O que faz alguém permanecer virgem até os 28 anos?

167

O que faz alguém permanecer virgem até os 28 anos? Será que são questões religiosas, traumas de infância, abuso sexual, romantização do ato ou qualquer fator que leve uma pessoa a resguardar-se por tanto tempo?

Não se surpreendam, mas esse é um texto cujo personagem principal é o TALVEZ.

Hoje estou me abrindo a todos. Aceito críticas, perguntas e dúvidas, pois não tenho tabus ou segredos com nada disso.

Cresci num lar amoroso, porém, confuso. Meu pai era rico (muito rico) e perdeu tudo por ingerência, maus negócios, prostitutas e falsos amigos. A minha mãe era pobre, típica menina linda da cidade grande, mas que vinha de um lar turbulento. Ela encontrou nele alguém com coragem para enfrentar sua mãe louca. Ele encontrou nela a mulher troféu para exibir para os amigos.

Até hoje não sei se rolou amor ou só interesse de ambos, mas quem sou eu para julgar sentimentos!

O que faz alguém permanecer virgem até os 28 anos?

Quando a pobreza bateu à nossa porta, fomos morar de favor numa casa de fundos, meia água e bem humilde. Meu pai engoliu o orgulho, foi trabalhar e sustentar a família. Contudo, nunca foi exemplo de nada, pois gastava seu salário em bebidas, jogos de azar e prostitutas.

Pra mim ele foi pai herói. Amava demais ele! Até descobrir as tantas cagadas e deslizes, mas fora isso, até que tive um pai presente: carinhoso, protetor e amoroso.

Não percebia o quão errado ele era, pois só tinha 3 anos, mas meu irmão sim! Mulheres da vida vinham em nosso portão efetuar cobranças: o coitado que as recebia e por isso desenvolveu um trilhão de problemas que o titio psiquiatra e a titia psicóloga tentam resolver até hoje.

Moramos quase nove anos assim, até que a casa foi vendida e meu pai foi obrigado a crescer.

Estudamos à duras penas (como muitos brasileiros). Entramos no curso de Direito, estudando em casa e dando o sangue, sem apoio financeiro algum.

Meu irmão foi embora na metade do 4º ano, pois ele e meu pai nunca se deram bem. Não sei explicar como um pai pode não gostar ou não ter nenhuma empatia com seu próprio filho, sendo este primogênito e único filho homem. Posso citar aqui um episódio que deixou marcas profundas no meu irmão: ele “aprendeu” a andar de bicicleta levando cintadas de um pai bêbado que aos berros dizia “aprende seu viado!” e tudo isso numa rua de terra com cascalhos. Ele aprendeu a pedalar lá pelos seus 11 anos com a vizinha que cuidava de mim.

Meu irmão é meu orgulho e sempre me espelhei nele. Ele sempre me orientou, foi e ainda é um modelo de homem pra mim. Lutou sozinho e está vencendo. Hoje tem 32 anos, dono de uma franquia, Workaholic e tem um desprezo enorme pelo pai, apesar de respeitá-lo.

Hoje meu pai faz de tudo para recuperar o que foi perdido, voltar no tempo e retirar os atos e palavras ditas, mas por enquanto posso dizer que e ele perdeu um filho maravilhoso!

Quanto a mim, fui vivendo uma vida muito atribulada, entre trabalho para me sustentar mais a minha mãe, mais os estudos e demais gastos estudantis. Nesse período, fiz muitas amizades legais e ia em algumas festas universitárias, mas não todas, até porque faltava tempo, dinheiro e roupas!

As mulheres me entenderão!

Sempre fui assediada por rapazes, mas honestamente eu não sentia NADA. Nenhuma vontade de ficar, beijar ou curtir com os meninos.

Importante observar aqui um episódio. Na oitava série, fui compelida por minhas amigas a beijar um rapazinho, lindinho por sinal. Não gostava dele… mas fui. Assim que a ficada acabou (foi boa), prometi a  mim mesma que nunca mais faria nada que eu não quisesse de coração.

Esse foi meu primeiro e último beijo.

Aí eu pensei, será que gosto de meninas??? Também não! Nunca senti atração por mulheres e isso virou uma confusão na minha cabeça. Por um tempo cheguei a pensar que talvez eu faria parte da pequena porcentagem de pessoas assexuadas, ou que a decepção que senti ao ver o homem que meu pai era me fez não querer um para mim. Até hoje isso não é claro e talvez a Luiza e os comentaristas possam dar uma luz.

Na tentativa de desvendar os mistérios da minha vida, encontrei o budismo. Com os ensinamentos, meditações e autoconhecimento aceitei os defeitos e qualidades dos meus pais.

Foquei novamente nos estudos + trabalho e, sem esperar, conheci um rapaz.

Vocês devem estar imaginando um cara certinho né?

Pelo contrário, mais errado que ele eu desconheço.

Rapaz sofrido, pobre, magrelo, maltratado pela vida, vindo de dois relacionamentos furados… psicologicamente tão fudido quanto eu.

Mas me apaixonei. Fazer o quê?

Vou pular a parte em que meus pais fizeram de tudo para atrapalhar e nos separar. Só digo que hoje eles o têm como filho e se arrependem por tamanha ignorância, preconceito e futilidade para com ele.

Foi uma luta interna dizer “sou virgem!!”, mas fui sincera desde o início sobre tudo.

E assim foi. Fui me descobrindo, testando meus limites, aprendendo sobre o que gostava e o que não gostava e ele acabou me ensinando tudo que sabia também. Fiz questão, recentemente, de conhecer como é uma zona, aí visitei dois puteiros porque tinha muita curiosidade e numa noite chuvosa ele teve coragem de me levar (claro que ele tinha bebido umas e outras). Enfim, conversei com umas oito putas e aprendi um pouco sobre como é uma bosta a vida delas.

Fiz amizade com a gerente do puteiro e realmente é um negócio mega lucrativo, porém, o lucro fica preso com a dona do recinto. As meninas vivem numa ilusão romântica de saírem dessa vida sendo resgatadas por um príncipe. São pegas na armadilha de uma aranha, pela ilusão do dinheiro fácil, caem na vida e não conseguem sair.

A “A”, uma loirinha super bonita e que foi mais aberta comigo, disse que entrou nessa vida por realmente gostar de rola e que em época de pagamento das fábricas, chega a tirar três mil reais por semana. Rimos muito, por que me propus a ser sócia dela e entrar pra vida fácil.

Quando disse vida fácil ela me deu uma lição. Disse “menina, eu gosto de sexo, mas fazer com homens suados, fedidos ou qualquer um que não seja o seu tipo é difícil. Você tem que pensar que está transando com o Caio Castro!”.

Fiquei pensando, ela é mais nova que eu em uns cinco anos e pra ela sou uma menina!

Vi alguns senhores lá, procurando atenção e carinho e pude visualizar meu pai. Cara, que tristeza!

A maioria das meninas estavam em seus celulares e outras com olhares perdidos olhando para a porta e isso me fez pensar muito na minha vida, no meu trabalho, na minha profissão e agradeci aos céus por não ter que depender desse comércio pra sobreviver.

Até então, eu tinha dúvidas sobre até onde a minha coragem iria para fazer um ménage. Realmente não tenho. Pior ainda, não tenho tesão em mulheres! E jamais conseguiria ver meu noivo comendo outra.

A própria gerente do clube me aconselhou a nunca fazer, pois isso não leva a nada. Ela fez e perdeu o companheiro dela, pois ele se apaixonou pela outra e quis manter um relacionamento a três. Veja só! Ela deu um pé na bunda do cara e disse que nunca mais há de fazer isso na vida!

Aos curiosos, ficamos só na conversa e amizades. Não pretendo voltar, fiquei meio depressiva e achei a energia do ambiente meio dark.

Quanto à minha mentalidade sexual… sou muito aberta. Sexo pra mim nunca foi tabu, eu sei que é confuso, pois perdi a virgindade aos 28 anos, portanto, quando digo “aberta” quero dizer que sempre falei abertamente sobre sexo, sobre a minha sexualidade e nunca tive problemas em explorar meu próprio corpo.

A Luiza ficou confusa quanto ao tema sexo/tabu/trauma. Eu não sei se há algum trauma. Na realidade eu não sei MESMO o que me fez esperar por tanto tempo, talvez os rapazes que conheci não tinham o que o atual tem.

A questão sempre vai girar em torno do talvez. Pensando na vivência da minha adolescência, tenho a tendência a pensar que as mentiras, falta de parceria e companheirismo do meu pai me fizeram forjar mentalmente o homem que eu queria. Só que quando conheci meu atual namorado, a primeira coisa que aconteceu foi um bombardeio de honestidade. Ele me contou toda a sua vida, seus traumas, suas cagadas, erros e acertos. Eu contei todos os problemas e o quão complicada era.

Hoje tenho uma vida sexual muito ativa e completa. Sem reclamações! E acho bobagem as mulheres com experiência sexual maior que a minha terem vergonha de admitir coisas simples, coisas que gostam e ajudar pessoas como eu ou você leitor.

Porém, se eu dependesse apenas da pornografia ou da troca de experiências, jamais saberia o quão bom é a prática do sexo anal… ou que eu não curto muito receber oral. Prefiro mil vezes a boca dele na minha e ele trabalhar com as mãos. Então o que aprendi no decorrer de quase dois anos foi através do autoconhecimento corporal, da autoanálise do que gostava no sexo.

Cabe ainda dizer que as mulheres que conversei (salvo as GP) taxam o sexo anal como algo pervertido, que somente mulheres “vadias” fazem. É uma repressão sexual enorme! Talvez seja por isso que muitos homens têm em mente que suas mulheres só podem fazer aquele pai/mamãe quase santificado e é na rua que ele pode extravasar suas putarias.

O conselho que posso dar às mulheres: sejam santas na rua e putas na sua casa. Libertem-se das amarras que prendem todo o potencial que você pode desenvolver entre quatro paredes. Quanto aos homens: deem espaço, confiança e fodam com paixão as suas mulheres.

Ah, um fato meio engraçado: eu estava apaixonada por ele e sabia que transaríamos mais cedo ou mais tarde, contudo, ele era tão respeitoso que não dava AQUELES PEGAS. E aí eu ficava naquela… “como será que é o pinto dele?” Pois as amigas ficavam me zuando e falando que eu iria me decepcionar e tals (bobagem). Aí pedi nudes.

