Minha experiência como Crossdresser (CD)

50

Hoje temos o depoimento de um Crossdresser que tenho certeza que esclarecerá as dúvidas de muita gente, a começar pelas minhas, rsrs.

*********************************************************************************

Achei legal a ideia para ter a oportunidade de esclarecer melhor a quem achou estranho, ou até mesmo bizarro, esse negócio de homem heterossexual que tem a fantasia de se vestir de mulher. “Como assim hétero que se veste de mulher? E eu sou o Batman!” Claro que quem achou isso tem o direito de continuar achando, bem como achar uma pouca vergonha, se for o caso. No entanto, convém sempre ter uma postura cautelosa antes de sair criticando o que não conhecemos bem.

Vou tentar contar um pouco do que é ser CD (crossdresser) para mim, baseado nas minhas experiências pessoais e também no que aprendi através da internet, lendo relatos de outras crossdressers. Mas deixo bem claro que não procuro falar em nome de uma categoria ou coisa do tipo, pois acho que isso seria uma grande besteira (cada um tem a sua história).

Não recordo quando “tudo começou”. Lembro que sempre fui uma criança tímida e retraída, sem muitos amigos. A figura feminina sempre me atraiu, mas de dois diferentes modos. Por um lado eu era atraído pelas mulheres, de uma forma precoce até. Observava as meninas e também as mulheres adultas, imaginando coisas picantes com elas. Não só as mulheres em si, mas todo o contexto relacionado a elas, ou seja, o universo feminino em geral, como mulheres usando roupas sexys, bem maquiadas, unhas pintadas e bem feitas, etc.

Por outro lado essas coisas do universo feminino me atraíam em si mesmas. Ou seja, além de me sentir atraído pelas mulheres, de algum modo eu tinha uma curiosidade – que acabou se tornando um desejo – de me ver como elas, podendo usar aqueles lindos vestidos, usando maquiagem, ter cabelos compridos etc.

A situação pode parecer confusa, mas a verdade é que essas duas coisas sempre conviveram em mim. Mas nunca senti atração por meninos e garanto que nunca cheguei nem a tocar em algum (como os famosos trocas-trocas).

Eu não tinha jeito afeminado, mas não era um típico menino normal, que gostava de brincar na rua, empinar pipa, etc. Nunca fui chamado de “bichinha” ou coisas do tipo, porém sempre fui considerado o menino esquisito, por ser muito tímido e pouco enturmado.

Com cerca de 11 anos eu tomei coragem e passei o meu primeiro batom, escondido no banheiro. Foi uma emoção nova, uma sensação de realização misturada com o medo de ser descoberto. A experiência tinha que voltar a ser repetida e de fato acabou se tornando um costume. Sempre que estava sozinho em casa passei a vestir roupas da minha mãe ou irmã, me maquiava com batom, lápis, rímel, o que mais estivesse disponível. Se houvesse uma peruca iria amar (o máximo que consegui foi um daqueles chapéus de festa junina com umas trancinhas penduradas rs). Nessa idade os sapatos da minha mãe já quase não me serviam, mesmo assim eu os usava, ficando com parte do pé para fora.

Desfilava pela casa dessa maneira, me sentindo uma linda mulher. Aos poucos fui sentindo vontade de algo mais. Eu queria interagir com alguém como mulher (não falo sexualmente, mas apenas conversar com alguém que me tratasse como mulher). Vale lembrar que na época ainda não estava difundida a internet. A solução que eu encontrei foi pegar a lista telefônica e ligar para salões de beleza pedindo informações sobre corte de cabelo, depilação, unhas, ou até mesmo dia da noiva rs, tornando a voz o mais feminina possível. A sensação de prazer foi enorme em “ser mulher” ao telefone. Além do prazer especial em escolher nomes como Michely, Vanessa e ser chamada por Tais. Confesso que preferia mil vezes quando quem atendia era mulher, pois interagir com uma me fazia sentir estar sendo tratada por outra mulher como uma “igual”, o que aumentava a sensação de estar sendo mulher.

Paralelamente a isso continuava sem ser um garoto popular na escola. Apesar de ser um menino considerado bonito, nunca tive coragem de chegar em uma menina. A verdade é que se fui namorar depois de adulto, por incrível que pareça.

A prática crossdresser foi parando conforme eu ia vendo que já estava crescido e com muitas características masculinas. Não é que a vontade tenha diminuído, é que agora como rapaz quase homem o resultado daquelas produções amadoras não era satisfatório, aquilo não me satisfazia mais. Isso sem falar no medo em ser descoberto. Por isso aos poucos parei com esse costume de me “montar”. Mas no fundo mantinha a vontade de poder me produzir belissimamente, utilizando-me de todo o arsenal disponível em maquiagens, perucas, etc, tal como as transformistas da TV. Mas era um sonho impossível, impraticável.

Até que aproximadamente em 2006 eu passei a acessar regularmente a internet e descobri, por assim dizer, um outro mundo. Descobri o termo crossdresser e vi que havia muitas outras pessoas com histórias muito parecidas com a minha. Eram meninos que durante anos mantinham externamente a postura de homens normais e viris mas que guardavam em segredo esse desejo de ser menina.

