Sou dançaria de strip-tease, acho que não tem nada demais nisso, mas afasto as pessoas!

25

Leitora: Trabalho como dançarina de strip-tease em uma casa noturna de São Paulo. Escolhi essa atividade como uma coisa temporária, apenas para ganhar uma grana e depois pular fora, mas agora não consigo me imaginar sem o dinheiro que ganho como stripper e não tenho nenhuma vontade de parar. Além disso, gosto demais da atenção e elogios que recebo dos clientes da casa, pois isso me traz uma sensação de poder e domínio que curou muito da minha insegurança e timidez. Ocorre que tenho dificuldade em manter qualquer relacionamento amoroso, pois meus namorados ao saberem o que eu faço não me levam mais a sério ou então me dispensam direto. Tem também o problema da minha família,  pois sempre disse que trabalho à noite como garçonete em um restaurante de luxo, mas eles já estão desconfiando, e isso me deixa muito inquieta. Gosto do que faço, do dinheiro que ganho, e quero continuar minha carreira. Ao mesmo tempo quero  muito ter um relacionamento sério com um homem que me ame e me respeite, como também quero que minha família não deixe de se orgulhar de mim. Acho muito injusto que pessoas tenham uma opinião errada a meu respeito só porque minha profissão é dançar nua e entreter homens pois não existe absolutamente nada de errado com isso. O que fazer?

Sou stripper e por isso afasto as pessoas

Sei muito bem como é isso minha amiga, não que eu seja stripper, coitada de mim que não levo jeito para essas coisas: acho que ia cair de boca no chão kkk, masss, entendo como é ao menos uma vez se sentir admirada pelos homens, ouvir eles dizendo que estamos bonitas e atraentes. Isso de fato nos faz nos sentir muito mais poderosas, ainda mais para quem está com a autoestima lá embaixo, né?! Porém, uma coisa é você querer ser admirada e elevar a autoestima porque está gatinha na balada, outra coisa completamente diferente é esperar a mesma coisa sendo stripper. Digo isso não por minha opinião pessoal, até porque acredito que ela não fará muita diferença no seu caso agora, mas sim pela opinião do “mundão afora” mesmo.

Infelizmente, para a grande maioria dos homens, prevalecem ideias como: “Ficou pelada? É puta!”, “A mulher já está pelada para todo mundo ver mesmo, acha mesmo que ela não faz programa?”. Não que a sua profissão não seja digna, mas isso não muda o fato de que – tirando as raras exceções – os homens não respeitam mulheres assim. Por mais que você não faça programa ou não seja oferecida, eles vão pensar que você faz isso porque é sem vergonha, entende? E aí, muitos deles realmente se afastarão às vezes não porque eles não sentiram um “tum tum tum” no coração por você, mas sim porque eles têm medo de serem traídos, entende? Eu sempre digo que muito homem adoraria uma mulher liberta como você, mas não assume por medo de ser corno, todo mundo saber e depois zoarem que ele está com uma mulher “rodada”, entende? E sabe como é, né? Infelizmente na sociedade de hoje as pessoas se importam muito mais com que os outros vão pensar, do que com a própria felicidade delas. Concordo contigo que isso é injusto, que é preconceituoso e mais uma porção de outras coisas, mas não temos como mudar a cabeça das pessoas. Ou melhor, até temos, mas isso será através das nossas atitudes, e acima de tudo, dando muito tempo ao tempo. Te explico melhor no decorrer desse texto!

Vi que você é uma mulher bastante decidida sobre o que quer ao dizer “gosto do que faço, do dinheiro que ganho, e quero continuar minha carreira.” Sua personalidade é admirável, porém, você tem que entender que da mesma forma que você tem essa ideia formada, tem gente que tem outra ideia formada, que é exatamente uma opinião contrária a sua, entende? E como não podemos dar jeito no mundo, comecemos por dar jeito em nós mesmas. Se você disse que não pretende mudar de vida, esse já é o primeiro passo para encarar certas coisas. Sabemos que não tem como espirrar e abrir os olhos ao mesmo tempo, e se é assim, você tem que escolher entre uma coisa ou outra e estar ciente das consequências de cada escolha. E calma, é assim com todo mundo, não só com as strippers! Se você escolher largar sua profissão para agradar os outros, você poderá até ganhar um namorado, mas perderá de fazer o que, pelo visto, você ama, e claro, o dinheiro que pelo o que entendi é um quesito muito relevante para você. Por outro lado, se você continuar como está, você terá que ter em mente que “sim”, isso vai te dificultar e MUITO em ser levada a sério, o que não significa que será impossível.

Pode ser raro, mas não tenha dúvidas de que existem homens no mundo que não têm nenhuma espécie de preconceito com o que você faz, inclusive, não sei se já vou ter postado antes de postar essa sua resposta, mas um homem colaborador do blog escreveu um post defendendo e dizendo a admiração que ele sente pelas garotas de programa (ele mesmo já namorou algumas e as defende com unhas e dentes). Sei que você não é uma GP, mas citei o exemplo porque muito homem trata como se fosse, entende? E se é assim, acho que esse texto vai te ajudar. Você tem que entender que você optou por um caminho mais difícil se levarmos em consideração a sociedade moralista em que vivemos, porém, se você levar em conta a sua satisfação pessoal e não se considera vivendo de outra coisa, você optou pelo caminho certo, pelo simples fato de ser o caminho que te faz feliz.

Quanto à sua família, se ela não for muitooo liberal, não espere muito dela. Você sabe que corre o risco de alguém acabar sabendo e contar para os outros da pior forma possível. Inclusive, achei até curioso nunca ninguém do seu sangue ter batido na sua boate e por coincidência ter te visto por lá! (sabe como é homem, né rsrs). Assim, se esse risco existe e você não quer abrir mão do que faz, mesmo desconfiando que a sua família não sentiria orgulho disso, só te resta enfrentar.

Acredito totalmente que podemos fazer a diferença no mundo e que, ainda que certas coisas sejam difíceis, nada é impossível. Nada impede de com o tempo você conquistar o seu respeito. O triste é que na visão da família tradicional, “esse respeito” só se conquista com estudos, bom emprego e coisas “padrões”, genericamente falando. Por outro lado, felizmente no quesito namorado e tendo em vista que esse você pode escolher, é só você procurar por alguém mais cabeça aberta, menos preconceituoso, ao mesmo tempo em que você também deve investir nos seus estudos, em um bom papo e coisas que o façam ver que você não é apenas uma mulher bonita, mas sim muito mais do que isso! Tem homem que pode ser machista, preconceituoso ou o que mais quer que seja, mas se ele ver que você é uma pessoa de cultura, de índole e de bom papo, mais cedo ou mais tarde ele não terá outra saída que não seja te admirar, nem que seja ao ver a garra que você tem ao enfrentar o mundo, mesmo não tendo a profissão mais bem vista de todas.

Tudo dependerá de você, que sabe que terá que trabalhar mil vezes a mais para conquistar o respeito dos outros, mas que também sabe que é capaz de conseguir. O termômetro para chegar ao seu objetivo final dependerá da sua garra, bem como do seu interesse pessoal em querer quebrar tabus e mostrar que uma mulher sempre pode ser muito mais do que aparenta ser.

Ninguém muda o mundo dizendo que ele é injusto. A gente mudará servindo como exemplo do porquê ele é injusto“.

Boa sorte!

Você já leu o post que nosso colaborador fez falando do famoso Red Light District, em Amsterdã?!

Também fiz uma entrevista com uma Stripper Virtual (Camgirl) do CâmeraHot, talvez te ajude em algo!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.