Afinal de contas, assistir muito pornô pode causar disfunção erétil?

26

Pornografia causa impotência?

Muita gente se pergunta: afinal de contas, teriam os filmes pornôs realmente algo a ver com o fato do homem broxar e não aguentar o tranco na hora do sexo?

De acordo com um recente estudo, divulgado no Jornal de Medicina Sexual (Journal of Sexual Medicine), um a cada quatro pacientes com disfunção erétil têm menos de 40 anos de idade. Comparando esses dados com uma publicação alemã de 2002, apenas 2% de homens mais jovens sofriam com esse mesmo problema. Ou seja, é inegável o fato de que as proporções estão se tornando cada vez maiores.

Mas por que será que isso acontece? As teorias a respeito disso variam ao sugerirem taxas mais elevadas de estresse até a hipótese de hoje em dia haver mais honestidade em assumir o problema. Algumas pesquisas também sugerem que o hábito da pornografia on-line têm um papel importante no desenrolar desses números.

“A pornografia serve de inspiração e motivação sexual”, diz Ursula Ofman, psicóloga clínica e terapeuta sexual em Nova York. Se você se masturba com muita frequência, especialmente se isso ocorre horas antes de você ter relações sexuais com o seu parceiro, a sua dificuldade em chegar ao orgasmo tende a aumentar e o seu interesse sexual pode diminuir, diz Ofman.

A estudiosa acrescenta que se o homem passa um longo período de tempo sem ter relações sexuais e se masturba frequentemente com a ajuda da pornografia, muitas vezes ele acaba treinando o cérebro e o corpo a responderem sexualmente apenas a alguns tipos muito específicos de estímulos visuais e táteis. Assim, a mão e as imagens na tela do computador seriam os estimulantes sexuais desse homem.

Se você já se encontra nesse período de seca solitária (e virtual), tente começar mudando a sua rotina de masturbação. Com o tempo, é possível recondicionar o seu cérebro a “aceitar melhor” uma parceira humana. Se você só assiste a um tipo específico de filme pornô, tente variar com outras opções. Tente também variar as partes em que você costuma tocar o seu pênis para sentir mais prazer na hora da masturbação. De acordo com Ofman, tais mudanças servem para abrir o corpo e a mente de quem sofre com isso para que o leque de estímulos possíveis seja cada vez maior e mais próximo daquilo que a pessoa experimentaria com uma parceira.

Fonte: MensHealth

Você já leu a entrevista com um ex-viciado em filme pornô?

**********************************************************************************

É o que eu sempre digo. Para a maioria das mulheres, o problema não é bem o pornô em si, mas sim quando o homem assiste demais, descasca a banana demais e depois não tem mais pique para fazer o serviço bem feito em casa. Sem contar os “sem noção” que acham que a mulher real é “perfeita” que nem a mulher do filme pornô, que dá até as partes traseiras sem reclamar e sentir dor e encara 10 kg de mandioca como se fosse uma batata frita entrando, – e o melhor, ou seria pior?! – sem o mínimo grau de sedução antes! Se o homem comparar aquele corpo perfeito com o nosso de pobre mortal, aí sim que ele vai broxar eternamente mesmo!

Para não se assustar com a realidade, basta parar de assistir tanto pornô, rsrs, até porque, se você não tem aquela bananona e nem aquele pique todo na vida real, por que diabos a sua esposa teria? É uma questão de lógica simples!! É como dizem: a Disney estragou as mulheres ao fazerem elas acreditarem em príncipes, e a indústria da pornografia estragou os homens ao fazer com que muitos não saibam lidar “numa boa” com as diferenças entre a “mulher virtual” e a mulher real.

Bora parar de assistir tanto pornô e pedir pra mulher fazer um strip ao vivo mesmo!! Vida sexual presencial faz bem para o corpo e para a cabeça!

