Relacionamentos ioiôs: a gente sempre se separa e sempre volta

55

Relacionamentos ioiôs: a gente sempre se separa e sempre volta

Brigas, término, depois mais brigas e reconciliação. Afinal de contas, o que será que faz tantos casais insistirem no mesmo erro? Agressões verbais, às vezes físicas e ainda assim a esperança de que tudo mude, “em nome do amor”?

Não quero julgar o que você sente, mas na grande maioria das vezes, não é amor de verdade. É carência, é apego, é tudo, menos esse sentimento lindo que você confunde com sofrimento. Não tem como pensar que duas pessoas se amam e por isso brigam tanto, que se amam e por isso fazem da vida do outro um inferno. Mesmo que você chame isso de insegurança, o amor não iria permitir tantos excessos. E na melhor (ou pior?) das hipóteses, você não está preparado(a) para ele.

A Cláudia pensa que o outro vai mudar, mas…

Pensa comigo: se pra você é tão difícil se mudar, nem que seja pequenos hábitos do dia a dia, porque o outro mudaria os grandes – e o mais engraçado de tudo – por sua causa? Se é difícil pra você, é difícil pro outro também. Nunca se esqueça disso.

Também tem vezes que a gente fica feliz porque o outro finalmente admitiu que “estamos certas e ele precisa mudar”. Nisso é feito um acordo e “ok”, “ele irá mudar”. Só que boa vontade não significa que ele conseguirá de fato. Sem contar que a gente nem sabe se essa boa vontade um dia existiu mesmo, ou se a pessoa só falou para ganhar tempo, encerrar logo a briga e o pior, não ter que tomar uma decisão maior:

“Tá bom, vamos tentar mais uma vez! Eu mudo! … E o que tem pra jantar hoje mesmo?”

Não é fácil internalizar mudanças. Não é fácil entender as mudanças. Por mais que uma pessoa concorde contigo que ela está errada, isso não significa que ela conseguirá melhorar e você deve estar preparado para essa possibilidade.

Sua criação não é a dela. Sua realidade não é a dela. E por mais que todo mundo seja diferente, existe um limite que faz com que nem todo mundo consiga conviver bem entre si. Você deu certo com o João, mas não dá certo com o Alfredo. Normal, quem nunca, né? Só que chega uma hora que você é obrigada(o) a pensar se tudo isso vale a pena.

Você tem o seu passado, a pessoa tem o dela. Você tem as suas crenças e ela as delas, e aí entra a grande questão que mexe com a vida de vocês:

Como mudar uma lógica cerebral e comportamental, que por pior que seja, mantivemos durante anos, para enfim podermos dar certo? Sem contar o monstro chamado comodismo.

A propósito: será que a gente quer dar certo mesmo? Ou só não queremos ficar sozinhos?

Até que ponto você consegue aguentar?

Se você brigou e voltou várias vezes, de duas uma:

1- Ou o seu limite já foi ultrapassado faz tempo.

2- Ou não existe uma boa vontade mútua.

De qualquer forma: quando um não quer, dois não ficam. Daí você pensa: “Talvez esteja na hora de vencer o medo de ficar sozinho(a) e parar de pensar que não consigo alguém melhor.”

Você não precisa pensar em mudar as pessoas. Se você conseguir se mudar, já mudou tudo.

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.