As histórias variavam bastante. Algumas dessas crossdressers que eu descobri eram meninos afeminados, que se identificavam plenamente com o sexo feminino. Eram na verdade transexuais em fase de descoberta, ou seja, desses meninos que na escola são atormentados chamados de “viadinhos” e coisas semelhantes.

Outros casos, porém, eram de homens que sempre levaram uma vida normal como meninos, muitas vezes sendo “pegadores” de garotas, praticante de esportes (podiam ser inclusive os tais meninos populares dos colégios). Percebi que esse “fenômeno”, se assim se pode chamar, não atingia somente pessoas com determinado tipo de comportamento aparente, mas que de fato qualquer um poderia ser uma crossdresser.

No entanto verifiquei também um aspecto bem pouco, digamos, glamouroso. Vi diversas “CDs” que entendiam que ser crossdresser era vestir uma calcinha e tirar fotos da bunda, muitas vezes peluda, colocando no orkut. Isso sempre foi algo bem bizarro pra mim, pois pra mim aquilo não tinha e não tem nada a ver com a feminilidade, a qual eu entendo ser se comportar e se vestir como uma mulher de classe, em todos os seus aspectos; ser sexy sem ser vulgar. Inclusive, imagino que quem nunca tinha ouvido o termo crossdresser e tenha resolvido pesquisar na internet – após a matéria anterior aqui do site – tenha se deparado com fotos assim e logo concluído que essa prática não passa de uma grande promiscuidade generalizada. Não é bem assim. Existem casos e casos como eu disse.

Acredito que um bom número de pessoas que procuram apenas sexo – gays que curtem ser passivos e sabem que certos homens curtem isso – embarcaram nessa onda, se denominando CDs e oferecendo suas bundinhas com calcinha na internet. Não que eu critique quem faz isso. Mas entendo que o que mais fascina a crossdresser de verdade é viver o universo feminino como um todo, procurando alcançar o máximo possível a imagem de uma mulher.

Outro detalhe: eu enfatizei anteriormente o fato de ser CD não ter nada a ver com ser gay, o que é verdade. Mas não quer dizer que toda CD seja heterossexual. Pelo contrário, existem as que saem com homens sim. Não vou esconder um aspecto bem “perigoso” do crossdressing: a fantasia de se ver como mulher pode acabar provocando uma certa curiosidade em querer estar com um homem. Afinal, se a imaginação de uma CD quer viver a experiência de ser uma mulher de verdade, é até natural que ela acabe por imaginar situações em que está se entregando a um homem (afinal para viver plenamente a experiência de ser mulher, só mesmo sendo vista como tal por um homem). Acredito que algumas vivam essa fantasia apenas na imaginação, enquanto outras acabam partindo para a uma situação real. Nesse caso acho que podem acontecer duas coisas: não gostar e nunca mais repetir ou acabar gostando.

Não tenho condições de analisar esse aspecto a fundo, mas posso dar alguns palpites: provavelmente boa parte das CDs sejam homossexuais que não se aceitaram ou não se descobriram ainda, fazendo com o crossdressing seja uma porta de entrada para isso. Outra parcela dos casos consiste naqueles que são apenas heterossexuais, mas cuja fantasia em ser mulher os leva a ter pensamentos eróticos em que desempenham o papel de mulher no sexo. Eu diria que essa é a principal contradição que pode ser encontrada nesse mundo crossdresser. Se tal indivíduo decide abandonar a simples fantasia e partir para a real com um homem poderá ainda assim ser considerado heterossexual? Seria válido o argumento se ele dissesse ser 100% hétero como homem, e sair com homens apenas para satisfazer o seu ego alternativo feminino? Cada um fique à vontade para dar a sua resposta. E finalmente temos as CDs cujo único interesse é viver o universo feminino, não tendo nenhuma fantasia de estar com um homem. Muitas dessas procuram até mesmo mulheres que aceitem esse lado feminino e curtam “montá-las”.

Depois desse apanhado geral sobre o crossdressing, voltemos um pouco à minha história: desde que passei a ser CD na internet consegui em 3 ocasiões, após reunir uma certa coragem, marcar uma hora com uma pessoa (foram pessoas diferentes em cada ocasião) para me produzir do jeito que eu sempre quis. São maquiadoras (em um caso foi uma mulher, nos outros dois duas travestis). Deste modo pude realizar essa fantasia de me ver como garota e tirar algumas fotos, sensação maravilhosa para mim. Gostaria de fazer mais vezes, mas é complicado fazer tudo com discrição, especialmente agora que estou namorando (uma mulher, claro). Nem preciso dizer que até a presente data ninguém sabe desse meu lado oculto e não sei o que faria se alguém descobrisse.

Penso que talvez o melhor seja parar de fazer isso, especialmente depois que me casar. Mas a verdade é que imagino que não será fácil.

Por: Alessandra Velasquez

 ***************************************

Entrevistamos um Crossdresser, diferente desse que colaborou com o blog e que vale a pena dar uma olhada clicando aqui! Também aconselho a leitura do relato da Crossdresser gay e super assumida, a Sayuri!

Também fiz um vídeo sobre homens que curtem usar calcinhas, nem todo mundo chama de CD, mas está aí!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Anonymous

    É muito difícil entender como a pessoa quer ser mulher mas não quer transar com um homem. Acredito que é porque orientação sexual não tem nada a ver com estilo de vida.

