Dicas para engatar e manter um bom papo

38

Hoje resolvi escrever sobre algo que está faltando em muita, mas muitaaa gente mesmo, que é ter um bom papo! Sabe aquela pessoa que é até interessante e que você até ficaria, mas que te faz mudar drasticamente de ideia depois que ela abre a boca, ou tenta engatar um papo que de bom não tem nada? Pois é, cuidado que você pode acabar sendo esse tipo de pessoa, e como não queremos que você seja um inconveniente na hora da conquista, ou até mesmo na hora de conversar como quem não quer nada, bolei algumas dicas para te ajudar:

Dicas para manter um bom papo

Se você foi atrás, saiba que, pelo menos de início, o maior interessado é você: Infelizmente, o maior interessado sempre tem que se esforçar mais do que o alvo do interesse, e isso acontece por um motivo muito simples: a pessoa já te despertou interesse, coisa que não necessariamente é recíproca, e para virar recíproco você tem que fazer a sua parte, que é no mínimo manter um papo interessante, coisa que consequentemente te fará uma pessoa mais interessante.

Tenha o que dizer: Não tem coisa mais chata do que gente que quer falar conosco, mas não sabe o que dizer. Fica naquela “Oi, tudo bem?”, “O que você fez hoje?” e morreu o assunto. O “Oi, tudo bem?” até vai porque é um sinal cultural de cortesia e boa educação ao iniciar a conversa, porém, ele é apenas o início, e não a conversa inteira. Sem contar que é desagradável gente que fala “Oi tudo bem”, você responde que sim e retribui a pergunta, a pessoa responde igualmente sim, e se o papo não acaba, fica naquele “hum..”, “legal”, “hehe”. Afff… me irritou só de escrever isso. Tenha sempre em mente algo para perguntar logo após a cortesia, mas….

Tenha cuidado com o assunto: Ter o que dizer é sempre algo importante, porém, lembre-se que isso não é a mesma coisa do que bancar o nerd, o sabichão, ou o cientista tagarela. Tudo bem que você pode encontrar uma pessoa que adore isso, mas como você só vai descobrir isso com o passar do tempo e a maioria das pessoas não gostam, tente ter de início assuntos que sejam interessantes e que não cobrem um conhecimento científico ou muito aprofundado da outra pessoa, até porque você não vai querer que ela se sinta deslocada, certo? Ninguém se interessa em conversar sobre assuntos que nos deixam perdidos, e até mesmo nos sentindo meio – ou seria totalmente? – idiotas.

Mas como vou saber de que assunto a pessoa que pretendo conversar gosta? Hum… a meu ver esse é o ponto mais difícil, e se você já conhece a pessoa de algum lugar, como um trabalho, ou qualquer outro ambiente em comum fica mais fácil prever assuntos que têm chances dele(a) gostar. Isso você vai poder levantar levando em conta não só ambiente, mas até mesmo a partir de uma música que você já ouviu a pessoa escutando, ou o estojo de time de futebol que você vê que a pessoa usa, hehe. No fim, o mais difícil é quando você está vendo a pessoa pela primeira vez na vida, não tem a mínima ideia do que dizer e quase que não tem outra saída que não seja parecer minimamente clichê. Ok, mas e aí? Eu vou ter que ser clichê? Infelizmente e pelo menos de início sim. Se você não quer bancar o inovador que já chega intimando um assunto “polêmico”, o jeito é perguntar perguntinhas clássicas como “você gosta de trabalhar/frequentar aqui?”. Perguntas como essas são muito boas, porque ao mesmo tempo que elas são simples, elas incitam um maior repertório da pessoa que a responderá, sem contar que perguntar a opinião de alguém tende a fazer a pessoa se sentir mais importante, e acaba passando a ideia de que você se importa com o que ela tem a dizer, aspecto esse muito positivo.  A partir daí você terá um leque de possibilidades de perguntas que irão variar de acordo com o que ela responder. Assim, se ela fala que adora o trabalho, mas que o que ela gosta mesmo de fazer é desenhar, você pode falar de alguma experiência que você teve relacionada ao tema, e por aí vai. Em muitos casos, pouco importa a pergunta ser ou não clichê, mas sim a resposta que a pessoa te dará e que acabará te ajudando não só a iniciar e manter um bate-papo legal, como também ajudará a medir o interesse a partir das reações que ela tiver durante a conversa.

