Por que toda vez que eu namoro, sempre levo chifre?!

16

Leitor: Tenho 28 anos e assumo que namorei firme poucas vezes (3 vezes para ser mais exato), e em todas elas acabou do mesmo jeito, eu sendo traído… Procuro ser um rapaz atencioso, não sou grudento, a levo em lugares que ela gosta de ir, assisto aos programas e séries favoritos delas e até debato o assunto com elas, (muitas vezes eu gostava mesmo da série que me apresentavam), demonstro interesse pela garota que está comigo, modero meu ciúme, poucas vezes briguei porque sentia ciúmes, mas a maioria das vezes que briguei foi porque eu descobri uma traição e fiquei puto. Quando questiono por que fui traído, estranhamente as respostas combinaram, elas simplesmente dizem que não sabem porque fizeram isso, dizem que sou um homem maravilhoso e qualquer mulher teria sorte de me ter, o que não levo muito a sério porque afinal, já até perdoei algumas traições, mas sempre voltaram a acontecer… A última, terminamos há quase 4 meses e até hoje ela fala que me ama, que me quer de volta e que está arrependida, mas nos 4 anos de relação séria com ela, foram 6 traições até onde sei e tive provas… Quero entender isso, por que no final acabo sempre levando chifre? Nunca traí nenhuma delas.

Por que eu sempre levo chifre?

Chifre é que nem maldição: quem nunca levou uma galhada é porque: ou não se relacionou com o número suficiente de pessoas ou ainda vai levar. Porém, o seu caso é alarmante, porque é pau atrás de pau na cabeça e nem descanso entre um chifre e outro você tem, né? hehe.

Sei que trai quem quer, pelo simples fato de que se for procurar motivos para trair, todo mundo tem. Também sei que tem mulher que trai porque é vagabunda mesmo, porém, se o seu indicativo está em 100% de chifre, acho que não custa nada pensar nas coisas que irei dizer a seguir e que podem te fazer exercer menos encanto sob as pessoas, ou você pode concluir que é uma questão de dedo podre mesmo, rsrs. Acredito que o seu caso se resume em basicamente duas possíveis questões que precisam ser analisadas:

1- Que tipo de pessoa você é:

Pelo o que dá para perceber, você tem muita preocupação em ser perfeito, não em ser atraente. Sim, porque ao contrário do que o senso comum diz, uma coisa não necessariamente tem a ver com a outra e o “perfeito” nem sempre é valorizado. Na verdade e por uma grande ironia, constantemente o homem perfeito até perde para uns “Zé Ruelas”, ou para aqueles homens que nem tinham lá grandes atributos, mas tinham aquele “parangolê a mais” suficiente para deixar qualquer mulher maluca e totalmente ligada na deles. Sabe como é aquela história: tem aquela loira linda e perfeitinha, mas quem prende mesmo o seu coração é uma outra nem tão “perfeita” assim. Nessas horas, os homens e mulheres definitivamente são mais semelhantes do que parecem.

Sabe aquela pessoa tão perfeita e tão certinha que você não consegue nem achá-la salgada ou doce de tão equilibrado que está o tempero dela? Gente legal e disponível demais enche o saco, é tedioso. Mas calma lá, não estou pedindo para você ser uma pessoa “chata”, “esnobe” ou “indiferente”, porque aí você já entraria no lado oposto da moeda e seria broxante do mesmo jeito. Minha preocupação gira mais em torno da pergunta: você está sabendo equilibrar as coisas?

Não adianta nada você assistir todos os seriados que ela gosta, nunca brigar, ser amigo, atencioso e fofuxo se você não tem o “parangolê” que te diferencia dos demais, entende? É triste falar, mas a teoria nem sempre bate com a prática: no bate-papo muitos falam que sonham em encontrar um príncipe ou uma princesa, mas na prática o que fazem? Viram amigos, porque “o outro é tão legal e raro que é melhor conservar assim para não estragar e perder a amizade”. E a química passa a não bater…

É essa tal de química que você precisa não só alcançar, como manter. Não basta só namorar com a pessoa, até porque sabemos que hoje em dia isso não significa lá grandes coisas e o que mais tem é gente que namora mesmo sem estar preparada ou apaixonada o suficiente para isso. Você precisa ir além do básico: você precisa ser um cara legal, mas isso não significa se anular, tampouco virar mamão com açúcar. Você precisa ser admirado e respeitado, não só ser um bom partido. Você pode sim assistir aos seriados que ela gosta, mas não precisa fazer um esforço triplo para sempre acompanhá-la em tudo. Você pode e deve ser amigo, mas não demais senão você vai acabar parando por aí mesmo e assim por diante. É estranho falar assim, mas discordar de algumas coisas a fim de preservar a sua personalidade é crucial para a manutenção de um bom relacionamento.

