Meu namorado é gente boa, mas só dá migué na hora de estudar e trabalhar!

59

Leitora: Luiza preciso muito da sua ajuda, de uma terceira opinião. O caso é o seguinte: tenho 23 anos e estou saindo com um rapaz de 25 há uns 2 meses, ele é lindo, gente boa mas é um vagal! Não trabalha e nem estuda, diz que ainda não está preparado ou que não sabe qual profissão quer para sua vida. Quando vamos sair, ele pede dinheiro para os pais ou pior, eu tenho que pagar tudo sozinha! Trabalho como estagiária então não tenho um bom salário, além do mais, preciso pagar minha faculdade. Não sou mão de vaca mas me incomoda muito essa situação, pois penso que se já está assim em poucos meses, imagina então em um namoro mais sério! Quando conversamos sobre isso ele sempre dá um jeito de desconversar, diz que está difícil arrumar emprego, concordo que está mesmo mas ele nem procura! É uma boa pessoa, gosto de estar com ele, mas ele é muito acomodado… Minhas amigas dizem que ele não vai mudar e que eu devo terminar com o ”encosto”. O que você acha?

Meu namorado é gente boa, mas só dá migué na hora de estudar e trabalhar!

Minha filha, nem se você fosse a “Silvia Santos”! Conversa fiada essa de ficar sustentando homem, ainda mais ele que já tem vocação pra ficar dormindo em serviço, se você der o travesseiro aí que ele capota mesmo! Não tem essa de “eu ganho pouco”, você não é mãe de teta pra ele ficar te mamando não. Sem contar que ainda que ele goste do bem bom, aposto que ele também te admiraria caso você não deixasse ele ficar tanto na sua aba, do tipo “minha mulher é gente boa, mas não é boba não”, rs. Sinceramente não sei se ele terá tempo pra pensar na sua importância e até mesmo na importância dele se coçar enquanto você e a mãe dele ficarem cobrindo buraco, sabe? É que nem filho mimado que não sabe a importância da família até ter que morar fora, se f*** um monte e saber que tudo precisa de uma atitude direta dele pra acontecer – afinal de contas, as coisas não “surgem do nada”, sabe?

Meu conselho é: se tal como você mesma disse, você já tentou conversar com ele sobre isso e ele desandou o assunto, agora só te resta ser mais direta ao ponto. Fale não só que você é estagiária e ainda tem que pagar a faculdade, como também que não é certo, né? A meu ver, o problema maior não é nem ele ou você pagar a conta, mas sim a vida sedentária que ele leva. Não tem grana pra sair? Não saiam, oras! Ele precisa saber que se ele não tem grana, você também não vai sustentar menino buchudo! Vão para um lugar que não precisa pagar muita coisa, tipo filar boia na casa da mãe dele (essa foi brincadeira só pra descontrair kkk), ou então comprar algo no mercado e fazer em casa, sabe? A grande questão é saber se você é do tipo de mulher que seria feliz assim. Tem mulher que é “mais simples” nessa área. Ou seja, desde que tenha comida na mesa, tanto faz de onde ela veio. Já outras não, gostam do ritual de se arrumar, sair, conversar num ambiente ao ar livre e conhecer novos restaurantes. Se você for tipo a segunda, aí minha amiga, o papo tem que ser mais sério ainda, porque não dá pra levar com a barriga e ser infeliz. Sem contar que se for pensar bem, até se você for o estilo “mulher simples” haja simplicidade para viver com um parceiro que não tem um puto no bolso, né!? Nem pra comer pão velho sai de graça e infelizmente precisamos de dinheiro para manter a dignidade.

Ah, mas como vou dizer o que tenho que dizer?“. Dizendo, oras! É tudo mais simples do que você imagina! Fale que você precisa de alguém para caminhar junto com você, que você quer um homem maduro, que saiba ter e medir responsabilidades, que sabe que até o mendigo precisa pagar por um café que nem sempre será doado, etc. Claro que você pode usar outras palavras que você considerar que cairão melhor ao contexto e ao estado de espírito dele, mas você tem que dizer!

