Entrevista com um ex-viciado em pornografia

25

Viciado em pornografia

** Bom dia, muito obrigada pela colaboração e espero que a gente possa ser útil a alguém, bem como esclarecer melhor o tema!

** Se apresente para a gente…

Tenho 27 anos, sou solteiro e prefiro não revelar o meu nome, porque o que vamos discutir aqui é um problema encarado por muitos homens no anonimato. 

** Começamos pela pergunta clássica: O que te levou ao vício em pornografia?

Eu sempre gostei de assistir uma sacanagem na internet, mas o problema foi exatamente igual aos outros tipos de vício. Tive um problema que gerou um tipo de vazio e que desencadeou o vício: no meu caso, fui espancado por 15 caras (perdi 2 dentes, óculos, carteira, terno, cortei o lábio..), tive que ir visitar a minha mãe no dia das mães sem dentes (na época eu era universitário e não tinha grana), encarar a família naquele estado e aguentar o olhar de reprovação de todos por ter sido espancado sem saber quem eram os agressores (foi gratuito o espancamento). Nisso desenvolvi uma certa fobia de sair de casa por aquele motivo, fiquei sem óculos e os dentes por umas 2 semanas, minha autoestima havia caído muito, me sentia um lixo, conversava somente o necessário com as pessoas, entrei em depressão, e com ela, veio o vício em pornografia que, dentro do meu quarto com a porta trancada, me deixava mais relaxado e tranquilo. Nunca fui de beber nem usar drogas, então o que me distanciava daqueles problemas era a pornografia, tanto que, depois de 2 meses, eu praticamente não conversava com as pessoas, não ia para a faculdade nem tinha vontade de sair do quarto e de comer.

** Então você diria que o vício em pornografia geralmente tem a ver com algum problema psicológico desenvolvido, tal como a depressão, fobias, entre outras coisas?

Sim, eles têm raízes em problemas mais profundos. Depois que eu tive consciência disso, eu procurei material sobre o assunto e durante esta procura achei estudos psicológicos que já enquadram o vício em pornografia como transtorno compulsivo. O que deu início a este transtorno para mim foi a depressão e a situação a qual me encontrava, para outros pode ser que hajam “gatilhos” diferentes, por isto, quem acha que pode estar viciado deve procurar se informar mais sobre o assunto.

** Quantas vezes ao dia você se masturbava assistindo vídeo pornô?

Quando eu não tinha compromisso no dia, eram mais do que 5 vezes, nos dias mais críticos foram mais de 10.

** Putz, e você tinha gozo para isso tudo? kkkk. Falando nisso, uma pergunta que eu não entendo (eu nasci mulher, fazer o quê kkk): como vocês conseguem gozar 10 vezes descascando a banana e muitas vezes mal conseguem transar (e gozar) duas vezes com uma mulher durante esse mesmo período de tempo? Digo vocês homens em geral, não só os viciados em vídeos pornôs, mas se você achar importante, você também pode diferenciá-los na sua resposta!

Eu não tenho base para explicar teoricamente, mas comigo acontecia assim, as primeiras 4 gozadas saíam aquele liquido branco junto, depois destas, só esperma e bem pouco, eu acho que a estimulação é diferente, por isto conseguimos tocar tantas vezes e gozar tantas vezes.  Mas eu consigo tranquilamente transar com uma mulher por mais de 1 hora sem gozar, ahahaha aí ejaculação precoce ja é outro departamento, que claro, tem fatores psicológicos e tudo mais, mas, para mim não se aplica, até chego a cansar de transar, tenho que parar para os dois descansarem. 

** O que você sentia quando assistia vídeo pornô?

No meu caso, me fazia sentir algo diferente, era como se fosse um calmante para meus problemas, naquele momento em que eu estava me masturbando e assistindo aos vídeos eu me sentia em outro lugar…

** Quando você percebeu que estava realmente viciado?

Foi quando eu me via assistindo pornografia sem perceber, já havia se tornado automático, também. Eu ficava irritado quando não assistia pornografia e sempre que eu terminava de me masturbar eu sentia um peso na consciência, como se eu tivesse feito algo muito errado, mas logo tocava mais uma vez e me sentia bem.

** “E sempre que eu terminava de me masturbar eu sentia um peso na consciência como se eu tivesse feito algo muito errado”. Essa frase me lembrou algumas mulheres de criação machista que gozam e se sentem mal por isso, porém, devo admitir que, culturalmente falando, não estou acostumada a ver um homem afirmando o mesmo. Enfim, por que você tinha essa sensação de ter feito algo muito errado? Masturbação era errado e sexo não? Pode explicar melhor?

Eu me sentia assim, pois eu sabia que eu estava exagerando e que me masturbar tão frequentemente havia se tornado um vício mesmo, então, quando eu terminava eu ficava pensando que devia ter resistido à vontade. 