Ele ficou consternado… mas mandou… até hoje manda. Tenho umas 100 fotos do pinto dele no meu celular ou na nuvem. Ele fala que gosto mais do pênis do que dele ¬¬

Só posso dizer que ele é normal, carinhoso e faz de tudo para me satisfazer. Ele diz que tento “repor” 28 anos em 1 e que acabarei matando ele! Duvido!

No mais, espero que vocês acreditem, mas acho que encontrei a tampa da minha panela. Estamos morando juntos há um tempo e, como disse, sou budista, creio em carma, em destino e em coisas que devemos passar. Talvez eu estivesse esperando por ele. Ou queria ser tudo aquilo que a minha mãe não era (forte, independente e autossuficiente) antes de me abrir pra alguém. Talvez eu não quisesse ser tão vulnerável, pois o amor que ela sentiu pelo meu pai só trouxe sofrimento. Até que, depois de ter descoberto meu magrelo, descobri como o amor realmente deveria ser. Ao menos pra mim.

Não me vejo sem ele, mas se algum dia ele pisar na bola comigo, não hesitarei em marcar o rabo dele com meu pé. Odiaria olhar no espelho e ver a minha mãe (passiva) no reflexo.

E sim, não demoraria a encontrar outro pra continuar transando loucamente. Tomara que isso não ocorra, porque até agora acho que sou Rogériossexual.

******************************************************

Já assistiu: 3 Erros que os homens cometem ao tirar a virgindade da mulher

Instagram
Share.

About Author

Anônimo

Espaço reservado pros "bródis" e "sisters" anônimos que querem colaborar sem mostrar a cara!

  • Carlos

    Depois com tempo, gostaria de te fazer perguntas mas agora…

    Estou fazendo terapia e da minha própria experiência vejo o seu “Talvez” como algo quase explícito. Você foi explicar a virgindade tardia e o desinteresse até então, e o que escolheu espontaneamente para dizer ? Quase todo o texto está relatando a vida de seu pai, com doses da suspeita de uma mãe interesseira e depois narra um bizarro interesse pela prostituição.

    Do alto de minha pretensão de comentador da vida alheia, proclamo meu veredito:

    Você tem um trauma e dos grandes. Você diz “talvez” por que ele não parece resolvido ainda.

    • Jéssica

      Também achei que ela focou bastante no pai e na prostituição, mas por outro lado acho que ela não tem nenhum trauma, a parte de ter perdido a virgindade tarde não me pareceu que foi por algum problema, foi por que não rolou mesmo (eu acho).

      • Acho que ela quis dizer que o pai dela causou certo trauma de homens, mas tbm não sei se ela é bem isso
        esse lance de trauma é algo tão complexo que muitas vezes nem a própria pessoa entende de forma consciente. É meio sinistro até

        • Carlos

          Pois é… não comprei esta ideia de “escolha”.

          • Leitora

            Esperava uma leitura mais filosófica sobre escolhas e não ler mais um julgando pela superfície. Esperava mais de vc Carlos :/

          • Carlos

            Você está sendo injusta comigo. Onde você viu julgamento?
            A análise que eu fiz, como qualquer opinião pode ser contestada, estar correta ou não, mas superficial??? Por que você ignorou a análise maior que eu fiz? Pode discordar, mas convenhamos, lá eu fui fundo…

            Como falar de sua “escolha” se os porquês e os detalhes não estão no texto, pois tudo ficou resumido a: Um belo dia surgiu o cara certo e tudo começou.
            Acredito que o que você chama de filosófico está mais para abstrato. Os extensos detalhes do teu relato não me inspiraram a abordar questões genéricas.Vi uma pessoa de carne e osso e cpf e tentei abordar neste nível. O acréscimo de que existe frustração na escolha da profissão e que o seu interesse é justamente áreas que se caracterizam pela investigação e análise das pessoas, reforça a minha ideia de que ainda existe conflito interno, que você ainda busca respostas. Afinal você fala tanto em talvez.

      • João Silveira

        Também achei isso.

      • Leitora

        Mais ou menos isso. Não quis que rolasse só por rolar, queria que houvesse algo mais além de tesão.

      • Carlos

        Tinha um vizinho que tinha uma periquita…Como fazia barulho a ave.
        Tenho pra mim que lugar de periquita não é na gaiola. Fiquei com pena da bichinha, imaginava ela voando solta. Com certeza eu e os outros não ouviríamos o barulho.
        As vezes a prisão tem grades imperceptíveis…

    • Mika

      Amigo Bocca, permita-me discordar de uma colocação sua.
      Por mais estranho que lhe pareça, não há nada de bizarro no interesse dela pela prostituição. Mulheres têm uma curiosidade natural sobre esse assunto “proibido” pra nós, porque pertence apenas ao mundo masculino. O que será que elas têm ou fazem de diferente? Existe algum segredo? Alguma mágica? Alguma técnica a ser revelada?
      Não é à toa que um dos lugares mais visitados de Pompeia, cidade soterrada pelas cinzas do Vesúvio em 72DC, é o Lupanar.
      Detalhe: Os romanos não consideravam o homossexualismo uma aberração. Nos prostíbulos romanos o cliente podia escolher os serviços de uma mulher, um homem, ou mesmo de meninas e meninos mal saídos da infância…

      • E oq tem nesse Lupanar de tão bom? Não sei mt coisa sobre lá!

        • Eva

          Oi, Lu!

          Sempre acompanho o blog, há anos, desde a época dos sumidos Samuel, Garçom, etc., mas nunca havia postado. O que eu acho mais interessante por aqui é a diversidade de assuntos e informações, essa troca entre os comentaristas. 🙂

          Por exemplo, acho sensacional um post sobre virgindade levar a assuntos como Pompéia, Vesúvio, lupanário! Desde que assisti, ainda criança, a um documentário sobre a grande erupção do Vesúvio de 79, fiquei fascinada e tinha muita vontade de conhecer as escavações. Agora em outubro finalmente consegui. Lá tudo é impressionante, incrível ver as ruínas de uma sociedade que viveu há quase 2000 anos, imaginar seu dia-a-dia, e também ver o vulcão ao fundo (lindo por sinal, fiz uma trilha até seu cume!), lá longe, e ter a certeza de que somos impotentes diante de sua força… quanto ao lupanário, era o prostíbulo da cidade de Pompéia. Na verdade, quando as primeiras escavações foram feitas, há mais ou menos 300 anos, todos os locais onde havia afrescos com pessoas nuas foram considerados prostíbulos, rs. Após, percebeu-se que na verdade a nudez era apreciada enquanto arte, e que havia pinturas com este tema em locais diversos, nas salas das casas, etc. E entendeu-se que o lupanário sim era um prostíbulo, o maior deles, existiam outros menores. Nele, há pequenas salas onde as prostitutas atendiam aos seus clientes, as camas de alvenaria ainda preservadas, e sobre elas há afrescos onde estão ilustradas as “especialidades” de cada uma. Muitas das pinturas foram levadas para o Museu de Nápoles (pertinho de Pompéia), onde podem ser melhor preservadas, e ficam numa salinha reservada onde a podemos aprender mais sobre a vida sexual desta sociedade devastada pelo Vesúvio. Como bem comentaram Mika e Carlos, o lupanário é muito visitado, e as barraquinhas de lembranças, entre outras coisas, vendes réplicas de pintos, pepekas, calendários com reproduções dos afrescos eróticos, etc. Mas em Pompeia há muito para ver e aprender, o lupanário é apenas um dos fascinantes espaços que há para visitar.

          Sobre o tema do tópico, concordo com alguns que já disseram que ela esperou o seu momento, e que não deveria haver nada de estranho nisso… às vezes temos essa ânsia por buscar explicações psicológicas em traumas vividos no passado para tudo, mas nem sempre há algo do tipo. Eu também aguardei meu momento, que no caso foi aos 19 anos, com meu namorado da mesma idade e igualmente virgem, rs., mas havia sim uma certa pressão das amigas mais próximas, que iniciaram sua vida sexual no ensino médio, e eu morando em uma república em outra cidade, vivendo a vida universitária repleta de festas (saudades), flertes e liberdade, nunca dava para ninguém, rsrs. Enfim, o momento chegou naturalmente, como aconteceu com a leitora… cada um tem seu tempo. 🙂

          Desculpem o texto longo, mas foi minha primeira vez postando aqui, então aproveitei bastante, rsrs.

          • Mika

            Oi Eva, gostei muito do seu texto. Ainda bem que foi você quem esclareceu a dúvida da Luiza, porque já faz mais de mais de 15 anos que estive lá e até o ano da erupção do Vesúvio eu já estou confundindo… rs (aproveitei e corrigi o meu texto lé em cima). Pelo que descreveu, acho que fizemos o mesmo roteiro. O Museu de Nápoles é visita obrigatória pra quem quer conhecer mais a fundo a cultura romana da época de Pompeia.

            Sobre a virgindade, perdi a minha com 22, mas foi uma experiência traumática e não é algo do qual gosto de lembrar.

          • Eva

            Mika, ainda está tudo fresquinho na minha mente, daqui a 15 anos com certeza também vou confundir, rsrs.
            Você chegou a visitar Ercolano? Também foi devastada na mesma erupção, é bem menor que Pompéia, mas achei o interior das construções ainda melhor preservados. Fica bem no “pé” do vulcão, aliás acho incrível como o pessoal vive na encosta dele, inclusive lá no cume tem lojinha de souvenires, kkkk. Sem caralhos, apenas umas esculturas de gosto duvidoso feitas com rocha de lava vulcânica.
            Continuando o assunto sobre virgindade, na verdade é um conceito bem relativo, né… Tem gente que se diz virgem mas já fez de tudo, menos pipi na pepeka, kkkkk. Antes da minha primeira vez eu já tinha beijado bastante na boca, e dado uns pegas com uns dois namoradinhos, mas o máximo que rolava era uma mão boba no peitinho, rsrs…. a diferença que vejo em relação à leitora é que me pareceu que antes do namorado atual ela não se interessava tanto por sexo, já eu, mesmo antes do sexo rolar de fato, já sentia bastante tesão nas brincadeiras. E sempre amei beijar na boca, até hoje, nada melhor do que aquela química que rola quando beijamos alguém que desejamos muito!
            A primeira vez também não foi grande coisa, afinal, éramos os dois virgens… mas havia bastante sentimento e vontade, e aos poucos fomos melhorando. Ficamos juntos por dois anos, e até hoje temos contato de vez em quando, como amigos.