Se você notar que mesmo depois de tentar ir pra prática e estimulá-lo a ser menos folgado ele continuar parado no ponto, aí minha amiga, cabe a você saber que ele não vai mudar, que foi sincero contigo e mais, que ele está feliz assim. Cada um tem seu momento de crescer e infelizmente o seu momento não necessariamente baterá com o dele. Daqui a alguns anos com certeza ele vai se tocar e morrer vergonha do encosto que ele foi, o duro é você achar que vale a pena esperar até lá. Sendo assim, nem precisa dizer que aí são os incomodados que se retirem, né?

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Late que eu to passando

    Como assim colega tú tem paga as saidas? Ah isso eu nao admito..pra mim o homem é que tem que paga e se acha ruim dou um barraco kkkkkk não querida isso nao tá certo!!

    http://lh3.ggpht.com/-GHdGmP4Gi-I/TpD0uJLybJI/AAAAAAAABjM/D3a0j9a4KCE/s400/opa%25252Copa%25255B1%25255D.png

  • wana

    Afinal, ele é namorado ou filho ? Moça, quem tem filho grande é baleia ou elefante. Sai fora que este vagabundo é tremenda furada.

  • Lemon

    Não vejo problema na mulher pagar as saídas contando que isso acontece intercaladamente onde o homem também pague ou então dividir. Nesse caso você está bancando tudo e isso é horrível pois assim como os pais dele você está sustentando um folgado! Esse é mais um da tal Geração Nem-Nem (da novela) nem estuda e nem trabalha rsrs

  • Miguel

    Já fiz um trabalho sobre o comportamento de gêneros relacionado ao dinheiro e existem 4 tipos de situação: 1. Quando o homem prefere assim 2. Quando a mulher prefere assim 3. Quando os dois preferem assim 4. Quando nenhum dos dois preferem assim e o desenvolvimento de cada um é por vezes relativo.

    Acontece que todo homem tem um orgulho dentro de si sobre a mulher bancar algo para ele, mas muitos não pensam assim e até preferem viverem às custas da mulher e isso nem sempre é um fator socioambiental ( no caso a criação dos pais) e sim da própria personalidade da pessoa, o que eu quero dizer é que ele não precisa ser necessariamente um vagabundo, que isso é mais uma característica dele que não vai muda e nem você conseguirá moldar. Agora minha opinião pessoal é a de que ninguém merece ficar nesse tipo de relação quando não está preparado, devemos preservar nossa sanidade mental (e financeira), ou seja se você não está feliz e já notou que não haverá mudanças então parta para outra. Boa sorte

    • Late que eu to passando

      Ta dizendo que se encontrar um tipo desses pela frente tenho que me conforma com o fato dele ser vagabundo? Ai nao isso tá errado querido…

      • Miguel

        Não, o que eu estou dizendo é que existem muitas pessoas que não tem mesmo aptidão para nada e acabam se encaixando nesse estado de inércia, lógico que existe gente folgada mesmo mas falando de modo psico social é mais ou menos isso que eu disse.

        • Late que eu to passando

          Ah entendi eu mesma não trabalho pois estou fazendo cursinho pra vestibular então me dedico só a isso!

          • Miguel

            Eu também não trabalho aliás nunca tive um emprego porque entrei na faculdade com 18 anos e lá estudo em tempo integral então nunca trabalhei só vou fazer isso depois de formado e na minha área.

          • Late que eu to passando

            Ai pode deixa que eu te sustento, te banco a vida inteira se você quiser!!! Não curto ser pra frente, mas você é uma delicia!

          • Miguel

            Tá valeu a oferta mas já cansei de dizer que tenho namorada!

          • Late que eu to passando

            E daí? nao quero nada com ela quero com vc uai!

          • Miguel

            Ou você está de zoação ou é mesmo muito doidinha! kkk

          • Late que eu to passando

            doidinha porque? vc nao me viu doida ainda..

          • Miguel

            Porque você fica dizendo essas coisas quando nem me conhece pessoalmente! Você me vê pela foto me acha bonito e pensa que por isso pode dá em cima de mim é no minimo engraçado kkkkk

          • Carlos

            Miguel vc é a prova das “verdades” que a turma dos ressentidos tanto tenta provar. Um perseguido num mar de rejeitados…

          • Miguel

            Pois é mas não posso fazer nada né?

          • Só de passagem

            o cara bonito sai em vantagem, o que não quer dizer que um feio com outras qualidades não possa surpreender. Muitos aqui tentam ajudar, pena que eles continuam isolados nesse mundo, só deles. Apenas alguns mostram interesse em melhorar.