  • Mika

    Muito interessante…
    Entretanto, uma coisa me chamou a atenção e não posso deixar de dar palpite (adoro isso… rs):
    Não é qualquer mulher que aceitaria um namorado/marido crossdresser. Também não acho que se possa esconder uma coisa dessas da futura esposa (ela precisa saber), muito menos abafar esse desejo como se fosse algo condenável. Até porque, acho muito difícil abrir mão de uma tendência assim, em definitivo. Quanto tempo acha que conseguiria ficar sem passar ao menos um batonzinho no escurinho do banheiro enquanto ela dorme? Ou vestir o fio dental enquanto ela lhe compra cuecas no shopping? rs…
    Brincadeiras à parte, creio que o melhor seria conquistar a confiança e adesão de sua namorada e transformá-la em aliada nessa fantasia que, ao que me parece, é inteiramente inofensiva. Escolha o momento certo e conte a ela. Se ela o amar e tiver a cabeça aberta, irá entender. Caso contrário, pense se vale a pena se casar com alguém que não consegue aceitá-lo como é, confiar em você e respeitar suas necessidades mais íntimas.
    Abçs.

    • Andre

      Olá Mika,

      Concordo com você…se ele ainda não casou, deve aproveitar e conversar com a namorada sobre o assunto, ou mesmo dar uma sondada para ver o que ela acha…se ela não curtir, seria melhor terminar o relacionamento.

      Existem mulheres que curtem isto, daí, já pensou ele casado com uma mulher que não vê isto como estranheza? pelo contrário, gosta disso…seria a alegria plena para ele rsrsrs (ter suas fantasias “autorizadas”, podendo fazê-las sem estar escondido mais).

    • Valeska Silva

      Ola, sou casada, e minha esposa não aceitaria meu crossdresser, então vivo fechada no armário, ainda bem que hoje temos a internet para nos extravazar e conhecer outras iguais a nós, não digo que é fácil, tenho muitas crises de consciencia já exclui vários perfis da internet por causa disso, mas e um desejo que é incontrolavel, mas vamos ver ate onde vai bjs ….

      • Marisa Rodriguez

        você deveria contar pra ela pois se uma hora ela descobre vai ser pior

      • Alessandra Silva

        Concordo com a Marisa; Vc deveria contar p ela sim,pois se ela realmente te
        amar,ela te aceitará como é,mas se não,pelo menos vc saberá se valerá a pena ou não. Eu digo isso pq sei exatamente como é num poder ser vc msmo,andar se escondendo,mas aos poucos tô tentando mudar isso,pois se uma garota tiver que se interessar por mim,terá que me aceitar como sou,pois o pior erro de um ser humano é querer mudar por alguém só p agradar a pessoa,sofrer,e ela tmbm num fazer nenhum sacrifício de mudar tmbm o modo de pensar. Ninguém muda ninguém,ao menos que a pessoa veja que vale a pena mudar e realmente querer mudar,mas analisar se vale mesmo a pena isso.

      • Alessandra Silva

        Concordo com a Marisa; Vc deveria contar p ela sim,pois se ela realmente te
        amar,ela te aceitará como é,mas se não,pelo menos vc saberá se valerá a pena ou não. Eu digo isso pq sei exatamente como é num poder ser vc msmo,andar se escondendo,mas aos poucos tô tentando mudar isso,pois se uma garota tiver que se interessar por mim,terá que me aceitar como sou,pois o pior erro de um ser humano é querer mudar por alguém só p agradar a pessoa,sofrer,e ela tmbm num fazer nenhum sacrifício de mudar tmbm o modo de pensar. Ninguém muda ninguém,ao menos que a pessoa veja que vale a pena mudar e realmente querer mudar,mas analisar se vale mesmo a pena isso.

    • Alessandra Silva

      Concordo com vc,Mika. Muito bem colocado,se pudesse daria até mais votos positivos. Eu tmbm sou Crossdresser Hétero,mas no meu caso está bem difícil arrumar uma namorada que me aceite como sou,justamente pq gosto de dizer logo no início como sou. QUERO ENCONTRAR UMA QUE ME ACEITE COMO SOU,ME TRATE COMO UMA MULHER APESAR DE SER HÉTERO,PARTILHARMOS ROUPAS FEMININAS,ETC,QUE É O QUE TODO CROSSDRESSER QUER. PRA MIM ISSO É UM SONHO QUE AINDA QUERO REALIZAR. SERIA O MÁXIMO!!! Vc é mulher? Daqui de Fortaleza-Ce tmbm? Podemos ser amigos assim?

    • Alessandra Silva

      Concordo com vc,Mika. Muito bem colocado,se pudesse daria até mais votos positivos. Eu tmbm sou Crossdresser Hétero,mas no meu caso está bem difícil arrumar uma namorada que me aceite como sou,justamente pq gosto de dizer logo no início como sou. QUERO ENCONTRAR UMA QUE ME ACEITE COMO SOU,ME TRATE COMO UMA MULHER APESAR DE SER HÉTERO,PARTILHARMOS ROUPAS FEMININAS,ETC,QUE É O QUE TODO CROSSDRESSER QUER. PRA MIM ISSO É UM SONHO QUE AINDA QUERO REALIZAR. SERIA O MÁXIMO!!! Vc é mulher? Daqui de Fortaleza-Ce tmbm? Podemos ser amigos assim?