          • Nossaaa, da época do Samuel e Garçom? Faz tempo mesmo e fico muito feliz em saber disso!

            Na verdade, quando vcs aparecem aqui é uma sempre uma alegria, pq é só assim q sei q vcs ”existem”, sabe? Tipo de bater papo e tals, não só de ”existirem” kkkk

            O lance de Pompeia etc eu ia precisar de um historiador, ou alguém q entenda e goste muito do assunto pra poder escrever pro site, pq eu por mim não faria um texto tão legal quanto quem conhece! =((((((((((((((((((((

          • Eva

            Faz tempo meeeeessmo, Lu!
            Engraçado, apesar de nunca ter aparecido, tenho a sensação de conhecer alguns tão bem que acho inclusive que consegui identificar na anônima deste tópico uma das comentaristas assíduas aqui do blog. Claro que não vou dizer quem seria, afinal, ela optou por permanecer anônima, mas não vejo nela nenhum trauma que levasse a “fugir” do sexo ou dos homens, vejo apenas um pouco de dureza e amargura em alguns comentários, talvez uma descrença e desconfiança com as pessoas em geral…

          • goxtei que agora vc apareceu!! kkk

            tem gente q fala “te acompanho ha 4, 5 anos e hj apareci”

            ai eu :wt pq não apareceu antes? kkkkkkk mas eu entendo, nem sempre vcs veem a necessidade, eu q sou animada mesmo kkk

          • Eva

            Gosto da sua animação, sua interação e espontaneidade fazem toda diferença no blog! 🙂

          • tento colocar um pouco de mim aqui todos os dias e fico feliz q aos poucos vão aparecendo um tico de vcs tbm! s2

            eu comento sobre vcs fora daki, é tipo parte da vida q nem vo pra akd, ou ia pra aula etc kkkk

            o povo fala do profe, eu falo d vcs kkkkkkkkkkk

      • Carlos

        Contrariando meu “ritual” de ler e comentar imediatamente, como era um texto esperado, li mas sem tempo de comentar como gostaria. O bizarro que eu vejo está no contexto. Realmente ficou ambíguo.

        Nas cercanias de Pompeia, um dos suvenires mais comuns são os caralhos…
        A turistaida compra aos montes.

        • Mika

          Bizarro mesmo é trazer um caralho de Pompeia de souvenir… kkkkkkk
          Eu consegui resistir e não comprei nenhum…
          Você trouxe quantos? =D

          • Carlos

            Não precisei resistir para não trazer… mas levei pra casa uma lembrança que era o cúmulo do “mau gosto”. de tão ruim achei ótimo.

      • Leitora

        Como disse logo acima para o Carlos. O diferente me intriga. Da mesma forma que gosto de saber pq alguém escolhe seguir o celibato, tbm tenho curiosidade dos porquês da vida de uma GP

    • Leitora

      Olá Carlos, pode perguntar.
      Somente agora vi que a Luíza publicou o texto que enviei a ela.
      Vamos lá
      Por um tempo realmente achei que meu desprezo pelo estilo de vida do meu pai influenciava o meu. Mas, conforme fui amadurecendo, percebi que eu apenas buscava ser o oposto da minha mãe (livre, com uma carreira e independente emocional e financeiramente) e procurava homens com características bem diferentes do “tipo” do meu pai.
      No mais eu vejo que demorei muito por não estar pronta e por dar valor a outras coisas que não envolviam relacionamentos, homens e amores.
      Resolvi abordar bem a parte familiar pq vejo que foram decisivos na formação da pessoa que sou hj.
      Qto as prostitutas. Eu sempre tive uma curiosidade imensa sobre oq as leva a viver assim, pode ser que meu lado frustrado de psicóloga/antropóloga dite isso, pois se eu pudesse escolher uma profissão escolheria uma das duas.
      Cabe ressaltar que padres tbm me interessam ou qqr tipo de pessoa que saia do convencional

  • Victor Holtz

    Oi, moça. Nossa idade é apenas um número. Ela não deve(ria) ser um cronômetro ditando as experiências que somos obrigados a viver.
    Quantas pessoas não estão vivendo dilemas assim: Quando devo sair da casa dos meus pais? Será que estou velha para casar? Queria largar tudo e virar artista de rua. Viver um namoro na terceira idade pega mal? Não amo mais o meu noivo, mas estou velha para desistir do casamento. Não quero me divorciar e recomeçar a vida após os 40.

    Seu interesse sexual surgiu exatamente quando deveria surgir e antes disso você se manteve fiel às suas vontades. Isso é… fantástico! Existe liberdade maior que poder decidir quando você realmente está pronta para viver uma nova experiência?

    Não acredito que seu caso seja raro, acho apenas que sejam raras as pessoas que se assumem virgens após os 20 anos. Algumas pessoas (homens e mulheres) acabam cedendo à pressão social e forçam-se a viver situações para as quais nem estão dispostas ou preparadas.

    Será que vale a pena passar por cima da própria vontade só para estar dentro do convencional?

    Natural mesmo é dar ouvidos aos sinais que seu corpo e mente emitem. Quando eles dizem sim, você vai, quando dizem não, você fica.

    • Luiza

      Que bom ler um comentário desse!

    • Gaia

      Adorei seu comentário! Acho que é bem isso, cada um tem o seu momento. Como ela, eu demorei bastante para ter minha primeira vez, mas foi no momento e com a pessoa que eu quis. E acho que valeu muito mais do que se tivesse ido atrás de todo mundo e transado com alguém de quem não gostava/não tinha química só para estar dentro da faixa etária convencional

    • “Existe liberdade maior que poder decidir quando você realmente está pronta para viver uma nova experiência?”… a parte mais maneira do comentário *clap* *clap*
      assino em baixo

    • João Silveira

    • Nossa, amei o seu comentário. Se muitas pessoas pensassem assim como você, todo tipo de relacionamento seria melhor! Tudo tem o tempo certo. Se rolar respeito, carinho e amor, a pessoa saberá respeitar o momento do outro e assim, ambos aprenderão. Mas na sociedade hipócrita de hoje, é um tema tabu e cheio de reboliços. Então eu me pergunto, onde houve evolução nessa sociedade “moderna” quando se hostiliza a pessoa por suas escolhas sexuais? Muito bom o seu posicionamento, Victor 😉

      • Victor Holtz

        Que bom que pensamos de forma semelhante, Raquel! Como você disse, tudo se pauta no amor e no respeito. Ainda que estejamos solteiros, é necessário amor e respeito por nós mesmos, nosso tempo, nossa vontade e até mesmo respeito ao nosso passado, para que ele sirva de aprendizado e não como combustível para neuras e complexos.

      • Verdade!

        mas acho q as vezes não é nem que hostiliza, tem gente q nem acredita sabe, acham que é migué de tão raro que é

        ou as vezes não seja tão raro, como falaram acima….

        • Aliás, Luiza, adoro este site. É informativo, divertido, polêmico kkkkkkkk e tem conteúdo 🙂

          • e eu adoro vcs

            me divirto horrores kkkkkkkkkkkkkk

            venho todo dia sem falta bater um papo, e quando não dá sinto uma puta falta podem ter certeza kkkk

          • anderson

            Aqui no seu site eu achei um espaço onde eu posso compartilhar as historias bizzaras que eu ja ouvi rsrsrsr

            revelarei agora o meu segredo Luiza:muitas historias eu recebi diretamente sobre a forma de desabafo,porem as mais bizarras eu ouvi de minha mãe:EXPLICO: minhã mãe é missionaria de igreja evangelica,e quando alguem se converte,a pessoa acaba contando pra minha mãe como era a sua “vida pecaminosa”,eu sempre desde pequeno ouvi essas historias como forma de liçao de moral tipo: “nao faça isso ou voce vai acabar como fulano de tal,siga Jesus,ele é o caminho”.

            eu ouvi historias quando criança,que hoje eu adulto sei que se eu abrisse o bico,mesmo hoje,pessoas iriam pra cadeia,pois elas cometeram crimes!!!! tem muita gente no banco da igreja que deveria esta na cadeia!!! conheço muitas historias,algumas engraças,outras revoltantes,muitas são estupidas,mais o fato é :TODAS são VERDADEIRAS,sim ouveram seres humanos capazes de fazer isto que eu lhes conto sempre….

            eu deveria escrever um livro XD

            eu gostei de seu blog pois é um espaço onde eu posso contar essas historias sem preconceitos,avisando os outros sobre as consequências de seus atos,pois tudo na vida tem consequências….

            não se esqueça nunca: “sábio é aquele que aprende com os propios erros,esperto é aquele que aprende com os erros dos outros”

            um abraço Luíza 🙂

          • eu leria o seu livro, com certeza

            vc conta uns lances curiosos mesmo o.O

        • Leitora

          Hostilizam sim, depois é claro, de duvidarem muito. Fui hostilizada por grande parte dos familiares e só tive apoio de duas pessoas. A minha mãe e meu irmão. Ambos defendiam meu jeito de ser com unhas e dentes…
          Chegou ao ponto de numa reunião familiar tias e primas me colocarem na parede para que eu assumisse a minha suposta homossexualidade.
          Aí penso, se eu que tinha uma condição simples (ser virgem) fui tratada com tamanho desprezo, desrespeito e violação da minha intimidade, pense como é a vida dos homossexuais, trans ou sei lá, qqr um que destoe. É foda!

          • João Silveira

            Sinto muito que tenha passado por isso.
            Sério mesmo!

          • não disse q nunca hostilizam, mas que as vezes o povo acha que é mentira, tendeu?

            interessante familia desprezar isso, geralmente muitos acham até fofo, ainda mais se for pai e mãe rs Mas bem, no seu caso não foi isso e aí vai d saber lidar com isso, visto q nem sempre entendem nosso lado mesmo =( e aí depois vc ”ensina” como eles podem lidar tbm, a começar por respeitar a escolha =p

          • mariana cobra

            Tinha entendido. Só um detalhe, meu pai/mãe achavam isso muito legal da minha parte e me apoiaram sempre nesse quesito.

          • Eva

            Oi, Leitora! Vejo aí um problema, detalhes de sua intimidade não deveriam ter sido compartilhados assim com sua família, ser expostos e debatidos… você ser virgem ou não, homossexual ou não, não deveria ser tema de reunião familiar…

          • Hamilton

            Realmente é desagradável esse tipo de coisa. Ofender dessa forma é uma tremenda falta de respeito. E o mais engraçado, os próprios tios e primos fazendo isso. Família é sempre complicada neste sentido. As vezes a melhor solução é tratar com indiferença certos tipos de pessoa, até para pensarem um pouco no que fizeram. Desejo sucesso a você, que você seja feliz acima de tudo e que encontre o parceiro sentimental ideal para sua vida.