          • Incorporado

            Concordo. Mas o problema de ser feio é a dificuldade em conseguir o primeiro contato, ter a oportunidade de mostrar as qualidades. Pois ainda existe muito preconceito com quem é fora do padrão estético: http://www.gazetadopovo.com.br/posgraduacao/conteudo.phtml?id=1202961

          • Gabriel França Voitch

            Feio e tímido entao fudeu kkjj

    • L

      Sim Miguel concordo que ele ser desse jeito é algo dele que ao que tudo indica não vai muda mas acho que o fator ambiente influencia muito! Ele é assim por causa da criação dos pais que não exigem que ele se mexa e que ficam bancando a vida boa dele em casa e nas baladas.

      ps. também faço faculdade de Psicologia estou no 2º ano e não tenho ideia em qual área vou aplicar você já fez alguma especialização?

      • Miguel

        Como eu disse nem sempre é o fator principal.
        Vou me especializar em Psicologia Jurídica mas você ainda está começando não precisa pensa nisso, deixe a especialização para o quarto ano.

  • Vince

    Eu trabalho, pago minhas contas e sou gente boa. Só não sou lindo. Se servir pra você estamos aí. Beijo me liga

    • Late que eu to passando

      Se vc nao é bonito desista!!

      • Vince

        tu é o magnífico fingindo que é mulher né? kkkkkkkk

        • Só se ele curtir homens pq a late adora o Miguel kkkk

          • Carlos

            Mas do jeito que o Mag fala delas… não sei não. Aquele com certeza Late mas não morde…

          • Gabriel Jaques

            Ela é esperta não é? Quem tem interesse e quer algo corre atrás.

            Hahahaha

        • Late que eu to passando

          Tá doido?! meu nome é Bianca e sou mulher querido nao tenho nada a ver com aquele chato

    • L

      Obrigada muito fofo da sua parte 🙂

  • Mulhermorena

    Eu nem perderia meu precioso tempo conversando com esse vagabundo simplesmente colocaria um ponto final e iria viver a minha vida, não quero alguém pra me sustentar e nem pra ser sustentado mas sim pra somar comigo, solta esse folgado na banguela!!

  • Edu

    Ele não está errado…….quem está são os pais e agora vc sustentando mais um vagabundo.
    essa indecisão é aceitável pra quem está com 16 ou 17 anos…..agora 25….faz favor né.
    fuja que é cilada.

  • Klaus

    2 meses e voce já tá bancando tudo?! pula fora que esse barco é Titanic….

  • Baby Lemonade

    Vai por mim,homem vagabundo é um atraso de vida!Caia fora enquanto é tempo e o teu sentimento por ele não está tão “enraizado” ainda.Um cara com 25 anos já era para estar encaminhado na vida,mesmo que ainda não estivesse “super estabilizado” profissionalmente ou financeiramente.

    • Paula

      Um cara de 25 anos que tá só estudando pra concurso em um alto cargo público, sendo que ainda nem saiu o edital do concurso dele e ele ganha mesada dos pais seria oq? Aliás, Luiza, sugiro um post para indicar os prós e contras de namorar um cara que estuda para concursos públicos, já que, em parte das vezes, eles não trabalham e vivem de mesada e isso pode ser bem complicado para uma mulher que trabalha e ganha o suficiente.

      • Baby Lemonade

        Ok,só que não é o caso do namorado da leitora,QUE NÃO FAZ NADA DA VIDA.Na minha opinião,um concurseiro “está perdoado” por não se enquadrar nessa categoria never.Quem estuda(seriamente) para concurso passa por muitas privações não só no aspecto de grana e sim social também,já que precisa abrir mão temporariamente do próprio lazer e prazeres para ficar focado em um objetivo maior no qual proporcionará uma mudança drástica de vida para melhor.É puxado administrar um relacionamento com essas divergências que você citou,mas acredito ser possível sim o casal caminhar junto,sem um “sugar a energia” do outro.Resta a pessoa avaliar se o parceiro concurseiro está realmente se esforçando,já que uma aprovação em um concurso público e o prazo para ser chamado( em média 2 anos ) leva tempo e é necessário bastante investimento e dedicação aos estudos para esse objetivo se concretizar o mais breve possível.

