Apaixonada pelo professor

36
Leitora: eu me apaixonei pelo meu professor e agora não sei o que fazer. Já pensei até em mudar de faculdade, mas aí acho que passa a ser infantilidade minha porque estudo em uma das melhores do estado. Só que eu não consigo parar de pensar no meu professor, sonho, fantasio… pareço uma menina de 15 anos… O problema é que não sou de me envolver com ninguém, gostar então, praticamente não me permito a isso, só que quando eu percebi, já estava completamente envolvida. 

Desde meu último namoro, há pouco mais de um ano, só saí com 2 pessoas, e não curti nenhuma, não sentia aquela vontade de estar com ninguém, tesão então… estava até me esquecendo o que é isso. O problema é que, apesar de ser muito carismático, a gente (eu, ele e outros colegas) sai junto na faculdade, ele sempre deixa claro a relação aluno-professor que temos e aí fico com o maior medo de arriscar uma aproximação e acabar perdendo a sincronia que temos. 

Ele é solteiro, descobrimos ter os muitos gostos em comum e nem é muito mais velho que eu (8 anos) mas por ser meu professor sei bem que pode acarretar em vários problemas. Acho o máximo estar apaixonada, até porque é bem raro isso ocorrer comigo, mas tinha que ser justo com meu professor? E agora?

Poxa, não tinha um bofe mais fácil não? Olha, vamos pensar pelo lado bom: você não será aluna dele pra sempre, e aí desde que você seja maior de idade e vacinada, vocês podem se casar e serem felizes para sempre, hehehe! Sério, ainda que tenham vários casos de alunos que se relacionam com professores, mesmo que namorar um mestre não seja crime e tirando as exceções, no geral é difícil um professor querer abrir a cabeça para isso, e isso não acontece porque você é feia, chata, ou desinteressante. Pensa só no dilema: ainda que não seja um crime, a sociedade como um todo considera essa possibilidade como algo antiético. Nisso dá para pensar: como ele vai ficar com uma aluna, correndo o risco de ser reprovado por isso, ser olhado torto por todo mundo, e inclusive ser considerado como “sem profissionalismo”? Coisa que cá para nós, sendo certo ou errado, muita gente o chamaria assim. Se envolver com uma aluna é algo que primeiramente ele teria que estar aberto a isso, e segundo que mesmo se estivesse, não é fácil ter que aguentar as barreiras e preconceitos para viver esse “louco amor” contigo (isso de “louco amor” parece título de filme de sessão da tarde, haha!). Assim, você teria que ter muita sorte de ele estar apaixonado o suficiente por você a ponto de correr os ricos.

Estamos carecas de saber que existem professores que se relacionam com alunos SIM, e sabemos que mesmo que eles tentem esconder o máximo possível, chega uma hora que todo mundo fica sabendo, ainda mais quando se trata de babado de professor: “Nossa amiga, sabe o professor e a fulana de tal? Vi eles na rua ontem se agarrando”, hehe. O povo já gosta de uma fofoca, se envolver um “superior” pior ainda, e o seu professor já deve saber disso. Não estou querendo te desanimar, mas sim estou tentando ser realista para que você pense sobre a lógica desse mundão que vivemos. Como você está na faculdade, imagino que você é maior de idade, o que provavelmente já ajuda muita coisa na cabeça dele, porém, ainda assim continua tendo todos os outros contras falados anteriormente. Sem contar que se ele deixou claro a relação aluno professor, pode ser que ele já esteja percebendo o seu interesse e queira te dar o recado. 

“Poxa, então o que eu faço agora? Já posso chorar?” Não, mas você pode pensar que, ou você desiste dele, ou você terá tempo o bastante para deixar as coisas fluirem, até que um dia você arrume outro, ou acontecerá com esse mesmo professor mas dessa vez com você formada e com “o anti ético passando a ser ético”, hehe! Enquanto isso, por que você não luta com as armas que você tem? Veja só: pelo menos vocês são amigos, ele te trata bem, e vocês tem uma boa ligação, coisas que você pode cuidar bem o suficiente até a hora que ele não deverá mais nada “para a sociedade”, e nem precisará temer perder o respeito no meio. 

