Ele me traiu para fazer chuva marrom (scat)!

49

Leitora: Namoro a dois anos e mexendo escondida no celular do meu namorado, descobri que ele me trai com prostitutas p/ realizar fetiches, no caso em especifico SCAT (CHUVA MARROM). Conversamos muito sobre sexo e todas as fantasias  que ele me pediu eu sempre realizei. Ele nunca falou comigo sobre esse assunto, nunca imaginei que gostasse disso, mas mesmo que ele me pedisse para fazer Chuva Marrom eu nao teria coragem de fazer. Fiquei com muito ódio quando descobri que ele me trai e também com nojo do que ele faz. Eu gosto muito dele, não sei o que fazer, não falei nada com ele sobre o assunto ainda, mas isso me tortura desde o dia que descobri. O que fazer? 

fetish

Nossa, sem querer desrespeitar quem gosta da prática, mas fui fazer uma pesquisa um pouco mais acentuada sobre o tema e digo que as cenas são fortes, hehe. Enfim, cada um tem o seu gosto, e para os leitores que não sabem, a chuva marrom, também chamada de “scat”, é um fetiche no qual a pessoa se relaciona com nada mais nada menos do que as fezes da outra.

A sua situação é complexa no sentido de que, sem querer defender o seu namorado até porque nada justifica a traição, cá pra nós que deve ser um tanto quanto difícil contar para uma parceira “comum”, ou seja, uma parceira que ele não conheceu no ambiente fetichista, que gosta literalmente da bosta alheia, né? E de fato homens que tem esse fetiche acabam por realizar com prostitutas, ainda que nem todas sejam.. digamos, especialistas no assunto e saibam fazer o fetiche com profissionalismo. Enfim, aqui você tem dois problemas: primeiro a traição, e depois a descoberta de um fetiche que você tem nojo, ou seja, como dizem os adolescentes, “a situação tá punk pro seu lado”.

Acredito que você está em uma situação que não te restam mais saídas além de contar para ele o que você viu, porque acho difícil você conseguir guardar segredo, ainda mais enjonada como você está. Se você não tem um estomago de avestruz e não consegue esquecer isso, não contar será colocar a bosta para debaixo do tapete (não resisti em fazer um trocadilho com isso kkkkkk) e você só estará guardando chateação e confusão sobre o que ele pensa e porque ele agiu assim. Com isso quero dizer que você só vai entender melhor essa situação tendo uma conversa franca com ele, no sentido de não só contar o que você viu, como também procurar entender o lado dele, o fetiche dele, bem como perguntar se é algo realmente importante na vida dele. Digo isso porque a depender do fetiche, tem gente que simplesmente não consegue viver sem, e se esse for o caso dele, é melhor que você já saiba agora para saber se você encara esse detalhe ou não, né? Até porque se ele falar que não consegue viver sem isso, de duas uma: ou você faz, ou você deixa alguém fazer com ele, situação que pode ser um tanto quanto desagradável e até mesmo constrangedora para você. Também tem a opção de ele nunca mais realizar esse fetiche, mas aí tem que confiar na palavra dele. Sem contar que se ele não viver sem isso e você não quiser fazer, os dois teriam a sua razão e seria difícil manter um relacionamento no qual a felicidade de um dependeria do sofrimento ou do constrangimento do outro, né?  Eu acredito que para um relacionamento dar certo, e ainda que os dois sejam diferentes, a base dura tem que ser semelhante, e se ela divergir muito não sei se só o amor bastaria.

Talvez você esteja com um sentimento estilo “vergonha alheia” e esteja com medo de abordá-lo e constrangê-lo. Bem, isso provavelmente acontecerá, mas ou você conversa com ele, ou morre na dúvida sem saber o que se passa. Sem contar que se você não abrir o jogo, ele provavelmente continuará fazendo a mesma coisa de sempre, já que para ele nada teria mudado e você não teria descoberto. Assim, nem precisa falar que se você ficar calada provavelmente ele continuará se aventurando e literalmente mexendo com bosta alheia nas suas costas. Só tenha cuidado ao falar com ele: tente demonstrar o máximo de naturalidade e maturidade possível, porque se você já chegar rodando a baiana ou “baixando o nível”, provavelmente vocês só vão brigar e não vão chegar em conclusão nenhuma. Muita calma e maturidade nessa hora, e tenha em mente que o final não necessariamente será como você quer, e mesmo que ele pareça triste agora, nada impede que você entenda melhor os benefícios do que te aconteceu no futuro, depois que a chuva já tiver passado. Calma, não é a chuva marrom!

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.