As mulheres e a liberdade dos seus filhos: uma reflexão

83

Mulher poderosa

Desde o século XIX, o dia 08/03 é uma data simbólica para o movimento feminista em diversos locais do mundo. Esse Movimento surgiu reivindicando melhores condições de trabalho para as mulheres e, posteriormente, trabalhou para que tivéssemos direito ao voto e maior espaço em vários âmbitos da sociedade. Porém, apenas em 1977 essa data foi reconhecida pela ONU como o Dia Internacional da Mulher. Uma data que, na minha humilde opinião, é carregada de muito simbolismo e de grande importância em todos os lugares.

Me recordo que, quando criança, havia uma atividade na qual os meninos entregavam cartões para as meninas pelo nosso dia. Algumas meninas recebiam mais de um cartão, enquanto outras nada recebiam, quase como um dia dos namorados. Não fazia nenhum sentido pra mim essa troca de cartões ou os parabéns pelo Dia Internacional da Mulher. O que eu tinha feito? Por que eu merecia aqueles parabéns? Por que era tão importante naquele dia e só naquele dia eu ser mulher?

Essas eram perguntas que eu me fazia todos os anos enquanto criança. Nunca alguém me explicou toda a história que estava relacionada a uma data que é sim muito importante. Enquanto eu fui crescendo, fui começando a compreender como nós mulheres somos criadas diferentes, com obrigações e restrições diferentes dos homens. Eu, tendo dois irmãos, já briguei muito e já fui obrigada a engolir muitas vezes que eles podiam sair e ficar na rua até mais tarde, que podiam ir a lugares que eu não podia, que não precisavam participar das mesmas coisas que eu em casa. Hoje eu entendo que muitas das minhas restrições eram uma forma dos meus pais me protegerem e me ensinarem coisas que me preparassem para um futuro sob a perspectiva deles.

Se eu acho que de alguma forma eles estão errados? Bem, ninguém consegue só acertar. Eu mesma muito provavelmente vou passar muitas dessas mesmas coisas para a minha filha (pelo menos eu espero ter uma um dia). Vou querer protegê-la como toda mãe faria e, ao mesmo tempo, prepará-la para o mundo. O grande problema é que, assim como meus pais, eu vou ensiná-la a ter medos que, por mais que sejam justificáveis, não deveriam existir. Ela não deveria se sentir desconfortável ao passar em frente a um grupo de homens ou de andar sozinha, entrar em um táxi, ou de qualquer outra infinidade de exemplos que poderiam ser citados. E acima de tudo, eu vou querer que ela seja parabenizada no dia 08/03 por ser mulher, por ser inteligente e sempre mostrar isso, por ser forte, independente, confiante, dona de sua vida e de seu corpo. Mas será que tudo isso lhe será permitido? Será que a nossa sociedade avançará em passos tão largos assim?

Pensando em tudo isso e aproveitando a semana da mulher que já passou, acho que algumas coisas deveriam ser ditas, pois todos devemos pensar todos os dias no que representa uma mulher. Nós não merecemos parabéns apenas no Dia Internacional da Mulher. Merecemos congratulações todos os dias de nossas vidas por conseguirmos driblar as dificuldades e ameaças e nos sobressair. Vou explicar um pouco melhor:

Pensemos no que nos torna humanos. Não é só a nossa capacidade intelectual, é a nossa capacidade de sentir, de amar como nenhum outro animal pode. Sendo assim, somos capazes de amar incondicionalmente nossas mães, nossas irmãs, nossas filhas. Como pode esse amor ser tão distante quando se pensa em uma outra mulher? Cada uma tem a sua história, suas batalhas, suas vitórias. Por que, então, somos capazes de transformá-las em algo pequeno e não merecedor do mesmo respeito que prestamos à nossa família? Cada uma dessas mães, irmãs e filhas que sequer conhecemos (mas sabemos que vivem desconfortáveis ou até com medo de andar pelas ruas onde são assediadas de diversas formas por homens, onde o perigo parece eminente) são julgadas, seja por inveja de seu corpo, por ignorância ou por falta de amor ao próximo, por outras (choquem-se) mulheres e por homens.

Ser mulher nesse mundo não é fácil! Em quem podemos confiar? Pais e familiares (que às vezes abusam de adultas e crianças)? Mães (que por vezes preferem fechar os olhos para o que acontece com suas crianças)? Maridos/Namorados (que não sabem ouvir um não)? A maior parte das mulheres que sofrem algum tipo de abuso relatam ter sofrido por alguém que já conheciam (alguém lembra do “#meuamigosecreto”?).

Por semana, cerca de 13 mulheres morrem no Brasil, sendo que mais de 50% dessas mortes acontecem devido à crimes passionais. Passionais? Como uma paixão ou amor pode ser tão grande que leva alguém à matar a sua parceira? Por que não soube ouvir um não?

Moro em Brasília e vi nessa última sexta e sábado notícias de ex-namorados que assassinaram mulheres que haviam terminado os relacionamentos. Sinto dizer que, a meu ver, isso não é amor! É o reflexo de uma sociedade tão enraizada no machismo que faz com que o homem não aceite que a mulher não o quer e pense que se ela não for dele, ninguém mais a terá. É um sentimento de posse, como se tivesse comprado um objeto, algo sem vontade própria, que ele guarda em casa e usa como e quando quer!

É assim que nos sentimos. Somos tratadas como posse e somos criadas em uma relação de dependência dentro de uma sociedade que, em pleno século XXI, enxerga que brigar pela nossa liberdade a assusta e a faz nos tratar como párias.

Então, eu faço um apelo às mulheres: nunca deixem de brigar pelas suas vontades, seu corpo, seus sentimentos e pelo seu lugar no mundo! Não abaixem a cabeça! Vocês merecem parabéns todos os dias e a sua luta é tanto dentro de casa, como na rua! Eduquem as suas filhas a serem fortes e inteligentes, capazes de encontrar seu lugar ao sol! Eduquem seus filhos a respeitar a todos e todas. Os ensinem a respeitar e admirar as mulheres que todas nós somos! E aos homens: todas as vezes que vocês tiverem vontade de mexer com uma mulher na rua, lembrem-se da sua mãe, irmã ou filha. Tentem imaginar o que é ter medo de passar perto de grupos de pessoas, de sair sozinha, de ser constantemente julgada por olhos e mentes pouco caridosos. Ensinem seus filhos a nos respeitar! Vocês serão o modelo no qual eles se espelharão e nada melhor do que tentar corrigir seus próprios defeitos para que a próxima geração seja sempre melhor!