** Você chegou a se relacionar com alguma mulher neste período de viciado em pornografia?

Sim, uma única vez. Ela era muito feia, a encontrei em uma das únicas vezes que sai neste período, fui para a casa dela mas não tive nenhuma vontade de transar, ficamos nos amassando até que, acredito eu, o meu amigão respondeu pelo estimulo físico. Foi o pior sexo que eu já fiz na vida, parecia até que não era eu, ele ficou duro por uns 5 minutos e broxei , sendo como gatilho a depressão e o vício.

Assista: Mulheres e os filmes pornôs

** Falando em mulheres, me responda sinceramente: devido ao vício no pornô e ao fato de ter tantas mulheres lindas e maravilhosas fazendo de tudo, na vida real você acabava exigindo uma mulher tão bonita quanto nos vídeos, e até mesmo com aquele desempenho dos vídeos, ou nada a ver? Essa exigência podia ser inclusive sem você nem mesmo perceber na época, mas que hoje você se dá conta que existia isso. O que você acha?

Eu já li relatos que os homens estereotipam sim as mulheres gostosonas que fazem de tudo e isto os leva a broxar na hora do sexo com uma mulher “normal”, porém, eu tenho sim um padrão de mulher, existem alguns traços que eu procuro, mas não busco pelo tipo perfeito não. Se a mulher se encaixa no conjunto da obra, a beleza fica em segundo plano na verdade, tanto que, quando eu assistia a pornôs, eu preferia os amadores aos das profissionais, talvez porque eu buscasse alguma proximidade com o sexo normal mesmo, pois como na época a minha autoestima estava baixa, eu não me achava capaz de transar com alguém…

Viciado em pornografia

** De qualquer forma, você diria que você broxava mais com as mulheres na sua época de viciado em pornografia do que agora em sua “época normal”? Pergunto isso porque tem estudos que sugerem que os homens viciados nesses filmes tentem a broxar mais.

Eu só transei uma vez quando estava com o problema, e devido às condições da época eu broxei. Hoje em dia raramente eu broxo, até porque eu sou mais seletivo com as minhas parceiras e isto evita broxar por falta de interesse, broxo só quando tem algo me incomodando ou algum outro probleminha, mas a minha língua nunca broxou!!! hehehe é como diria o grande Vinícius de Moraes:

“Enquanto houver  língua e dedo nenhuma mulher me mete medo.”

Se o seu parceiro nem oral ou outras brincadeiras quiser fazer, ou ele esta com um problema psicológico muito sério ou o problema é que ele não quer mais fazer nada com você, a boa notícia é que os dois problemas têm solução!

** Pode parecer óbvio, mas acredito que na prática não é tão fácil de entender, pelo menos não para as mulheres: qual é o ponto que faz toda a diferença ao comparar esse mundo virtual e o real para um viciado em pornografia?

No meu ponto de vista, é igual uma droga mesmo, e sendo droga o viciado procura a maneira mais fácil de consegui-la, é um barato momentâneo. Eu também acredito que a questão de não precisar ter relacionamento com alguém para sentir prazer é um dos pontos chaves para o desenvolvimento do vício. O homem procura às vezes só transar, gozar e pronto, e sabemos que com a mulher não é assim. Então, muitos evitam e acabam escolhendo o pornô fácil ao invés do complicado mundo real. Eu pelo contrário, sentia vontade de me relacionar com mulheres, mas, devido à baixa autoestima e à depressão, eu me sentia incapaz de procurar parceiras e acabava ficando apenas no pornô mesmo.

Uma vez soltei uma frase que fez os meus amigos rirem e até concordarem com o que eu falei que era assim:

“Pessoal ontem eu transei com uma baita de uma gostosa o nome dela era Sasha, ela fez de tudo, nossa muito bom!”

E o pessoal perguntou, mas e aí e depois? Respondi:

“Depois lavei as minhas mãos e fui dormir.” 

** Desculpa, eu sou mulher e não entendi essa frase (quem me chamar de burra vou apagar o comentário, brincadeira kkkk). Você poderia explicá-la melhor para a gente?

Esta frase eu uso até hoje, pois nem sempre que saio consigo sexo, aliás, para os homens, conseguir sexo é mais difícil do que para mulheres, pelo menos para mim hehe. Então, esta frase tem relação a isto, se não consegui sexo de verdade, uso uma atriz pornô como inspiração, e quando termino lavo as mãos e vou dormir… hehehe

** Como você conseguiu se livrar do vício?

Eu encarei de frente a depressão e com ela o vício em pornografia. Claro que eu não admiti que era viciado em pornografia para a minha família, mas disse a parte de que estava depressivo. Eles me ajudaram muito, fiquei 2 semanas ( 2 semanas sem internet, nem pornografia) na casa da minha mãe e isso foi o que me deu forças para sair do fundo do poço, comecei a me exercitar, e até sorrir, coisa que em 4 meses eu não havia feito… com esta ajuda de fora e vontade própria superei todos estes problemas.

