Sou casado com uma mulher, mas sinto atração mesmo é por homens!

4

Leitor: Sou casado, tenho 57 anos, dois filhos, mas de uns tempo para cá, tenho sentido muita vontade de ter uma relação com homem, inclusive usar roupas íntimas femininas. O que devo fazer com a minha sexualidade, pois desde a minha adolescência que sinto atração por homem. Casei-me, tive filhos, mas de uns anos para cá, deixei de ter vontade de me relacionar com minha esposa e ela também não demonstra muito interesse. Conheci este amigo e estamos nos relacionando, mas não me sinto gay. Gosto da minha esposa, acho que virou uma amizade profunda, pois são 32 anos de casamento. Não sinto atração por mulheres e nem me envolvo com elas. A minha atração por homem é maior.

Sou casado mas gosto mesmo é de homens!

Vamos aos fatos. Se apresentar como gay hoje em dia é algo que está cada vez mais fácil de se fazer e as pessoas têm se sentindo cada vez mais à vontade nessa condição, porém, ainda que você viva nos dias atuais, você já é um homem mais velho, que foi criado quando não tínhamos nem um décimo da liberdade sexual que temos hoje em dia, e ser gay era algo tão reprovado socialmente que muito homem que sentia atração por outros homens nem queria pensar nisso para não ter que se descobrir gay (como se isso fosse mudar os fatos! hehe). Sem contar que, não fica bravo comigo, mas depois que a gente passa dos 40, geralmente ficamos mais cabeça dura para receber novos conceitos sexuais, o que claro não altera o fato de você perceber que, independentemente de como foi a sua criação, você sente desejo por homens.

Sei que nem todas as pessoas se encaixam em conceitos pré-estabelecidos socialmente como “heterossexual”, “homossexual”, “bissexual”, e sei lá mais o que, porém, vamos facilitar: assexuado você não é, e se você também diz não sentir atração por mulheres e nem se envolve com elas (tirando a sua esposa, que você deixa claro ter uma amizade profunda, não um amor de homem e mulher), já podemos tirar muitas coisas daí, não acha? Há também o termo Crossdresser que acho interessante você dar uma pesquisadinha aqui pelo blog assim que terminar de ler esse post. Mas já vou adiantando: existem crossdressers com todos os tipos de sexualidade, mas a paixão por roupas femininas é o que eles têm em comum, e justamente por isso recomendo uma pesquisa por aqui para te ajudar um pouco mais na parte que você diz gostar de usar roupas íntimas femininas. Porém, isso é só uma possibilidade, pois existem muitos gays que não são crossdressers e simplesmente gostam de usar calcinhas femininas.

Ao que parece, o seu casamento já está morto e enterrado: você não quer transar, sua esposa também não está fazendo questão e agora vocês vivem como dois grandes amigos. Isso não te parece uma situação propícia para você já se assumir logo? A vida é muito curta e, veja bem: você já está com 57 anos de armário e quer passar a vida inteira assim? Se dizem que quanto mais velho, mais cabeça dura ficamos, ao mesmo tempo, com o passar da idade fica mais fácil de a gente “tacar um foda-se” para a sociedade, no sentido de já termos vivido tempo o suficiente para saber que ninguém paga as nossas contas e sabermos exatamente quem somos. Acho que você já perdeu tempo de vida demais, já deu! Sem contar que a sua mulher também merece saber a verdade: isso se ela já não estiver desconfiando que você gosta de homens!

Não vou usar o termo “gay”, até porque parece que você tem dificuldade em se considerar como tal, mas pense bem se você realmente não é gay, ou se apenas não gostaria de ser um. Se você não gostaria de ser um, sinto muito, mas fora o fato de ser gay não ser doença, você não terá como mudar isso. A não ser que você vire evangélico e acredite na cura gay! Se não temos como escolher a nossa sexualidade, tampouco mudá-la, você ainda se conserva no direito de ser feliz, bem como respeitar o direito da sua esposa em saber da sua realidade. Já pensou que chato ter que passar o resto da vida vendo periquita e só vendo peru às escondidas? Sério, eu acharia isso o ó!! Quando você já estiver bem velhinho, daqueles que nem viagra adianta, você terá que ter a certeza que você viveu essa vida plenamente, respeitando os outros, bem como a si mesmo. E a hora é agora!

Lembre-se que preconceito a gente sofre o tempo inteiro: por ser gordo demais, magro demais, até por ser bonito demais!! Se não tem como escapar dessa, coragem meu amigo, converse com a sua família e vá ser feliz. É claro que no começo vai ser difícil, mas ninguém chega na porta do céu sem caminhar um tantinho e levar algumas bordoadas da vida.

Te passo uma listinha de posts aqui do blog que podem te interessar:

Entrevista com um gay

Sou gay e tenho medo de ficar com homens

Relato de um crossdresser gay: sim, eu sobrevivi!

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • M Filho

    Não sou homofobico mas, quando leio histórias como essa me dá muita tristeza.

    • Celso

      é só não ler. ninguém te obrigou a isso.

  • Mika

    Caro Leitor,
    Concordo plenamente com a Luiza na análise que fez. Sua condição de oficialmente casado e pai de dois filhos não muda o fato de que sua opção sexual atual é homossexual. Na verdade você sempre foi, só nunca quis assumir (nem pra si mesmo). Não o condeno por isso. É preciso muita coragem pra dar o primeiro passo, que é sair do armário. O restante são só consequências a serem administradas conforme a notícia corre…

    Acredito que sob o aspecto social a vida de um homossexual é mais difícil do que a de um hetero, mas certamente mais fácil do que a de um não assumido. Dá trabalho esconder, além de gerar grande ansiedade e desconforto quando se tem um nome ou posição a zelar, ou não se consegue aceitar a própria condição. No seu caso ainda tem o agravante de ter que se assumir para seus dois filhos, o que deve parecer mais assustador do que contar pra esposa.

    Quando li que mesmo se relacionando com um homem você não se sente gay, deduzi que talvez seja por representar o papel de ativo nessa relação. Seria isso? Por outro lado, fiquei confusa quando confessou que sente vontade de vestir roupa íntima feminina, o que dá a entender que gostaria de assumir o papel feminino na relação.

    Seja como for, você está tão incomodado com sua situação atual que chegou a escrever pro blog em busca de ajuda. Então, acredito que só lhe restam duas opções: Continuar com o casamento de fachada e manter seus casos extraoficialmente… ou ligar o “foda-se” e assumir publicamente sua opção.

    Com relação a contar ou não pra família, você é quem sabe. Se acha que eles têm abertura suficiente pra compreender e apoiar sua decisão, então conte. Se acha que não conseguirão manter a devida discrição, não conte. A vida é sua, e você tem todo o direito à privacidade.

    Felicidades.

    • Tuli Santos

      Eh por isso q tem tanta mulher infeliz….a boa eh todo mundo se assumir, casal gay oficialmente casado, poderem adotar filhos…..pq pow….fica um bando d mulher mal comida, com depressão e q se arrumar amante ainda chamam d puta….a mulherada soh tem a ganhar com a homarada enrustida s soltar….vão casar com homem de verdade..