Apaixonada pelo professor

36
Leitora: eu me apaixonei pelo meu professor e agora não sei o que fazer. Já pensei até em mudar de faculdade, mas aí acho que passa a ser infantilidade minha porque estudo em uma das melhores do estado. Só que eu não consigo parar de pensar no meu professor, sonho, fantasio… pareço uma menina de 15 anos… O problema é que não sou de me envolver com ninguém, gostar então, praticamente não me permito a isso, só que quando eu percebi, já estava completamente envolvida. 

Desde meu último namoro, há pouco mais de um ano, só saí com 2 pessoas, e não curti nenhuma, não sentia aquela vontade de estar com ninguém, tesão então… estava até me esquecendo o que é isso. O problema é que, apesar de ser muito carismático, a gente (eu, ele e outros colegas) sai junto na faculdade, ele sempre deixa claro a relação aluno-professor que temos e aí fico com o maior medo de arriscar uma aproximação e acabar perdendo a sincronia que temos. 

Ele é solteiro, descobrimos ter os muitos gostos em comum e nem é muito mais velho que eu (8 anos) mas por ser meu professor sei bem que pode acarretar em vários problemas. Acho o máximo estar apaixonada, até porque é bem raro isso ocorrer comigo, mas tinha que ser justo com meu professor? E agora?

Poxa, não tinha um bofe mais fácil não? Olha, vamos pensar pelo lado bom: você não será aluna dele pra sempre, e aí desde que você seja maior de idade e vacinada, vocês podem se casar e serem felizes para sempre, hehehe! Sério, ainda que tenham vários casos de alunos que se relacionam com professores, mesmo que namorar um mestre não seja crime e tirando as exceções, no geral é difícil um professor querer abrir a cabeça para isso, e isso não acontece porque você é feia, chata, ou desinteressante. Pensa só no dilema: ainda que não seja um crime, a sociedade como um todo considera essa possibilidade como algo antiético. Nisso dá para pensar: como ele vai ficar com uma aluna, correndo o risco de ser reprovado por isso, ser olhado torto por todo mundo, e inclusive ser considerado como “sem profissionalismo”? Coisa que cá para nós, sendo certo ou errado, muita gente o chamaria assim. Se envolver com uma aluna é algo que primeiramente ele teria que estar aberto a isso, e segundo que mesmo se estivesse, não é fácil ter que aguentar as barreiras e preconceitos para viver esse “louco amor” contigo (isso de “louco amor” parece título de filme de sessão da tarde, haha!). Assim, você teria que ter muita sorte de ele estar apaixonado o suficiente por você a ponto de correr os ricos.

Estamos carecas de saber que existem professores que se relacionam com alunos SIM, e sabemos que mesmo que eles tentem esconder o máximo possível, chega uma hora que todo mundo fica sabendo, ainda mais quando se trata de babado de professor: “Nossa amiga, sabe o professor e a fulana de tal? Vi eles na rua ontem se agarrando”, hehe. O povo já gosta de uma fofoca, se envolver um “superior” pior ainda, e o seu professor já deve saber disso. Não estou querendo te desanimar, mas sim estou tentando ser realista para que você pense sobre a lógica desse mundão que vivemos. Como você está na faculdade, imagino que você é maior de idade, o que provavelmente já ajuda muita coisa na cabeça dele, porém, ainda assim continua tendo todos os outros contras falados anteriormente. Sem contar que se ele deixou claro a relação aluno professor, pode ser que ele já esteja percebendo o seu interesse e queira te dar o recado. 

“Poxa, então o que eu faço agora? Já posso chorar?” Não, mas você pode pensar que, ou você desiste dele, ou você terá tempo o bastante para deixar as coisas fluirem, até que um dia você arrume outro, ou acontecerá com esse mesmo professor mas dessa vez com você formada e com “o anti ético passando a ser ético”, hehe! Enquanto isso, por que você não luta com as armas que você tem? Veja só: pelo menos vocês são amigos, ele te trata bem, e vocês tem uma boa ligação, coisas que você pode cuidar bem o suficiente até a hora que ele não deverá mais nada “para a sociedade”, e nem precisará temer perder o respeito no meio. 

Quando é que você se forma? Não sei, mas acho que se há uma relação de amizade, mais cedo ou mais tarde tudo se encaixa e você acaba encontrando o seu lugar. O bom de ser amigo de alguém é que não só podemos ter mais notícias do paradeiro da pessoa, como também podemos estar mais próximas de saber o que ele espera da gente. Assim, se você continuar na amizade e ver que não passa disso, acho que não te custa desencanar e esperar até que a vida decida por vocês. E quanto a ficar fantasiando com ele, imagino que isso pode ser uma delícia, mas é que nem droga: é bom no começo, mas depois te ferra a vida. Então saia dessa e mude de pensamento. Mas como? Bem, no começo você terá que forçar o seu cérebro a mudar o pensamento de rumo, mas depois quando você menos esperar você estará muito mais “conformada”, a ponto de fazer sua parte ao mesmo tempo que aceita melhor a possibilidade de estar convivendo com alguém que pode não te ver além da amizade. Vamos começar a treinar o cérebro agora: “O professor não está me beijando, não, não, ele não está me entregando rosas vermelhas, ele está apenas dando aula e eu estou prestando muita atenção nesse assunto superrr interessante”, haha!

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.