Instagram
Share.

About Author

Karina Simon

Bióloga interessada em vários aspectos da vida.

  • mariana cobra

    Nos tempos em que vivemos é difícil ser humano, independente de gênero, sobreviver às adversidades criadas por outros humanos é a questão primordial.
    Como uma boa geminiana, gosto do meio…explico: nem muito esquerdista, nem muito direitista. Ser 8 ou 80 é pedante. O que posso fazer como mulher é ensinar meus filhos que a desigualdade começa no coração de quem se acha menor.
    Ensinar que a obrigação de manter a casa é de quem nela habita, não de uma ou outra pessoa…ensinar que respeito é o guardião de todas as boas ações e que respeito se merece e deve ser conquistado!
    Ensinar que seu espaço deve ser galgado por mérito, não por influência e coleguismo. Que ser puxa saco é terrível.
    Ensinar que meninos vestem rosa, vermelho ou preto…a cor não faz o caráter e nem diz que brincar de casinha ou bola faça vai definir vc.
    Por fim, que meninas e meninos devem ter responsabilidades iguais, assim como os Direitos. E que não venha com mimimi pra cima de mim…pq crecer na década de 90 foi muito mais foda que as facilidades que a geração do mamão fatiado proporciona!

    • Acho que privar as meninas do ensino de tarefas domésticas… criaram meninas muito sonsas, a ponto de não saberem fazer um mísero miojo. O que deploravelmente é algo recorrente em muitos homens….Eu posso listar uns 500 podres de homens mimados que não sujam as mãos com uma estúpida louça… Ninguém se tocou que não é o menino ou a menina que devem aprender isto ou aquilo… e que uma atividade é tabu para o outro… Todos devem ser motivados a autonomia.
      Parar com essa groselha toda de que mulher no volante é perigo constante e que homem não lida com tarefas domésticas ou não serve pra cuidar de um bebê…

      • Débora Brito

        Concordo… e são meninas que não fazem nada em casa (e meninos também) e ficam dando problema na rua, fazendo sexo cedo, cheio de neuras, fazem varias familias de 6 meses e depois ão cada um pro seu canto, as vezes tem filhos que são criados pelas avós para que seus filhos continuem nessa insanidade perdida… ;ou mulheres de seus 20 e tantos anos que se casam e mal sabem fritar um ovo ou varrer uma casa… apanham da vida para aprender… e os meninos nem conseguem trabalhar para sustentar sua esposinha… pensam que tão brincando de casinha, geração mais ou menos…

    • Débora Brito

      Também acho isso… acho um saco esses assuntos de opressão feminina… acho que cada um tem seu lugar e seu dever e seu direito… se nós nos preocuparmos em sermos cidadãos de bem e fazer nossos filhos cidadãos de bem o mundo não vai precisar de tanto papinho teórico e nenhuma ação!

      Eu tenho um filho de 6 anos e ele arruma a cama dele e ponto… e quando tiver mais idade vai lavar as cuecas e a louça e adolescente, vai varrer casa e ajudar com a comida e proto, ele não vai ser menos homem por ajudar em casa… mas tenho certeza de que será uma pessoa consciente…

  • Eros Himeneu

    O mundo hoje é outro, esse texto para mim representa uns 20, 30 anos atrás. Aqui na cidade onde eu moro as mulheres dão as caras, estão em tudo, inclusive esses dias fui no supermercado e haviam moças empacotando as compras. Por aqui as moças andam com roupas bem curtas, principalmente adolescentes. Crime passional sempre vai existir, e pode ser um casal de 2 mulheres como vi ocorrer no noticiário algumas vezes. Mas se pegar o percentual, é minoria.

  • Marcel

    Texto: blá blá blá feminista, oh céus como sou oprimida; quanto choro.

    91% das vítimas de TODOS homicídios são homens, mas a Dona está preocupada com 13 mulheres que morrem no Brasil por semana, e pior, elas já tem uma legislação especial.http://professorlfg.jusbrasil.com.br/artigos/121929857/vitimas-de-homicidios-91-4-sao-homens

    Não sei mas tenho impressão que todas essas que reclamam de cantadas na rua a maioria são barangas que nunca receberam cantada na rua, porque eu não sou de dar cantada em ninguém, não sou bobo de ficar levantando o ego de ninguém á toa, mas me parece que a reclamação disso é mais fingimento; as que não gostam realmente é porque o cara é pobre e feio, não por causa da cantada em si. Vcs criaram um monte de homem pra ficar bajulando mulher, mas quando eles fazem isso acham ruim.

    Tem uma belíssima pérola no texto:

    “Como pode esse amor ser tão distante quando se pensa em uma outra mulher? Cada uma tem a sua história, suas batalhas, suas vitórias. Por que, então, somos capazes de transformá-las em algo pequeno e não merecedor do mesmo respeito que prestamos à nossa família?”

    Oh meu Deus, vc quer uma solidariedade de gênero igual a uma solidariedade familiar mesmo que não conheça a pessoa, somente porque vcs tem o mesmo cromossomo e uma periquita?

    • A Karina é minha amiga de infância, e acredite: ela não é feminista!
      Bem, ao menos não era, mas vou mandar um whats pra confirmar kkk
      O texto pode ter ficado nesse tom pq acho que ela o fez depois de ter se assustado com o caso da mulher morta pelo namorado =(

      E a Karina parece a Angelina Jolie, é gata pra caralho! É uma das minhas amigas lindas da época que eu sofria bullying na escola kkkkkk
      na verdade, só tinha amiga bonita, nunca vi, atraia as meninas sei la pq kkk

      Quanto a homens educados, eu adoro. É que o povo confunde homem chato com homem educado. Homem grudento com homem educado. Homem sem amor próprio com homem educado. No fim, o homem que mulher gosta é aquele que sabe a hora certa de aparecer, e a hora certa de dar espaço sabe? Aquele que sabe que pra ter, é necessário jamais sufocar. É respeito, amor próprio e acima de tudo, parceria.