Sugestão de post enviada pelo Ciro Marcos

Assista: Mulheres e os filmes pornôs

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Sebastião Júnior

    A respeito desse tema eu sugiro assistir um filme chamado Don Jon (no Brasil: Como Não Perder Essa Mulher). O filme trata deste problema do pornô em excesso e dos problemas que isso traz. Não vou contar em detalhes o que acontece pq o filme é recente e nem todo mundo viu. Mas o que posso falar é que o problema não é ver pornô em excesso, mas sim os efeitos na percepção do mundo real.

    Não faz muito tempo que vi circulando um frase que dizia: “As mulheres foram educadas pela Disney, e os homens pela Playboy”. Isso é preocupante pelo fato de ambos estarem imaginando parceiros ideias muito distantes da realidade. As mulheres querendo um príncipe encantado e os homens querendo uma atriz pornô. E pra piorar tem umas mulheres que querem o príncipe cafajeste (mas só com elas, pq se não não querem tbm) e uns caras que querem “a dama na sala e puta na cama”.

    No fim todos precisam de um bom choque de realidade, para deixarem de drama.

    • “No fim todos precisam de um bom choque de realidade, para deixarem de drama.”
      Apoiado!!!!

    • Thomaz Aquino

      È bem por ai , e quando encontram um tipo desses , quase morrem quando levam um pé na bunda …porque valoriza corpos e pegadas mais do que tudo…tipo os atores do filme pornô , é meio que tipo criança que viver como os Marvel dos filmes , ou seja são emocionalmente crianças …assistir muito filme pornô é imaturidade , e imaturos gostam de viver nas fantasias…acreditam que na vida real aquela galera dos filmes transam daquele jeito..já começa pelo pau dos caras…que a maioria das mulheres dizem que machuca , nem da pra socar daquele jeito dos filmes .kkkkkkkkkkkkkk , também tem o fato de defeitos tirados de pele e rosto e outros pela edição das imagens ..mais reais são os amadoras do xvideos …assim mesmo capricham…kkkk
      O problema é o sexo sempre com a mesma pessoa , claro que a pegada vai diminuindo , e o carinho , atenção substituindo…mas tem gente que só valoriza a pegada..o resto acham sem graça…e se viciar em pornos ferrou de vez.

  • Estou preocupado.

  • só de passagem

    quando tinha 14 anos e alguém achava um pornô… era tudo de bom… o filme passava pela galera toda… hoje basta um “www” e pimba… tome-le masturbação. eu acho que a relação com filme pornô de fato tem algo de destrutivo… principalmente se for em excesso. o mundo virtual de hoje facilita o processo de viciar. fazer antes do ato para durar mais é ilusão pura… só consome a energia com vc mesmo… que poderia ter gastado com a parceira. n tenho nenhuma dúvida de que em excesso deve fazer um mal terrível…

  • pedro

    então por gentileza me de uma luz,minha mulher e cheio de frescuras e tem dia que nao quer transar. eu se pudesse e tivesse tempo transaria 3 x por dia,mas nao da. quando ela me deixa na seca por ate 3 dias o que eu devo fazer? meter um par de chifres nela ou descascar uma banana? a vezes e nescessario assirtir um porno diariamente para acabar com os pensamentos errados entendeu rsss.

    • celia

      Minha nossa,vivo seu oposto. Sou louca por sexo mas meu marido eh 2x na semana e olha la. Tenho dó de trair ele. Fazer o q ,

      • pedro

        eu t ajudo e vc me ajuda rssss.

        • celia

          Rsrsrs ainda nao tenho coragem. Mas passo sufoco.rsrs

  • Anonimo

    Não vou me identificar, mas descobri que tenho esse problema. Comecei ver pornografia muito cedo, e, devido timidez e outros fatores, nunca tive muitas relações sexuais; então me masturbava/masturbo com muita frequência (pelo menos 1 vez por dia, as vezes 2 ou 3 por dia).
    Recentemente comecei a sair com uma mulher e ter relações com ela, e nas poucas vezes que transamos, eu fiquei pouco mais de 1 hora transando, sem gozar, até que, de fato, meu interesse começou a cair…e 2 das 3 vezes que transamos, a transa acabou sem eu gozar.
    Depois que li este artigo que fui entender…e agora estou preocupado, meio depressivo por causa disso. Como geralmente sou muito sincero, perguntei pra parceira se ela notou isso, e contei deste problema. Agora estou mais preocupado ainda, com medo dela me deixar por isso.
    Sei que estou apenas pagando as consequências do que fiz…mas queria saber se tem como mudar isso…estou realmente chateado com a situação.