    • Paulo

      Sem querer ofender, mas tudo que você escreve parece minuciosamente escrito para agradar exceto talvez, quando chama um Asperger de virjão, impotente e consumidor de sites pornográficos
      Será que você não conhece algum Miguel? iriam se dar muito bem!

      • Victor Holtz

        Não ofendeu =)
        Abraço

        • Ignora Victor

          eu diria que é ciúmes =p kkk

          • Victor Holtz

            Maior preguiça dessas tretas. rs

          • Leitora

            Pq todo mundo tá com tanto mimimi com relação a proteção da sua intimidade? Eu mesma fui orientada pela Lu a postar como anônima …. Vai entender essas cabeças de prego que SÃO fakes e te enchem o saco por tbm esconder quem realmente é.

          • Victor Holtz

            Oi, Leitora!
            Antes de mais nada, quero dizer que admiro sua coragem de compartilhar sua história. Mesmo sem mostrar sua identidade, ainda assim é preciso fôlego. Algumas memórias doem tanto que a gente quer mantê-las escondidas até de nós mesmos. Espero que essa catarse tenha lhe feito bem e que os comentários a tenham ajudado =)

            Sobre esse debate paralelo, acredito que o problema está mais ligado à minha opinião do que à minha identidade. Antes, eu usava uma foto fake e apenas uma pessoa me questionou. E olha que essa pessoa fez isso de forma bem discreta e em particular, o que me levou a refletir bastante sobre o tema.

            Parece que meu jeito de escrever e algumas opiniões se assemelham com a de um cara que passou por aqui. Mas…se o cara era bacana, podem me comparar com ele. Se puderem me comparar com gente mais legal ainda, por favor! rsrs

            Acho que as pessoas arrastam mágoas de outros posts passados. E eu até entendo. Às vezes sou estúpido, mesmo que digam que quero agradar a todos. Mas estou trabalhando nisso. A meta é, sim, agradar a todos. Por que haveria de ser o contrário? Que minhas palavras sejam sempre uma mola que impulsiona para cima.
            Vez ou outra você me verá falhando burramente. Sou humano, e é isso que fazemos. Mas a meta é dar um up na galera. Já tem gente à beça nos jogando pro fundo do poço. Precisamos de mais mãos que nos ajudem a sair dele.

            Obrigado por comentar. =)

          • Paulo

            Serio???? se esta zoando né?
            se fosse pra ter ciúmes seria do Danilo Gentili que é bem pago e tem milhares de fãs, falando o que quase ninguém quer ouvir.
            Já leu uma serie chamada Nightwatch, uma das primeiras lições de Anton o protagonista é como conseguir identificar um daywatcher, então estava brincando de caça ao daywatcher e aproveitei para tentar invocar o cracked e Omagnifico que eram bem legais, mas já que vc não gostou vou pensar em outro jogo! Um salve para todos os participantes!

          • Victor Holtz

            Ela disse “ciúmes” e não “inveja”, são diferentes. Acho que você vestiu a carapuça errada. Mas não se importe tanto, jovem. Vá ser feliz. =)

          • Paulo

            então provavelmente nem saberia diferenciar não tenho nenhum, na verdade não tenho um monte de reações, é que escrevendo posso demorar bastante tempo por isso não da pra perceber mas ao vivo veria que tenho muita dificuldade com situações não lógicas, Algumas vezes preciso de ajuda para interpretar certas situações que para outros são comuns do dia a dia, em outros casos tenho que catalogar a reação de um numero X de pessoas
            tente não se ofender e continue participando!

          • Victor Holtz

            TKS
            Câmbio

          • Paulo

            hahahaa código Q aprendi esses dias com a equipe de segurança do hospital!

          • nossa, deu saudades do Mag

            quando ele não tava d mau humor e pentelho, dava muitas risadas kkkk

          • Paulo

            então ele não apagou o perfil, e não tem como vc negar que esse membro novo parece muito com o Miguel, então vai q omag ainda anda por aqui e sendo ele o “inimigo” do Miguel achei que talvez ele desse o ar da graça se eu tornasse a semelhança evidente, mas como nem todos os meus planos são infalíveis, não deu certo
            Tristeza dupla aqui kkkkkkkk

          • nossa Victor e mag não tem nadaaa a ver

            c fumou? kkkkkkkkkkkk

          • Paulo

            nossa se foi isso que vc entendeu eu to escrevendo muito mal! kkk
            vamos tentar de novo, lembra do Miguel o que todo mundo falava que era lindo e tal? do que ele era chamado pelo omag e pelo alex? “Miguel o demagogo” e pq? todos o relatos do cara eram politicamente corretos e feitos para agradar a todos, tanto que recebia um monte de likes
            Ate que um dia o cracked revelou que era um fake e esse Miguel sumiu, mesmo considerando que o que ele relatava parte era verdade, quando a credibilidade dele foi pra vala o cara apagou a conta, poderia ter explicado o lance do fake, mas preferiu sumir

            considerando que esse Miguel foi um dos que mais criticou um leitor que tinha conquistado uma menina com um perfil fake vc acha que tinha alguma verdade nos relatos do cara?
            no fim omag e também o Alex que sempre criticaram o cara e eu que desconfio de tudo que é demais, estávamos certos

            Tempos depois surge um cara com o mesmo modus operandis, e coincidentemente com o mesmo efeito (lembra que omag reclamava que era só falar algo do Miguel que vinha alguém defender, repara que vc ja veio me dar uma agulhada), não entrando em detalhes do pq, mas não acredito que essa pessoa seja assim como ela quer passar, do mesmo jeito que desconfiava do Miguel
            Então pensei que se colocasse essa semelhança COM O MIGUEL em evidencia omag apareceria pra fazer alguma piada do tipo “será que não é o Miguel com outra conta” ou o cracked entregando mais um fake! entendeu?!

          • Victor Holtz

            Não sou politicamente correto, essa é só a porra da minha opinião! Se minha intenção fosse “agradar a todos” eu estaria tratando você como um coitadinho, tal como você gostaria de ser tratado, já que usa sua “síndrome” pra justificar tudo que fala.

            Esse site é um espaço muito legal pra trocar ideia de maneira saudável com as pessoas. Não estrague essa experiência! Se não gosta da minha opinião, comente algo diferente, acrescente outro ponto de vista à discussão em vez de ficar implicando com o que eu penso ou deixo de pensar.

            Não vou dar corda para as suas provocações infantis. Você parece uma garotinha de 09 anos fazendo picuínhas com as colegas.

            Eu vou continuar comentando o que eu penso, e no momento eu penso que você tá precisando ir dar meia hora de bunda pra ocupar melhor seu tempo e parar de pensar tanto em mim.

          • Paulo

            O Miguel 2.0 ta fugindo do personagem ae, volte algum postes no seu Pc e veja quem respondeu algo que nem era direcionado a ele.
            vc que começou a brincar agora vai chorar? uhaushuhuhauhsuahu
            Pensando melhor acho que é Miguel 0.5, pois o cara não derrapou tão rápido assim e por falar em tempo, pra quem estava com preguiça dessas tretas (eu não vi nenhuma treta) você não para de participar, mas como eu sei que vc só disse isso pra agradar a Luiza ta de boa!
            Mas ta bom por hoje, outro poste a gente brinca mais de faker x faker
            #partiugarotinhade9anos! uhsuahushuhsuhuahushsuhuaasaiajhsah

          • Victor Holtz

            Eu sei que você ficou magoado por eu ter te chamado de “virjão” num outro post. Eu continuo com preguiça de qualquer pessoa que leve likes tão a sério. Dá próxima vez que eu comentar, vou pedir para todo mundo que concordar comigo não positivar o comentário, assim você não se aborrece, ok? Ou será que preciso ofender mulheres gordas pra sair do meu personagem politicamente correto?

          • mas vc tbm não é “fake”? Vc mesmo colocou foto aqui por um tempo, reclamaram e vc mudou

            do que importa isso? Que diferença o cara de pedra ser o cara de pedra, o Pedro ou o Alfredo? Oq importa é q oq ele escreve é muito mais real do que “gente real” que encontramos por aí. Isso na minha humilde opinião, né?

            O Victor pra mim é a mesma coisa: se ele tiver quatro olhos e contribuir pra minha vida, vo querer contribuir pra dele tbm, Além do mais, isso aqui é uma comunidade de amigos, não é par perfeito pra ficar se importando com aparência não

            Agora assim, se alguém se pegar ou casar por favor quero saber kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Paulo

            Um dia escrevo um texto sobre a abrangência do que pode ser considerado faker, te garanto que é muito mais do que possuir um perfil falso, já que faker não nasceu com a internet, assista “Prenda-me se for capaz” com Leonardo DiCaprio é um bom exemplo do que pode se denominar falsário.

            vc fala tanto do par perfeito que tenho curiosidade de ver como é, mas tenho medo das tiazonas, ja fui agarrado por uma kkkkkkkkk
            Quanto a se pegar ou casar vai ser difícil com todo mundo namorando, a única que sei que não é uma que tem um filho, que é um ultra repelente para um intervalo de idade masculina.

            cadê sua amiga filha de diplomatas faz uma ponte ae, o pai dela ia ser bem útil suhuahsuhushuhsuahush

          • ela tem namorado e já disse q não sou par perfeito kkkkkkkkkk

          • Victor Holtz

            Luiza, já falei isso antes, mas é sempre bom repetir o quanto você faz a diferença para esse site não ser só mais um espaço “frio” na internet. Estar por aqui é como estar num bar, tomando uma breja, cercado de pessoas diferentes, com vivências e histórias pra compartilhar.

            Eu esperava encontrar um site cheio de pessoas se agredindo pra ver quem tem razão. Mas as armaduras que criei não são mais necessárias aqui. Seu site é humano, é caloroso, tem uma vibe boa, é a sua cara.

            Só tenho a agradecer a você por ter sido parceira de verdade, por ter me dado um “abraço por email” quando eu estava me sentindo um lixo por magoar uma pessoa. Você fez eu me sentir parte disso e me motivou a continuar por aqui.