É claro que na hora da desavença e que você entrou em desacordo com a outra pessoa, muitas vezes ela fica brava, fica chateada porque perdeu a companhia e – em casos mais extremos – até mesmo “o pau-mandado”, porém, ao mesmo tempo e se ela for esperta, fora não perder o respeito por você, irá te admirar por isso. Ela perceberá que ainda que você a ame, você também é “você”, não tenta ser um bichinho fofinho tentando agradá-la a qualquer custo, entende? Ninguém fala muito sobre isso, mas para a manutenção do amor, também é necessário certo mistério e até mesmo certo distanciamento, ainda que estes também devam estar em equilíbrio com a intimidade.

Infelizmente muito ser humano ainda não chegou ao nível elevado de saber valorizar quem está 100% garantido e este acaba é perdendo o seu valor. Não estou dizendo que esse é o seu caso, mas não custa nada pensar na hipótese de você estar “garantido demais”, fazendo com que muita namorada ache que você jamais seria capaz de uma atitude mais extrema como terminar um namoro por exemplo, e acabam abusando da sua boa vontade e te traindo.

“Ele não morde mesmo, então vou pular a cerca sem pensar duas vezes!!”

Você mesmo afirmou ter perdoado algumas traições. Até aí “ok”, só veja se você não está perdoando além da conta. Se a pessoa perder o respeito por você, aí sim que ferrou tudo. É uma linha bem tênue que tenho certeza que com o passar do tempo você será capaz de internalizar. É tudo uma questão de prática, de bom senso e de costume.

É claro que em paralelo a isso é importante ter a visão da parceria. Ou seja, você poderá até abrir mão de uma coisa ou outra em prol de quem você gosta, porém, se tudo tem um limite, você não pode ultrapassar o seu. Esse agrado não pode ser a qualquer custo e nem para qualquer coisa e ele só poderá entrar em campo quando houver o seu bom senso. Se não a pessoa se folga e aí você já viu….

Vou explicar melhor: por exemplo, “não custa nada você assistir  a um filme que ela gosta uma vez outra”, porém, “assistir sempre o filme que ela quer no intuito de ser companheiro” já é exagero. Sem contar que isso não irá te agregar valor, mas sim quem sabe parecer um amansado que tem tanta baixa autoestima que topa fazer qualquer coisa só para não perder quem você ama (inclusive perdoar vários chifres, né?!). É necessário sempre seguir o caminho do meio. Sem contar que, para ajudar a manter o interesse de uma pessoa em você, você também tem que abranger fatores sexuais e de conquista que vão além de ser uma boa companhia. Do contrário, você morrerá como o fofuxinho que a pessoa adoraria sentir desejo, mas não consegue e acaba procurando uma emoção extra na rua. Ela está certa em fazer isso? Não! Tudo isso que disse ao decorrer de todo esse texto justifica a traição? Também não. MAS é o que as pessoas fazem e temos que aprender a lidar com isso – se não for para sair totalmente da zona de risco, que seja pelo menos para amenizá-la.

2- Que tipo de pessoa você procura:

Não adianta ser um príncipe se você não se atrai por princesas, mas é chegado em um amor complicado ou até mesmo em uma chave de cadeia, né? O povo fala que mulher tem talento pra malandro e cafajeste, mas vocês homens às vezes se apaixonam por cada biscate, por cada cada tranqueira que dá licença! Ás vezes a menina já deu para todos os seus amigos, ou já deixa claro que  nem está tão apaixonada e mesmo assim vocês ficam lá esquentando a batata com esperanças de que um milagre aconteça e ela comece a gostar – de forma suficiente – de vocês. Sem contar que às vezes a mulher nem é biscate: ela só não está muito afim mesmo e, como é egoísta, faz muita coisa sem pensar em você.

Mas enfim, tudo isso dá na mesma no quesito “repense!”.

Há também aquelas mulheres que nem disfarçam muito que traem e mesmo assim vocês ficam “cegos”, só abrindo os olhos quando a merda já foi para o ventilador.  Se você for parar para pensar, tem mulher que desde sempre já deixou claro todas as pistas negativas possíveis: do tipo saía e vivia deixando o celular desligado, tinha tempo para muita coisa, menos para você, estava sempre ocupada, com sono, com dor de barriga  e qualquer coisa que a colocasse um pouco mais distante e você nada de se tocar…

Não tem como plantar cactos e esperar que nasçam rosas e é justamente por isso que está passando da hora de refletir a respeito de cada pessoa que você namorou. É duro ter autocrítica, mas esse é um mal necessário a se pensar a fim de que você melhore de vida. Se não for para parar de ser corno, que pelo menos tome ciência de algumas coisas, né?!  

Depois de refletir a respeito das opções que levantei, não tenha dúvidas de que você terá que mudar algo: ou o seu dedo podre, ou o seu comportamento. Se puder fazer um equilíbrio entre as duas coisas, melhor ainda. Se você não pode mudar o mundo e a cabeça das pessoas, comece pelo o que você pode melhorar na sua vida e em você mesmo.

Minha teoria sobre cafajestes:

Assista ao vídeo “Você tem medo de ser traído(a)”?! Aproveite e assine o Canal para não perder nenhuma atualização =)

Aconselho também a leitura do post: Por que as mulheres traem?

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.