Ela não te respondeu direito? Bem, nisso só te resta mudar o assunto, e ver como ela reage, mas atenção: se você já tentou pelo menos três assuntos (que podem ser levantados inclusive em dias diferentes) e ela te cortou ou deu pouca bola, provavelmente ela não está interessada em você, e isso pode acontecer mesmo se a temática que você propôs for boa: mesmo que a pessoa goste do assunto que você está tentando puxar, pode acontecer que ela se faça de desinteressada e te corte por ter percebido que você está afim dela e que havia “uma malícia no papo”, e não pela qualidade do assunto em si. Nisso se ela não for uma pessoa que acredita que vocês podem ser amigos apesar disso, ela se fará de desinteressada só para se livrar de você, o que nem precisa dizer que você se deu mal do mesmo jeito, hehe. O bom é que o contrário não raramente também acontece: muitas vezes, se a pessoa está interessada na gente, não importa tanto o que a gente fala que ela dará um jeito de continuar o assunto, ou caso não goste da temática, ela mesma mudará de assunto para poder continuar conversando com a gente. Como disse, o interesse inicial é seu, e por isso o esforço inicial acaba sendo seu também, mas se mesmo depois de um tempo ela não te deu muita brecha, pode ser que você esteja sobrando e ela não te queira nem como amigo, até porque se ela percebeu que o seu interesse era no corpinho dela nu e não na qualidade da amizade, por que ela fingiria ser sua amiga? Só se ela quisesse te cozinhar ou realmente acreditasse que vocês dariam bons AMIGOS.

Ela parece estar gostando do assunto, e agora? Bem, esse é um ótimo sinal, e uma dica que funciona para a maioria das pessoas, é fazer com que o o outro dê risadas. Claro que você não precisa parecer um bobo da corte, mas simpatia é algo que atrai a devastadora maioria das pessoas, então, se o papo estiver bom e você ainda fizer a pessoa soltar algumas risadas, nem precisa falar que você já deu outro passo adiante, né? Sem contar que com essa rabugice que vemos no mundo, gente alto astral que nos faz rir vira artigo de luxo.

Se interesse pelo o que a pessoa diz: Não tem coisa mais chata do que gente que só fala, fala e mal ouve o outro, ou que só fala de si mesmo, seja para contar vantagem ou para narrar a própria vida como se fosse a coisa mais importante do mundo. Como dito, se você é o mais interessado, você tem que se esforçar mais pelo menos no começo. Assim, se interesse pelo o que “o seu alvo” está dizendo e tente dar continuidade no assunto a partir do que a pessoa disse, visto que se ela está falando de algo, é porque provavelmente gosta daquele assunto.

Evite tirar vantagens pessoais durante o assunto, tais como falar da sua boa condição financeira, etc: Bem, nessa entra a clássica “quem muito fala o que tem, depois não pode reclamar de ser tratado como mercadoria”. Sem contar que depois não vale chamar o outro de interesseiro, ou ficar na dúvida se a pessoa gostou de você ou do seu bolso, poder, ou status social.

E se mesmo assim a pessoa que eu estou afim nunca falar nada? Bem, aí não dá para fazer milagre, e o jeito é procurar outra pessoa com quem valha a pena conversar, até porque vai que você se casa com ela? Os sábios já diziam “se case com alguém que você goste de conversar”, porque isso é uma das coisas que o casal mais irá fazer durante a vida.

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.