Maioria das pessoas acha errado mulher sair sem o namorado, transar no primeiro encontro, entre outras coisas, diz pesquisa!

69

Mulheres, quero que com essa pesquisa vocês parem e pensem que melhor do que reclamar que nenhum homem presta, é escolher os decentes que te respeitam.

Maioria das pessoas acha errado mulher sair sem o namorado, transar no primeiro encontro, entre outras coisas, diz pesquisa!

Mulher sair sozinha sem o namorado? Fazer sexo no primeiro encontro? Ter vários ficantes? Beber muito nas baladas? Pode ou não pode?

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Avon com 2.046 jovens de 16 a 24 anos de todas as regiões do país – sendo 1.029 mulheres e 1.017 homens, é possível dizer que o mundo mudou, mudou e mudou, para no final das contas não ter mudado (quase) nada.

Oi???? Pois é! Entenda melhor no decorrer dessa postagem, depois você vai lá, senta e chora porque o negócio tá preto pro nosso lado!

Dos entrevistados, 48% diz achar errado a mulher sair sozinha com os amigos, sem a companhia do marido ou algum homem que ela tenha algum tipo de envolvimento.

– 68% diz achar errado a mulher ir para a cama no primeiro encontro.

– 76% acha errado a mulher ter vários “peguetes”, “ficantes” ou como você preferir chamar.

– 80% acha que mulher não deve ficar bêbada em eventos sociais (festas, baladas, etc).

Vou comentar essa parte mais para frente.

Cantadas e transporte público

– 78% das jovens entrevistadas relata já terem sofrido algum tipo de assédio como cantada ofensiva, abordagem violenta na balada e/ou ser beijada à força.

** Tentou me beijar a força na balada eu já desço a voadora ¬¬ mentira, eu saio correndo e chamo o segurança!

– 30% das garotas dizem ter sido assediadas fisicamente no transporte público.

** Quanto aos assédios no busão: Mulheres, evitem ficar de costas para qualquer um deles. Eu mesma já vou virando “meio de lado” quando vejo qualquer homem: vai que, né? E se algum tentar chegar muito próximo eu já encaro ele com cara feia antes dele pensar em tentar qualquer coisa. Tem funcionado, até porque acredito que eles procuram mais “as tímidas desprevenidas” do que aquelas que levam mais o jeito de mulher  braba que vai fazer escândalo no busão. É claro que nada é 100% garantido, mas já ajuda.

** PS: É claro que, por questões de segurança pessoal, isso serve só para quando tem muita gente em volta, pois ele não vai querer se arriscar na frente de todo mundo, né? Em locais isolados é melhor já ir “mudando de rua como se você já fosse mudar mesmo” quando ver qualquer homem suspeito (mas aí já seria prevenção contra estupro e assalto). Eu faço isso sempre e acredito que é melhor prevenir do que remediar.

Namorado impertinente?

53% delas dizem que já tiveram o celular vasculhado.

– 40% dizem que o parceiro controla sua vida (Onde foram? Com quem?).

– 35% relatam que foram xingadas pelo namorado.

– 33% alegaram que já foram impedidas de usar determinada roupa.

** As duas primeiras opções as mulheres também fazem, e muito. Quanto a ser xingada pelo namorado, sério, eu já terminava na hora porque iria morrer de medo de apanhar futuramente. Acho que quem faz agressão verbal tem um pulo para já partir para a porrada. Eu heim ….

Sexo

– 9% contam que já foram obrigadas a fazer sexo quando não estavam com vontade.

– 37% já tiveram relação sexual sem camisinha por insistência do parceiro.

** Gente, convenhamos que se o seu namorado não for um “estuprador”, é só você falar com tom forte e rígido que não quer. Se mesmo assim ele forçar, você tem que pensar com que tipo de homem você está dividindo sua vida. Quanto a transar sem camisinha, não vou julgar, mas muitos rebatem dizendo que muitas vezes é a própria mulher que quer sem, ou ao menos nem fez questão da camisinha. Claro que os dois estão errados, mas enfim…

Redes sociais usadas para controlar a mulher

– 32% das jovens relatam que tiveram de excluir algum amigo do Facebook a pedido do parceiro.

– 30% dizem que tiveram e-mail ou perfil de rede social invadido pelo namorado.

– 28% afirmam que foram proibidas de conversar com amigos virtualmente.

– 15% das jovens dizem que foram obrigadas a revelar para os namorados suas senhas de e-mail e Facebook.

** Gente, em facebook parece que rola uma psicopatia generalizada, tanto com homens quanto com mulheres: bora ouvir o podcast sobre como elevar a autoestima e parar de ser maluco (a), né?

– 2% receberam ameaça de cibervingança – a divulgação de fotos ou vídeos íntimos.

** Não importa o quanto você ame ou confie no seu namorado. Nunca deixe fotos e vídeos com ele. Se você fizer muita questão, mande sem mostrar o seu rosto e se vocês estiverem juntos, grave na sua câmera, não na dele, e apague depois. Pode acreditar, se esse homem que te parece bonzinho levar um pé na bunda, for traído ou qualquer coisa do tipo, ele pode se tornar um vingador irreconhecível. Eu não pagaria pra ver não.

Julgamentos precipitados?

Mais mulheres (42%) do que homens (41%) disseram concordar que uma garota deve ficar com poucos homens. E muitos garotos (43%) ainda veem diferença entre mulheres para “namorar” e “para ficar”. Ou seja, pegou muitos homens? É, não vai dar para namorar…

Em relação às roupas, as coisas ficam “menos piores”: 30% deles acredita que a mulher que está com roupas curtas está se oferecendo enquanto apenas 20% delas concorda com com essa ideia.

** Esse negócio de julgar pela roupa eu pessoalmente acho que não tem nada a ver, até porque eu já andei muito de biscate por aí quando até virgem eu era kkkk. Mas ó, isso de preferir gente que teve poucos parceiros pode até ser machismo em certos casos, mas em outros eu sinceramente considero gosto pessoal: eu mesma não gosto de homens que já transaram com todo mundo, que parecem não ter critério nenhum. Gosto dos que transaram pouco porque penso que, assim como eu, eles consideram que o sexo vai muito além de ter tesão e ter vontade e que tem coisas mais interessantes para fazer antes dele. Agora, o problema é quando a pessoa não respeita ou trata mal quem pensa diferente, aí sim é ridículo. Quer dar? Dê! Quer esperar? Espere! Não precisa rotular tudo como machismo ou feminismo.

Violência gera violência

43% dos jovens que já viram a mãe ser agredida e sendo controlada em casa assumiram que repetiram com suas parcerias o que “aprenderam” em casa.

** Faz sentido e é lamentável. O que eu não entendo é que muitos dizem morrerem de raiva do pai por ter batido na mãe, mas mesmo assim batem nas mulheres deles…

 ***********************************

Já assistiu ao vídeo do Pergunte a uma Mulher sobre o que não fazer no primeiro encontro?

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.