            Hoje eu dou, literalmente, a minha cara à tapa, graças a você (e à Nat também, que foi gigante comigo).

            Por me deixar à vontade para ser 100% eu, obrigado! É libertador e, como você disse, nada mudou.

          • Tava falando com a outra Nat essa semana: não é porque é meu site, mas eu tenho muito orgulho do povo inteligente que passa por aqui. Eu obviamente não sei sobre tudo, então tenho vcs para me ajudar a escrever sobre coisas, e claro, pra me fazerem companhia em muitos dias que são chatos ou legais pra caramba e tenho vcs pra dividir kkkk

            E é oq sempre digo, eu não ligo pra isso de fake ou não fake, acho que o povo perde muito tempo tentando saber quem é quem. sendo que ao menos pra MIM, oq mais importa é oq vcs escrevem. E acima de tudo, serem educados pra manter o site numa vibe boa (mas isso vc tem de sobra). Tbm fico triste quando aparece alguém aqui “brigando” e a outra pessoa some, sendo que dava simplesmente pra ignorar. Eu ao menos faço isso. Sem contar q ajuda no autocontrole kkkkkkkkkkkkkkkk

          • Victor Holtz

            Eu mesmo já pensei o contrário. Lembra quando te falei do Herus, que achava ele um fake que inventava histórias só para chocar todo mundo? E VOCÊ me fez pensar diferente, dizendo que isso não importava, pois ele falava coisas que muitos pensavam mas não tinham coragem de comentar. E é a verdade. O que pesa é o que a pessoa diz. Eu mesmo tinha receio de que meus comentários pudessem pegar mal para minha vida pessoal, e na verdade rolou o contrário, tem gente se incomodando porque to sendo “demagogo”. rsrs

          • Exatamente!! Mesmo que o Eros chame Alfredo e tenha cara de repolho, ele fala oq muitaaaaaaa gente pensa e isso é extraordinário pro meu aprendizado e pro de muita gente aqui q é curió que nem eu kkkkkkkkkkkkk

            Sabia que no começo desse site nem eu mostrava a cara? kkkkkkkkk Hoje em dia mostro, o povo me reconhece na rua, posso abraçar pessoas, conversar com elas. Conhecer pessoas incríveis como a Nat budista (a outra ainda não conheci)

            tem gente qme xinga, q fala que sou falsa, mas tem gente que me ama e fala q fui útil na vida da pessoa. Acha q vou me importar com quem?

            Desde nova sempre gostei de pessoas q me tratam bem, amigos q me tratam bem, namorar quem me trata bem, etc. Levei isso pro site, quando vc bota a cara na Internet, vc recebe de TUDO, mas de tudo MESMO

            e as pessoas te amam e te odeiam pelos mesmos motivos, agora vai da inteligência de cada um pegar a melhor parte, e fazer até da ruim uma parte boa a partir da experiência que adquiriu com aquilo. Aqui tbm me fez aprender a me foder ou me dar mt bem e escrever texto pro site kkkkkkkkkkk

            tudooo tem um lado bom, isso pra mim é tão certo quanto 1 + 1 = 2

          • Victor Holtz

            Eu já amo esse site!

          • s2 s2 s2 s2 s2 corrassaummmmmmmmmmmmm!

          • Carlos

            Luiza, repetindo o que eu disse para a leitora.

            Acho que está havendo uma enorme confusão entre fake e anonimato.
            Uma coisa é falsidade, outra é discrição. Omitir não é sinônimo de mentir, embora as vezes andem juntos.

          • bem, isso daria uma longaaa discussão que é melhor nem começar kkkk prefiro resumir em sendo educado e trazendo algo de útil tá ótimo kkkkkkk

          • Carlos

            kkkkk eu sei. Só que essas definições de fake acabaram respingando em mim. Logo eu, tão verdadeiro. kkkkkkkkkk

          • pior q é kkkkkkkkkkkkkkkkkk

            vcs são meus amores, ninguém mexe kkkkkk

            nem vcs, nem as meninas

            sou tipo aquelas tiazonas protetoras kkkkkkkkkk(pior q eu faço isso na vida real, tinham q me ver na última reunião de síndicos defendendo uns lados aí kkkkkkkkkkkkk. Acho que o povo pensou ”nossa a menina simpática q sempre conta piada no elevador agora virou a pomba gira” kkkkkkkkkkkk)

          • Wana

            Clap clap clap, para quem não sabe isso quer dizer “palmas”.
            Como sempre demonstrando inteligência, parabéns.

          • Leitora

            Mas vc tbm se esconde. Oq te diferencia do Victor?

          • Paulo

            não vou mais falar dele por hora senão ele vai querer me responder tudo bem!
            mas me responde um negocio pessoa que também pode ser faker, pq da pergunta? já levantei a hipótese de muita gente ser faker ele só foi mais um pode confirmar com a Luiza, pq agora surgiu vc?
            se é pq vc leu e entendeu a referencia dos Nightwatchs te passo ate meu telefone, agora se vc apenas se sentiu mal pelo cara, aconselho ignorar minha existência ou vai entrar no jogo e dentro dele vc vai acabar falando coisas obscenas e ofensivas para mim e Jesus chora quando as pessoas ofendem outras, não faça Jesus chorar! kkkkkkkkk

          • Wana

            Lu,eu pessoalmente não gosto do Paulo/Alex/Magnífico, mas ele pegou na veia desta vez, isso não podemos negar.
            Até fotinha de um cara de barba ele escolheu, acho que é tara. Será?
            Os nomes mudam, as fotos mudam, mas o estilo de escrita é sempre o mesmo, e isso vale para todos nós.

          • Victor Holtz

            Oi, cara. Desculpe me meter na mensagem que você enviou para a Luiza. Mas como o assunto é meu comentário, acho que de boa responder.
            Não sei se você reparou, mas quando entrei aqui pra comentar, nem minha foto eu usava, justamente para poder falar o que eu penso sem expor minha cara.
            É engraçado que quando eu finalmente coloco uma foto minha, aí surge alguém pra chamar de fake, e quando eu estava com outra foto ninguém se manifestou. Se eu trocar a foto por uma imagem aleatória, posso comentar em paz? É isso que está incomodando?

            Não faz diferença se você acha que sou Miguel, Alex, Magnifico ou quem quer que seja. As pessoas podem acreditar que sou quem elas quiserem. Eu estou mais interessado em trocar ideia de boa com as pessoas. O intuito era esse, né? Ou to errado?

            Se você achou que eu to muito bonito na foto, não deve ter reparado na outra que eu usava antes, era bem mais interessante.
            Eu conheci esse site não tem nem um mês e vou continuar participando até quando me der vontade, gosto daqui e de boa parte das pessoas.

            Tem um monte de gente que é fake, mas não faz diferença pra mim. Começa a fazer diferença só quando as opiniões ofendem, aí eu me incomodo. Do contrário, cada um que seja o que quiser. Vlw

          • Eu gosto tanto de 90% das pessoas q estão aqui, não briguem por favor kkk

            na real Victor, Paulo e Wana, a única pessoa q já me tirou muito do sério nesse site foi o Alex, que era um cara superrr legal, mas do nada ficou parecendo q queria ser o revoltado que queria chamar atenção a todo custo e tive que banir. Até o pequenino e o João eu gosto, só não gosto quando eles SÓ falam da mesma coisa em todo post, mas o coração deles não tenho dúvida que é bom
            No mais, eu ainda falo que vamos por favor inventar um instrumento do tempo, assim todo mundo entra nele, tomamos um suco e voltamos pra nossas casas. ia ser tãoooo lindo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Leitora

            Nossa Lu, quanto mimimi chato pelos fakes né. Desse jeito fico até constrangida por ter redigido anonimamente e tbm comentar usando fake.
            Povo bobo. Oq vale é a opinião…

          • Carlos

            Acho que está havendo uma enorme confusão entre fake e anonimato.
            Uma coisa é falsidade, outra é discrição.
            Omitir não é sinônimo de mentir, embora as vezes andem juntos.

          • Wana

            Acho que era paixão dele por você.
            E amor não correspondido as vezes desgringola.

          • pior q quando alguém fica muito querendo discordar de tudo que eu digo e pagar de revoltado desconfio que é paixão mesmo kkkkkkk

            pq sério, uma vez ou outra, ok, normal ninguém concorda o tempo todo

            Mas SEMPREE rola de questionar kkkk

          • Mas se ele for o Miguel tá ótimo, adorava o Miguel: achava um cara educado, coerente

            e se não for, tá ótimo tbm kkkkkkkkk

            oq eu tenho de vcs? Oq vcs escrevem para um dia nos conhecermos pessoalmente. Enquanto isso, a escrita basta. Não vou ”comer” ninguém mesmo kkkkkkkkkkkkkk

          • Wana

            “Não vou ”comer” ninguém mesmo kkkkkkkkkkkkkk”. Com essa eu desanimei. As minhas esperanças já eram, então vou para um retiro, é a única solução que me restou.

            Adeus mundo cruel.

          • meu sonho é conhecer um retiro kkkkkkkk

    • anderson

      mano,um dos dilemas que voce citou eu já vivi,bem na epoca que eu estava me perguntando se devia sair de casa,meu pai sofreu um acidente de trabalho e perdeu parte do joelho esquerdo,então eu decidi ficar e cuidar do meu pai até ele falecer,ajudando a minha mãe a cuidar dele,hoje o meu pai tem 77 anos e é um idoso super carinhoso,eu pago os medicamentos de idoso dele,e se uma mulher hoje quiser se relacionar comigo,vai ter de entender que eu não irei abandona-lo por um rabo de saia,e se não quiser entender,então é FODA-SE pra vadia,o que mais tem no mundo é utero vazio só esperando os meus espermatozoides XD,

      Obs:já estou farto de mulheres egoistas,só porque voce se relaciona com elas ,elas exigem que voce quebre todos os laços com amigos,familia,etc.tem que viver só pra elas,telefone toca de meia em meia hora perguntando onde voce tá isso é um porre!!!!

      • Victor Holtz

        Cara, que sorte dos seus pais terem você como filho. Se a moça tiver juízo, ela dará valor para as suas escolhas.

        • anderson

          Pra voce ver meu amigo,peguete já disse NA MINHA CARA que eu era OTARIO por cuidar do meu pai idoso,tem gente que iginora o fato de que um dia vai tambem ficar velho,aí depois os filhos abandonam a pessoa num asilo e aí vai ficar chorando né??? XD

          • Victor Holtz

            “Cuide de quem corre do seu lado e de quem te quer bem – essa é a coisa mais pura”.