    • Só de Passagem

      Cara, muito bem você foi sincero. Mas ela não tem obrigação de entender seu problema, isso é fato. Nada melhor do que começar uma relação construtiva que falando a verdade. Outro ponto positivo é reconhecer o problema. A melhor maneira de descobrir o que lhe motiva a se masturbar tanto é procurar um profissional, psicólogo. Você não deve se tornar ainda mais fechado e tímido por isso, inclusive caso ocorra o insucesso do seu relacionamento. Em linhas gerais… acho que atividade física e bons pensamentos afastam essas coisas. E para finalizar… se a mulher estiver realmente interessado em você acho que ela não vai te deixar… vai entender.

      • jose maria

        Ontem vi filme porno so que nao me masturbei a noite nao consegui fazer amor com minha esposa sera q foi o filme

    • Deb

      Acho q tu devias descobrir o que te leva a ver a pornografia, e depois, tentar usar outras coisas para satisfazeres alguma necessidade q tenhas…
      se o problema for a pornografia (ou a masturbação com pornografia), parar de ver por um tempo ou definitivamente, deverá ajudar 😉

    • Marcele

      Você tem que se masturbar na frente dela, faça com que ela te masturbe também, compartilhe isso com ela, talvez você consiga gozar dessa maneira e se sinta mais a vontade.
      Assista filmes pornôs com ela, compartilhe isso com sua parceira!

  • Cowboy

    Masturbação sem pornografia é tão ‘prejudicial’ quanto com pornografia ?

    • Inquisitor

      EXATO!!! Os comentários aqui são sobre se ver pornografia excessivamente como se não houvesse a possibilidade de simplesmente ver pornografia sem se masturbar. Que mentalidades!

  • Samir Muhammad

    concordo bastante. muita das vezes nós homens achamos que aquelas mulheres dos filmes sao iguaizinhas as mulheres da vida real. ate criamos um padrão em nossas mentes de como as mulheres devem ser. alguns ate passam por parvos por ai

  • Inquisitor

    Ai, ai…

    1 – “É o que eu sempre digo. Para a maioria das mulheres, o problema não é bem o pornô em si, mas sim quando o homem assiste demais, descasca a banana demais e depois não tem mais pique para fazer o serviço bem feito em casa.”

    O que seria “fazer o serviço bem feito em casa”? Vou te contar um caso. Certa vez bati umas 3 punhetas pela manhã e à tarde fui ao motel com uma garota. Lá ficamos transando por 2h e meia como dois animais pois ela tinha um fôlego muito grande e, por isso, foi uma das melhores transas que já tive na vida. Só saímos dali pois tinha que trabalhar pois do jeito que tava ainda levar bastante tempo naquilo. rsrs O fato é que depois disso tudo ela veio “reclamar” (na verdade perguntou) por que eu não havia gozado. Eu disse que tava querendo fazer isso no rabo dela (não deu tempo) mas percebi que a ausência do esperma a incomodou. Agora me diz Luiza: será que não fiz o “serviço bem feito” por 2h30? Ou será que pra ser “bem feito” teria que gozar também? Aliás, por que diabos é que algumas mulheres querem tanto ver “porra”? Isso nunca foi e nunca será referencial de sexo bom. Inúmeras vezes transei sem gozar e foram fodas incríveis. Por outro lado já gozei também com menos de 10 minutos. Foi bom? Um lixo total! Nem deu tempo pra aproveitar. Não sei de onde tiram essa associação entre prazer=esperma. Se alguma mulher pudesse elucidar de onde tiram isso agradeceria muitíssimo. O cara pode perfeitamente ver 3 vídeos pornôs pela manhã sem se masturbar. Ou ele pode ver os 3 vídeos e se masturbar mas isso não afetará o desempenho no sexo dele pois o gasto energético pra movimentar a mão é mínimo (como já falei em outro post). Ou ainda ele pode se masturbar 3 x sem sequer ver um vídeo como eu fiz no exemplo que dei acima.