        Vou exemplificar um caso de família:meu irmão do meio começou a namorar a minha cunhada quando ainda era apenas um concurseiro e vivia de mesada (mesada curtinha por sinal,já que o nosso pai era super “amarrado”,rsrrs).A família dela foi super contra o relacionamento dos dois,pois o acharam “meio vagabundo” por estar perto dos 30 e ainda não estar plenamente estabilizado na vida(ele tinha abandonado dois cursos superiores,não havia se encontrado ainda na parte profissional).Só que ela e ele batalharam para ficar juntos,mesmo com todas as privações de grana e momentos de desânimo que o meu irmão enfrentava de vez em quando.Hoje em dia ele é um bem sucedido gerente de uma agência do Banco do Brasil(concursado) e está organizando o casamento com a minha cunhada.Tudo na vida depende do preço que estamos dispostos a pagar pelas nossas escolhas,que podem ser bem sucedidas ou não.No caso deles,a escolha de ficarem juntos haja o que houver foi muito feliz. 😉

        • Paula

          Que bom que terminou bem! Fico imaginando o quanto deve ser difícil pra mulher que passa um tempão de privação de grana com o sujeito pra ele, depois que passar num concurso, dar um pé nela (sim, já soube de um caso desses). E já que existe esse risco sempre, continuo defendendo que seria uma boa ideia para um post. Abs. 😉

  • Carlos

    Cara leitora, justamente aqui, onde tantas coisas que desafiam as convenções são expostas, discutidas e aceitas por quem se auto denomina liberal, vc está ouvindo um coro unânime de reprovação à atitude (ou falta) de seu namorado. Não é tão antigo assim, mas um Homem sustentar uma Mulher era a regra, e então o mundo continuou seu caminho e isso mudou. Mas se mesmo ouvindo dos que estão próximos a você, ainda quis mais uma confirmação, perguntando aqui, fica para mim uma dúvida? Você se importa realmente com o jeito do seu amor, ou é o lado social, que toda relação tem, que te preocupa? O que te incomoda não seria o julgamento das pessoas que vão te considerar inferior por se “sujeitar” a viver com um desocupado? Não é curioso que a Luiza, e tantos outros, condenem veementemente a vagabundice de seu namorado, mas aceitem a opção de pessoas que comem merda, maridos que desejam que sua esposa sejam traçada por outros ou homens que querem ser enrabados por uma mulher?
    Essa característica dele não deve ter sido descoberta por vc depois do namoro. Há algo nele que te agrada muito…

    Mas tudo isso foi apenas um exercício especulativo, mais uma reflexão genérica do que uma análise do seu caso.
    E o que este Homem, escondido sob esta carranca pensa?
    O nome de seu namorado é Gigolô, e a mulher apropriada para este tipo é a puta.
    Vc é estagiária e universitária, portanto ganha pouco de um lado e gasta muito do outro. O ideal para viver com seu Homem é ser uma GP e tirá-lo da humilhação de ter quer ser sustentado pelos pais e colocá-lo sob teu teto.
    Achou ultrajante a minha sugestão? Responda uma coisa então: Porque uma jovem mulher aos 23 anos e que ainda está sonhando e lutando para ser alguém, aceita ser tocada e vista ao lado de uma pessoa que é, mas não ambiciona deixar de ser, um ninguém?