          • anderson

            sabias palavras

      • Leitora

        Sorte dos seus pais de terem ao lado uma pessoa de coração tão bom

    • Leitora

      Amei seu comentário pq ele exprime bem oq passei. São poucas as pessoas que entendem isso e a pressão social é muito grande, começando da própria família que te vê como um mutante.
      Difícil destoar e seguir firme nos seus próprios princípios e forma particular de se levar a vida.
      Quem sabe haja alguém na mesma situação e veja que não é nenhum(a) aberração.

    • Gabriel França Voitch

      realmente complicado hehe sofremos pressão pra todos os lados.Nós homens tb sofremos mto se nos mantemos virgens depois dos 20

  • Luiza

    Discussões a respeito de virgindade pós 20, 30 anos, sempre me intrigaram, porque parece que todo mundo sempre tenta achar a razão (o mais lógica possível) para a pessoa ainda ser virgem. Normalmente apontam o que a moça escreveu no início do texto, né…

    Bom, o que eu posso dizer é que tenho 25 anos, sempre vivi com uma família bem comum, normal, com pais casados há muuuuuuitos anos, classe média, enfim. E eu sou virgem. Por algum motivo que não sei explicar, sexo só começou a ser do meu interesse há pouco tempo. Também não sei explicar porque eu me relacionava com alguns caras, mas simplesmente não queria ir para a cama com ninguém. E olha que eu gostei mesmo de alguns. Eu entendia as insinuações, mas não era do meu interesse.Mulheres nunca me atraíram, aliás.

    Eu me lembro de quando as minhas amigas começaram a me contar sobre como perderam a virgindade e sobre como eu não conseguia me imaginar com ninguém. E eu também me lembro de ficar com muita vergonha por não querer o que me disseram que eu deveria querer, hehe.

    Na verdade, não acho mesmo que virgindade aos 20, 30 anos seja uma coisa rara, como o Victor Holtz, num comentário abaixo, disse. É que ninguém fala nisso e quando alguém cria a coragem de dizer, muitos querem te tratar como se você fosse uma anormal. Enfim, não vejo anormalidade nenhuma em nada disso. Bom mesmo é a gente conhecer o nosso próprio tempo.

    • Luiza, má que nome =)))))))))))))))))))))))))))))))
      e vc saberia dizer oq te fez voltar a ter vontade sexual, algum menino em específico, algum acontecimento diferente?

      • Luiza

        Olá!!!! =D
        Na verdade, não sei como te responder. Acho que só era uma coisa que estava adormecida em mim. Não aconteceu nada em específico. Alguns começam a se interessar por sexo com 15, outros com 18… Pra mim, sexo começou a ser uma opção só agora.
        Autoconhecimento ajudou com esse despertar, hahaha. Conhecer meu corpo e minha cabeça, sabe.

        • faz todo sentido Lu!

          • Victor Holtz

            O comentário da Luiza me fez pensar que isso deve acontecer bastante também com homens. Quantos meninos não se sentem pressionados a perderem a virgindade? Isso não deveria ser uma questão. Só se torna um problema a partir do momento que existe um desejo reprimido, uma vontade impedida de ser realizada, um bloqueio, um complexo. Mas quando não há vontade, ok.

    • anderson

      levando em conta as historias HORROROSAS de primeira vez que eu conheço,tanto masculinas quanto femininas,só lhe digo uma coisa:VOCE NÃO PERDE NADA POR ESPERAR MOÇA!

    • Leitora

      Realmente Luíza. Os “talvez” utilizados logo no início e terrivelmente interpretados por alguns se remete ao fato da procura insana por explicações, quando devia apesar ser.
      Se temos que nos explicar sendo virgens ou nos envergonhamos ao expor a nossa situação, imagine os gays, trans, assexuados e por aí vai.
      O mau da sociedade é isso, esse julgo desnecessário e foi isso que tentei mostrar através do que passei.

    • Hamilton

      Acho que tudo na vida tem o seu momento. Você tem que fazer as coisas da sua vontade e não dar atenção ao que as pessoas disseram que você deve seguir. Evitar ser influenciada por pessoas a fazer o que elas querem, e não o que você realmente quer.

    • Bruno Marcio

      Em um mundo ideal, as pessoas perderiam a virgindade entre os 19-23 anos ( e um pouco mais tarde, não há problema, depende da convicção da pessoa ), não entre 13-15 anos. É o que penso.

  • Mika

    Amiga, acho que tudo o que você escreveu serviu pra explicar o que não precisa de explicação. Eu voto pela simplificação: Você não se interessou realmente por sexo antes, porque estava concentrada em outras coisas, nos problemas familiares, seu trabalho, seus estudos, sua independência financeira e amadurecimento pessoal. Quando as primeiras conquistas vieram, a poeira começou a baixar e sobrou espaço pro amor.
    Quanto aos seus pais, acho que você está empenhada em melhorar o relacionamento, o que já é um grande passo. De resto, só o tempo dirá.
    Sobre prostituição, só acharia um problema se você sentisse necessidade de experimentar a coisa. Do contrário, não vejo nada de anormal em querer conhecer um puteiro e conversar com as “moças”. Confesso que também tenho essa curiosidade… rs.

    • Victor Holtz

      Seus comentários são ótimos =)

      • Mika

        Obrigada. Também gosto muito dos seus… 😉

        • anderson

          pior que conheço historias parecidissimas com essas aí XD

    • tbm já fui conversar com as moças kkk
      inclusive tenho uma amiga GP que as vezes comenta aqui. Elas sabem mts coisas que não sabemos, ou melhor, todo mundo sabe algo q não sabemos kkkk

    • UNs tempos pra cá… digitei a palavra documentário no youtube e saiu isso aqui… é curioso

      https://www.youtube.com/watch?v=7v0XhQ_ObIk

      • Victor Holtz

        FODA! 15 minutos intensos, de risadas, espanto, tristeza, reflexão…
        Muito dignas essas mulheres.

        • O que eu achei mais curioso… é que quando brota na tv uma ex garota de programa… eles põe uma mulher naipe atriz porno… peito grandão de silicone, cinturinha violão… aí quando a gente encontra um semblante de vovozinha nunca se passaria pela cabeça que é uma mulher que faz programa…
          Vários pontos pegam a gente nesse video… um deles tbm foi ver o quão a maioria delas fica desacreditada no amor entre duas pessoas…

          • Victor Holtz

            Pode crer, pensei a mesma coisa.
            Não acho que seja uma profissão salutar e nem aconselhável. São muitos riscos, muitas situações desagradáveis, muita desvalorização, humilhação, preconceito, desgastes físicos e emocionais. Mas continuam sendo dignas. Uma frase que me chamou atenção: “Se eu soubesse que existia prostituição antes, meus filhos nunca teriam passado fome”.

          • é complicado cara… eu seria a favor da prostituição, mas não sou…
            a situação do nosso país é muito complicada pra regularizar essa profissão… não diminuiriam as formas de opressão e segregação… só aumentariam… e nós pagaríamos um preço mais alto do que já pagamos por tanta merda que acontece nessa sociedade tão lixo….

      • Grelo grande tem q tomar cuidado pra não morder kkkkkkkkkkk

        morri

        gostei do vídeo!

    • João Silveira

      Muito bom!

      • Mika

        😉

  • Rodrigo Silva

    Tudo é uma questão de escolha… É ela escolheu. Não vi nada além disso.

  • S2SunsetS2

    Confesso que o seu relato me fez voltar no tempo, há pelo menos uns 15 anos atrás, quando eu fui com uma colega de trabalho numa casa noturna e nunca tive coragem de contar isso pra ninguém. Na época eu era solteira, e ela pediu para que eu e mais uma colega fôssemos com ela, porque ela tinha recém descoberto que o marido dela frequentava o lugar e ela queria ter noção do que as mulheres faziam lá. Não me recordo totalmente, mas o que eu me lembro era de mulheres simpáticas, bem arrumadas e que faziam de tudo para agradar qualquer homem que entrava. A única coisa que não me esqueço, era de um velho que parecia ser muito rico que elas o tratavam muito bem, e havia até uma certa “competição” entre elas para conseguir ter a atenção dele.

    Bom, agora falando com relação ao tema, de você ter permanecido virgem por um bom tempo, consegui compreender muito bem, pois você me pareceu uma pessoa muito clara e decidida do que quer e o que não quer e se ainda não havia encontrado alguém que realmente você gostasse, você não me parece o tipo de mulher que iria transar apenas por transar. Agora, eu fiquei com dúvida na última frase do texto: “E sim, não demoraria a encontrar outro pra continuar transando loucamente. Tomara que isso não ocorra, porque até agora acho que sou Rogériossexual”. Será que você está não está gostando de transar loucamente porque é com o seu noivo (pessoa na qual você está gostando de verdade) ou é porque realmente o seu apetite sexual mudou? Pode ser que as duas coisas aconteceram em conjunto por causa de diversos motivos, mas no meu ponto de vista, é difícil você conseguir ter certeza disso porque a sua visão sobre sexo é mediante ao que você tem vivido com seu noivo agora, não há como ter certeza mediante suposições. Não sei se consegui me expressar direito, pode ser que eu esteja errada, mas esse é o meu ponto de vista.

    • esse velhinho devia se sentir o pica das galaxias lá, oq sabe-se se lá se não o fez preferir o ”puteiro” do que a vida real, rs

      • S2SunsetS2

        Se sentia o máximo mesmo. Sabe, traduzo tudo o que vi lá em geral em uma só palavra: solidão.

        • simmm

          e carencia, e baixa autoestima, e falta de mulher rs

          • anderson

            na verdade muita vezes falta ao cara aquele “parangolé a mais” e tem outra,por orgulho homem nenhum nunca vai dizer isso pra voce Luiza então anota aí: “os amigos fazem vaquinha para o cara que é timido perder a virgindade no puteiro” é mais comum do que voce imagina,geralmente se faz supresa no dia do aniversario do cara,diz que vai pro barzinho,aí arrasta o brother de supresa pro puteiro com tudo pago pelos “amigos”

          • e geralmente eles vão? kkkk

          • anderson

            geralmente é assim:o cara só descobre que tá num puteiro,quando dá de cara com as “muié”já que o ingenuo não conhece a armadilha,aí vai pro quarto,e a galera se amontoa na porta,quando a muié completa o serviço,agente INVADE o quarto com cerjevas geladas na mão,joga na bunda do cara que está nu e no meio do coito com a muié,nisso todo mundo gritando:PERDEU O CABAÇO!!!PERDEU O CABAÇO!!!PERDEU O CABAÇO!!! XD

            eu mesmo já contribui 3 vezes pra vaquinha…é muita zoeira,muitos sonham em fazer essa zoeira,porem ela só é feita pros melhores brothers que são virgens,amigo “comum”não participa,só “brothers”e homem nenhum nunca vai adimitir isso pra mulher nenhuma,nem pra esposa,nem mãe,nem filha,é tipo uma despedida de solteiro pro cabaço do cara 🙂

          • mas gente…….

            kkkkkkkkkkkk

            será q mais alguém aqui do site ficou sabendo disso?