      • Marcel

        Cantada na rua é bajulação, todo mundo gosta de ser bajulado, a não ser que venha de uma pessoa feia, quando uma mulher feia fala que eu sou bonito isso não vale nada para mim, por isso que tem mulher que se incomoda com as cantadas de pedreiro na rua, porque elas vem de “pedreiros”, não porque elas são cantadas. Lógico que o tipo de cantada depende do nível de criação da pessoa, mas vcs que criaram homens babões.

        • Filho Da Dilma

          cara esse negócio de cantada,
          é fogo mesmo,
          uma vez cheguei cedo no serviço e nisso enquanto eu tomava um suco na calçada do serviço esperando a porta abrir,
          nisso passou uma mulher na faixa dos 30 anos de aparência normal,
          não era bonita e nem gostosa, era apenas uma mulher pegável.
          eu sei que quando essa mulher estava passando, vinha um coroa na faixa dos 60 anos com um saco de pão nas mãos, que quando ele se aproximou dela, ele foi dizer que ela era uma mulher maravilhosa de gostosa,
          rapá não sei o que deu na mulher q subiu nela uma fúria deu um tapa na cara do coroa q a sacola de pão cai e foi os pães pra tudo quanto é canto, enquanto o coroa recolhia os pães, ela ainda ficou gritando, chamando o velho de safado
          eu na hora, abaixei minha cabeça e até ri, mas achei um ato desnecessário daquela mulher, era só ela não ter dado idéia a ele e seguido o caminho dela.
          todo mundo achou um ato covarde dela bater no velho, ele em nenhum momento disse uma palavra com falta de respeito a ela, ele deu apenas um elogio,
          dali daquele ato eu concluí que duvido q se fosse um cara bonitão que cantasse ela, ela jamais teria uma atitude tão grotesca como a que teve com o coroa.

          • Marcel

            Por que eu não vejo essas coisas? Rsrs, iria dar muita risada, se por um lado a mulher é arrogante e intolerante, por outro o homem é um idiota e meio que merece para largar mão de ser trouxa. Uma coisa é fato, se houvesse menos velhos como esse no mundo o consumo de Prozac iria aumentar também.rs

        • Cara… agora imagina que um cara olha pra você e fala… “o gostoso vem cá”… “que delicia você fiufiu”.. e ele é maior e mais forte que você e ele começa a te seguir… me diz se isso não é desconfortável… Nem tudo aquilo que uma outra pessoa vive é um mar de rosas…

          • Marcel

            Bem inverossímil, mesmo com mulheres é bem difícil ver homens seguindo mulheres feito maníacos.

          • Hum não… é bem cotidiano… muitas mulheres são seguidas.Eu ilustrei um caso como exemplo, mas empatia é um exercício difícil mesmo…

          • Marcel

            Hum… não, não é, nunca ouvi uma mulher me contar isso, nem contar para algum conhecido meu, difícil ter empatia pelo que vc nunca viu ou ouviu. Mesmo que fosse comum, muitos desses mais grossos e toscos foram criados pela mãe, ou seja, responsabilidade da mulher pelo tratamento que recebe.

          • Smidt

            Pois bem, se vc nunca ouvi ninguém dizer que já foi seguida na rua, que eu seja a primeira, porém apenas mais uma dentre muitas. Mais de uma vez já aconteceu comigo de ser seguida e ameaçada por não ter dado trela pra alguém.
            Sabe, receber cantadas na rua é extremamente desagradável independente se o cara é bonito, feio rico ou pobre. Algumas pessoas simplesmente não precisam desse tipo de bajulação.
            Além disso, sair pra se divertir com amigos e de repente um cara agarrar o seu braço a ponto de te machucar e não soltar a não ser que vc de um beijo nele é simplesmente absurdo! E se vc também nunca ouviu alguém relatar isso, simplesmente não sei em que mundo vc vive. Posso dizer que já perdi as contas que quantas vezes aconteceu comigo.

          • Marcel

            “Além disso, sair pra se divertir com amigos e de repente um cara agarrar o seu braço a ponto de te machucar e não soltar a não ser que vc de um beijo nele é simplesmente absurdo! E se vc também nunca ouviu alguém relatar isso, simplesmente não sei em que mundo vc vive. ”

            A primeira vez que ouvi isso se provou uma história fake, do tal bar Quitandinha, não estou dizendo que o seu caso seja fake, mas guardo o meu direito de achar incomum.

          • Smidt

            Sabe, a ignorância pode ser uma benção 😉

            Não é uma questão de “oh céus como sou oprimida”. É uma questão de desejar ser respeitada. Quero sim que toda vez que um cara venha mexer comigo ou me coagir a fazer algo que ele se ponha no meu lugar! Caso ele seja incapaz, que sim que ele imagine como ele reagiria sabendo que alguém fez esse tipo de coisas com alguma mulher da família dele. Quem sabe assim ele deixasse de ser tão babaca.

          • Marcel

            Eu se fosse mulher e passasse por isso agrediria fisicamente o homem, ele não ia revidar e se revidasse iria se dar muito mal, então agir resolve mais do que choramingar na internet.

          • Smidt

            Não sei nem por onde eu começo!
            Se fosse fácil como vc está falando, todo mundo faria. Ninguém aqui está choramingando na internet. Sé contrapondo os seus argumentos.
            Eu compreendo que vc não seja capaz de se colocar no lugar de uma mulher.