Quando é que você se forma? Não sei, mas acho que se há uma relação de amizade, mais cedo ou mais tarde tudo se encaixa e você acaba encontrando o seu lugar. O bom de ser amigo de alguém é que não só podemos ter mais notícias do paradeiro da pessoa, como também podemos estar mais próximas de saber o que ele espera da gente. Assim, se você continuar na amizade e ver que não passa disso, acho que não te custa desencanar e esperar até que a vida decida por vocês. E quanto a ficar fantasiando com ele, imagino que isso pode ser uma delícia, mas é que nem droga: é bom no começo, mas depois te ferra a vida. Então saia dessa e mude de pensamento. Mas como? Bem, no começo você terá que forçar o seu cérebro a mudar o pensamento de rumo, mas depois quando você menos esperar você estará muito mais “conformada”, a ponto de fazer sua parte ao mesmo tempo que aceita melhor a possibilidade de estar convivendo com alguém que pode não te ver além da amizade. Vamos começar a treinar o cérebro agora: “O professor não está me beijando, não, não, ele não está me entregando rosas vermelhas, ele está apenas dando aula e eu estou prestando muita atenção nesse assunto superrr interessante”, haha!

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Rejane

    Adorei a resposta e acho que se encaixa em diversas ocasiões, não só na relação aluno x professor. Afinal, acredito que em qualquer situação de paquera tudo deve fluir naturalmente e essa coisa de “vou me declarar e vai ser tudo lindo” é bem perigosa e tem cara de filme de sessão da tarde. Tudo se resolve com o tempo! E não mude de faculdade, se o BOFE “nem é seu ainda” e já tem essa moral (kkkkkkkkk brincadeira) imagine se de fato vocês vierem a ficar juntos??? Ai um dia termina e você está com o diploma da faculdade da esquina do zé só porque abriu mão do seu futuro profissional por causa de uma paixão… Pense sempre em você primeiro! E depois, se puder, avisa pra gente se deu certo!! Bjs

  • Realmente existem professores que resistem em se envolver com seus alunos por medo de serem tachados de antiéticos ou de pegadores, sobretudo se tratando de profissional homem, hipótese onde as chances de ser visto como o pegador da faculdade aumentam. Por isso que eu penso que tu deves segurar a tua onda e nada de pensar em se declarar porque, a depender da forma como ele enxergar o envolvimento entre professor e aluno, poderá até querer se afastar de ti.

    Eu sendo tu, preferia me utilizar de meios mais sutis e velados como tentar despertar o interesse dele de forma implícita, me esforçando mais na matéria dele, por exemplo, fazendo bons trabalhos, dando boas respostas na prova. Tudo isso para mostrar a ele o quanto é uma pessoa inteligente e interessante. Tentaria puxar papo também no facebook ou pessoalmente sobre assuntos do seu domínio. Perguntar a opinião dele sobre determinados assuntos referentes à matéria dele e etc. Tudo isso de forma discreta e sem forçar a barra, claro.

    Eu acredito que tem coisas que a gente fala para o outro, mas para gente mesmo ouvir. Explico: tentanto evitar que ele mesmo acabe cedendo aos encantos de alguma aluna ou vindo a se interessar por ela, de logo ele já impõe uma barreira como forma de inibir a ação de uma possível interessada ou até você mesma, caso ele já tenha notado seu interesse porque se ele não tivesse tanto medo disso, para quê fazer tanta questão de deixar tão claro que entre ele e os alunos não existe uma relação de amizade, mas uma relação professor-aluno? Bastava ele esperar que algo desse tipo ocorresse para ele explicar essa situação situação à interessada…Ademais que, se ele se permite sair com os próprios alunos da faculdade, é porque sinceramente ele não faz tanta questão de manter essa distância professor-aluno porque se assim o fosse, ele nem sairia com vocês só para manter a postura e erradicar de vez a possibilidade alguém confundir as coisas.

