que ser uma pessoa muito forte! Tem que ser é MUITO MACHO!!
    Parabéns Gabriel, pela entrevista e pela coragem de assumir, numa sociedade tão hipócrita e machista, que condena quem busca sua felicidade sem prejudicar ninguém!
    Beijo Grande!

  • Danny

    Adorei ,reto e direto…Parabéns 😀

  • Anonymous

    Gabriel Guimarães Myslinsky,parabéns pela sua atitude diante da sua família e da sociedade.Lhe desejo muita felicidade,saúde,paz!Grande abraço.

  • Parabéns pelo Blog! A entrevista também. Boa sorte!

    http://www.oinfocara.blogspot.com

  • Muito legal, falando sobre algo que eu acho muito ruiom, eu não tenho preconceito e adoro as pessoas do jeito que elas são!

  • Yuusuke

    Foi super esclarecedora essa entrevista.

  • Anonymous

    Amei a entrevista! *–*

  • WD`

    Legal que no blog exista espaço para essa comunicação.

    Sempre visito o blog, pois também escrevo muito para o universo feminino.

    Parabéns pelo post.

    http://abrindoziper.blogspot.com.br/

    • Anonimo

      Obrigada mesmo, estava ficando com um cara que depois de ler, tenho diagnotisco de que é gay, triste é ele tentar me enganar e se enganar, tenho varios amigos gays e que são namorados, tenho mente aberta, mas fico muito chateada de alguns tentar usar mulheres e as fazerem se sentir importantes e usar como papel figurativo, muitos tem caso ja antigo c parceiro e procuram uma trouxa pra engravidar ou ter familia… Ate q ponto vale a farça ? Viver uma vida sozinho de máscaras deve ser dificil agra envolver uma outra pessoa que não tem nada c isso…Parabéns a voce, que se assumiu … e que não vive infeliz c algo que não gosta e não engana seus sentimentos e de outra mulher .O mundo precisa de pessoa sinceras, com seus sentimentos c suas atitudes …

  • Pingback: bad credit loans()

  • Pingback: how to calculate bmi()