          • Não só pela mãe… muitas vezes é aquele pai ou tio que leva o menino com 13, 14 anos pro puteiro pra “ensinar ele a ser homem”. São os parentes homens e amigos que fazem aquela pressãozinha básica que o cara tem que ser o comedor… e que qualquer comportamento oposto pode tornar você um fraco, um frouxo, um boiola… As revistas masculinas editam umas entrevistas com umas perguntas forçadas, sempre com aquela mulher insaciável, lasciva e sempre disponível… Propaganda de cerveja sempre promove que toda mulher é submissa, programas de final de semana da televisão aberta promovem o mesmo tipo de idéia…

          • Eles acham que a gente tá recebendo OOO favor por ser cantada, mesmo qseja um cara d palavras bem porcas e nojentas kkkkk

          • Marcel

            Favor não, mas como eu disse muitas realmente não se incomodam e fingem que se incomodam e outras se incomodam realmente mas só por causa da pessoa que veio, não da cantada em si.

          • Mika

            Uma cantada mal dada (ou seja, a maioria) nos incomoda tanto quanto incomodou ao Filha da Dilma a “flertada” da bichona no trem… rs

          • Não se engane amigo, as coisas não são asism, mas um dia vo gravar um vídeo sobre isso, mas tenho um pouco d preguiça pq vai baixar um monte d cara chato achando q o problema delas é ser feio e um monte d mimimi cliche repetido q nem papagaio rs

          • Filho Da Dilma

            kkkkkkkkkkkkkkkkk.
            isso já aconteceu comigo,
            estava no trem,
            e um cara com o dobro da minha altura, me olhava e piscava pra mim,
            q falta de respeito daquele boiola,
            se ele não fosse mais forte q eu, talvez, não que eu iria agredir ele, mas daria um esporro nele pra parar de veadagem

          • Mika

            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… sentiu na pele?

          • Filho Da Dilma

            ahhhhhhhhhhh,
            mas é homem né ?
            por isso fiquei com raiva.
            se fosse uma mulher não falaria nada,
            nem q se fosse uma mulher no estilo canhão eu ficaria indignado,
            mas homem, é muita palhaçada.
            quer ser gay, que seja, mas eles deveriam pensar mais um pouco, que o mundo não está q nem as novelas da GLOBO não,
            onde tudo e todos são flexíveis pra não ser taxado como homofóbico, pois eu já vi homem bater em outro homem pq o outro deu em cima dele.
            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Smidt

            Não entendo o problema homem X mulher da sua narrativa.
            “se fosse uma mulher não falaria nada,
            nem q se fosse uma mulher no estilo canhão eu ficaria indignado,
            mas homem, é muita palhaçada”
            deveria ficar tão lisongeado quanto se fosse uma mulher, afinal ele te achou atraente. Pelo que vc disse ele não fez nada de mais.

          • Mika

            Além do mais,é assim que os gays “caçam”. É só fazer como as mulheres, desviar o olhar ou virar a cara… rs

          • Filho Da Dilma

            MAS É HOMEM MENINA,
            de onde que eu vou me sentir feliz por mexer com Libido de homem ?
            bonito isso né, imagina eu falando pros meus colegas, pro meus tios, meus pais assim:
            – “Caramba, tá vendo aquele cara lá, eu acho q ele tá me dando molinho, disse q sou gostosinho e tudo”.

            moleca seria hilário se eu dissesse uma coisa dessas e todo mundo caíria de gargalhadas da minha cara.

            vc por acaso fica feliz quando uma mulher fala pra vc q vc é uma delicinha, que mexe com a libido dela ?
            se tenho uma raiva,
            é quando homem fica de palhaçada pra cima de mim, ainda mais em público, pq se ele der em cima de mim discretamente e eu perceber e puder falar, eu vou logo dizendo que não gosto dessas coisas, não vou agredir ele por isso. apenas corto o assunto

          • Smidt

            Posso dizer q ouvir alguém me chamando de delicinha, gostosa ou dizendo “chupo toda” é extremamente desagradável independente do gênero.

          • Marcel

            Diferente do cara piscar e seguir vc, não estamos falando de cantada. Se for por causa disso um cara já ficou me olhando também, só virei a cara e fui embora.

          • Filho Da Dilma

            kkkkkkkkkkkkkk,
            mas esse não só me olhou,
            kkkkkkkkkkk, ficou piscando mesmo, situação constrangedora.

      • “É que o povo confunde homem chato com homem educado. Homem grudento com homem educado. Homem sem amor próprio com homem educado. No fim, o homem que mulher gosta é aquele que sabe a hora certa de aparecer, e a hora certa de dar espaço sabe? Aquele que sabe que pra ter, é necessário jamais sufocar. É respeito, amor próprio e acima de tudo, parceria”,,, eu falo isso tanto por aqui… mas tem sempre os mimimis de quem nunca entende o conceito do rolê…. U.U

        • é pq é mais fácil jogar a culpa nos outros, do que neles mesmos kkkkkkkkkk

    • Mika

      “91% das vítimas de TODOS homicídios são homens…”
      Você só se esqueceu de dizer que os assassinos também são homens, não mulheres. Homens matam porque se julgam no direito de matar. Não aceitam ser contrariados… rs

      “Não sei mas tenho impressão que todas essas que reclamam de cantadas na rua a maioria são barangas que nunca receberam cantada na rua, porque eu não sou de dar cantada em ninguém, não sou bobo de ficar levantando o ego de ninguém á toa…”
      Depois dessa, nem vou comentar mais nada… Macho beta detected! kkkkkkkkkkkkkk

      • VagnerFeijó

        Uma cantada tem que ter hora e lugar e outra coisa importante tem que rolar aquela olhadinha indiscreta de ambas as partes fora isso aí o negócio é sem noção!!!

        • Filho Da Dilma

          ahhhhhhhhhh cara
          homem não quer saber de flerte não,
          quando ele cisma,
          ele chega mesmo
          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Mika

          Exatamente, VagnerFeijó. Não há problema na cantada, desde que seja com um mínimo de respeito e criatividade. Não importa se vem de um homem bonito ou feio, uma cantada educada é uma espécie de elogio. E chamar uma mulher de gostosa não é um elogio. Mesmo que o homem não diga nada, um simples olhar de lobo salivando também é extremamente incômodo… rs. Além disso, tem hora e lugar pra fazer isso. E às 7 da manhã certamente não é o melhor horário… rs. Fiquei com dó do senhorzinho dos pães, mas ainda bem que a maioria das mulheres não reage de forma tão radical… rs

      • Marcel

        hahaha se ser macho beta é não inflar ego de mulher então eu sou, mas a experiência mostra justamente o contrário, que os betas que adoram idolatrar, elogiar, puxar o saco de mulheres até não poder mais.