  • Anonymous

    legal o depoimento,acho que complementou legal a entrevista anterior.Realmente pode parecer esquisito mas o fato é que esse “fenômeno” existe.

  • Anonymous

    Kkkk sei cm é sinto maiortesao em me vesti uma calcinha me sinto uma vadiaaa kkkk

  • Anonymous

    Amo andar em casa com roupas femininas meu tesao msm é tar na rua e fazer de conta ke a tanguinha nao ta aparecendo so pr elas tenho medo ke um cara veer e me bata

  • Anonymous

    Já deixei um recado aqui falando sobre e repito, essa CD não representa a maioria das CDs. A realidade é que as CDs usam roupas femininas pra sair com ativos e fazer papel de mulher para eles.

    Eu acredito que essas CDs que tem namorada/esposa, são CDs que não tiveram a coragem de assumir que são homossexuais passivas.

    Mulata CD/RJ

    • Anonymous

      Identidade de Gênero, Condição Sexual e Sexo Biológico são três coisas diferentes e independentes (correlacionadas, mas independentes). O CD nada mais é do que um nome mais sofisticado para a transgeneralidade. O CD é um transgênero tbm e não há mal nenhum em admitir isso e ser um transgênero não tem nada a ver com sua sexualidade. No mês de abril saiu uma entrevista na revista Piauí com Laerte Coutinho (famoso cartunista) e esta entrevista é meio longa, mas bem explicativa quanto a esta questão. Recomendo que leiam. Quanto a generalizar, dizer que todo CD é gay, ainda por cima é passivo no sexo (como se soubéssemos como cada um se comporta entre 4 paredes), tipo, isso é rotular as pessoas. A sexualidade humana é muito plural. A luta de todos nós (negros, nordestinos, pessoas com deficiência, LGBTT, etc) é que vejamos uns aos outros sem rótulos, sem estereótipos. O mundo dos transgêneros é muito maior do que imaginamos.

    • Marina Treyce Martin

      Não julgue os outros por vc, sou hétero, detesto homem, sou cross desde os 4 ou 5 ano, pois é mais ou menos por esta idade que me lembro de usar roupas de minhas irmãs.

  • Tissy

    Hum, que interessante o depoimento! O universo feminino é realmente vasto e nós mulheres às vezes não temos a dimensão de como isso pode afetar os homens. Concordo com a Mika, melhor falar, se abrir, pq viver sufocando isso é cruel demais, além de desonesto com sua companheira. Eu entendo perfeitamente o lance, mas não me atraio por CD´s, agora um macho de calcinha acho um tesão (justamente o que vc acha bizarro), principalmente pra invertê-lo. No desejo a gente não manda, apenas é. Podemos optar em vivê-lo ou não, mas ele não deixará de existir. Saludos!

  • Julia

    Muito legal esse depoimento, minha história é extremamente parecida com essa. As “aventuras” quando criança e adolescente, a paixão por mulheres e o total desinteresse por homens, a descoberta do termo “crossdresser” na internet – passei por tudo isso. Sou hétero e casado, sempre me interessei por mulheres, mas tenho 3 gavetas cheias de roupas femininas. Tenho mais calcinhas do que cuecas e mais saias que bermudas! Eu amo a minha mulher e adoro o universo feminino, não sou afeminado e aposto que ninguém desconfia de nada.
    Eu escondi isso durante um tempo da minha esposa, mas aos poucos ela foi descobrindo e hoje ela sabe exatamente o que eu faço, apesar de não gostar. Fizemos um acordo, junto com ela eu sou o homem que sempre fui, e quando estiver sozinho eu posso me trancar e liberar minhas fantasias femininas. Geralmente faço isso à noite quando ela está dormindo, e tem dado certo. Ela sabe que eu faço mas não me interrompe. Eu compro perucas, sapatos, roupas em geral, tiro fotos, etc, mas sem envolvê-la.
    Apesar de ser de certa forma aceito no final das contas, não posso dizer que foi uma experiência muito boa esconder isso da minha esposa. Ela ficou muito magoada quando soube mas entendeu que eu escondi por medo que ela me deixasse. Mas cada caso é um caso. Talvez se eu me envolvesse com outra pessoa eu faria questão que ela soubesse logo no começo. Boa sorte no namoro, mas não desista do crossdressing! Não há nada de errado nisso! As pessoas sempre condenam o que não entendem, e com o crossdressing isso não é diferente.

  • Thyffany Sant’Anna

    Olá. Estou produzindo um documentário sobre crossdressing para o trabalho de conclusão da minha graduação. Estou em busca de CDs para compartilharem suas histórias, vivências, barrerias, enfim. O doc será gravado nos próximos meses em São Paulo/SP. Quem tiver interesse, por favor entre em contato pelo e-mail [email protected] Espero pode contar com a ajuda de vocês. Até logo

  • muito legal o depoimento
    eu me indentifiquei bastante com a historia toda
    faço isso desde pequeno,namoro,escondo de todo mundo e penso q se for casar o certo é contar

  • Marcela Fantin

    Concordo a maioria dascds querem dair com homens ativos,
    Postam fotos na internet, para sefuzir e sentir o alcance de sua feminilidade,
    começando de calcinhas e evoluindo para roupas salto perucas
    mais sempre no fundo de se realizarem plenamente, esta realizaçao, so
    se completa quando consegui se entregar para um homem na cama como.mulher, depilada
    cheirosa e sensual.
    Para mim cross hetero nao existe ,existe sim cross de armario,
    que tem medo de assumir sua vontade de sair com um homem,
    ou.uma outra cd.
    Obrogada esta e apenas minha opiniao.