    2 – sinceramente acho que o que mais incomoda a mulher é ela “sentir-se” comparada com as atrizes na beleza e na performance delas. Vocês mulheres são extremamente inseguras e odeiam imaginar que um homem possa estar querendo transar com uma atriz por ela ser gostosa ou por ela trepar melhor. Daí muitas preferem que o homem simplesmente não veja pornografia pra que sua mente permaneça “focada” nela e ela não sinta que há uma “concorrente” na mente dele. O cara pode ver vídeos (se masturbando ou não) como forma de alimentar suas fantasias e pra efeitos didáticos mesmo. Afinal é bem melhor ver uma posição sendo demonstrada do que tentar interpretar os desenhos do “kama sutra”. Muitas parceiras que tive melhoraram significativamente seu desempenho na cama depois que mostrei à elas exemplos de atrizes que sabiam trepar. Elas concordarem que tais atrizes (bem poucas por sinal) realmente sabiam transar e começaram a praticar aquilo. Ou seja, a pornografia melhorou sim o desempenho sexual delas, visto que elas não tinham hábito em ver vídeos pornôs. As melhores transas que tive foram com mulheres que já tinham o hábito de ver pornografia antes de me conhecerem. Por que será hein?

    • Na minha opinião bom sexo não tem nada a ver com tempo de duração, mas sim com o fato de ambos saírem satisfeitos após a transa, e claro, pq não terem tido um orgasmo. Pois se o orgasmo é o ápice, quero que ele seja bom para ambos. A propósito, acharia um saco ficar transando por quase 3 horas, prefiro meia horinha bem feita =) mas isso é só opinião pessoal minha mesmo!
      2- Entendo o seu ponto de vista, e realmente faz sentido. Acredito que algumas mulheres podem mesmo sofrer dessa insegurança que vc disse, porém, garanto que nem todos os homens conseguem assistir porno e manter a performance em casa e é isso que tbm chateia muito, e pelo menos para mim isso seria muito mais relevante do que qualquer outra coisa, pois ainda que eu hipoteticamente quisesse ser linda como uma atriz pornô, ainda acho muito mais importante ser realizada sexualmente. O problema também não é só gastar energia com a pornografia (mesmo que seja pouca), mas tbm gastar tempo e tudo mais aquilo que prejudica a ”oficial” de usufruir.

      • Inquisitor

        “Na minha opinião bom sexo não tem nada a ver com tempo de duração, mas sim com o fato de ambos saírem satisfeitos após a transa”

        Então… No caso que citei ela ficou “insatisfeita” por não ter me feito gozar. Pelo que entendi tal qual como ela se o cara não tiver uma ejaculação durante o sexo isso te deixaria insatisfeita também? E a propósito já me relacionei com mulheres que aguentavam 20 minutos no máximo. Resultado: normalmente elas “morriam” e eu não me satisfazia e tinha que esperar ela se recuperar pra tentar novamente. (inversão de papéis kkkkkkkk)

        “O problema também não é só gastar energia com a pornografia (mesmo que seja pouca), mas tbm gastar tempo e tudo mais aquilo que prejudica a ”oficial” de usufruir.”

        O lance do tempo eu entendi. Claro que não vou me masturbar pela manhã se pudesse estar com minha namorada. Isso realmente é um desperdício em todos os sentidos. Agora se estou na minha casa sozinho e só a verei à tarde ou noite não acho que seja desperdício pois isso varia da vontade do meu corpo em se satisfazer. Mas fiquei curioso. O que viria a ser “tudo mais que prejudica a “oficial” de usufruir”? Vou falar como tu: “sou homem e não entendi essa colocação” hahaha

        • Você gostaria de transar com uma mulher que não gozou? Não, né? Pois é, a mulher sente o mesmo com o homem que não goza (+orgasmo).
          Quanto a sua pergunta daria um texto, vou ver se um dia escrevo a respeito!