    Quando eu tava na faculdade, os professores que não queriam de forma alguma se envolver com alunos, não saíam com eles não. Quando eu era universitária, tinha um professor super gato e bem novinho, tinha só 26 anos.Tava solteiro quando entrou lá. Mas ele fazia, e com razão, uma distância enorme entre professor e aluno e é pouco provável que ele aceitasse sair para algum lugar com grupinho de aluno.

    • Anonymous

      + é diferente sair com aluno para ser amigo e para ser amorzinho da pessoa. E se ele sai com um grupo de alunos como a pessoa que perguntou parece que quis dizer é mais diferente ainda porque ele não sai só com ela e nem para beijar ela. Ter amizade com aluno não é mal visto e por isso ele não deve ter medo mais beijar aluno na boca é diferente e pegaria mal. Ele como mestre deve saber bem da diferença dessa variável.

    • Anonymous

      Tem que ser de você mesma! Essa história de mostrar que se interessa na matéria fica parecendo que você é a Maria Joaquina “olha como sou esperta!! sei de tudo que vc sabe”…. Ele ja deve ter passado por isso com outras alunas…. Seja interessante sendo você….

    • Rejane

      Tem que ser de você mesma! Essa história de mostrar que se interessa na matéria fica parecendo que você é a Maria Joaquina “olha como sou esperta!! sei de tudo que vc sabe”…. Ele ja deve ter passado por isso com outras alunas…. Seja interessante sendo você….

      PUBLICANDO SEM O ANONIMO QUE SAIU SEM QUERER… RSRR

    • Foi exatamente para ela não parecer uma Maria Joaquina que eu disse para ela demonstrar interesse pela matéria sem forçar a barra, até porque, ao que tudo indica, ela deve se interessar pela matéria dele; já que ela mesma diz que os dois têm vários pontos em comum. Talvez a disciplina que ele leciona seja um ponto em comum entre os dois também.

      Depois que eu não disse para ela ficar feito uma Maria Chata fazendo perguntas desnecessárias durante a aula, nem tampouco comentários inúteis. A dica aqui consiste em falar de maneira inteligente e oportuna, seja na aula, quando ele sair com a turma dela ou na prova, pois é exatamente essa cautela e equilíbrio que impedirá que ela perca a originalidade.

      Se ela for aluna de Direito, pode na prova, por exemplo, responder alguma pergunta colocando jurisprudência, entendimentos doutrinários, posicionando-se sobre o tema. Isso é um diferencial porque a maioria dos alunos dá apenas respostas diretas e boa parte dos professores gosta quando um aluno responde a uma questão com todo esse arcabouço, ou seja, de maneira diferenciada e demonstrando profundo conhecimento sobre o tema. Provas bem respondidas costumam chamar e muito atenção de professores e já vi isso correr na prática algumas vezes e se ela fizer isso, ao menos no meu sentir, não estará parecendo uma garota que só quer impressionar…

      Ademais que eu penso que quem deseja conquistar alguém tenha que fazer ressaltar ou demonstrar algo que possa causar interesse no outro, mas com parcimônia, claro, a fim de que não pareça algo forçado porque aí, sim, ela vai parecer que só tá querendo bancar a esperta para cima dele, o que possui boas chances de surtir exatamente o efeito contrário. Esse negócio de se interessar por alguém e não demonstrar para a pessoa nada que possa também atraí-la possui boas chances de fazer com que o interessado termine no 0 a 0.

    • Rejane

      RESSALTO, desde que ela seja ela mesma!!

  • Samuel

    Mulheres que se mostram interessadas pelo professor gente boa da faculdade … Conta uma que a gente não sabe. Acha que é a única interessada?
    Novidade seria uma aluna se interessar loucamente pelo cara que limpa a sala de aula. Aí eu pago pra ver.
    Quem está no palco, á frente, sempre é alvo de interesse por mulheres. Fato!!!