    • Vanessa Nicoly

      me desculpe, mas não concordo, falo por mim, falo porque já olhei para alguns homens e me imaginei com eles, realmente senti nojo, repulsa, o meu lado feminino posso considerar lésbico rsrs, o prazer que sinto estando montada não tem nada sexual, uma vez com uma ex eu indo na brincadeira a convenci a se vestir com minhas roupas e eu com as dela, sinceramente detestei, queria nós duas de mulher, adoraria que ela tivesse me chamado de princesa, mas não chamou 🙁

    • Marina Treyce Martin

      Vc esta invertendo a historia, vocês cdzinhas, pois é assim que considero vocês, são na verdade homossexuais que se escondem atrás do cding para se satisfazem sexualmente. O cding nunca teve nada com a sexualidade é sim apenas o desejo de se vestir com roupas do gênero diferente. Ser crossdresser e ser alguém que curte se montar sem nada mais que isso, é o prazer de se ver mulher, sem conotação sexual. Pois me diga onde esta a mulher cross depois que tira a roupa e se deita na cama com um homem! Nada mais é que sexo homossexual.

  • Valeska Silva

    Parabéns excelente texto me identifiquei muito com ele bjs.

  • kamilla

    Eu sou crossdresser a pelo menos 12anos e parece que esse desejo só tende a aumentar..aff…fico louca quando vejo uma linda sandália, um espartilho…não resisto tenho quase um guarda roupas ..feminino mais de 100calcinhas, sainhas saltos muitas maquiagens amo amo amo e o pior sou casada..mais ela não sabe não sonha…e como fico muito fora a trabalho tenho a facilidade de estar sempre a noite de menina e ter minhas coisinhas de menina guardadas fora apenas p meu prazer…apesar disso tudo nunca tive relação sexual com homens…ser menina me completa..ja tentei várias vezes deixarmais é impossível… confesso!!! não consigo… meu email é [email protected] caso queiram entrar em contato tenho face Kamilla Araujo.
    bjs
    kamillinha

  • Amanda cd

    olá, sou casado e minha esposa sabe que sou cd e aceitou, na verdade quando eu contei a ela me comprou algumas roupas e deu outras, mas confesso que a vontade de se vestir reduz um pouco por não ser algo secreto, o medo de não ser pego “montado” é um complemento, pelo menos foi assim para mim, porém ainda tenho vontade várias vezes de me vestir.
    Obs: achei esta história muito parecida com a minha, eu usava as coisas das minhas irmãs, e tenho três por sorte…

  • Gotoso Lima

    excelente goitei muito do seu texto!

  • Gomenasai

    Eu tenho um amigo Crossdresser … sempre insetivei ele, trato como uma melhor amiga, pois os Crossdresser gostam de ser tratado como mulher , principalmente por outra mulher… mais por alguma razão eu me apaixonei por ele…. é muito difícil pra mim, pois eu gosto dele assim do jeito que ele é .. em fim espero que essa atração passe ..

    • Alessandra Silva

      Olá,tmbm sou Crossdresser HÉTERO. Nossa,isso de certa forma é uma coisa boa e rara; Já tentou se declarar p ele? Eu há muito tempo que procuro uma namorada que me aceite como sou,e que de certa forma tmbm tenha um corpo esbelto parecido com o meu pra podermos aproveitar ao máximo o relacionamento,e partilharmos roupas femininas; Isso pra mim seria até motivo de orgulho,usar as roupas da minha namorada,seria até uma forma de homenageá-la tmbm… MAS TÁ BEM DIFÍCIL!!! 🙁 Vc é daqui de Fortaleza-Ce tmbm? Vc é mulher?

    • Alessandra Silva

      Olá,tmbm sou Crossdresser HÉTERO. Nossa,isso de certa forma é uma coisa boa e rara; Já tentou se declarar p ele? Eu há muito tempo que procuro uma namorada que me aceite como sou,e que de certa forma tmbm tenha um corpo esbelto parecido com o meu pra podermos aproveitar ao máximo o relacionamento,e partilharmos roupas femininas; Isso pra mim seria até motivo de orgulho,usar as roupas da minha namorada,seria até uma forma de homenageá-la tmbm… MAS TÁ BEM DIFÍCIL!!! 🙁 Vc é daqui de Fortaleza-Ce tmbm? Vc é mulher?

  • lost

    achei legal seu texto, me identifico, apesar de eu que no meu caso sou mulher e quero me vestir como menino, mas tenho um pouco de vergonha.

  • Eulla

    Ser crossdresser é lindo e prazeroso, é diferente e sensual e isto está cada vez mais crescendo no mundo, logo ser crossdresser será algo natural e que se encontrará em todo lugar normalmente, pois isto no meu ver é uma evolução e mudança natural.
    Ser crossdresser é show simplesmente, tenho fascínio por ser crossdresser e por outras crossdresseres também e ainda admiro e sinto atração por travestis.
    Isto para mim é simplesmente fantástico!

