Não gosto de pagar motel para mulher, nem de rachar a conta: sou mesquinho por isso?

306

Leitor: Olá, tenho saído com várias mulheres e não gosto quando elas não dividem a conta, principalmente as que aparentemente tem mais recursos que eu. Algumas dividem a conta no bar/restaurante, mas somente duas dividiram a conta no motel. Eu tenho um bom salário e até poderia pagar toda a conta, mas acho isso um contra-senso, pois a mulherada adora se postar como independente financeiramente. Sou taxado de mesquinho pela minha mãe e pelas minhas tias, mas as mais novas aprovam minha postura. Afinal, sou mesquinho?

Não gosto de pagar motel para mulher, nem de rachar a conta: sou mesquinho por isso?

Vou dizer alguns pontos de vista, mas por favor leia até o final para que você entenda tudo o que vou dizer antes de dar um piripaque nervoso, ok? rs

Primeiramente, uma mulher ser independente financeiramente não tem nada a ver com o fato de rachar ou não uma conta contigo – ainda mais se forem “coisas pequenas”. Em geral e tirando os casos das biscates assumidas e exploradeiras, isso não tem a ver com a questão financeira de “quem ganha mais ou quem ganha menos”, ou com “o quanto posso tirar dele e da situação”, pelo menos não no pensamento inicial da mulher. A maioria que quer que o homem pague deseja que assim seja por uma questão de gentiliza e até mesmo de costume com a época “dos nossos pais”. Oi Luiza? Que merda é essa que você está falando nos tempos modernos? Explico melhor no decorrer desse texto =)

Repetindo o que (talvez) você estava pensando: 

“Nossa Luiza, que coisa mais antiga! Batalharam tanto para chegar até aqui e você me fala isso?”

Você como homem certamente ainda admira coisas da mulher do passado, certo? Da mesma forma tem muita mulher que admira comportamentos dos homens do passado, a começar pelo cavalheirismo. Não gosto de usar termo machista ou feminista, muito menos dessa ideia que muito homem tem de pensar que só porque é mulher e trabalha é porque quer pagar de independente, ou até mesmo de feminista. Vamos devagar com a dor que o c* não tem nada a ver com as calças e as ideologias servem para melhorar o que estava ruim, não para piorar o que estava bom! rs

“Nossa mas que interesseira e conveniente!!”.

Gente, quem é que quer perder o que era bom? Claro que uma feminista vai querer me bater se ler isso – ou melhor, se for feminista de verdade nem vai querer me bater porque essa liberdade da mulher implica em ela fazer o que quer, certo? E isso inclui optar por homem X ou Y, bem como ter suas preferências (liberdade, ué!). Enfim, só estou querendo dizer que cada um tem o seu ponto de vista do que é/foi bom e ruim em uma época. Por exemplo, assim como tem homem que acha louco de bom a mulherada dar a periquita mais fácil do que chuchu em pé de serra, tem homem que sente falta das “virgens”. Da mesma forma, tem mulher que acha um prazer pagar as próprias contas “visto que ela trabalha”, enquanto tem mulher que trabalha e mesmo assim se sente cortejada se o homem fizer um agrado ou outro (pequeno, claro). É uma questão de preferência. Não é porque o mundo é moderno que todo mundo tem que gostar de tudo que é moderno, tampouco pegar todas as ideias de uma ideologia só porque “ela está em alta”.

Até porque cá para nós, nessa época moderna o que menos tem é homem dividindo trabalho doméstico e dos filhos com a mulher. A maioria dá o maior migué e fala “que não gosta de fazer o serviço”. Como se as mulheres gostassem, rs. Se conforme, o mundo tem coisas justas e injustas para os dois lados e isso independe do tempo que a gente vive, até porque gosto pessoal será sempre algo eterno.