    • E é, Samuel, então por que tu não voltas a tocar? Saiu dos palcos porque cansou de tanto assédio? kkkkkkk Tô achando que você quer cantar só para mim agora. Começa por aquela de Fábio Júnior: ” demorei muito para te encontrar. Agora quero só você”. kkkkkkkk

    • Anonymous

      E você acha que o mesmo acontece com as professoras Samuel?

    • Rejane

      ♪ loves in the air ♫ tchururu ru ru

    • Rejane

      Professora bonita é um fetiche…. eu tinha uma professora na faculdade que era linda! E muito, mas muito inteligente mesmo… Mas ai os homens meio que fugiam dela, sabe?!
      Assim, eles babavam ovo dela demais, mas mantinham a distância com medo de pagar vergonha, ou sei lá….

    • Rejane

      A pergunta pro Samuel e eu me intrometendo…. HAHAHAAH
      Foi mal ai, mas to gostando dessa história de comentar!!!
      o/

    • Samuel

      Loves in the air foi phoda … sahhhsahushuass Ri litros …
      Fabíola, você está com o romantismo á flor da pele, héin garota?
      Mas Fábio Júnior é ruim demais. Prefiro catar outra pra você, Gatinha Assanhada … Hahahahaaaaa Brinks, minha linda.
      Ainda volto Fabíola, mas tô sem tempo pra correr atrás ainda …

    • Samuel

      Anônimo 26 de abril de 2013 13:42, claro que pode acontecer. Quem nunca pagou um pau pra professora bonitinha do pré 1 ??? Sahsaushhashashua Eu mesmo era apaixonado pela minha, tadinho, nunca tive chances com ela. Ela não curtia caras mais novos, tipo, de 6 anos … KKKKKKKKKK
      Mas falando agora num nível universitário, creio que o interesse de alunos por professoras pode acontecer sim, mas por mecanismos diferentes da atração feminina por professores.
      Se ela for bonita e gostosa, mesmo que coroôna, tem chances de causar atração nos alunos. Mas mulheres se interessam por motivos diferentes, e nem é pela beleza do cara, caso haja.
      Já vi professor de meia idade, calvo e fora de forma arrasando com a mulherada. E qual o perfil? Simpático, eloquente, carismático, e com um domínio muito forte sobre a sala de aula, inclusive sobre os alunos.
      E além do mais, só da cara estar lá na frente, dirigindo a aula, já lhe dá uma grande exposição. E quem se destaca mais, tem preferência.
      Quero ver as minas pirar pelo nerd do fundão, lá do canto esquerdo da sala.

    • Ai eu concordo não, Samuel, se o nerd lá do fundão for altamente pegável, as mina pira, meu velho, aí é aula de anatomia, biologia à vontade…. Ele “fagocita” as meninas todinha da turma…rsrs

      Confesso que acho Fábio JR. bem ruinzinho também. Cantorzinho bem sem graça. Não suporto aquela música das metades das laranjas…

      falando em voltar a tocar, recentemente vi um violinista alemão que me deixou encantada em todos os aspectos. David Garret, conhece? Muito bom! Aqui vão os linkes: http://www.youtube.com/watch?v=nCHOmO9YRfo, http://www.youtube.com/watch?v=stGtcuojkx4

      Acho que esse cara nunca tocou aqui no Brasil, não..

    • Rejane

      “Tipo de 6 anos” kkkkkkkkkkkkkk

      Eu já tive quedinhas por um professor, mas confesso que foi só coisa de “oumm que coisinha mais linda” e nada de investimento…
      No meu segundo grau eu ja fui cantada por professores (sim, mais de um) pq eu acho que o meu jeito simpática de ser é bem confundido com “tá me dando mole”. Mas na faculdade eu via que os professores eram mais distantes dos alunos….

