Chegando em uma mulher no meio da rua…

33

Vocês mandam e eu obedeço, como boa mulher passiva que eu sou….

Só de brinks kkkk!

Mas ó, já faz um tempo que eu recebo emails, emails e mais emails de homens que gostariam de abordar mulheres “do nada”: seja no meio da rua, no ônibus, na feirinha comendo um pastel e tomando um caldo de cana ou em qualquer lugar no qual pode ser a primeira e única chance que ele tenha.

E daí entra a pergunta: se um homem chegar em você do nada, você acha atitude ou acha que ele é maluco?!

Assine o Canal e não perca nenhuma atualização!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Giovanni

    Eu não sou de chegar em mulher na rua justamente por que sei que assusta, haha
    O que pode acontecer é qndo estamos no mesmo ambiente, como n ovideo, pedindo um pao de queijo e rola um assuntozinho sobre o pao de queijo ou algo do ambiente, de repente rola um papo e ai eh historia 😀

    • Mas não vá falar sobre o pão de queijo pelo amor de Deus pq foi só zoeira kkkkkkkkkkkkkk

  • Paulo

    o problema maior desses casos é o nivel de violencia do país, no brasil acho que qualquer um tanto homem quanto mulher fica apreensivo se vier alguem do nada falar com vc, se alguem tiver oportunidade de viajar para alguns paises onde a violencia, não é extrema, verá que é bem comum pessoas vir falar com vc na rua, inclusive garotas chegam conversando, sendo bem facil marcar algo ou pegar o contato das pessoas
    agora no Brasil com noticias diarias de violencia principalmente contra a mulher, não da pra culpar ninguem de dar um passo para traz ou vc se aproximar!

    • Perfeito Paulo! Eu mesma já corri de alguns homens pensando que era estupro, e sabe-se lá se não seria mesmo se eu ficasse, né?

      Me lembro até hoje de uma época que eu estava voltando da faculdade e um homem veio todo cheio de sorrisos falar comigo. O problema é que a situação não estava nada propícia: escuro, de noite, em um quadra vazia. Aí já viu né, sai correndo (literalmente) e não quis nem saber se ele queria me perguntar as horas, bater um lero ou me estuprar mesmo…

    • Carlos

      Pois eu voltava a pé pra casa, tarde da noite, e a umas duas quadras de chegar no lar, me dou conta que uma mulher está a minha frente, e noto que ela me percebeu e apressou o passo, só que ela dobrava e eu também, ela atravessava a rua e eu idem, e por fim ela se dirigiu a porta do meu edifício e se virou pra mim. Ela tremia, não esqueci o pavor no rosto dela. Eu, apavorado também, mostrei a chave e disse que morava ali. Relax, mas enfim, é de sentar na calçada e chorar, o estado de coisas em que chegamos.

      • Paulo

        infelizmente isso é bem comum, se pra homem já é complicado imagina para mulheres, por isso evito abordagem aleatoria, no maximo posso tentar em um ambiente publico tipo praça de alimentação de shopping, o clima ta tão tenso hoje em dia q até minha cara de mascote ta assustando! rsrsr

      • Super me identifiquei come ela kkk Hoje em dia, se um homem olha pra mim enquanto estou ao telefone, acho que é pq quer roubar o meu celular, e por aí vai. Triste mesmo onde chegamos…

      • Marina

        Atualmente eu dificilmente saio de noite na rua a pé. Sempre morri de medo de ser assaltada ou pior… Mas Durante 2 anos tive emprego em outra cidade e chegava relativamente tarde em casa, tinha que passar por uma passarela e tal. Eu normalmente saia do onibus de moletom, colocava o capuz e ia andando rápido até chegar em casa. E claro, sempre olhando para trás. Em outro comentário falei de um caso de “sucesso” na abordagem. Mas uma vez um cara parou o carro do meu lado meio para perguntar algo e quando olhei para dentro do carro vi umas revistas pornos no banco de passageiro. Saí correndo. Eu e meu cachorro Pinscher que estava comigo xD

        • Carlos

          Triste né… E o que dá pra aconselhar? Viu homem, tem que sair correndo mesmo.
          O terror que habita nas mulheres, respinga suas gotas em nós os homens, que percebemos o pavor que sentem por nós, por sermos apenas homens. E o irônico de tudo isso, é que quem sofre com isso, são justamente os que não oferecem perigo. Mas quem sabe no ano de 2167 não muda pra melhor.