  • Mika

    Leitora,
    Antes de aconselhá-la a meter o pé na bunda desse seu namorado vagabundo vou lhe contar uma historinha…
    Quando eu tinha 19 anos e estava no segundo ano da faculdade perdi quase um ano de aulas por conta de uma forte depressão. Eu estava sem emprego, sem um centavo no bolso (o dinheiro que meu pai ganhava só dava pra pagar as contas), sem vontade de sair, com a autoestima baixíssima, me achava feia, sem qualquer atrativo, sem talentos e sem competência pra realizar qualquer atividade, sem amigos, sem namorado e não conseguia ler um único parágrafo de um texto (sabe quando você precisa reler cada frase umas 10 vezes porque sua concentração é zero?). Foi uma fase muito difícil da minha vida. Hoje, quando penso nessa época, o que me vem à mente é que me faltou uma coisa muito importante: uma palavra de estímulo e conforto. Se eu tivesse tido o apoio da família, dos amigos, de um namorado, ou até mesmo de um psicólogo, meu sofrimento teria sido muito menor e, certamente, teria saído dessa situação bem mais rápido.
    Não sei se esse seria o caso do seu namorado. Antes de criticar, talvez fosse aconselhável observar se ele possui alguns comportamentos típicos dos depressivos (e não é muito fácil detectar, porque nem sempre a postura é reativa e desanimada). Apenas tome cuidado pra não fazer uma avaliação precipitada, porque muitos depressivos sentem vergonha dessa condição e se tornam especialistas da camuflagem.
    Resumindo: Vale a dica da Luiza. Antes de pular fora, converse com seu namorado. Descubra se ele não passa de mais um mimadinho que não gosta de pegar no batente, ou se existe a possibilidade de algum problema mais sério que ele não esteja conseguindo resolver, nem está conseguindo se abrir com você. Mas nunca se esqueça de que você deve sempre vir antes. Não perca seu tempo tentando remendar o que não tem conserto.
    Felicidades!

    • Fabiana

      Adorei o seu conselho. Sábias palavras. Já passei por uma fase parecida com a sua e também foi durante a faculdade. É bem assim mesmo: a gente se sente um lixo de pessoa sem vontade nem de abrir a boca pra conversar. Talvez seja o caso dele e ela ainda não percebeu. Vai ver, falta estímulo. Eu no lugar dela, em vez de ficar só cobrando atitude dele, ajudava ele a procurar emprego, mostrava as opções pra ele, faria até teste de vocação profissional com ele. Sei lá, qualquer coisa. Se ela gosta mesmo dele, se ela tem carinho por ele, ela pode muito bem ajudar de todas as maneiras possíveis. Mas, como muita gente aí falou, não dá pra sair pra lugares caros se é só ela que paga os passeios. Eu iria preferir ficar em casa e curtir um filme no computador, comendo pipoca ou brigadeiro. Quando a gente gosta, mas gosta de verdade da pessoa, da companhia dela, qualquer programa tá valendo.

    • Baby Lemonade

      Excelente conselho,Mika.Eu não havia refletido a respeito sobre essa outra possibilidade também,e depressão é uma doença muito comum hoje em dia.Tomara que esse rapaz tenha jeito 🙂

    • L

      Olá Mika obrigada pelo conselho.
      Então ele não tem depressão e nem o perfil ele é folgado mesmo haha
      acho que isso tem haver com a criação, ele é o filho mais novo e o único que ainda mora com os pais, os outros irmãos já são todos casados, os pais já tem uma certa idade então não acredito que ele tenha problemas emocionais ou de autoestima. Ele deixa claro que está satisfeito com sua condição.

      • Mika

        Bom, dois meses já dá pra uma pessoa observadora como você sacar qual é a dele.
        Infelizmente, pessoas assim são muito comuns hoje em dia. E na maioria dos casos é culpa dos pais. Seja forte e pule fora antes de se envolver mais.
        Felicidades… e faço coro com o Wana… melhor sorte na próxima!

    • É Mika, cada resposta sua me deixa mais fascinado e com vontade de voltar aqui no blog diariamente, para ler e ouvir as discussões propostas pela Luíza, que é de extrema inteligência e sabedoria e principalmente a interatividade e a inteligência que você se porta ao comentar e tentar ajudar cada um quem vem ao blog. Você está de parabéns por suas colocações pessoais e interpessoais. o/.

    • Fabiana A

      Olá Mika, sei que essa resposta foi direcionada à leitora, mas gostaria de lhe fazer a seguinte pergunta: vc se lembra como conseguiu reverter essa sua situação na época? Vc tomou alguma atitude ou conheceu alguém que lhe ajudou à olhar a vida de outra forma?

      • Mika

        Oi, Fabiana A.
        Como eu disse, não tive ninguém que me ajudasse naquele momento. Acabei reagindo e, devagar, fui saido dessa fase. Eu era muito tímida e não conseguia me abrir com ninguém. Só depois de muito sofrimento é que uma pessoa com depressão admite isso publicamente e pede ajuda. E esse é um dos nossos maiores erros. Não devemos esperar tanto. Se esse é o seu caso, procure um psicólogo ou uma pessoa de sua confiança, que seja mais velha e com mais experiência de vida, e conte o que se passa.
        Abraços!