    • Rejane

      Faltou citar “jeito simpática e bem modesta” HAHAHAHAHAHAAHAHA

      Mas quem me conhece sabe que eu sou bem sorridente e sempre tento tratar todo mundo bem, ai creio que isso o pessoal confunde um pouco com “um, ta me querendo!”….

    • Samuel

      É,Fabíola, mas tem o ” se ” … Mas me corrija se estiver errado. No canto esquerdo do fundão, geralmente, ficavam os nerds do tipo isoladões, que não queriam muito papo. E no canto direito do fundão, os mais sociáveis e amiguxos. hahahahaaa Pelo menos onde sempre estudei …
      Não conhecia este cara, mas é bom o sujeito. Só que ele errou na escolha da música deste 1º vídeo. Você percebeu que a mina quase dormiu? Se ele tivesse tocado Lek Lek ela tinha pirado … Hsuasahhuasuhuassh

    • Samuel

      Rejane, não é que seu jeito simpática é confundido com estar dando mole, é que homens se atraem e se sentem mais á vontade com mulheres assim. Simpatia é muito atrativo em uma mulher.
      Não estou dizendo que se aplica pa você, é apenas um exemplo, mas entre uma simpática de beleza comum e uma arrogante estilo Panicat, os caras darão preferência para a simpatica. E aí as arrogantes vem com aquele papo de homens terem medo delas …
      Conversa, mulher arrogante e cheia de querer ser é repulsiva, mesmo que a figura escultural seja muito chamativa.

    • Rejane

      Samuel entendi o que quis dizer e confesso que eu nunca havia pensado assim, mas concordo com você! A arrogância acaba com a beleza de qualquer pessoa! E se a pessoa ja for feia e ainda arrogante, ai só reza braba! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Anonymous

    Querida Fabiola você já foi mais simpática em seus comentários e as vezes parece que você só fica discutindo para ter razão e tentar forçar inteligência.

  • Eu não discuto com ninguém. Ao menos não no sentido que você me deu a entender. Eu discuto ideias e pontos-de-vista porque entendo que isso aqui seja um blog de opiniões. Portanto, é o lugar para se discutir, sim, desde que se mantenha o respeito pelo outro e eu não sou obrigada a concordar com tudo nem me calar diante de algo apenas para demonstrar simpatia e não desagradar, pois se tem uma coisa que eu aprendi foi a não ser populista. Aliás, detesto gente populista, pois Isso pode fazer com que a gente perca a originalidade. Eu não discuto para ter razão. Eu apenas defendo o que acredito e não tenho problema algum em me desfazer de uma ideia se na discussão perceber que estava, sim, equivocada porque quem tem ideia fixa para mim é doido.

    Claro que haverá momentos em que eu serei muito simpática. Mas, em outros, não. É aquela história: “sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre” ( Clarice Lispector)

    Mas confesso que acho muito interessante quando algum leitor vem me criticar. Confesso que aqui até disso gosto. Acho interessante as diversas visões que as pessoas podem ter sobre uma mesma pessoa.

    Um forte abraço para você!