        Quanto aos autores dos homicídios a maioria deve ser homem mesmo, mas o que importa é que não há nenhum direcionamento deles contra as mulheres.

        • Mika

          Engano seu, Marcel. Infelizmente você tem um visão muito errada de como se deve “cantar” uma mulher. Talvez seja por isso que reclama tanto de nós. Ninguém acha que mulher tem que ser idolatrada (pelamordedeuso!!!), mas tem que saber cantar, sim. Se não souber, não come… kkkkkkkkk

          “Quanto aos autores dos homicídios a maioria deve ser homem mesmo, mas o que importa é que não há nenhum direcionamento deles contra as mulheres.”
          ooooooooiiiiiiiiii?! Honestamente, essa nem eu entendi…

          • Marcel

            “ooooooooiiiiiiiiii?! Honestamente, essa nem eu entendi…”

            O que vc não entendeu? Eu disse que a maioria que mata é homem mas não estão matando mulheres.

            “Ninguém acha que mulher tem que ser idolatrada (pelamordedeuso!!!), mas tem que saber cantar, sim. Se não souber, não come”

            Não quero parecer arrogante porque não sou, mas quem precisa dar cantada é quem precisa “se vender”, eu não preciso, “me vendo” sozinho, sem isso. É como pizzaria que envia folder para mostrar que existe e restaurante chic que as pessoas vão sem isso.

  • Vinícius Souza

    Texto feminista. Puta q pariu…

    • Mika

      PQP digo eu! Desde quando falar de violência contra a mulher virou feminismo? Você é um completo alienado. Faça um grande favor às mulheres, morra solteiro e sem filhos… homem que pensa como você não nos faz falta… rs

      • Sabe oq é isso MI? Preguiça d pensar, pensando que tudo ou é machismo ou feminismo, ficam desesperados pra encaixarem as coisas em um lugar, ai se nao rolar ficam doidos kkkkkkkkkkkkk

        • Mika

          Aposto que ele nem leu o texto todo. Deve ter parado no meio do primeiro parágrafo. Essa preguiça é estrutural. Preguiça de pensar, de ler, de ouvir e de escrever… então, o argumento se limita a um resmungo… rs

      • Vinícius Souza

        Ué, e quem sofre mais com a violência? Homem ou mulher? Olha os dados e estatísticas de Homicídio ae, rapidão, sérião.

        Já prevejo respostas do naipe:
        ”Mas é homem que matou homem, não me interessa”.

        É… e eu que sou alienado.

        • Mika

          Agora fiquei confusa. Você e o Marcel são a mesma pessoa? O discurso é idêntico!

          • Marcel

            Não, não somos a mesma pessoa, por que eu iria postar com dois perfis diferentes? Se vc achou o discurso idêntico é porque pessoas podem ter pensamentos idênticos mesmo sendo diferentes. E se vc acha que ele não leu o texto eu já dei várias demonstrações, com citações e tudo, que li.

  • Karina, parabéns… texto maravilhoso… realmente igualdade de gênero é ainda uma questão que vai perdurar por muito tempo, com muitas discussões até que as pessoas se solidarizem e tomem maior consciência…. Respeito e consideração as mulheres é também respeito e consideração por nós mesmos como homens. Os dois lados serão livres quando em comunhão, homens e mulheres se engajarem em propósitos libertadores.

    • Marcel

      Não vejo a hora de alcançarmos essa igualdade, mesma idade para aposentadoria, mesmo obrigação com serviço militar etc etc Antes que fale de homem ganhar mais, isso é uma questão do mercado, as empresas pagam o quanto acham que devem, mas mesmo isso é distorcido; outra coisa são obrigações e deveres perante o estado.

      • Mesma idade para a aposentadoria, perfeito! E também que ambos igualmente cuidem dos filhos e da casa, como uma divisão perfeitamente comum de obrigações e tarefas sem aquela de “meu marido me ajuda com as coisas de casa…”
        E por que obrigação com serviço militar???? Melhor seria erradicar isso… Serviço militar obrigatório é uma atrocidade que o estado comete com a liberdade de escolha de um indivíduo… se a não participação das mulheres é um direito adquirido a grosso modo… a nós também poderia ser possível…

        • Marcel

          Sim, ou os dois fazem ou ninguém faz.

      • Mika

        mimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimi
        Toda vez que se discute a violência social/sexual/psicológica sofrida pelas mulheres, já surge um macho pra falar bobagem. No dia em que homens e mulheres tiverem verdadeirasmente as mesmas obrigações, abriremos mão desses direitos que vocês chamam de “regalias” e que tanto incomodam vocês…. rs

        • Marcel

          Quais obrigações são diferentes?

          • Mika

            Fora trabalhar fora e contribuir com a renda familiar, ganhando menos, como você bem lembrou, posso elencar:
            Arrumar a casa, lavar e passar roupas (inclusive as suas), fazer suas refeições, lavar a louça que você sujou, cuidar de criança, mandar pra escola, fazer compras pra casa, além de reprimir a própria sexualidade pra evitar ser taxada de puta. E isso é só no Brasil, país onde os direitos femininos estão “um pouquinho mais evoluídos”. Se formos ver nos países muçulmanos e orientais, o buraco é beeeeemm mais embaixo. Aliás, nem em países do primeiro mundo (Europa e América do Norte), existe igualdade de direitos. Leia mais sobre isso antes de simplesmente repetir o que seu pai repetia do seu avô. Esse círculo vicioso precisa ser interrompido. Que seja você e não seu neto a fazer isso. Suas futuras filhas e netas agradecem!

          • Marcel

            hahaha, meu pai nunca me disse o que eu digo, nunca discutimos esse assunto, eu que busco informações fora do senso comum politicamente correto para não ficar repetindo a esmo lorotas.

