Perdi minha virgindade de uma forma horrível, mas quero ele!

56

Tenho 20 anos. Desde agosto do ano passado, estava conversando com um carinha aí. Depois de algum tempo, ele começou a falar em sexo, e como era virgem, estava com aquele certo medo. No começo desse ano, decidi que queria perder a virgindade e queria muito que fosse com ele, só que nunca dava certo. Quando eu podia, ele não podia e vice-versa. 

Certa noite, quando cheguei da faculdade, ele estava me esperando perto de casa. Conversa vai, conversa vem, ele começou a me beijar, e quase transamos no carro mesmo. Na semana seguinte, eu estava sozinha em casa e resolvi chamar ele. Sempre deixei claro que era virgem e que queria que ele fosse com cuidado. Quando começamos a transa, eu não estava nada lubrificada, e mesmo assim ele colocou à força. Foi horrível, ele me machucou um monte, gozou e foi embora, como se eu não tivesse ali. Fiquei super mal depois, pois não pensei que ele fosse agir daquele jeito. E ele ficou duas semanas sem me procurar, sem mandar uma SMS que fosse e mudou o número dele. 

Essa semana, ele apareceu, tentei perguntar pra ele o que tinha acontecido e ele disse que não era nada. Insisti e perguntei se eu tinha feito alguma coisa errada, e se ele não tinha gostado de transar comigo, e ele não respondeu. Ainda estou super mal, pois ainda sinto algo por ele, e ele não sente nada por mim. Ontem à noite, pediu pra me ver, como se nada tivesse acontecido. Mesmo com vontade de ir, não fui.  

Não sei se continuo insistindo nele como manda meu coração ou se esqueço de vez, pois eu considerava ele o “homem da minha vida” e eu fui apenas mais uma pra ele.

Perdi minha virgindade de uma forma horrível, mas quero ele!

Você já matou o óbvio ao dizer “eu sinto algo por ele, mas ele não sente nada por mim“. Sem mais e isso é tudo. O que você – e outras meninas virgens que estão lendo esse texto – têm que entender é que não são vocês que escolhem o cara que vocês querem perder a virgindade, mas sim ambos que se escolhem. Do que adianta você pensar “é esse” e o cara pensar “é essa que vou meter a rola e vazar, pra procurar só quando quiser esvaziar de novo“? Não faz sentido e só faz doer, que nem aconteceu contigo. E outra, não pense que isso só acontece com virgens, não: claro que a virgem tem um gostinho a mais pros caras que não tem noção do quanto isso é importante para elas, porém, mesmo quando a mulher não é virgem, se ela se apega e vê que é só sexo que ele quer, é melhor guardar a pepeka pra outro.

Infelizmente, não é porque você gosta do cara que vale a pena perder a virgindade com ele. Muito menos significa que ele é o homem da sua vida. Sinceramente? Se fosse, ele também iria gostar de você, e acima de tudo, iria te respeitar: não só na sua primeira vez, coisa que ele não fez, como sempre – mesmo depois de milésima trepada. Bobeira pensar que um “semi-estuprador egoísta” e inconsequente é o homem da sua vida, mulher!!!! Provavelmente você não pense por esse lado, mas pra mim, um homem que força sexo, mesmo vendo que a mulher não está preparada, é uma espécie de estuprador sim. E daqueles bem mimados, sem um pingo de empatia pelo outro.

Você fez muito bem de não ter ido à casa dele, sabe por quê? Porque se ele não gosta de você, só vai te chamar quando quiser “bater um rango”, e não é isso que você quer. O lado bom é que sexo é algo maravilhoso e você não precisa ficar com trauma disso. Sei que pelo visto você não ficou, tanto é que ainda quer o bofe, mas ainda sim quero te dizer que nheco nheco é bom demais, desde que você encontre uma pessoa que também goste de você.

No mais, fica a lição pro resto da sua vida e que vale pra mesmo depois que você ficar mais rodada do que bucha de canhão: não importa o quanto você gosta do cara, se ele não gostar de você, não transe. É assim que a gente faz quando sabe que se apega.

Beijo e não liga pra ele.

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.