  • Anonymous

    Oi,
    desculpe a demora.
    eu gostei muito da forma como a pergunta foi respondida, apesar que “não era bem o que eu queria ouvir”, sensatez acima de tudo. Como me “comportar” eu até já sabia, é obvio que jamais me atiraria pra cima do professor e correria o risco de criar um clima tenso com ele, o problema é o que fazer com “esse sentimento todo”… Por um lado é lindo estar apaixonada, mas por outro o melhor é sussegar o coração e deixar as coisas “acontecerem” mesmo.
    Ainda falta quase 3 anos pra eu formar (estou no 5º de 10 períodos)e ele ainda dará aula pra mim no 6º e no 8º pelo que vi na grade do curso.
    e é como foi dito, apesar da minha confusão de sentimentos, tenho que me policiar para nao acabar fazendo besteira e pondo “tudo” a perder. Ao menos ele é uma pessoa ótima e adoro fazer amigos com quem eu consiga conversar.
    Eu não consigo nem de longe ser a aluna nota 10 da sala, kkkk, se eu seguisse a ideia sa Fabiola ficaria tão forçado que seria ridiculo. tiro notas boas mas não me preocupo em mostrar conhecimento, principalmente para o professor. e não, eu nao estudo direito, faço engenharia de software numa turma de 8 mulheres para 30 homens. por ser uma área de exatas, é complicado ficar “decorando teoria” para mostrar alguma coisa…
    Bom eu nao sei se sou a unica interessada (será?), mas percebo que as minhas colegas adoram o fato de sermos poucas mulheres na sala assim elas tem muita atenção dos rapazes… que alias, tirando os “plays” filhinho de papai e rato de academia, até me interessaria por alguns nerds do fundão, mas eles são nerds d mais e nao deixa ninguem nem aproximar deles…
    e claro, a questão nao é mesmo beleza, mas o que mais me fascinou é a inteligencia e a sutiliza. Um cara que consegue ser super descontraído ao mesmo tempo que é muito foda… nem é o professor chato que sabe tudo de tudo e quer ser tratado como um superior distante, enquanto os alunos sao meros mortais burros, nem é um cara largado que nao sabe nem a hora que está com fome…
    enfim, embora esteja parecendo uma menininha de 15 anos, sei bem que nao sou e não vou cair na tentação de ser ridicula so pra ter um caso com o professor ne. apesar que por mim poderia ser muito alem de um caso, como foi dito, as implicações sao gigantes e as consequencias podem nao ser favoráveis a nenhum de nos.

    grande abraço e o blog é um sucesso!

  • Anonymous

    Achei esse texto ao acaso, e me surpreendeu porque é exatamente o que estou vivendo. Só que no meu caso, a paixão é correspondida. Quem deu o primeiro passo foi ele. E detalhe, ele tem 20 anos a mais que eu. Desejo sorte para a garota, porque o preconceito é algo real e estou sentindo na pele a maldade das pessoas (apesar de não ser nada muito “na cara”)

  • Anonymous

    Passei por isso, paixão fulminante, adequei meu cérebro de volta ao seu local de origem, trouxe a realidade e a razão e me conscientizei que não havia chances de fato. De forma alguma, porque além de tudo, me tornei uma aluna burra, sem potencial e sou uma mulher feia.

    Foi difícil, mas vida que segue.

  • Nany

    Eu também já me apaixonei, inclusive por dois professores…E os dois corresponderam ao meu sentimento. O primeiro, ele só me falou que gostava de mim depois de 10 anos, mas a gente nunca teve nada. O segundo a gente namorou apenas 1 mês, porque eu vi que não era realmente apaixonada por ele, acho que transferi o que sentia pelo primeiro para ele…Hoje somos até amigos, mas ele sempre vem com a história que sente minha falta. Na realidade ainda sou apaixonada pelo primeiro professor. Que confusão! Vou procurar um psicólogo.

  • Vilma

    No segundo ano da faculdade fiquei perdidamente apaixonada pelo meu professor. Minha admiração por ele era tão grande que todo mundo na sala notou, inclusive ele. Um dia ele me ofereceu carona e acabamos num motel. Fizemos tudo que se possa imaginar e foi a realização de um sonho. Vivemos esse sonho maravilhoso por 4 anos e posso dizer que sou uma mulher realizada profissionalmente e sexualmente. Hoje sou formada e ele continua sendo professor. Somos muito amigos e quando não estou namorando alguém, sempre rola um “mata saudade” com meu professor.

