Eu trabalho, meu marido administra todo o meu dinheiro e fala que ele é quem manda!

59

Leitora: Tenho 28 anos e meu marido 27, no total de namoro e casamento estamos juntos há 2 anos e 2 meses. Ambos trabalham e há exatamente 1 ano e 9 meses que ele “administra” meu dinheiro, nem com o cartão do banco eu fico, na verdade nem com 10 centavos, qualquer necessidade que eu tenha preciso PEDIR a ele. Minha mãe me pediu ajuda pra pagar um remédio e ele não deixou, pois disse que tava apertado, há vários meses que reclamo da minha vista que preciso fazer um exame e ele sempre empurrando pra frente. A questão é: caso fosse pra mãe/pai ou principalmente pro carro dele, tudo é de imediato… ele ontem me falou a seguinte frase: “O homem tem sempre que ser lá em cima e a mulher lá em baixo, a opinião do homem tem sempre que ser a última“. Não sei se posso acreditar que ele irá mudar, pois ele mesmo já disse: “SOU ASSIM E NÃO VOU MUDAR E AINDA POSSO SER PIOR“, afinal, milagres acontecem? Ou acabo o casamento? Me aconselha.

Eu trabalho, meu marido administra todo o meu dinheiro e fala que ele é quem manda!

Paraaa tudo! Como assim ele fala que ainda pode ser pior e que é ele quem manda em tudo??? Meus Deus, acho que nem antigamente tinha homem tão besta assim, pra não dizer outro nome. Amiga, no título do seu email você colocou “Meu marido é altamente machista“, só que no meu mundo isso não se chama homem machista: se chama homem conveniente e gigolô. Não posso acusá-lo de estar fazendo isso conscientemente, mas é o que acontece na prática e cá para nós, muito porque você deixa, né? Se ele é machistão mesmo, por que ele não te sustenta e só ele trabalha?  Não que eu ache isso certo, mas sim que, no meu mundo, você trabalhar e dar todo o seu dinheiro pra ele são duas coisas: você é boba, e ele é espertinho. Você não tem medo de um dia ele cascar fora com o seu dinheiro, não? E como assim ele está apertado e usa o SEU dinheiro? Minha amiga, o seu dinheiro é o seu dinheiro, o dele é o dele, e por mais que vocês sejam casados e dividam tudo, isso não implica ele literalmente te deixar em uma prisão financeira. Eu já vi de tudo nesse blog, mas é a primeira vez que vi um homem tão cara de pau assim.

Ele é TAMBÉM uma pessoa machista, mas isso só depois de TAMBÉM ser gigolô e conveniente. Eu sinceramente não acredito em milagres, não com um homem desses. Também acho que não é ele quem tem que mudar, mas sim você que não pode aceitar e se subestimar tanto. Sem contar que se você dá o peixe na boca dele, para quê ele vai querer pescar? Ele pega seu peixe e ainda tira onda de pescador chefe de família: ou seja:

Palha-assada

Sem contar que cá para nós: você não se sente escrava em trabalhar e não poder nem ver a cor do seu dinheiro e ainda por cima viver com a má vontade dele, como se ele tivesse te fazendo um favor em liberar o que é seu por direito? E o pior é que ele age como se nem gostasse tanto assim de você. Como assim você precisa fazer exames e ele não quer liberar um trocado nem para isso? Se você vivesse às custas do dinheiro dele, ele já teria que pagar por uma questão de amor e por querer o bem estar da mulher que ele ama. Se você tem o seu próprio dinheiro e mesmo assim ele não libera, é o cumulo do absurdo, não acha não? Ele incorporou que o salário dele é maior do que realmente é e isso é bizarro. É como se eu pegasse o salário do meu pai e gastasse como se fosse o meu. Preocupante…

Você faz o que quiser e a decisão final é sua: aqui a gente só opina, mas eu no seu lugar primeiramente daria um jeito de saber sobre como me proteger de alguma possível violência dele em caso de vocês se separarem – seja agressão verbal ou não verbal. Sendo assim, a primeira coisa que eu faria é procurar um advogado, que pode ser inclusive do governo (gratuito). Nisso eu contaria toda a situação para ele, falaria que tenho medo e que também quero saber como fazer para reaver o meu dinheiro sem correr risco de vida (sim, posso parecer exagerada, mas o seguro morreu de velho e o máximo que irá acontecer é você ter se precavido e graças a Deus não ter te acontecido nada, né?). Depois disso, eu procuraria pensar onde eu iria morar: conversaria com amigos e familiares e assim já decidiria a melhor forma. Por fim, depois que eu tivesse totalmente segura e com o meu plano A, B, C, D, E e  o que mais for necessário em vigor para a minha segurança, eu daria um pé na bunda bem gostoso nele.

E claro que depois dele já saber que eu queria o meu dinheiro, bem como a minha liberdade e felicidade de volta, eu nunca mais voltaria a pisar na casa onde ele está sozinha, mas sim apenas acompanhada de pessoas de minha confiança – de preferência homens. Tudo isso parece exagero, mas caso você decida terminar e se você concluir que ele não daria o seu dinheiro “numa boa, só com você pedindo e sem violência”, o jeito é fazer de um jeito que garanta todos os lados da sua segurança, né? Você em primeiro lugar.

Enfim, eu só dei uma ideia e quem decide é você, mas não me espantaria saber que você está aceitando toda essa situação por estar com a autoestima extremamente baixa. Mesmo que você afirme amar esse homem: você concorda que se você se amasse um pouco mais, você jamais aceitaria, tampouco conseguiria amar, alguém que faz isso com você? Sei que nem sempre escolhemos quem amar, mas para tudo tem limite, concorda? Se for realmente isso, não sei se você teria forças para colocar em prática certas dicas que dei por aqui e que porventura você tenha concordado. Se for o caso de você (ainda) não se sentir preparada, tudo bem e eu te respeito. Sei que não é fácil para todo mundo se desvincular de certas situações, mesmo as destrutivas como essa. Assim, faça da forma que você se sentir melhor: se você quiser procurar forças externas antes de tomar uma decisão, seja ela qual for, faça isso.

Só peço para que você não desista da sua felicidade: procure terapia, psicólogo, ajuda de pessoas que você confia e o que mais for necessário para ter de volta a sua autoestima. Aí, depois que você se sentir mais forte, quem sabe você finalmente não toma a atitude que você considerar correta? Busque seu respeito e sua felicidade de volta, bem como a sua independência acima de qualquer coisa. A questão não é só dinheiro, é muito além disso: é ter o direito de andar ao lado da pessoa que você se casou, não atrás dela, entende?

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.