  • anonimo

    Sou casado tentei tocar no assunto e ela abominou e eu a muito custo consegui contornar. mais isso me corroe diariamente mais o inicio e parecido e sim sou totalmente hetero e nao tenho a menos atração por outros homens

    • Inês

      Oi, sou CD e assumi perante o mundo o que sou, finalmente o alivio de não ter de esconder nada mais. Me tornei feminina a pouco e pouco, no final do ano irei avançar para mudança de sexo. Uma dica, se começar uma relação, aproveita no inicio para contar a ela que você é CD, não esconde nada pois isso mais tarde ou mais cedo vai prejudicar a relação, mesmo que você tente esquecer a parte CD, essa parte esta sempre lá te esperando….
      Beijos, Inês.

      • ANONIMO

        Descobri que sou CD muito tarde, tenho 58 anos e sempre gostei de me vestir como mulher. Quando vejo roupas femininas, sinto muito prazer, tanto é que de um tempo para cá tenho entrado em lojas para experimentar as roupas no provador sem nenhum constrangimento. A vendedora logo percebe que gosto disso e pronto. Ela quer vender e percebo que ela se sente bem e sempre muito amável sugere combinações das roupas. Com certeza estou montando um belo armário de roupas bem atraentes. Sou magro, alto, corpo definido, gosto de me depilar e isso me excita muito. Tenho saído à noite pelo menos duas vezes por semana, vestida maravilhosamente de mulher. Onde passo sou notada como mulher e isso me deixa feliz. Quebrei comigo mesmo que seria difícil sair normalmente vestido de mulher e que isso pudesse me causar algum problema, pelo contrário a escrita está definida. Sou homem que gosta de mulher e se vestir como elas, pois olhando para elas, como é bom ser como elas. Agora sou CD convito, terminei com as minhas aflições. Isso basta. beijos a todos.

        • Alessandra Silva

          Nossa,que legal!!! Eu agora aos poucos que tô tendo coragem de sair p uma praça com roupas feminas,mas so uso pó e base,embora queria ter a coragem que vc tem de ir mais além e sair tdo produzido; eu saio só com base e pó,e sem surtiã,justamente p num ser criticado demais,mas o ruim é que apesar de chamar atenção,ninguém me trata como uma,mas de certa forma isso tmbm tem um lado positivo,pois quem me vê,me vê apenas como um homem vestindo roupa femininas, e automaticamente estão dizendo ou se perguntando: PQ ESSE MENINO USA ROUPA FEMININA JÁ QUE NUM TEM JEITO NENHUM DE MULHER!? Outras podem achar até engraçado ou me considerar um palhaço,mas prefiro ser chamado de palhaço do que de algo que não sou; NUNCA TIVE DÚVIDAS QUANTO MINHA SEXUALIDADE; TENHO ATÉ AVERSÃO À HOMENS. mas que gostaria de me sentir mais feminina,e ser tratado como uma mulher,mas só por mulheres,isso quero muito,mas aos poucos vou lutando pra conseguir isso… SER CROSSDRESSER DE VERDADE!!!

        • Alessandra Silva

          Nossa,que legal!!! Eu agora aos poucos que tô tendo coragem de sair p uma praça com roupas feminas,mas so uso pó e base,embora queria ter a coragem que vc tem de ir mais além e sair tdo produzido; eu saio só com base e pó,e sem surtiã,justamente p num ser criticado demais,mas o ruim é que apesar de chamar atenção,ninguém me trata como uma,mas de certa forma isso tmbm tem um lado positivo,pois quem me vê,me vê apenas como um homem vestindo roupa femininas, e automaticamente estão dizendo ou se perguntando: PQ ESSE MENINO USA ROUPA FEMININA JÁ QUE NUM TEM JEITO NENHUM DE MULHER!? Outras podem achar até engraçado ou me considerar um palhaço,mas prefiro ser chamado de palhaço do que de algo que não sou; NUNCA TIVE DÚVIDAS QUANTO MINHA SEXUALIDADE; TENHO ATÉ AVERSÃO À HOMENS. mas que gostaria de me sentir mais feminina,e ser tratado como uma mulher,mas só por mulheres,isso quero muito,mas aos poucos vou lutando pra conseguir isso… SER CROSSDRESSER DE VERDADE!!!

      • Alessandra Silva

        Concordo com vc,Inês,melhor antes e pela a própria pessoa do que por outras,pois para que um relacionamento dure, é preciso sinceridade, e não haver segredos de ambas as partes,e sem falar que se outra pessoa contar pra ela, pode distorcer tudo e complicar a situação.