Você pode muito bem gostar de mulher que não dá no primeiro encontro, e mesmo assim gostar de rachar a conta, certo? Do mesmo jeito a mulher pode trabalhar, ganhar 20 vezes mais do que você e querer ser cuidada. Sei que sua ideia de “cuidar” de uma mulher talvez nãos seja essa, mas e se a dela for? Cada um com o seu ponto de vista, certo? E pelo o que entendi, ninguém está te pedindo para comprar absorvente, pagar o IPTU, IPVA ou alguma mensalidade: estão apenas querendo pequenas gentilezas. É claro que você não é obrigado a pagar a conta de ninguém, nem se for um dogão: você paga se quiser, e se isso te incomodar muito, o jeito é dar preferência para as que racham contigo. Só quero que entenda a questão do gosto pessoal e que não existe isso de certo ou errado: não vejo necessidade nesses homens que ofendem mulheres que gostam desse tipo de cortesia. Assim como também não vejo necessidade de uma mulher te chamar de mesquinho por conta das suas ideias. São só opiniões, preferências que têm a ver com a realidade que cada um viveu.

Não nasci em família rica, mas sempre tive um pai muito gentil, que fez de tudo por mim e pela minha irmã. Inclusive, até hoje meu pai é famoso entre amigos e colegas por ser o melhor anfitrião que eles já viram. E quem teve o meu pai como sogro pode dizer a mesma coisa, rs. E o que aconteceu comigo? Não, não é complexo de Édipo ao contrário, kkk. É só que, tal como você e qualquer outro ser humano no mundo, comecei a me acostumar com as coisas boas da vida e optei sempre pelos namorados mais gentis. Algo semelhante acontece com os homens que tiveram mães que sempre lavaram, limparam e cozinharam para eles: quando acham uma mulher meio desligada nessa área, já preferiam que ela não fosse, não é verdade? E eles estão errados por isso? Homem ou mulher: todo mundo se acostuma com o que é bom e ninguém quer regredir.

“Nossa Luiza, então gentileza é pagar a conta?”.

Pelo menos para mim, não é o dinheiro em si que faz a diferença, mas o que ele significa sim, faz toda a diferença do mundo. Hoje em dia ninguém mais quer gastar tempo nem dinheiro com ninguém, concorda? Sendo assim, se eu vejo um homem “gastando” essas duas coisas comigo, me sinto muito mais cortejada e especial. Vocês homens não vivem falando entre si da regra do “gastar o mínimo possível com a mulher que eu ainda não sei se vale a pena”? E vocês estão errados por isso? Não! Acho essa uma estratégia até muito inteligente! Só que é aí que eu fico valorizando mais ainda quem gasta algo comigo, kkk. É claro que a mulher tem que ter o bom senso de não gastar demais: por exemplo essas que bebem e comem a rodo, ou aquelas que querem que você banque a casa inteira sozinho, mas fazer pequenas cortesias como pagar o motel eu acho de muito bom tom e eu sinceramente também não gostaria de rachar.

Quando você tem uma namorada legal e troca de namorada, você não vai querer regredir, vai? Sei lá, se ela faz um bom oral ou cozinha bem demais e a “nova” nem tanto, não que você irá dar um pé na bunda dela por conta disso, mas bem que você já fica “chateado”, né? Pois é!! A diferença é só que uns cobram mais pequenas gentilezas, outros cobram pessoas boas de cama, outros pessoas legais e outros tudo isso e mais um pouco. Não vou entrar no mérito do que é mais ou menos fútil, até porque no fim dá na mesma na questão do “bobagem ou não, cada um tem o seu gosto e será difícil de mudá-lo”. Somos o reflexo do que tivemos na vida. Se eu nunca fui rica, não choro tanto por ser pobre. Mas um rico que fica pobre com certeza chorará pelo o que perdeu, rsrs.

Sei que não é o seu caso que tem sim $$, mas tem muito homem – ainda mais se for estudante ou não tiver muita grana – que fica “bravo” quando a mulher “faz” ele pagar algo. Entendo o lado dos que ganham pouco e sinceramente, se tivesse na posição deles, eu também não iria querer rachar porcaria nenhuma rs, porém, tendo em vista o que te expliquei, também não iria querer mudar o meu lado, entende? Então o jeito é arrumar alguém que valha a pena como um todo, porque “pesares” todo mundo tem.

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.