Homens cafajestes: de onde é que eles vieram?

59

Com esse texto não quero fazer dos homens seres santos ou demônios, mas sim relatar com o máximo de imparcialidade possível uma versão da história que diz muito sobre por que os homens cafajestes estão crescendo tão rapidamente quanto ratinhos de bueiro em nossa sociedade.

De onde vieram os cafajestes?

Quem é que já não está careca de ouvir aquela frase que diz “Ninguém presta”, ou “está difícil encontrar alguém compatível com os meus interesses”? O que mais vemos hoje em dia são pessoas desesperançosas com o amor, e é bem nessa hora que te pergunto: será que você não está sendo vítima das suas próprias escolhas?

Vamos começar falando das mulheres, estas tão reclamonas em relação aos homens no que diz respeito a não haver mais bons exemplares para procriação, rsrs. Mas o que será que realmente acontece? Bem, o que acontece é que, muitas dessas mulheres, mesmo que inconscientemente, acabam dando privilégios para os “malandros”, para aqueles homens que as deixam instigadas, com a pulga atrás da orelha. Isso sem contar as que conscientemente já dizem que gostam mesmo é do desafio mental que só um “cafa” proporciona. Bem, essas últimas pelo menos admitem e acabam sendo melhores de se trabalhar do que aquelas que juram que não gostam, mas que estão sempre apaixonadas e preocupadas com aquele homem que come e vai embora, que não assume, que mal liga e que sempre dá aquele trabalhinho básico, como se elas sempre precisassem ter um desafio para nutrir um sentimento maior por ele. Ah, e quando elas encontram um homem perfeito? Bem, a grande maioria faz como uma imagem que postamos no nosso facebook diz: se torna melhor amiga dele, oras!!

Mas peralá, esses homens não querem ser seu melhor amigo!!! Eles querem é ser seu homem. A propósito, esse negócio de amizade entre homem e mulher só mulher acredita. Eles querem é te pegar de jeito e te deixar molhadinha, por assim dizer. Nisso chegamos ao pulo do gato: se é isso que eles querem e se a esmagadora maioria masculina já está convencida que muitas mulheres não cedem para “homem frouxo”, lá vão eles levar para o lado “80” da história e ser os “cafajestes” que elas tanto querem – ou que pelo menos eles acreditam que elas querem. É claro que há exceções – tanto femininas, quanto masculinas – nessa história, mas as pessoas costumam agir a partir das preferências da regra e as exceções que paguem o pato sozinhas. O resultado disso? Acredite se quiser: tem até curso na internet ensinando homem a ser “malandro e a pegar mais mulheres”!!!! E digo mais: cursos com alta procura!!!

Pronto, é desse parto que nasceram muitos dos atuais cafajestes, com uma subcategoria também chamada de “ex-bonzinhos” (corrompidos?) rsr, que muitas vezes chegam a fazer parte de comunidades e mais comunidades para aprender como lidar com a mulherada. Lá eles aprendem que não podem fazer tudo o que elas querem, que tem que dar um trabalhinho porque mulher “não gosta de homem trouxa”, e pasmem (ou não!): uma quantidade imensa de homens começam a seguir essas “leis” como se fossem o grande segredo masculino! Sim, quem detém esse conhecimento se sente como o grande possuidor “do segredo para atrair lindas mulheres” e deixam de ser românticos, deixam de ser “perfeitos” e tudo mais aquilo que eles seriam capazes de ser apenas para conquistar o seu coração, para não dizer uma outra coisinha gostosinha e quentinha que você tem mais embaixo.

Nisso nem precisa dizer que quem realmente gosta dos “bonzinhos” e dos “românticos à moda antiga” acaba se dando mal por causa dessa nova onda que dita que ser “bad boy” é o melhor jeito de conquistar mulheres. Uma curiosidade engraçada: sabia que para ilustrar esses sites com manuais de pegadores “os professores da arte da sedução” colocam umas turbinadas lindas e gostosas para ilustrar a mulher que esse novos aprendizes de cafajeste vão começar  a pegar quando enfim pararem de serem “trouxas”?! rsrs.

E as mulheres, como ficam nisso? Bem, tirando as que fogem da regra e que não vou falar delas aqui por acreditar que já estão indo “no caminho do bem” rsrs, elas ficam com os cafajestes porque infelizmente a verdade é que muitas gostam, e “quando não gostam” mesmo assim não deixam de desperdiçar grande parte do dia chorando por eles. Sem contar as que acabam ficando com um deles por acreditar “que o mundo já está virado na lama mesmo” e que não teriam outra opção porque afinal de contas: “ninguém mais presta”.

Sejamos sinceras: quem é que não tem uma amiga que dispensou “um bom partido” por causa de um malandrinho que a deixava doidinha (e aí você pega “o doidinha” com a conotação que você quiser). Isso se você mesmo não é/foi uma delas! No fim, conscientemente ou não, se a maioria dá bola e corda para esse tipo de homem, o mercado acaba se aquecendo deles. E aí minha amiga, ou você sai desse ciclo ou prepare os lencinhos para viver uma vida que será tudo, menos de princesa rsrs.

“Ué, mas se elas gostam, que problema tem?”. Não teria nenhum caso elas ficassem com esses “maus partidos” e não reclamassem dos chifres, da indiferença, da falta de trato. Isso para não dizer a grosseria e, pasmem: até mesmo violência de alguns deles. Violência? Essa última parte pode até parecer exagero, mas a verdade é que alguns chegam a esse extremo não porque a mulher quer, mas constantemente por má interpretação de certas lendas sociais. Sabe aquela história de que mulher gosta mesmo é de homem macho, com pegada forte? Pois é, muitos homens levam isso tão ao pé da letra que acabam querendo mostrar um serviço que não sai como o esperado.

Esses tempos  mesmo vi uma mulher na TV participando de um desses programas de paquera e falando que gostava de homem com pegada forte. Até aí tudo bem, mas acontece que quando ela foi sair com um pretendente, a câmera foi filmar o encontro deles e lá estava o cara, todo cheio de toque para cima dela, já querendo partir para o “agarra mesmo” e falando algumas frases que diga-se de passagem, achei “bem boca suja”. Nisso a mulher ficou chocada, falando que “não era assim não”, mas daí não tive como não pensar: “será que ele interpretou mal, ou será que ela se expressou mal e tudo foi parar aí?”. Por outro lado, também não pude deixar de cogitar a hipótese de que esse homem na verdade pode ser como muitos outros, que na essência nem é de partir para o agarro, e nem de falar palavras diretas que chegam a ofender por tamanha diretividade, mas que acabam por fazer assim por acreditar que é isso que a mulher quer, que é isso que a mulher gosta. E aí me pergunto: onde vai parar tudo isso?

Como disse, muitos não ligam se você é a exceção e valorizaria “um príncipe”. Eles já estão cegos demais tentando aprender a sobreviver com a regra.

Será que no fim não somos vítimas de nossas próprias escolhas?

Você já leu o post “Por que é tão difícil encontrar uma mulher puta na cama e dama na sociedade?” que dá voz ao lado feminino da mesma moeda!

Assista ao vídeo Homens Bonzinhos versus Cafajestes:

E minha teoria sobre cafajestes:

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.