            Tudo que vc falou não tem nada de obrigações, nenhuma mulher é obrigada a lavar louça, roupa, pode pagar alguém para fazer isso ou um homem bobo que faça para ela, nem trabalhar fora é obrigada, pode arranjar um bobo que a sustente. Obrigação é como se alistar obrigatoriamente no exército aos 18, ou ser obrigado a trabalhar 5 anos a mais mesmo tendo uma expectativa de vida menor. E eu sou bastante autônomo, obrigado pela preocupação.

            E eu não vejo nada de muito grave nesse aspecto cultural nos países muçulmanos, tanto que eles vem se impondo culturalmente mesmo no Ocidente emasculado e talvez importemos os hábitos deles.

            Quanto a homem ganhar mais, esse vídeo é muito bom:

            https://www.youtube.com/watch?v=hXS4v3gFmfg

          • Mika

            Você seria engraçado se não falasse de forma tão séria. Seu caso é preocupante… :-O

          • Marcel

            Argumentos? Zero, nenhum.

            Tenha um lindo dia.

          • Mika

            Desculpe-me, mas me recuso a perder meu tempo argumentando um texto como esse que você acabou de escrever. Nem em 1000 anos eu conseguiria convencê-lo dos equívocos que são suas visões de mundo.

            “E eu não vejo nada de muito grave nesse aspecto cultural nos países muçulmanos, tanto que eles vem se impondo culturalmente mesmo no Ocidente emasculado e decadente e talvez importemos os hábitos deles.”
            Quer que eu argumente isso? kkkkkkkk

          • Marcel

            Essa pequena parte do texto estava mais para uma provocação sarcástica, lá há alguns exageros realmente(apesar que agora estão ficando bem liberais,rs, mulheres já podem dirigir e votar na Arábia Saudita, rs) no entanto eu acredito seriamente que uma sociedade patriarcal é mais funcional e virtuosa, nossa sociedade atual no Ocidente criou homens fracos, covardes e emasculados. Outro lugar que eu acho que as coisas funcionam mais ou menos direito é na Rússia, tio Putin como um homem forte e viril coloca ordem na casa.

          • Smidt

            Talvez seja muito difícil entender que existam papei que são impostos culturalmente como o da mulher cuidando da casa e dos filhos e do homem ser quem sustenta a casa.
            Em ambos os casos isso é injusto. Assim como é injusto alistamento obrigatório. E mesmo sendo obrigatório, é muito difícil atualmente alguém servir contra a vontade pq ainda há mais gente que quer servir do que gente que quer ser dispensado. Além disso, só pra ser do contra, conheço várias mulheres que gostariam de fazer AMAN e seguir carreira, mesmo com os problemas que podem ter que encarar mas é bem mais difícil pra elas.

          • Eros Himeneu

            Também sou a favor de direitos iguais. Algumas tarefas que faço aqui em casa que minha esposa deveria fazer também:

            – Trocar o galão de 20 litros de água mineral
            – Subir as escadas com as malas pesadas e compras
            – Trocar o pneu do carro caso fure
            – Trocar o botijão de gás
            – E em caso de barulho de noite no quintal, sair e averiguar, mesmo arriscando a vida rsrsrs

          • Smidt

            Proponha isso para a sua esposa, então. 😉 Tenho certeza que ela é capaz de fazer todas essas coisas, assim como eu faço na minha casa 🙂

          • Eros Himeneu

            Puxa, minha esposa não é forte como você, pelo visto o oprimido do Eros aqui vai ter que trocar o galão de água pelo resto da vida rsrsrs

          • Mika

            Assim como a Smidt, faço tudo isso e muito mais. Esse tipo de divisão do serviço doméstico não tem aqui em casa. Ambos fazemos de tudo, cozinhar, lavar roupa, arrumar a casa, fazer compras. Nesse ponto não posso me queixar. Já troquei pneu sozinha várias vezes, mas hoje em dia não tenho forças pra soltar os parafusos, nem mesmo pra abrir um vidro de palmito (muitos anos num teclado de computador cobraram seu preço). Como o pneu do meu carro só fura quando estou sozinha, sempre procuro uma alma generosa pra me ajudar… rs

          • Eros Himeneu

            Puxa, minha esposa não é forte como você, pelo visto o oprimido do Eros aqui vai ter que trocar o galão de água pelo resto da vida rsrs

          • Mika

            Simplifique a vida, meu caro. Troque o galão de água por um bom filtro. A qualidade da água é mais garantida, além de mais barato… rs.
            E malas jumbo a gente não usa aqui em casa… Em qualquer viagem só usamos uma mala média e uma pequena, de mão, pra cada um (cada um carrega as suas). Sem sofrimentos em aeroportos, estações de trem, rodoviárias e hotéis. Vivendo e aprendendo… 😛

          • Débora Brito

            eu fazia essas coisas com meu ex marido… ajudar a pagar conta, guardar as compras, colocar água no lugar… ver os barulhos da noite… menos trocar o gas e mexer no carro, isso ele mesmo não deixava, acho que tinha medo de eu explodir algo hahaha… no demais ele varria a casa lavava as cuecas e meias passava a farda do trabalho… acho que denpede da criação das pessoas… meu irmão até ajuda a cozinhar… e meu namorado também, cozinha divinamente, lava a roupa dele…

          • Filho Da Dilma

            “pq ainda há mais gente que quer servir do que gente que quer ser dispensado”.
            tem mais gente querendo servir ?
            ta doida garota, já se foi época q servir quartel dava pra tirar uma ondinha,
            hoje em dia quartel tá uma porcaria q só, e o pagamento não é lá essas coisas.
            se vc sair por aí perguntando essa juventude REPLETA DE ESPÍRITO PREGUIÇOSO, do jeito que eles andam animados e preocupados com o futuro.
            vc rapidinha muda essa sua tese.
            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Mika

            Acho que você está mal informado. Filho da Dilma. O alistamento é obrigatório pra vocês, o que eu até acho errado, mas se fosse voluntário, ainda assim haveria mais candidatos do que as Forças Armadas podem absorver. Inclusive por mulheres. Isso é um fato bem conhecido há vários anos. Pergunte isso a qualquer militar.
            Agora, se a qualificação dos candidatos está cada vez pior ou se os quartéis estão uma porcaria, aí já é outra história… rs

          • Mika

            Você disse uma verdade que a maioria dos homens que reclamam da obrigatoriedade do serviço militar faz questão de omitir: Há muito mais pessoas querendo servir do que as Forças Armadas podem absorver.