  • Elena

    Bem, isso também aconteceu comigo… Fazia Letras, me apaixonei pelo professor de Literatura Comparada. Eu, que nunca fui de esconder sentimento, falei pra ele mesmo. Ele gostou de saber, passamos cerca de um ano juntos, meio que escondido porque, querendo ou não, existe o julgamento, sim. Ele era divorciado e mais de 20 anos mais velho que eu. Quando terminamos, fiquei mal mesmo. Não queria mais ir para a faculdade, comecei a faltar, a tirar notas baixas. Decidi trancar. Faz mais de dois anos e nunca mais voltei. Então, pra mim, não foi uma boa. Não penso em tentar recuperar o curso, agora teria de entrar com a uma ação como desistente que quer voltar, enfim, perdi meu curso. Então, há que se levar vários pontos em consideração numa relação desse tipo. Vou tentar nova faculdade (agora de informática) e, se passar, me prometi não mais me envolver com nenhum professor rsrsrsr. Mesmo que me apaixone, não vou mais atrás.

    • Fabíola Oliveira

      Elena, você não acha que o fato de ter ficado muito mal com o fim desse relacionamento tenha mais a ver com a forma com que você encara o fim de uma relação a que era muito apegada do que com a profissão do seu ex, não? Porque, ao que me parece, você ficaria mal assim, independente de qual fosse a profissão dele.

      Cê deve estar pensando: mas eu só fiquei assim porque ele era o professor e, quando chegasse na universidade, quer queira, quer não, tinha que vê-lo. Ok! Mas convenhamos: se ele ao invés de ser o professor, fosse um aluno da mesma turma que você, você teria que vê-lo da mesma forma não? Ademais que a gente só passa com um professor, um semestre ou apenas alguns semestres e depois disso, passa a vê-lo muito pouco à medida que vai subindo de semestre…

      Então, penso que o problema esteja muito mais na forma como você encarou o fim dessa relação do que propriamente no fato de ele ser professor.

      Beijos!

      • Fabíola Oliveira

        Ah! e só mais um adendo: se você quer desistir de tudo quando acaba uma relação só porque a pessoa compartilha o mesmo ambiente que você, o ideal e que deixe de namorar colegas de turma, de trabalho, vizinho e não apenas professores…

        • Elena

          Fabíola, entendo o que vc quer dizer. Mas sabe quando a gente sofre bastante pelo fim de um relacionamento, que só quer ficar na cama chorando? Parece infantilidade, mas eu passei por isso com esse professor. Eu idealizei ele demais. Depois que terminamos, perdi o interesse pela faculdade, não queria ir justamente porque, quando eu ia, ficava procurando por ele o tempo todo. Só que, quando encontrava ele, eu fugia pra ele não me ver. Era horrível. Mas você está certa em muitos pontos. Só que eu acredito que a coisa piorou muito pelo fato de ele ser professor, sim. Porque eu considerava ele a melhor pessoa com quem eu já havia estado. E ficar sem ele era o inferno. Se ele fosse um aluno, não sei se teria sido da mesma forma, não. Então, atribuo sim o fato de ele ser professor universitário. Eu o idealizei demais. Eu tinha muita admiração por ele enquanto professor. Da admiração, surgiu a paixão. Mas hoje estou muito bem, tenho uma pessoa comigo que é um show de homem rsrsrsrs.

  • Katia

    Tenho 25 anos e meu professor da faculdade tem o dobro da minha idade. Mas ele é um coroa enxuto, alegre e bem charmoso. No final da aula de apresentação de trabalhos ele deixou todos saírem e me deu um abraço e elogiou meu trabalho. Só que nesse abraço senti que ele estava excitado e deixei rolar, eu tbm estava excitada. Como era tarde e não tinha mais ninguém no andar, ele trancou a sala, apagou a luz e transamos em cima da mesa. Foi uma loucura deliciosa. Nós não namoramos e nem somos amantes (até pq ele é casado), ficamos apenas amigos. Quando rola a vontade nos entendemos só com o olhar e vamos ao motel.

  • Pingback: loans till payday()

  • Pingback: direct top payday loans lender()

  • Pingback: drugrehabcentershotline.com alcohol rehab centers()