  • Pingback: online canadian payday loans()

  • Pingback: direct payday loans quick quid lender()

  • Pingback: drugrehabcentershotline.com drug addiction treatment()

  • Pingback: bmi calculator()

  • Pingback: Blue Coaster33()

  • Alessandra Silva

    Olá,galera!!! Eu sou CROSSDRESSER HÉTERO,e nunca tive dúvidas qnto à minha sexualidade; Já pra mim foi mais difícil a questão das roupas já que eu num tinha irmã,e as da minha mãe raramente ficavam bem em mim,e sem falar que num gostava muito do tipo de roupa dela. Eu estava pesquisando na net sobre CROSSDRESSERS HÉTEROS como eu, e acabei encontrando o site; li todo o depoimento aqui,e confesso q me identifiquei com alguns fatos,e discordei de algumas colocações,e concordei com outras… minha primeira experiência foi diferente,pois como disse anteriormente,não tinha irmã,e isso dificultava ainda mais. Antes era eu mesmo q comprava os tecidos e tentava por mim mesmo fazer tudo à mão já q num tinha e nem tenho máquina de costurar. Criei um perfil Cross no tempo do Orkut,e depois no Face; Conheci pessoas legais q me entendiam,mas outras q só me zuaram ,brincaram cmigo,e outras q se passavam por amigas,q entendiam e tal,mas depois me criticavam e até me xingavam msmo eu tendo explicado bem direito o fato de q eu gostar de roupas fem era só pq eu considero mais confortáveis,de tecidos mais agradáveis,mais bonitas,e pq me sinto bem; Algmas foram até casos de justiça pelo oq sei,mas cmo as provas de tudo q fizeram eu não tinha mais ,pq eram tdo no cel q deu o prego,não tinha cmo eu colocar na justiça sem tais provas q as encriminassem. Mas tmmbm conheci meninas/mulheres legais,poucas,mas conheci,e são minhas amigas até hoje,embora algmas eu num veja já algum tempo. Mas continuando… Pra mim ser Crossdresser num tem nada haver com sexualidade; A pessoa pode até se produzir todo,usar até tudo que uma mulher tem direito,mas sua essência por dentro continua sendo hétero. Como diz o termo em Inglês: CROSS (ATRAVÉS) + DRESS (ROUPA,VESTE,VESTIMENTA) ,Ou seja: ATRAVÉS DAS VESTIMENTAS. Muitos não sabem,mas pelo o q andei pesquisando,esse termo CROSSDRESSER foi o q deu origem a palavra TRANSVESTITE (TRAVESTI),o que hoje em dia tem um sentido tão pejorativo,devido a mtas travestis q fazem programas (não q eu esteja criticando),pois cada um tem sua estória,mas qndo se fala de travesti, a sociedade pensa logo assim; antes essa palavra era usada somente para designar uma pessoa hétera que se vestia do sexo oposto,seja por fantasia,bem estar,tara,se sentir bem,etc… Hoje em dia pra diferenciar justamente quem é travesti e usa o termo CROSSDRESSER tmbm,existe a subclassificação,ou seja,após o termo,coloca-se a palavra FEITICHISTA ou HÉTERO,justamente pra especificar que apesar de tal ato,comportamento,modo de vida,continuam gostando só de mulher. Cada um tem sua estória, faz da sua vida o que bem quer,desde que num prejudique ninguém,ne. Agora se tem uma coisa que não admito é que me critiquem sem nem saberem o que significa CROSSDRESSER HÉTERO,nem ao menos ter a curiosidade de pesquisar na net antes de falarem besteiras. Cmo sempre costumo dizer: O QUE FAZ UM HOMEM SER HÉTERO ,NÃO SÃO AS ROUPAS,MAS O CORAÇÃO E CARÁTER,E ISSO TENHO DE SOBRA; Pois cmo msmo sabemos nem todo homosexual se veste de mulher. Sem preconceito. Até pq tenho uma amiga lésbica. OBS: EU TENHO AVERSÃO À HOMENS P VCS TEREM IDÉIA; SEJA NO ÔNIBUS,NO TRABALHO,OU EM QUALQUER LUGAR,SEMPRE QUE UM TENTA PASSAR MTO PERTO,ME ESQUIVO Bom,gente,espero terem entendido tdo q contei. E queria aproveitar a oportunidade ,se possível,se algUma menina daqui de Fortaleza-Ce,estiver interessada em me conhecer,p novas amizades,ou até quem sabe um namoro,claro ,se me aceitarem cmo sou; PRA PARTILHARMOS ROUPAS FEMININAS,TIPO EU MOSTRAR ALGUMAS MINHAS,E A ATÉ EMPRESTAR SE A PESSOA GOSTAR;E ELA FAZER O MSMO; ME ENSINAR MAKE,ME PRODUZIR,TIRARMOS FOTOS JUNTOS,ETC.ME PASSA O FACE P EU ADD LÁ.