            E entre essas pessoas, também há uma infinidade de mulheres que gostaria de seguir a carreira militar.

          • Marcel

            Que eu saiba não é proibido mulher seguir carreira militar, e DU -VI -DO que tenha tantas mulheres querendo seguir, o serviço militar em Israel é obrigatório para ambos os sexos,vai ver se as pessoas estão contentes com isso lá. E quando eu fui me alistar estava torcendo muito para ser dispensado.

          • Mika

            Muito mais do que você pensa, Marcel. Mulheres adoram a carreira militar. Eu mesma conheço várias que querem (ou quiseram). Eu quis entrar pra Marinha, mas na minha época não podia. Não sei como isso está hoje…

            Eu fico admirada como você conhece tão pouco do universo feminino. E deve ser muito jovem. Por acaso você tem ascendência médio-oriental?

          • Marcel

            “Muito mais do que você pensa, Marcel. Mulheres adoram a carreira militar. Eu mesma conheço várias que querem (ou quiseram). Eu quis entrar pra Marinha, mas na minha época não podia. Não sei como isso está hoje…”

            Aham, eu também quis ser manicuro mas não era bem visto por ser homem, rsrsrs

            “Tem outra: Não compare o serviço militar obrigatório em Israel com o do Brasil. Nó somos um país pacífico, enquanto eles VIVEM em guerra.”

            Eu sei, mas se a pessoa vai entrar no serviço militar e tem medo de guerra pra quê entrar? Pra fazer exercício no quartel?

            “Eu fico admirada como você conhece tão pouco do universo feminino. E deve ser muito jovem. Por acaso você tem ascendência médio-oriental?”

            Não, conheço bem, só que vc diz que não porque não concorda com nada do que eu falo. E não tenho ascendência oriental por que vc acha que eu teria? Todo oriental conhece pouco do universo feminino? rs

          • Mika

            “Aham, eu também quis ser manicuro mas não era bem visto por ser homem, rsrsrs”
            Acha que fazer um comentário desses teve alguma graça? O que você pretendia com isso? Desdenhar o fato de eu ter desejado entrar pra Marinha ou menosprezar a capacidade das mulheres de servirem nas forças armadas? Por que lhe parece tão absurdo uma mulher optar por uma carreira dessas?
            Somos fracas demais?
            E que mentalidade é essa que se preocupa com o que os outros vão pensar
            de você por causa da profissão que escolheu? Tem homem que diz que
            cozinha é lugar de mulher e não sabe nem fritar um ovo, e existem
            cozinheiros premiadíssimos.

            “Eu sei, mas se a pessoa vai entrar no serviço militar e tem medo de guerra pra quê entrar? Pra fazer exercício no quartel?”
            As pessoas escolhem a carreira militar como escolhem uma faculdade. É uma profissão, como a de policial ou bombeiro. São profissões de risco, mas são ESCOLHAS, diferente do alistamento obrigatório em Israel, em que o jovem já sabe que vai pra linha de frente.

            “E não tenho ascendência oriental por que vc acha que eu teria? Todo oriental conhece pouco do universo feminino? rs”
            Ops… problema de intelecção, aí…
            Minha pergunta foi se você tem ascendência MÉDIO-ORIENTAL, mas não tem a ver com o fato de você conhecer pouco o universo feminino (o que eu continuo acreditando). Tem a ver com estes dois comentários seus:
            “E eu não vejo nada de muito grave nesse aspecto cultural nos países
            muçulmanos, tanto que eles vem se impondo culturalmente mesmo no
            Ocidente emasculado e decadente e talvez importemos os hábitos deles.”
            “… no entanto eu acredito seriamente que uma sociedade patriarcal é mais
            funcional e virtuosa, nossa sociedade atual no Ocidente criou homens
            fracos, covardes e emasculados. Outro lugar que eu acho que as coisas
            funcionam mais ou menos direito é na Rússia, tio Putin como um homem
            forte e viril coloca ordem na casa.”
            Há muitos descendentes de árabes no Brasil (aqui estou usando o termo árabe no sentido de povos árabes, o conjunto de indivíduos oriundos de diversos países do Oriente Médio), e pensei que você poderia ser um deles. Não vejo problema nenhum nisso, exceto pelo fato de sua evidente simpatia por culturas patriarcais ultraconservadoras e regimes totalitários. Isso, sim, é preocupante.

          • Marcel

            “Acha que fazer um comentário desses teve alguma graça? O que você pretendia com isso? Desdenhar o fato de eu ter desejado entrar pra Marinha ou menosprezar a capacidade das mulheres de servirem nas forças armadas? Por que lhe parece tão absurdo uma mulher optar por uma carreira dessas? Somos fracas demais?

            E que mentalidade é essa que se preocupa com o que os outros vão pensar de você por causa da profissão que escolheu? Tem homem que diz que cozinha é lugar de mulher e não sabe nem fritar um ovo, e existem cozinheiros premiadíssimos.”

            haha, ficou brava por causa disso? Vc querer entrar na marinha é tão comum quanto eu “querer” ser manicuro, só isso.

            “As pessoas escolhem a carreira militar como escolhem uma faculdade. É uma profissão, como a de policial ou bombeiro. São profissões de risco, mas são ESCOLHAS, diferente do alistamento obrigatório em Israel, em que o jovem já sabe que vai pra linha de frente.”

            Mas quando vc faz essa escolha vc tem que pensar que vc vai para a linha de frente, estar preparado, mesmo que não seja provável, senão não deve fazer. Curiosidade, em Israel os únicos dispensados do serviço militar são os judeus ortodoxos, dispensados para poderem… rezar, isso deixa bastante brava uma parte da população. rsrs

            “Minha pergunta foi se você tem ascendência MÉDIO-ORIENTAL, mas não tem a ver com o fato de você conhecer pouco o universo feminino (o que eu continuo acreditando).
            Há muitos descendentes de árabes no Brasil (aqui estou usando o termo árabe no sentido de povos árabes, o conjunto de indivíduos oriundos de diversos países do Oriente Médio), e pensei que você poderia ser um deles. Não vejo problema nenhum nisso, exceto pelo fato de sua evidente simpatia por culturas patriarcais ultraconservadoras e regimes totalitários. Isso, sim, é preocupante.”