          • Inquisitor

            Mas não dá pra comparar a forma como homens e mulheres gozam. O do homem é muito fisiológico e visual com a ejaculação. A da mulher (tirando as que conseguem ejacular) não é assim. Vou ter que confiar na sinceridade dela ao me dizer que “já posso gozar pois ela gozou” já que é quase impossível saber se uma mulher tá gozando caso você não a conheça muito bem.
            E só pra tu ter uma ideia, homens que retiram a próstata não ejaculam mais, mesmo tendo a mesma sensação do orgasmo e as contrações musculares que tinham quando a possuíam . Pelo visto há uma infinidade de mulheres altamente insatisfeitas por não verem o “leite” saindo né? Pura ignorância delas se pensarem assim e acreditarem que o homem só goza quando ejacula.
            Eu acredito que o orgasmo (em ambos os sexos) é muito mais cerebral e não se limita à uma função ejaculatória de um líquido. Isso é apenas um detalhe.

            Ok. Vou esperar que vossa senhoria o faça algum dia. rsrs

          • Inquisitor

            Não sei se consegui me expressar bem ao ponto onde quero chegar mas vou dar um exemplo melhor e tentar ser mais “didático”.
            1 – masturbação – acompanhado de ejaculação na maioria dos casos; fácil; rápido; baixo gasto de energia; só é necessário uma pessoa pra que ocorra.
            2 – sexo – pode vir ou não com ejaculação; extenuante; alto gasto energético; precisa de pelo menos outra pessoa; há uma troca de energia incrível entre os corpos; muuuuuito melhor do que a masturbação devido a “n” fatores que acabam deixando o cérebro num estado de êxtase que o simples e puro gozo na masturbação sequer se aproxima. (rsrs)

            Ou seja, se eu for analisar pelo ponto de vista prático a masturbação seria melhor pois vou ter um “orgasmo fisiológico” com ela me dando algum grau de “prazer” e é bem mais fácil de ocorrer. Já o sexo (quando feito com alguém que se gosta) me dá um “orgasmo cerebral” que, embora possa não vir acompanhado de ejaculação, a sensação de prazer é incomparável já que há outros fatores como toque, carícias, calor do outro, ver e ouvir o outro durante o ato (a troca energética entre os corpos é simplesmente incrível), etc que fazem com que seja uma das melhores sensações que o corpo humano pode experienciar.

            Por isso digo que “ejaculação” é só um detalhe e pouco me importa se o “senso comum” afirma que é o clímax do ato e necessário pra satisfação na relação.

  • Melissa

    Comigo sempre aconteceu o contrário: eu ligo no pornô e ele desliga. Isso aconteceu com os 3 namorados que eu tive. Eu penso que o homem também sente o medo de ser comparado pois nos filmes os atores aguentam um tempão até gozar. Eu sempre gostei desses filmes e me masturbo até hoje com eles, mas não sou dominada por eles, pois eu prefiro tudo ao vivo e à cores e de luz acesa. Acho que o problema todo é na cabeça do homem mesmo, independente da pornografia. O estudo apenas indicou que a pornografia pode influenciar no caso da disfunção erétil.

  • Diego

    “a Disney estragou as mulheres ao fazerem elas acreditarem em príncipes, e a indústria da pornografia estragou os homens ao fazer com que muitos não saibam lidar “numa boa” com as diferenças entre a “mulher virtual” e a mulher real” boa associação. … e no final das contas, como no meu caso, a disfunção erétil acaba sendo antes de acontecer a relação, nos momentos em q ele foge, se diz cansado, e outras desculpas para não ter relações, por se aventurar demais nesse mundo ficticio e esquecer da realidade ao meu lado, esquecendo das minhas vontades e desejos…. me dxando com medo de perde-lo preso nesse mundo de ilusões ou que eu acabe me cansando de ficar de canto e vá atrás de realizações próprias. …

  • Gabriel Felipe

    Pornô é bom para quem não tem mulher, daí, só resta a punheta.