          • Victor Holtz

            Orra, tenho um amigo que o pai dele pagou pra ele e mais três amigos. Ainda bem que eu era amigo! =DDD

          • c perdeu a virgindade com gp? e como foi? kkk

          • Victor Holtz

            Antigamente era meio “normal” ir num puteiro quando fazia 18 anos. Quando fui não era mais virgem, mas era bem inexperiente pois só tinha namorado uma única pessoa e raramente rolava oportunidade de transar rsrs Mas eu não curti a experiência no puteiro, não. Sou muito gayzinho acho.

          • e pq não curtiu? Conte-me detalhes kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            e toda puta é boa d cama mesmo? rs

          • Victor Holtz

            Eu não curti por questões pessoais mesmo, acho que qualquer um com mais experiência teria se amarrado. A moça foi super carinhosa, mesmo eu sendo um estranho. Deve ser por isso que tantos caras buscam prostitutas, elas fazem você se sentir especial, elevam sua autoestima, mentem que seu pau é o mais gostoso do mundo e que elas não costumam gozar com nenhum cliente, “só com você”. No fundo elas sabem que um homem se conquista muito pelo ego. Faça ele se sentir competente, ainda que ele não seja, do contrário, ele não volta. Se for pra ouvir a verdade, ele transa com a esposa. rs
            Como era uma situação nova, o peso de mostrar serviço me deixou tenso e acabei não curtindo. Hoje eu não toparia porque gosto de exclusividade, e vai que eu me apaixono por uma GP? Já pensou que problema pra cabeça?

          • caralho, isso daria um texto kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            muito bom!!!

            victor, me diga uma coisa, qual é a sua formação?

            E seu nome é victor ou outro? (não precisa falar o nome real)

          • Victor Holtz

            Sou formado em publicidade e meu nome é Victor mesmo.

    • Leitora

      Falei num tom de brincadeira, difícil encontrar alguém e não pensar que seja para sempre. Ele é um cara muito bacana e se depender de mim só haverá ele. Contudo, se um dia nos separarmos eu penso que a vida segue. Provavelmente demoraria até me abrir novamente a outro, mas eu sei que pela minha atual condição eu talvez estaria mais aberta ao “novo” hoje que há 29 anos atrás.

      • S2SunsetS2

        Sim, entendo, vivemos em uma constante evolução. Gostaria de dizer que eu me identifiquei em muitas coisas que você mencionou no relato, acho que voltei no tempo, há pelo menos uns 13, 15 anos atrás, rs. Bom, desejo-lhe felicidades e parabéns pelo texto!

        • Leitora

          Obrigada. Espero que as respostas não tenham ficado confusas. É difícil ler e responder via celular :/

          • S2SunsetS2

            Não, não ficou, consegui compreender sim. Com relação ao relato, na verdade, eu queria mostrar um pouco mais meu ponto de vista mas vou ser sincera, eu sou muito melhor com números do que com palavras, e talvez não conseguiria me expressar com clareza, rs.

  • No final nada agrada todo mundo… a menina transou cedo = “não segurou o fogo que tinha no rabo”
    A menina é virgem até os trinta =” deve ser feia, frígida ou tem algum problema psíquico…”
    A pessoa mora com os pais = ” é irresponsável, não tem coragem de ser independente”
    Namora depois dos 50 = “não se toca que já tá velho”
    …eu podia listar 50 coisas assim… mas acredito que a maioria dos adultos são crianças aumentadas apenas em tamanho fisiológico sem entender muito bem aquilo que elas tanto apedrejam ou enaltecem…
    A moça desse relato exerceu a liberdade de escolha mais desafiadora, que é exercer sua autenticidade…

    • Victor Holtz

      Isso mesmo. E para quem a julga “estranha”: Estranho é você, que se impõe obrigações para agradar quem não tem nada a ver com sua vida.

      • anderson

        na boa ela não perdeu nada por ter esperado,eu acho que ela ganhou isso sim!!! ganhou muito auto respeito,quantas historias tristes que eu conheço de amigas minhas que perderam a virgindade cedo demais com o cara que não merecia e se arrependem amargamente,quantas historias eu já ouvi de moças em meio as lagrimas me dizendo que se entregaram por amor e no dia seguinte ficaram sabendo que o cara contou pro bairro inteiro que tinha “estourado” elas,há meu amigo….eu podeira escrever um livro sobre as historias que eu conheço 🙂

        • Victor Holtz

          E, tem mais: pelo que ela descreveu, a vida sexual dela está indo bem. O que mostra que não perdeu nada em qualidade.

          • anderson

            mas com certeza XD

    • mt bom kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

  • Carlos

    Quando você comentou que sua sexualidade começou tarde, mas nem por isso
    iniciou devagar, já ligando direto no 220v, te incentivei a escrever este relato, por que parecia algo bem fora da curva. Parecia…

    Aquela descrição breve dos comentários, de que você teve sempre um desinteresse e de repente ao encontrar “a pessoa certa, acordou”, intrigava. Por que a sexualidade de uma pessoa não surge num piscar de olhos, é uma longa construção. O que acontece é que tudo neste campo é cercado de tabus, regras, contradições e desinformação. A reação mais típica das pessoas, é colocar boa parte, senão tudo, no plano do subconsciente. A homossexualidade é um bom exemplo disso. São inúmeros relatos de gente que se “descobre” com idade já avançada. E, muitas vezes, esta mentira não é contada apenas para o os outros, mas ocorre internamente também.
    O que salta aos olhos no seu relato é a associação direta do sexo (ausência) aos graves problemas de sua vida e das pessoas mais próximas de você. Parece que mais do que uma escolha baseada no seu gosto, você se defendeu. Afinal o que marca (para alguns) o início da sexualidade feminina, não é justamente a invasão de um corpo estranho, seguida de sangue e dor?

    Você como dona absoluta de sua voz, escolheu exatamente o que relatar. E como são as mulheres e homens contidos nos limites do teu texto?

    A sua mãe – uma mulher troféu; sua avó – louca; as amigas da adolescência – te compeliram contra a vontade a beijar um cara; as amigas de agora – sexualmente repressoras (ou hipócritas); e do início ao fim do relato – uma série de prostitutas. Pois é… a prostituição, na forma explícita ou velada, está presente do início ao fim de tua história. Até o teu conselho de bem viver,
    traz isso na citação de uma frase clássica: “Dama na rua, puta em casa”.
    O que parece ser uma dica pragmática, traz embutido o tamanho da repressão e hipocrisia de nossa sociedade. Afinal, o que tem de legal, no fato de ter que estar “escondida entre quatro paredes” para ser plena?

    E os homens do teu texto? Eles e sua relação com eles pode ser resumida em uma palavra: Contraditórios. São todos heróis e vilões ou fortes e fracos, ao mesmo tempo. E você é um pêndulo amando e odiando-os simultaneamente

    Na direção contrária a Tsunami de comentários enaltecendo o aspecto positivo de ser diferente e poder fazer escolhas fora da agenda oficial, vou mandar minha marolinha de preocupação: A virgindade pode ter sido o foco aqui, mas você não apenas deixou de transar, mas passou anos sem ter todas as experiências comuns a maioria, como beijos, namorinhos sérios ou sem consequência, paixonites, rejeições e conquistas. A vida não é mágica, nada acontece de uma hora para outra, tudo é um continuo desenrolar. Aprendemos a conta gotas.

    O muito bom, é que você tem plena consciência de que precisa de respostas e está agindo efetivamente para obtê-las, ao contrário da maioria que silencia.
    Estaria eu, com meu azedume, certo e todos os outros errados? Já que você é budista, repito a resposta de um sábio monge sobre esta questão. “Um cara perguntou se tal ação que ele fez era boa ou má, ao que obteve a seguinte resposta: Com que intenção você praticou a ação?

    Finalizando…. Você pode ter encontrado a tampa da panela, mas se houver muito vapor preso nela e você não perceber…. Chega um momento que vai parar tudo no teto!
    Pessoas, que se fecham por muito tempo, tendem a ser autossuficientes em demasia. Cuidado com esta carapaça de fazer inveja às tartarugas de Galápagos.
    Fiquei preocupado com você.

    • Paulo

      ta vendo esse seria o que eu considero o original, não fui capaz de observar desta maneira, mas agora que foi separado do texto original assino embaixo as observações
      vou continuar relutante a vc se auto intitular palhaço ou não ter resposta plausível para algo!

      • Carlos

        Tudo é uma questão de perspectiva. Os objetos, assim como as pessoas são “muitas”, sempre dependente de quem as olha.

    • Mika

      Não pude deixar de comentar… e de lhe dar os parabéns pelo melhor texto que escreveu até agora.

      Sua excelente análise mostra uma dentre várias explicações possíveis. Mas seria esse o caso da leitora? Muitos comentaristas “minimizaram” seus problemas, talvez porque eles não sejam muito diferentes dos da maioria dos mortais; todos passam por isso em maior ou menor grau.

      É da natureza humana essa dicotomia entre certo e errado. Constantemente oscilamos entre acreditar e duvidar das pessoas e as reais intenções por trás de seus atos e palavras. Quem não teve uma mãe omissa, talvez a descrevesse como dominadora e autoritária. E se um pai é alcoólatra e agressivo, um outro poderia ser considerado workaholic e ausente. É fato que pais problemáticos produzem traumas nos filhos. Mas a sexualidade não é resultado apenas da criação. Se assim fosse, pais presentes e amorosos seriam garantia de filhos sexualmente bem resolvidos. Seres humanos não são todos iguais, e não são somente as experiências familiares que determinam o comportamento e crenças de cada um.