        • Omagnífico

          Acho que não somos tão diferentes, eu e você. Exceto, é claro, pelo presente.

        • Fabiana A

          Olá Milka. Entendi, obrigada pelo retorno. Eu vou lhe enviar um e-mail contando o que ocorre e agradeço desde já pela atenção. Abraços.

          • Fabiana A

            Desculpe, digitei errado. Mika.

    • Manu

      Mika, como vc superou isso? Pq sinto q tbm estou passando exatamente pela mesma fase q vc, tenho 19 anos e por conta de umas reprovações na faculdade estou mt depressiva, sei q pode parecer tosco esse problema mas estou mt triste por isso, sem animo pra nada,se sentindo inutil. Só tenho colegas na sala então n tenho com qm pedir conselhos minha mae é a única q eu tenho afinidade mas ela diz q isso é bobagem, ng nunca leva a sério qd a gnt diz q ta triste, como vc passou dessa fase?

      • Mika

        Manu,
        A primeira coisa que você deve fazer é identificar o problema. São só as reprovações que a fizeram ficar triste, ou elas são o resultado de uma tristeza que tirou a vontade de estudar? Limitação intelectual você não tem, senão não estaria fazendo um curso superior. Se as reprovações foram por ser um curso “puxado”, reduza o número de matérias até melhorar a parte psicológica. Se elas ocorreram devido à falta de vontade de estudar, eu pergunto: Acha que está no curso certo? É o que sempre quis ou ainda não sentiu esse tão esperado “chamado vocacional” e escolheu este porque parecia interessante ou financeiramente promissor? Ou será que é o contrário, escolheu algo interessante, mas desanimou porque percebeu que terá poucas chances de exercer a profissão nessa área? Eu não tenho uma estatística sobre isso, mas acredito que mais da metade dos jovens na sua idade ainda não encontrou sua verdadeira vocação. Portanto, se esse é o seu caso, não se envergonhe de desistir e recomeçar (quanto antes, melhor pra você). Uma decisão bem pensada tira o peso dos seus ombros e já pode resolver o problema do desânimo.

        Mas vamos abrir o leque de opções… Você faz a faculdade, mas não tem nem vontade de ir pra aula… está infeliz sem saber porquê, não vê graça em nada, ama sem ser correspondida, o mundo parece cada vez mais fútil e injusto, está se afastando dos amigos, não tem com quem se abrir ou tem vergonha de se abrir por medo de ser ridicularizada, tem sentimentos negativos em relação ao seu potencial e capacidade… Se tem boa parte desses sentimentos, lamento informá-la que seu problema é um pouco mais sério do que sua mãe pensa. Você está com depressão e precisa, sim, de ajuda.

        A ajuda pode vir de várias formas, mas acho que a principal deve vir da sua mãe. O apoio dela é imprescindível e agilizará o processo. Talvez ela a veja como a filhinha que ainda não cresceu. Mude o tom e o local da conversa e ela irá perceber que você quer uma conversa séria e não aquele nhenhenhem típico de adolescente quando quer um celular novo.
        Um psicólogo seria de grande valia: Ele ajuda a encontrar algumas respostas “encruadas”…
        Autoconhecimento é básico: Procure conhecer suas limitações, aspirações, medos, sua força de vontade em sair dessa (você é o elo mais forte dessa corrente).
        Procure se distrair, mas não force muito. Se for pra sair e se sentir pior, melhor ficar em casa (só não pode virar eremita, ok?!).
        Mude de ponto de vista. Duvide das próprias crenças. Doe-se. Pratique o bem. Faça ação social. Coloque-se no lugar do outro. Tenha pelo menos uma grande meta positiva. Em suma: Tente ver o mundo de forma diferente e desvie o olhar do próprio umbigo.
        Encare seus problemas atuais como uma fase apenas. Acredite, vai passar!

