Por que NÃO transar de primeira?

48
Hoje em dia, está cada vez mais comum ouvir frases como “está com vontade, faça”, “se quer transar de primeira, transe”, “você é livre, dona de você, e pode fazer o que você bem entender”. Bem, eu até concordo com esses pensamentos, e adiciono à eles a frase básica que diz que o importante é ser feliz, mas será que o sexo tem que ser pensado apenas dessa maneira? Como um prazer carnal, e muito gostoso por sinal? (estou adorando uma rima pobre hoje, hehe). Nada contra quem transa de primeira, e se a pessoa vive feliz, quem sou eu para depor contra? Porém, gostaria de dividir uma ideia que vale não apenas para as mulheres, mas para os homens também:
Por que a necessidade do sexo se realizar tão rapidamente assim? só porque é bom e deu vontade? É claro que não precisamos enrolar para transar, nos fazer de difíceis apenas para ver se conquistamos o parceiro, mas será que ele realmente não pode ser adiado, pelo menos um pouco? Não estou querendo voltar aos tempos antigos, e nem dar conselho de tia vó chata que falava para namorar no portão de casa, mas ainda acredito que, ainda que sejamos animais, também somos racionais, e que nem tudo que queremos fazer é o melhor que poderíamos ter feito naquele momento. Como já disse em outros textos aqui do blog: tem muitos casais que na primeira noite já estavam se envolvendo no “modo quente”, são casados e muito felizes até hoje. Mas será que nem mesmo esses casais poderiam ter adiado um pouco a transa? Será que não dava para ter se conhecido um pouco mais antes? Calma, não estou querendo pregar o sexo após o casamento e não sou religiosa, mas acho que conhecer mais é algo que é sempre bem vindo, e isso independe se a outra pessoa será apenas nossa ficante, nossa namorada, ou até mesmo nosso vulgo PA (o famoso “pinto amigo” para quem não conhece): a propósito, será que também existe a BA? Quantos termos, hehe.
Nossa, mas por que esse rodeio todo apenas para transar? Cada louco com a sua loucura, e uma loucura que não sai da minha cabeça é a que diz que sexo não é apenas carne e gozo, mas também troca de energia. Independentemente da sua religiosidade, espiritualidade, ou falta dela, não é difícil perceber que o nosso corpo também é energia, e isso você pode comprovar no seu dia a dia: quantas vezes você já ficou perto de alguém que você não se sentiu nada bem? E quantas vezes você já ficou perto de alguém que você sentiu exatamente o contrário? E quantas vezes você já foi em um ambiente, e quando saiu de lá sentiu como se tivesse passado um trem por cima de você? O sexo não é diferente disso, e se nele há troca de energias, você pode acabar absorvendo algumas que não são muito boas para você. “Poxa, mas eu já transei várias vezes de primeira e me senti super bem depois”. Sorte sua, mas nem sempre isso acontece. Sexo também é segurança, e é claro que você não precisa transar apenas com o seu namorado ou com o seu melhor amigo, mas conhecer minimamente o seu parceiro é um passo a mais para se sentir seguro.
Saindo do lado energético, vamos para a matemática da probabilidade da vida. Você bem sabe o que é DST, e acredito que você daria (quase) tudo para não pegar uma delas. Nisso entra novamente a questão do conhecer: mesmo que você só queira a pessoa por uma noite, é fundamental manter o mínimo de respeito pelo seu corpo, e isso acontece inclusive por interesse pessoal: ou você vai querer ficar se coçando? Pulando de médico em médico? Quer que nasça uma espécie de couve flor fedida em você? E o que você acha de uma doença muitas vezes silenciosa como o HIV? “Ah, em que mundo você vive garota, é só usar camisinha, né?”. Pois é, só que camisinha estoura, e não são todas as doenças que são protegidas através dela. Sem contar uma considerável quantidade de pessoas que até usam a coitada, mas que bem que querem pagar de boa de cama fazendo sexo oral em uma pessoa que mal conhecem ou que nunca viram na vida, porque afinal de contas: sexo oral não engravida mesmo. No fim, muita gente se preocupa muito mais com a possibilidade de ter filhos, do que com a possibilidade de contrair enfermidades. “Mas qualé, eu só fico com gente de família, com cara de saudável”. Vai nessa porque quem vê cara não vê doença, e com a medicina avançada que hoje temos, ninguém vem com uma placa escrita “sou portador(a) de doença X” na testa. Inclusive, nunca me esqueço de uma vez que fui fazer meus exames em um centro de testagem e aconselhamento que faz exames gratuitos para sífilis, HIV e hepatite, e o que mais vi foi gente bonita e com cara de saudável pegando os remédios por lá (sim, porque fora fazer exames para descobrir se a pessoa está infectada, lá também se distribui remédio para os já infectados). Não, e eu não fiz o exame porque sou rodada, fiz porque acho que todo mundo que já não é mais virgem deve fazer, até porque se você só transou com uma pessoa na vida, e essa pessoa transou com mil, de nada te adianta ter transado só com ela, porque você já levou outras tantas de rebarba, hehe. Parece coisa de louca neurótica exagerada, né? Mas pare e pense se a realidade não é essa.
Por fim e para concluir o pensamento, uma coisa muito comum de ouvir principalmente de homens, mas que nem por isso deixo de ouvir de mulheres que transam “quando estão com vontade”, é que constantemente depois do gozo, bate aquela vontade de já ir embora, ou de dispensar a outra pessoa (caso ela esteja na sua casa, principalmente) para fazer qualquer outra coisa que não seja ficar com ela. Atitudes como essas não deixam de comprovar parte da teoria sobre energias acrescentada à teoria da conveniência do momento, que no caso aqui seria a energia da repulsa e do “voe para longe de mim, agora já estou satisfeito”. Mas não é só isso: se você não tem apego nenhum com essa pessoa, nem que seja a amizade, vocês vão fazer o que? Ficar trocando confidências depois do sexo? Dormir de conchinha? Bem, a maioria prefere ir embora para fazer as demais necessidades do dia, porque a do sexo já foi resolvida. Nisso podemos entender com mais facilidade o porquê de muita gente só ligar quando está com vontade de se aliviar, e que some quando o assunto é te ligar única e exclusivamente para ir ao cinema sem paradinha de fim de noite.

Assista ao vídeo: transar ou não transar no primeiro encontro

Você sabe o que faz muitas mulheres não transarem de primeira? Aconselho a leitura desse post AQUI.

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.