      Nós, mulheres, muito mais do que vocês, homens, vivemos diariamente essa dualidade moral, o drama que é encontrar o meio termo entre a dama e a puta. A natureza é sábia. Um garoto adolescente só precisa da oportunidade pra começar a vida sexual, enquanto a decisão feminina precisa passar por complexos estágios de amadurecimento psicológico antes disso. Iniciar a vida sexual aos 12 ou aos 30 pode ser ponto fora da curva, mas não necessariamente fruto de problemas mal resolvidos. Pode mesmo ser resultado de decisão pessoal ou falta de oportunidade.

      Por este e outros textos deste blog, concordo com você que nossa amiga pode, sim, estar usando a autossuficiência como escudo. Sua experiência pessoal a transformou no que é hoje, uma mulher forte e decidida, que sabe bem o que NÃO quer pra ela. Em sua cartilha existe o branco e o preto bem delimitados, talvez até um branco sujo e um preto ruço, mas ainda não há um capítulo para os diversos tons de cinza, aqueles em que se situam alguns comentaristas do blog, moralmente mais “liberais”. Mas esses tons, o tempo e o Budismo tratarão de produzir.

      • Paulo

        Ae mesmo que aconteça algo ruim ou algum efeito colateral, insista em não mudar, se tiver filhos os crie para ser assim também, de apoio a iniciativa de multiplicação de pessoas legais!!!

        • Mika

          Sinceramente, não entendi esse comentário. Poderia ser mais explícito? 😉

          • Paulo

            vou gosta de astronomia, sabe sobre guerras e usa palavras que pelo menos 70% da população brasileira desconhece, não tem muita gente assim no pais do futebol e da bunda! principalmente meninas!
            Do ponto de vista social, mulheres tem que saber de moda, maquiagem e dos galãs da novela das 9, por isso que muitas acabem mudando para se enquadrar melhor no grupo de amigas.

          • Mika

            E eu aqui, tentando encaixar seu comentário no meu texto, achando que você estava falando da leitora… rsrs

          • Paulo

            não consegui ver muita coisa no relato essa parte de sexualidade é meio que ponto cego pra mim, a critério de comparação fiquei muito mais emocionado na primeira vez que quebrei um cara na pancada, pq foi quando percebi e as pessoas também, que eu não era mais o menino fraco e asmático que todo mundo batia

            já com sexo depois de aguentar vários anos de zoeiras e humilhações não senti nenhuma evolução, foi ate engraçado pq fiquei literalmente esperando acontecer alguma coisa, mas não virei mago branco, continuei cinzento kkkkkk, então não vejo problema se alguém optar ate mesmo por nunca fazer!

            Porem depois de ler o texto do Carlos concordo com os problemas apresentados por ele!

    • S2SunsetS2

      Concordo que realmente ela não teve boas referencias dentro
      de casa, mas acredito que há uma grande diferença em ter histórico de problemas
      familiares e histórico de relacionamentos amorosos frustrantes, que não é o
      caso dela. Será que a chave para desvendar esse mistério não pode ser chamado
      talvez de “amor recíproco”?

      • Carlos

        ” Será que a chave para desvendar esse mistério não pode ser chamado
        talvez de “amor recíproco”? ”

        Acredito que isso é um pouco romântico, no mal sentido do termo. Volto a dizer o que eu acho. Se ela escolheu relatar todas estas coisas é por que deve haver um vínculo forte entre a família e sua vida particular.

        • S2SunsetS2

          Se eu fosse melhor com palavras, iria pedir para você analisar minha história de vida também e me dar o seu veredito, sério! Porque eu me identifiquei muito com o relato da leitora, pois muitas coisas que ela relatou eu vivi também e talvez você está conseguindo enxergar algo mais profundo que sinceramente, eu não estou conseguindo enxergar.

          • Carlos

            kkkkkkkkk. Na boa. É melhor deixar assim…
            Eu sou apenas um palpiteiro. Mas está havendo uma generalização inadequada ao que eu disse. Aquilo tudo só vale para ela e tá limitado ao que ela escreveu.

            Mas aproveitando a brecha… Você é descendente de japoneses?
            Eu já viajei com uma brasileira de olhos puxados e nossa! Sempre preocupada em cumprir a agenda e muito relutante a aceitar os improvisos.
            E isso, é claro, afeta em outras áreas, se é que vc me entende…
            Sun , tudo se conecta…

            Você é boa em números e ruim em língua? kkkkkk Tudo pode melhorar. Não se subestime nunca.

          • S2SunsetS2

            Sim, tranquilo, melhor deixar assim, rs.

            Sim, sou descendente de japoneses, mas sou casada com um brasileiro há quase 14 anos. Bom, sou preocupada em cumprir a agenda sim, mas aceito improvisos numa boa também. Acho que isso é devido à convivência com um brasileiro.

            Sobre os números, como temos uma empresa e meu marido não é tão bom nessa área, acabei me responsabilizando pelo financeiro e lido com vendedores juntamente com ele.

            E não, não me subestimo com relação à língua, sou apenas sincera mesmo, pois quase não estou tempo para ler mais e treinar também.

    • Leitora

      Seu comentário aqui foi tão longo e complexo que desacredito na minha capacidade em tentar respondê-lo pelo celular.
      Mas vou tentar.
      Quando escrevi o texto eu quis mostrar o início e sim, vc está certo quanto a diversas coisas que ainda tento compreender, tais como até onde as relações familiares me afetaram.
      Primeiramente o que mais me incomodou, apesar de ter amado cada linha da sua escrita, foi a forma linear que vc encherga as pessoas. Na vida real todos somos anti heróis, ninguém é totalmente vilão e muito menos mocinho. Então, qual ser humano não é contraditório? Olhe eu…virgem até meus 28 e hj ligada no 220v.
      Vc, novamente, está certo quanto a “marolinha” e tenho ciência que perdi muita coisa no caminho, mas se hoje não sinto falta do que não vivi, pq me preocuparia.
      Acrescento ainda que temos uma noção distorcida de fontes de prazeres e experiências. Como julgar que algo é bom para 100% da população quando as pessoas são tão diferentes?
      Eu nunca curto agitação, balada, homens lindos, mas sem conteúdo. Isso sempre me aborreceu e meu divertimento maior era (ainda é) ler um bom livro, ver um bom filme, estar com meus amigos batendo papo.
      Assim, essa fase da adolescência de pegação não me afetou, pq escolhi conscientemente não participar dela, pois eu NAO me encaixava.
      Aprendi com o tempo a gostar da minha companhia e a curtir a vida sem depender emocionalmente de ninguém, assim, resolvi esperar alguém especial.
      Pena que ele demorou tanto a aparecer.
      Por fim, a dualidade feminina discutida quanto a ser puta entre quatro paredes e santa na rua é só uma maneira bem tosca/chula de dizer que ser aberta, livre e saber o que quero talvez venha do fato que eu me conheça bem. Portanto, a minha descoberta sexual foi muito natural e gosto de explorar meus limites.
      Entretanto, tudo isso levou tempo, uma vez que a armadura demorou a cair. Eu criei uma muralha ao meu redor e aos poucos fui descobrindo que não há problemas em abrir-me e ser a mulher que sou com quem eu quis ao meu lado.

      • Carlos

        Fica o meu protesto. Se pareceu, foi erro na minha escrita ou na interpretação, mas eu não vejo o ser humano de forma linear, nem penso ser ele sem contradições. Palpitei unicamente sobre você.

        Uma outra coisa me ocorreu agora. Percebe que neste pequeno universo do teu post, eu fui o ponto fora da curva? Desta vez, ao contrário do que aconteceu na tua vida, você está no lado do senso comum e apontando o dedo…
        Isso pode te ajudar a compreender como se processa a coisa. Esse é um subproduto de algo bom da humanidade, o que nos faz constituirmos comunidades, mas que é cruel com as exceções.

  • Pain28248 .

    Vai ver que ela não era muito bonita fisicamente, era muito exigente e criou o pretexto não se preocupar muito com a vida sexual para se dedicar a outras coisas. Ai o tempo passou, e ela resolveu dá uma oportunidade a quem gosta dela e a viver uma vida sexual. Infelizmente a aparência conta muito, principalmente para uma mulher caso ela queira se relacionar afetivamente.

    • João Silveira

      Verdade, pode ser isso.

    • anderson

      voce disse uma grande verdade cara,eu como gordo,porem homem,as pessoas só reparam no meu corpo quando eu trombo nelas na rua,o maximo que dizem é:nossa esse rapaz é muito gordo,e tipo 30 segundos depois esquecem que eu existo e mudam de assunto,já reparei isso na rua varias vezes,agora uma mulher se for um pingo a mais de gordinha,as pessoas tratam ela como lixo,chamam ela de barraqueira e tals,acham que ela é facil,não respeitam..deve ser foda ser uma mulher feia no brasil com todo esse culto ao corpo

  • Mr Lonely

    Não sei porque não acredito muito na veracidade desse depoimento, não se chega aos 28 virgens sem ter alguns problemas, e não se começa a ter uma vida sexual ativa sem percalços para quem foi virgem por 28 anos.

    • Mr Lonely

      Provavelmente tenha omitido algumas coisas, mas conseguiria entender uma projeção que vc talvez tenha feito em todos homens, baseado em seu pai, como se o comportamento nada edificante dele fosse um padrão no resto( e pior que é), não que todo homem saia com prostitutas, até porque isso é visto como coisas de losers que não tem capacidade para conseguir mulher, mas o comportamento promíscuo e poligâmico é um padrão sim, e convenhamos, já há alguns anos das mulheres também. Quanto a raiva do seu pai por seu irmão, dando uma de psicólogo de boteco aqui, acha que ele projetava a si próprio no seu irmão, seu pai não gostava de quem ele era, e projetava a amargura que sentia de si próprio em quem é uma parte de si mesmo.

  • Stan Lewis

    Eu acho que a virgindade só deve ser perdida quando a pessoa tiver ‘maturidade e frieza’ suficiente pra saber lidar com isso, de forma que não vá ficar se lamentando depois. Tá cheio de meninas por aí que estão liberando geral só porque ‘as amiguinhas’ da escola fazem isso também. Povo precoce, que vivem em plena era da informação rápida, não buscam informação pra nada, são totalmente leigos, agem sem pensar, e de brinde quebram a cara, ganham umas DSTs e umas criancinhas pra cuidar!

  • Bruno Marcio

    Tópicos de virgindade tardia sempre rendem, incrível. 🙂