        • Manu

          Eu tenho exatamente esses sintomas,acho q só qm ja teve msm sabe como é. Mas eu nunca falava isso com ng pq achava q isso era futilidade da minha parte ficar triste por essas besteiras, e tb q n tenho com qm desabafar msm, por isso vim falar aqui.. O problema são mais as notas mesmo, pq solidão eu tipo nem ligo já sou acostumada com isso e meu tipo no colégio(e facul tb) era sempre o quetao msm, nunca fazia amigos nem nd, namoro entao eu n tenho nenhum exp e nem crio expectativa, mas ao menos eu era a melhor nas matérias e isso ja bastava. Ai qd vim pra faculdade, reprovo em 2 -_- eu ñ era triste, era só conformada e parece q isso foi como o estopim pra eu ficar nessa deprê. Eu tô até meio sem graça de dizer isso aqui pq sempre guardei meus sentimentos pra mim, então desculpa fazer vc ler isso td ^^’

          Obrigada mika, fica difícil mostrar o quanto foi bom ler o que você escreveu através de um computador, mas as tuas palavras foram confortantes, eu precisava ouvir isso de alguém. Amanhâ mesmo eu vou começar a procurar por psicólogos da minha cidade, eu preciso resolver os meus problemas e não ficar carregando tudo nas costas durante a vida inteira, e vou passar essas férias de fim de ano todo estudando.

          Obrigada mesmo, abraços.

  • josé

    Esse rapaz me fez lembrar minha infância em Minas Gerais ,de frente da casa da minha tem uma família que os filhos não trabalhavam e era sustentado pelo pai ,bom vinte anos se passou e em 2012 fui visitar minha mãe e lá estava os mesmos filhos sem trabalhar e todos velhos ,sem emprego sem mulher e nem filhos !

  • Stan Lewis

    Quem está querendo passear? É ele, é você ou são os dois? Sugiro que bole maneiras de passar o tempo com ele sem que você tenha que gastar o seu dinheiro, fique em casa ou então pense em passeios alternativos rsrsrs, tente ‘forçá-lo indiretamente’ a perceber que você não vai sustentá-lo, então ou ele cai fora ou ele toma jeito!

    • Tente força-lo DIRETAMENTE mesmo, que não vai sustenta-lo e que ele precisa se tocar e fazer algo profissionalmente falando, que gere renda. Quando ele quiser sair, e só ele quiser sair, SAIA, mas não GASTE UM CENTAVO, e veja a reação dele. Veja como vai se postar diante de uma saída, na qual ele vai ter que bancar tudo.

  • L

    Oi Luiza obrigada pelos conselhos, muito do que foi dito (principalmente aqui nos comentários) não era novidade, como disse precisava de uma terceira opinião porque as pessoas a minha volta dizem mais ou menos as mesmas cosas mas sabe como nos mulheres somos né? Sobre o que você disse no inicio eu não sustento ele de fato (acho que me expressei mal né?) quem faz isso são os pais dele eu só pago as coisas quando vamos sair e falando nesta parte sim eu gosto de passear e ele também, aliás ele é o que mais gosta de sair de casa nos finais de semana enquanto que eu muitas vezes estou cansada. Analisando bem a situação e os meus sentimentos preciso ser franca não o amo, afinal 2 meses é pouco tempo, mas gostaria só que com esse comportamento dele fica difícil e não digo isso só pensando no dinheiro mas em como vai ser a nossa relação, quero alguém que faça algo da vida, que esteja ao meu lado para somar e infelizmente com ele creio que não vá ser possível, enfim agradeço pela sua ajuda e dos comentaristas. Boa tarde

    • Wana

      Gostei, mostrou inteligencia. Parabéns e sorte na próxima escolha.

      • L

        Obrigada e igualmente 🙂

    • Dê tempo ao tempo, curta o rapaz e a relação. Faça com que ele sinta a necessidade de correr atrás de algo. A idade influência pouco, mas a criação sim influência muito.

      As vezes só aprendemos sofrendo e apanhando com a vida, de nada vale os mil conselhos que os pais e verdadeiros amigos nos dão não é verdade ?

      Acho que você deveria fazer ele sentir na pele, a falta de um emprego e de uma responsabilidade. Mas isso é um tanto quanto desgastante, sem contar que é o uma relação que está em fase inicial e sem um GRANDE AMOR ou UMA GRANDE PAIXÃO que nos dão forças para superar e passar por coisas inacreditáveis.

      Um forte abraço e boa sorte.

  • Guilherme

    Complicada a situação hein? Mas, sinceramente, acho que é mais uma a cair na lábia dos encostados. Engraçado que se ele fosse trabalhador, a pergunta seria: “Conheço um cara honesto e trabalhador, mas não consigo gostar dele.” Incrível isso.