            Então era mais fácil perguntar se eu tinha ascendência árabe, por que no Oriente Médio tem outras etnias que não são árabes: judeus, persas(todo mundo chama os iranianos de árabes mas eles são persas) etc. Mas enfim, não tenho ascendência árabe. E não gosto de de culturas ultraconservadoras nem de regimes totalitários, mas tenho apreço pela preservação cultural de certos valores. Abração

          • Mika

            Você não me deixou brava, Marcel, só com pena. Você tem uma personalidade tendente a extremos e isso não é bom pra ninguém, muito menos pra você. É de gente assim que vive o EI. Eles aliciam pessoas como você, jovens “inconformados” que acreditam que o mundo só muda na porrada. Depois da lavagem cerebral, substituem seu cintinho de couro por um bem mais “útil” e… BUMMM!
            E lá vai o Marcel reivindicar suas 72 virgens… rs

          • Marcel

            hahaha,se eu te deixo com pena vc me deixa com risos.

      • Débora Brito

        Eu também não vejo a hora de ver um cara tendo o bebê… Oh, ciência… evolua logo, por favor… hehehe… e já alcançamos a igualdade para aposentadoria… com a proposta do governo de 90/100 só vamos nos aposentar todos mortos… quanto a obrigação também concordo, ninguém deveria servir ou votar obrigatoriamente… quanto aos salários ainda ão vi essas diferenças porque onde trabalho ou trabalhei os salários são tabelados…

        ;-*

        • Marcel

          haha, ninguém é obrigado a ter bebê se vc acha um fardo.

          A proposta da nova aposentadoria não virou lei, e duvido que vire.

          • Débora Brito

            mas é o caminho boy… tudo égual pra todo mondo hehehe

  • Débora Brito

    Minha opinião quanto ao assunto abordado. Senta que la vai textão…

    Mulheres são vítima de uma sociedade segregacionista… mas não são as únicas vítimas e algumas vezes também são algozes…

    A ânsia por um relacionamento estável mantém mulheres encarceradas em relacionamentos destrutivos e abusivos. Aceitar os assédios, abusos, desmerecimentos é de fato algo que está incrustado na história de nossa sociedade.

    Porém, muitas de nós acaba por cooperar com estes comportamentos quando se envolve com um homem de nível inferior no quesito social (um marginal, um usuário de drogas, um corrupto, um assassino) acreditando na mudança milagrosa do amor… outras aceitam os tais salários inferiores e eu nem sei de onde vem, pois nos locais onde eu trabalhei os salários são tabelados por função, então no meu (NO MEU) caso específico esta é uma realidade inexistente não me dando oportunidade de opinar. Ainda aquela que permitem que seus “companheiros” violentem suas crianças e até elas mesmas por medo da solidão ou da falta de recurso financeiro ou mesmo da carecia de sexo… e as que usam dos seus atributos físicos para chamar a atenção dos homens e despertar desejo… e as jovens cada vez mais cedo iniciado suas vidas sexuais e banalizando o relacionamento por furtivos momentos de prazer, colocado filhos o mundo irresponsavelmente para ser criados por suas avós…

    Não estou dizendo que é cupa da mulher o que ela sofre, mas estou sendo realista que nosso passado (sociedade brasileira) é predominantemente machista e feudal, nosso presente é desmoralizado pela banalização do ser humano e sua segregação em grupos desfavorecidos… e são tantos grupos desfavorecidos pleiteando direitos que não se existe mais indivíduos e sim membros catalogados de certos grupos, hoje somos vistos com tags, eu sou dos conservadores, mulheres independentes, divorciados, com filhos, que trabalham, brancos, héteros… não sou mais eu, mas um conteúdo de grupos desfavorecidos…

    Querer respeito e igualdade é dar respeito e igualdade…. mas será que o que queremos é igualdade? ou apenas os direitos? Porque o atual discurso diz que ABORTO é legal, meu corpo minhas regras… e o direito da criança que está ocupando seu corpo? quem pensou nela? e porque não usar contraceptivos? porque banalizar o sexo sem proteção e legalizar o assassinato? Onde começam os machistas? na casa das mulheres que não colocam seus filhos para lavar louça, fazer a salada, lavar o tenis, arrumar a cama, respeitar a namorada…

    Vamos mudar de atitude antes de cobrar mudança dos outros… violências devem ser denunciadas sempre, crianças devem ser cuidadas e livres de maus tratos de quaisquer naturezas, salários devem ser tabelados, despesas divididas, tarefas domésticas também ou o salário da profissional do lar dentro das despesas, agressão física contra a mulher é crime e contra o homem também é, e contra a criança também é e contra o animal da família também… ele lava o carro, ajude-o. Ela faz a comida, ajude-a. Ele capina o quintal, ajude-o. Ela passa pano na casa, ajude-a… as tarefas terminam mais rápido e vocês tem mais tempo para estar juntos…

    Quanto aos casos de estupro, esses deem ser amplamente combatidos pela força policial, não tenha vergonha de denunciar… nem se for um membro da família…

    O verdadeiro bom relacionamento (de qualquer natureza) inicia-se com respeito e cordialidade mutuo e individual… respeite a si e aos outros como gostaria de ser respeitado… essa guerra de gêneros nunca ajudou em nada e nem vai ajudar… mas se começarmos a cooperar uns com os outros independente de gêneros… aí sim as coisas começam a tomar novos rumos…

    Não tem como ter igualdade total… porque somos diferentes… igualdade é diferente de justiça… Um caixote do mesmo tamanho para pessoas de estaturas diferentes é igualdade, caixotes maiores para pessoas mais baixas para que todas tenham a mesma estatura é justiça… queremos igualdade ou justiça?

    E essa é minha opinião… MINHA…