** Depois que você se “desviciou” de tudo, você se relacionou com alguém? Como foi?

Com a autoestima positiva eu tive a sorte de conhecer uma mulher pela internet, nos conhecemos pessoalmente e ela era muito legal, foi amor à primeira vista, nós namoramos por 1 ano.

** Você conseguiu fazer sexo com ela?

Sim, no primeiro dia que nos conhecemos a química foi tão forte que já transamos, e depois de um bom tempo sem pornografia eu fiquei duro o tempo todo, ela era muito bonita, então foi muito muito bom,  parecia que tinha sido a minha primeira vez.

** Então você diria que a beleza dela te ajudou a não broxar? Ou seja, de certa forma você ainda carregava a beleza exigida pelos filmes pornôs, ou nada a ver e você sempre exigiu mulher muito bonita para se excitar independente do seu vício passado?

Não foi um fator chave, o que aconteceu foi que eu tive uma baita sorte da minha ex ser bonita, mas o que realmente me ajudou a não broxar foi porque eu gosto de mulher que sabe o que faz na cama e ela sabia muito bem, fora que ela como pessoa é fantástica, hoje em dia ainda somos amigos.

** Opa, aproveitando a oportunidade, me diga uma coisa que toda mulher quer saber: afinal de contas, o que seria uma mulher que sabe o que faz na cama? Ou melhor, como seria uma mulher boa de cama?

Esta questão é muito relativa, sempre que converso com amigos sobre sexo, cada um tem a sua opinião e gostos, para mim, mulher que transa bem é aquela que sabe o que quer na hora H, que já tem experiência entre quatro paredes, que se valoriza, que não têm vergonha do seu corpo e que se torna uma verdadeira parceira de sexo. Eu sou assim, sexo para mim tem que ser divertido e liberal, eu faço o que eu gosto e espero que a minha parceira também faça.

** Hoje em dia como você se relaciona com a pornografia?Viciado em pornografia

Eu ainda assisto vídeos pornôs, mas esporadicamente, tive namoradas que assistiam junto comigo os filmes para dar uma esquentada na hora H, mas como eu soube dividir bem o problema que gerou o vício, hoje encaro pornografia como algo normal. É bom assistir e alguns vídeos são até didáticos, mas não assisto pornografia genérica e de mal gosto, hoje procuro assistir softporn e um hardcore mais tranquilo…

** O que seriam os softcore e os hardcores mais tranquilos?

Softcore é uma versão light de sexo, geralmente com mulheres se tocando sozinhas, é mais sensual do que pornográfico. O hardcore mais tranquilo é aquele que não tem tanta “bruteza” nas cenas, é sexo com penetração mas de boa qualidade, como por exemplo os filmes da X-ART.

** O que você diria para uma pessoa que tem um parceiro(a) viciado(a) em filme pornô e que gostaria de ajudá-lo(a) a “desviciar”?? O que ele(a) poderia fazer para ajudar o parceiro a sair dessa e coisas que ele(a) deveria parar de fazer e que definitivamente não ajudam ninguém a sair do vício?

Bom, se a parceira tem noção de que seu parceiro pode estar com problemas deste gênero, a minha primeira sugestão é que ela tenha uma conversa aberta com ele sobre o assunto, pergunte realmente o que está acontecendo, pois o vício pode ser a ponta do iceberg de outros problemas que ele esta enfrentando e que não fala ou não tem coragem para falar, até mesmo uma intenção em terminar o relacionamento.

A parceira também pode recapitular o seu relacionamento para verificar alguns possíveis fatores, que possam ajudar na mudança do seu namorado.

Este assunto é um tabú que se tornou síndrome, então, a compreensão é a melhor forma de ajudar, se ela achar que o problema dele se encaixa como um vício mesmo, talvez, tentar levá-lo para longe das fontes do vício o ajude, até quem sabe, gravar junto com ele um vídeo dos dois fazendo sexo, vocês mulheres têm inteligência emocional mais aguçada então vão saber como ajudar, se, é claro, ele precisar de ajuda.

** Como assim, se ele precisar da ajuda?

O parceiro pode estar apenas desinteressado nela, por isto arranja formas de escapar ou de levá-la a desistir do relacionamento sem que ele o faça.

** E como proceder com a gravação de um filme? Você já fez?

Então, para gravar um filminho para vocês assistirem, é bom que se tome algumas medidas para que seu filme não vá parar na internet.