  • Carlos

    Este é um post que deveriam me proibir de comentar.
    Abordar uma desconhecida? Nunca fiz isso, nunca tive vontade, duvido que um dia vá acontecer. Eu sou apenas um rapaz de família, e levo ao pé da letra o que minha mãe disse: Nunca fale com desconhecidos!
    Por que diabos alguém deseja isso? Sei… claro que eu sei… uma deusa passa por você, e, vá saber se não será a sua única chance de obter as graças divinas.

    Mas eu sou meio beduíno, controlo minha sede e não me emociono facilmente com as miragens de oásis improváveis. A língua para fora, quase tocando o chão, o cerco insistente… Quer viver como cão? Um dia terá o seu prêmio…
    uma cadela.
    Deixa eu me serpentear por entre os grãos de areia e me afastar daqui, este não é meu habitat.

  • S2CupcakeS2

    Depois que fui assaltada ano passado, eu não consigo deixar nenhum estranho se aproximar de mim. Se eu tenho que fazer alguma coisa no centro sozinha, eu procuro sempre olhar para os lados, às vezes olho para trás para ver se tem alguém me seguindo. Se eu vejo alguém querendo se aproximar eu começo a andar mais rápido. Mesmo se eu fosse solteira, dificilmente alguém iria conseguir se aproximar para falar comigo.

    • Quando eu vejo um homem estranho (=quase todos para mim) eu finjo que já ia mesmo atravessar a rua. Tem me ajudado bastante pq antes, quando só andava mais rapido, já levei xingão do tipo “tá achando que sou ladrão dona?”, principalmente de mendigo, pelo menos aqui eles zoam mesmo. Ai parei e comecei a disfarçar como se fosse parte do meu processo. Sou uma pessoa muito discreta kkkk

      • S2CupcakeS2

        Ótima dica. Como fiquei um bom tempo fora do Brasil, acabei ficando meio bobinha para muitas coisas. Tenho que melhorar e muito ainda 😉

      • Monalisa

        Quando eu ia para faculdade e descia do ônibus de noite, preferia ir para facul toda largada e desarrumava para evitar chamar atenção. Melhor acharem que eu sou uma doida em potencial! rs

  • Marina

    Uma vez me abordaram na rua, até que não foi tãããão estranho, isso pq eu já dou de difícil quando gosto do cara, imagine se eu não estiver nem aí para ele?!
    Eu estava simplesmente andando na rua quando um cara me parou pedindo informação de onde ficava uma tal empresa. Expliquei para ele, ele agradeceu e contou que aquele era o seu primeiro dia no trabalho e blá blá blá. Daí nós conversamos sobre o bairro uns instantes quando eu cansei de ser gentil e disse que tinha horário e tal. Daí ele pediu meu telefone. Eu inventei uma desculpa e não passei. Fiz isso pq o cara era simpático e tal mas não me senti atraída por ele. Mas aí ele ficou meio insistindo e só parou quando eu disse que passava por ali todo dia e teríamos chance de conversar sempre. Acho que depois desse dia passei apenas uma vez lá. hahahahaha

    • Boa kkkkkkkkkkkkk

      Mas sério, carro eu tenho medo de sequestro relâmpago! Acho que vão me botar lá dentro e me levar embora, eu não dou a informação, sou a mais neurótica de todas kkkkk

  • A Ghoul Writer

    Eu não consigo fazer isso, pra mim é uma invasão do espaço do outro. Se pra mim já é chato alguém vir puxar assunto comigo quando estou sozinho, e tudo que eu quero é tomar meu café e fazer minhas coisas. Imagino pras mulheres tendo que aguentar homens aleatórios com segundas intenções. E pior ainda, convivendo diariamente com a ameaça do estupro. É complicado.

    • Monalisa

      VocÊ é meu namorado disfarçado? kk pode confessar!!! rsrs Suas opiniões são idênticas!!!

