Fico com uma mulher que tem filho, mas não quero ter essa responsabilidade!

281

Leitor: Olá Luiza, tenho 27 anos e estou saindo com uma moça há uns 5 meses, ela é linda, super gente boa e estou realmente afim de levar esse relacionamento a outro nível, mas existe um problema: ela já tem um filho de 4 anos. Ela tem 25 anos e quando ficou grávida não tinha um relacionamento estável com o pai da criança, ou seja, o cara assumiu o filho, mas eles não mantiveram uma relação de casal. Ela diz que ainda não está preparada para assumir um namoro, que mesmo que goste de mim, sua atenção tem que estar voltada ao filho. Já deixamos de sair porque ela não ia ter com quem deixar o menino, já tive que buscá-lo na escolinha algumas vezes. Poxa, isso quem deveria fazer é o pai e não eu! Por causa de tudo isso fica difícil acreditar que conseguiremos ter algo sólido. Meus amigos dizem que devo pular fora, mas eu gosto muito dela o problema é que não quero assumir a responsabilidade sobre uma criança que não é minha! Estou muito confuso, não sei o que fazer, devo me afastar dela? Me ajude por favor… Abraços.

Fico com uma mulher que tem filho, mas não quero ter essa responsabilidade!

Mas será que ela não está falando que não está preparada para assumir um namoro porque percebeu que bom candidato para “pai” você não é? Meu amigo, coloque uma coisa na sua cabeça desde já: se você quiser a mulher, vai ter que levar o filho, não tem escolha, nem opção! Só se ela fosse uma mãe muito desleixada, o que não é o caso. Sendo assim, é tudo um kit só, sem essa de “ah, mas o filho não é meu e meu relacionamento é com ela!”. Para uma mãe, o filho virá sempre em primeiro lugar – e mais do que isso, é parte incondicional dela. Se você está pensando em ter algo sério com essa mulher, é bom você já se acostumar com a ideia de ajudá-la sim na criação, mesmo que seja apenas com uma coisa ou outra, do filho que não é seu. Com criação eu quero dizer literalmente qualquer coisa: ajudá-lo a comer, ir para a escola, passar o dia das crianças, visitar a casa da avó, tirar dúvida em alguma tarefa, etc.

Você acha mesmo que se vocês tivessem um relacionamento sério, ela iria conseguir dividir tudo entre vocês? Ainda mais se tratando de uma criança de apenas 4 anos? É claro que não! Tudo bem que você nunca será o pai da criança e isso é óbvio, mas cuidar dela passará a ser sua “obrigação” a partir do momento que você quiser assumir a mãe. Fofoca básica entre nós: quer conquistar uma mulher que tem filho? Conquiste a criança que você já terá meio caminho andado com a mulher, rs!!! Do contrário, se você começar a ser egoísta e achar que só porque ele não nasceu do seu saco (rs), você não tem nada que ter trabalho e dor de cabeça, aí meu amigo, é só você procurar outra porque essa daí não vai te dar essa moleza toda de mulher sem filho não!

Filho pequeno tem problemas da idade, não pode ficar sozinho e, por mais que ele tenha avós e família em geral, a maior responsável sempre será a mãe: ou seja, você entendeu, né? Outra coisa é que, mesmo que seja de forma inconsciente, a partir do momento que uma mãe solteira assume algo sério com alguém, é óbvio que ela esperará que o parceiro a ajude nessa parte também, nem que seja com o mínimo. Bem, pelo menos é o que eu esperaria no lugar dela! E isso não é nem questão de querer “te explorar”, “se folgar” ou sei lá o quê, mas sim porque independente da pessoa ter tido um filho com 15, 20 ou 30 anos, ele continuará sendo uma parte eterna de quem o colocou no mundo. Sendo assim, se você quer levar isso adiante, é óbvio que ela irá querer que você também tome par das coisas, e de cara boa, viu?!

Entendo que não é legal ter que ficar buscando criança na escola: acredite, até pai de verdade às vezes enche o saco porque quer dormir, etc, rsrs, mas você entende que justamente por amá-la, você terá que agradar a criança também? Se um dia vocês forem morar na mesma casa, você vai fazer como? O menino vai passar mal e você vai falar que o problema não é seu porque não é seu filho biológico? Isso inclusive irá ofender a mãe dele.

Eu penso assim: você não é obrigado a assumir um relacionamento com ela, mas a partir do momento em que você assumir, acho que não só ele, como você também, será muito mais feliz a quando você considerar a criança como parte sua também. Não duvido nada que se você se libertar para conhecê-lo melhor, você vai é se apaixonar e já já vai considerá-lo como um filho de coração.

Você não pensa que pode ser legal jogar videogame com ele? Ensiná-lo alguma coisa? Fazer coisas “de homem”? (só não vá apresentar pornografia para o menino kkkk). Sei lá, não é só porque ele é filho de outro que você não poderá ser uma pessoa presente com ele. E se na pior das hipóteses não der certo e vocês acabarem terminando, pelo menos você deu uma força no crescimento de uma criança!

Entenda que filho extra é que nem sogra: não tem como se livrar! Se é assim, é como diz a Vanusa:

aceita que dói menos

(desculpa, mas tô viciada em memes kkk).

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.