  • Alessandra Silva

    Olá,galera!!! Eu sou CROSSDRESSER HÉTERO,e nunca tive dúvidas qnto à minha sexualidade; Já pra mim foi mais difícil a questão das roupas já que eu num tinha irmã,e as da minha mãe raramente ficavam bem em mim,e sem falar que num gostava muito do tipo de roupa dela. Eu estava pesquisando na net sobre CROSSDRESSERS HÉTEROS como eu, e acabei encontrando o site; li todo o depoimento aqui,e confesso q me identifiquei com alguns fatos,e discordei de algumas colocações,e concordei com outras… minha primeira experiência foi diferente,pois como disse anteriormente,não tinha irmã,e isso dificultava ainda mais. Antes era eu mesmo q comprava os tecidos e tentava por mim mesmo fazer tudo à mão já q num tinha e nem tenho máquina de costurar. Criei um perfil Cross no tempo do Orkut,e depois no Face; Conheci pessoas legais q me entendiam,mas outras q só me zuaram ,brincaram cmigo,e outras q se passavam por amigas,q entendiam e tal,mas depois me criticavam e até me xingavam msmo eu tendo explicado bem direito o fato de q eu gostar de roupas fem era só pq eu considero mais confortáveis,de tecidos mais agradáveis,mais bonitas,e pq me sinto bem; Algmas foram até casos de justiça pelo oq sei,mas cmo as provas de tudo q fizeram eu não tinha mais ,pq eram tdo no cel q deu o prego,não tinha cmo eu colocar na justiça sem tais provas q as encriminassem. Mas tmmbm conheci meninas/mulheres legais,poucas,mas conheci,e são minhas amigas até hoje,embora algmas eu num veja já algum tempo. Mas continuando… Pra mim ser Crossdresser num tem nada haver com sexualidade; A pessoa pode até se produzir todo,usar até tudo que uma mulher tem direito,mas sua essência por dentro continua sendo hétero. Como diz o termo em Inglês: CROSS (ATRAVÉS) + DRESS (ROUPA,VESTE,VESTIMENTA) ,Ou seja: ATRAVÉS DAS VESTIMENTAS. Muitos não sabem,mas pelo o q andei pesquisando,esse termo CROSSDRESSER foi o q deu origem a palavra TRANSVESTITE (TRAVESTI),o que hoje em dia tem um sentido tão pejorativo,devido a mtas travestis q fazem programas (não q eu esteja criticando),pois cada um tem sua estória,mas qndo se fala de travesti, a sociedade pensa logo assim; antes essa palavra era usada somente para designar uma pessoa hétera que se vestia do sexo oposto,seja por fantasia,bem estar,tara,se sentir bem,etc… Hoje em dia pra diferenciar justamente quem é travesti e usa o termo CROSSDRESSER tmbm,existe a subclassificação,ou seja,após o termo,coloca-se a palavra FEITICHISTA ou HÉTERO,justamente pra especificar que apesar de tal ato,comportamento,modo de vida,continuam gostando só de mulher. Cada um tem sua estória, faz da sua vida o que bem quer,desde que num prejudique ninguém,ne. Agora se tem uma coisa que não admito é que me critiquem sem nem saberem o que significa CROSSDRESSER HÉTERO,nem ao menos ter a curiosidade de pesquisar na net antes de falarem besteiras. Cmo sempre costumo dizer: O QUE FAZ UM HOMEM SER HÉTERO ,NÃO SÃO AS ROUPAS,MAS O CORAÇÃO E CARÁTER,E ISSO TENHO DE SOBRA; Pois cmo msmo sabemos nem todo homosexual se veste de mulher. Sem preconceito. Até pq tenho uma amiga lésbica. OBS: EU TENHO AVERSÃO À HOMENS P VCS TEREM IDÉIA; SEJA NO ÔNIBUS,NO TRABALHO,OU EM QUALQUER LUGAR,SEMPRE QUE UM TENTA PASSAR MTO PERTO,ME ESQUIVO Bom,gente,espero terem entendido tdo q contei. E queria aproveitar a oportunidade ,se possível,se algUma menina daqui de Fortaleza-Ce,estiver interessada em me conhecer,p novas amizades,ou até quem sabe um namoro,claro ,se me aceitarem cmo sou; PRA PARTILHARMOS ROUPAS FEMININAS,TIPO EU MOSTRAR ALGUMAS MINHAS,E A ATÉ EMPRESTAR SE A PESSOA GOSTAR;E ELA FAZER O MSMO; ME ENSINAR MAKE,ME PRODUZIR,TIRARMOS FOTOS JUNTOS,ETC.ME PASSA O FACE P EU ADD LÁ.

  • Vanessa Nicoly

    sou CD também, fico arrepiada quando estou montada, meu problema é que preciso gozar pra sentir o prazer total, to lutando pra deixar isso mas não é simples, principalmente quando estou sozinha em casa e as roupas da minha irmã estão a disposição, vestidinhos, saias curtas ou longas, blusinhas, sutiãs, botas, sapatos, amo tudo isso, quando estou montada sinto a adrenalina de estar “indefesa” e ao mesmo tempo uma segurança tão grande nossa, é demais, meu sonho é me vestir de noiva e fazer uma sessão de fotos, e sonho em um dia sair montada, imponente, sedutora, mas só pelo prazer, pois sou totalmente hétero e só gosto de mulher, mas quando estou de Vanessa me sinto o máximo haha

  • Marina Treyce Martin

    Alessandra, já ouvi muitas amigas me dizendo qua haviam contado a suas namoradas ou esposas e em 95% dos casos foi o fim do relacionamento. Não vou lhe dizer que será o fim do seu, pois não sei o caráter de sua namorada. Eu mesma quando contei para minha ex, foi o inicio do fim, na primeira briga me chamou de viado, já minha atual esposa só está comigo por que sou CD, então a casos e casos. Talvez seja necessário que vc leve sua namorada em algum encontro cross, como os encontros do Jaime Braz Tarallo conhecida como Liz Camargo, isso para prepara-la caso tenha a intenção de contar a ela. Caso queira conversar é só me add no Face. Um grande beijo.

    Marina Gibbons