Eu já gravei vários filmes e todos foram deletados logo depois que assistimos, eu também procurava gravar com as câmeras das minhas parceiras, sempre no estilo POV (POINT OF VIEW) e como elas se sentiam seguras, sempre foi tranquilo e divertido, eu já ri muito com elas sobre os nossos desempenhos hehehe.
 

** E se o namorado de alguém broxa muito, o que a parceira(o) dessa pessoa poderia fazer para tentar amenizar esse problema em específico?

Tentar entender a causa é o principal, podem existir inúmeros fatores para que o seu parceiro sempre broxe, desde estresse do trabalho, vício em pornografia, traição, falta de interesse e etc. Tenha em mente que este assunto para a grande maioria dos homens é um “tabú”, então recomendo calma e compreensão na hora do papo.

Quando se tem uma idéia do que é o problema, fica mais fácil de resolvê-lo. Se não conseguir sozinha, procure um especialista em sexologia ou termine com ele mesmo, pois se o problema for o relacionamento desgastado talvez não valha a pena seguir sofrendo com isto tudo, acredite que vai ajudar tanto ele, quanto você.

** Mas tem muito homem que broxa por problemas fisiológicos mesmo, né? Você teria alguma dica para a mulher saber se o problema é fisiológico e até mesmo psicológico, ou se o caso é desgaste no relacionamento mesmo?

Eu pesquisei e até conversei com amigos médicos sobre o assunto e problemas fisiológicos em jovens até 40 anos são difíceis de ocorrerem, mas podem sim haver alguns, como por exemplo os problemas gerados pelo sedentarismo (colesterol alto, hipertensão, diabetes) que podem resultar em disfunção erétil. Eu tive também um amigo que tinha fimose e sentia dor quando ele transava, e por isto as vezes broxava, mas fez a cirurgia de remoção e diz que agora está tudo certo.

Problemas psicológicos demandam uma boa conversa e conhecer o parceiro, se você sentir algo estranho nele, pergunte, será a melhor maneira de descobrir o que esta acontecendo.

Se o caso for o desgaste mesmo, é aquela velha história, se ele não te procura tanto quanto antes, se ele só pensa nele na hora H, se as posições são simples (as vezes só de conchinha ou de quatro) comece a revisar o seu relacionamento e até procurar outra na jogada, homem quando gosta da mulher, quer transar sempre, e claro, tenta agradar a parceira, eu pelo menos sou assim hehehe.

** E quais dicas práticas você daria para “o viciado” que quer superar isso e não consegue?

Parece até óbvio, mas, o primeiro passo é admitir a sua situação, tentar buscar o motivo do vício e assim tentar resolvê-lo. Se a questão for a pornografia em si, tente usar computador/tablet e etc em áreas de convívio coletivo, isto vai te impedir de ter uma recaída (ou pelo menos vai tornar a masturbação a qualquer hora muito difícil). Também  é importante ocupar tanto a mente quanto o corpo, tente estudar, ler um livro e também praticar alguma atividade física, MAS, quando não conseguir se segurar, tente se masturbar sem vídeos, usando as  memórias  das parceiras que você já teve, isto vai trazê-lo para a realidade, não há pornô melhor do que lembrar das transas que você já teve.

** Você gostaria de acrescentar mais alguma coisa? Mensagem, oração, macumba? kkkkkk

Aos que se enquadram como viciados ou acreditam que talvez possam ter um início de vício, o meu recado é: admitam e tentem melhorar, este problema é novo, mas fácil de resolver. Não deixem que a baixa autoestima os façam se tornarem eremitas, saiam para a rua, vão viver! Procurem sempre ter por perto a familia ou amigos, eles são de extrema ajuda para solucionar qualquer problema.

Para as mulheres, não se culpem ou hajam com desdém com os “broxas”. Sejam mais compreensivas, porém nem tanto, os problemas estão ali mas precisam ser passageiros, se não tiver solução, pule para outro relacionamento, não se aprisionem à algo que lhes traga infelicidade, isto pode até ajudar a agravar o problema do seu parceiro, ninguém merece viver infeliz!

Para todos: Tentem se desvencilhar das tecnologias modernas ao menos um pouco, o mundo não vai acabar se você ficar offline por algumas horas!

** Muito obrigada pela entrevista e pela sinceridade, tenho certeza que ela ajudará muita gente não só a conhecer melhor esse vício, como a sair dele!

Muito obrigado Luiza, foi difícil dividir isto, mas como eu percebo que este problema está se tornando mais um dos males psico-digitais, eu resolvi dividir com outros para que eles não se sintam sós. Também gostaria de agradecer o espaço que você me deu e dizer que só resolvi me abrir pois era para o seu site, parabéns e continue sempre assim.

*****************************************************************************

Você já leu a pesquisa que postamos no blog sobre viciados em vídeos pornôs e disfunção erétil (ED)?

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.