    • Paulo

      eu já acho legal conhecer gente fora do nosso circulo social não considero invasão do espaço e como disse em muitos lugare é bem comum, o problema aqui é a violencia que gera disconfiança de qualquer um que se aproximar impossibilitando a ação!

      • A Ghoul Writer

        Depende do local e do tipo de aproximação. Eu não sei, a linguagem corporal influencia muito. Algumas pessoas fazem isso de forma natural, sem interesses. Vc se sente confortável conversando com ela. Outras forçam a barra, vc fica desconfortável e se perguntando “o que ela quer?”. Enfim, são várias as situações. Mas no geral: Se não houver uma ‘abertura’ não vejo o pq abordar alguém.

  • Iskander M

    Devido a sensação de insegurança fica difícil abordar uma mulher na rua, porém mesmo retirando essa variável seria difícil pra mim kkkkk.
    Aí fica difícil conhecer pessoas novas, ou simplesmente pessoas quando não se tem um circulo social.

  • Lola

    nas poucas vezes que andei de ônibus na minha vida, porque eu dirijo desde os 14 anos e ia pra escola de carro, eu sempre era abordada das mais diversas maneiras, mas dava para sentir a intenção dos homens logo de cara (uns psicopatas, outros gente boa). Me lembro que para chegar em casa quando eu descia no ponto, tinha que andar 3 quarteirões, aconteceu uma vez um cara me seguir e eu fiquei apavorada, quando eu já estava prestes a gritar, um carro parou do meu lado e um rapaz lá de dentro perguntou com um jeito super doce se estava acontecendo alguma coisa. E eu fiquei sem saber se confiava naquele moço do carro também, aí eu disse assim: “olha só, eu moro ali na frente mas esse cara que ta vindo aí ta me seguindo, será que você pode seguir do meu lado até eu entrar em casa?” O cara riu e me acompanhou de dentro do carro até em casa e depois foi embora tranquilo. E já conheci um cara tão bacana dentro do ônibus uma vez que até hoje somos amigos. Lembro que passei na roleta, me sentei na frente dele e ele já veio me perguntando sobre a minha faculdade, dizendo que o vade mecum era pesado demais, um dos melhores papos! Aliás, ele tem até hoje. É um querido.

    • Alguém com um caso de sucesso! Ufa! Foi só pra amizade, mas valeu né?! Pelo menos vc não saiu correndo kkk

      mas acho que no meio da rua SEMPRE assusta mais: em um onibus, uma padaria, etc, parece que o psicologico fica menos em alerta e desconfia menos, sei lá – tem mais gente, dá a sensação de ter para onde fugir, sabe? Agora em beco, coisa escura, ou vc sozinha na rua mesmo de dia, assusta mt mais. A gente pensa que não tem para onde correr, e nem estamos erradas em pensar assim. O seguro morreu de velho!

  • Kid

    Não abordo mulher na rua do nada, primeiro, por eu ser meio tímido pra isso. Segundo, pelo que já foi falado aqui, medo ou receio de que ela se sinta em alguma situação desconfortável de perigo. Eu ainda sou negro, o que contribui ainda mais (não sou eu que digo isso, são as estatísticas, infelizmente).

    Se eu for (ou conseguir) puxar alguma conversa, será sempre em um ambiente mais amigável, descontraído, como em algum show (ou na fila na entrada pro show, onde as pessoas quase sempre são receptivas), livraria, academia ou em algum curso ou faculdade que estejamos fazendo.

  • Amanda Gutjahr

    Comigo é so perguntar se eu sou Walker e Hunter que converso numa boa 🙂 e tem que gostar também -_ – ou pelo menos respeitar 😀

  • Rodrigo Silva

    muito bem informativo, Luiza. Parabens!!!!

    • Obrigada Rodrigo!!!!

      • Rodrigo Silva

        de nada

      • Rodrigo Silva

        Eu que agradeço!!!!!!!!!

  • Frederico

    Complicado abordar alguém na rua,as pessoas precisam de referência, ficam mais receptivas,e outra,quem vê cara não vê coração, muito perigoso hoje em dia !

  • t rex

    voce fala: pode ser ou ta dificil ?

    • Ha, ha, ha… Direto ao ponto.