Agrado minha mãe evangélica ou me separo e tento ser feliz?

36

Leitora: Olá Luiza e leitores. Tenho 26 anos e sou casada desde os 17 e temos um filho. De mais ou menos dois anos pra cá, meu casamento não anda bem, coisas que desgastam a relação entre a rotina de uma família cooperaram muito pra isso. Só que de um tempo pra cá ficou insuportável a nossa convivência, brigas frequentes, discussões e até traição dele. Nos separamos em Dezembro, mas por pressão da minha mãe eu voltei (ela é evangélica e pra ela o casamento é pra sempre). Nesse meio tempo, conheci um rapaz e me apaixonei, não tenho coragem de dizer que voltei pro meu esposo, pois gosto muito dele e não consigo pensar em perder. Minha vida sexual com meu “esposo” não existe mais, ficamos já três meses sem sexo, ele tem 28 anos. Na minha cabeça não se encaixa um homem nessa idade com uma mulher em casa não querer nem pensar em sexo. Esse rapaz com quem estou, me trata muito bem, porém, tenho medo de causar algum trauma no meu filho me separando. 

O que eu faço gente? Está difícil pra caramba.

Agrado minha mãe evangélica ou me separo e tento ser feliz?

Amiga, eu sei que o sonho de todos os filhos é agradar e dar orgulho aos pais e, justamente por isso, acabamos cometendo muitos erros, a começar por aqueles grosseiros que implicam infelicidade em troca de uma suposta felicidade dos pais. E que no fim, nem felicidade se torna, visto que no caso da sua mãe, é apenas uma teoria cômoda que ela quer ver sendo praticada, não algo que traga felicidade em si.

Por sua vez, é claro que quando a gente se casa, pensa que será pra sempre. Porém, existem as fatalidades e acasos da vida. E mais do que isso, a não colaboração do seu esposo ao te tratar como uma amiga, enquanto nenhum dos dois parece suficientemente motivado a procurar ajuda. Ou seja, se é assim, nada feito. Até porque, cá pra nós: fora ele já ter procurado fora, agora você também está apaixonada por outro e dificilmente se interessaria de verdade em fazer esse casamento reviver. Se quando um não quer, dois não fazem, quem dirá quando nenhum dos dois parece muito empolgados em realmente querer algo.

“Mas Luiza, e quanto ao meu filho? E se ele se traumatizar com a separação?”.

Eu sou daquelas que pensa que, tanto o casamento, quanto o divórcio podem gerar traumas a uma criança – ou NÃO! A diferença será como o casal lidará com isso. Por exemplo, da mesma forma que se divorciar sem dar a mínima explicação pro menino poderá ser traumático, não adianta nada estar casada e ficar com cara de bunda, sem muito ânimo para sair/brincar ou até mesmo brigando com seu marido. Sendo assim, se vocês forem mesmo se separar, combine com o pai da criança que PARA O BEM DA MESMA, nunca, jamais, em hipótese alguma um falará mal do outro pelas costas, brigará na frente da criança, ou tentará fazer a caveira do outro. Da mesma forma que também é legal levar a criança em uma psicóloga especializada em divórcios, caso veja que ela não está reagindo tão bem aos fatos.

É claro que o ideal é que os pais fiquem juntos e se ajudem, porém, mais do que isso, a criança precisa sentir que ambos estão felizes e que ela está sendo amada. Sem contar que tem criança que até gosta de ter duas casas, ganhar dois presentes em épocas festivas e poder ficar transitando por aí kkkkkk. Porém, isso acontece DESDE QUE haja união, parceria, amor, PRESENÇA e respeito entre os pais, mesmo que separados. “Sabecumé”, né? Criança de boba não tem nada e elas percebem tudooooooooooooo! rs.

No fim, se pensarmos no contexto geral da coisa e, desde que as devidas precauções sejam tomadas, parece uma boa ideia se separar do seu marido. Primeiro porque você já está traindo ele. Segundo que se seu amante descobrir que é amante ou se seu marido descobrir que é o corno, federá mais ainda pro seu lado. E nisso você acabará perdendo o respeito do seu marido + o sentimento de quem você não quer perder (no caso, seu amante). E claro, de quebra ainda aumentará as chances da criança se envolver numa “bad” ao ouvir resquícios da treta que isso dará. Sem contar que se seu marido também já te traiu e provavelmente tá de saco cheio que nem você, então não precisa prolongar o circo, né? rs.

Você não quer terminar essa história com marido + amante te considerando uma traidora mentirosa, quer? E ainda tem sua mamis, que se for pra pensar nela, provavelmente prefere ver a filha separada, do que com fama “de puta” que trai o marido e faz sexo sem compromisso por aí. Não que a gente pense isso de você, mas se você se preocupa com sua mãe, acaba sendo contraditório agir assim também…

É claro que no ponto que chegou, nada será 100% indolor pra ti. Porém, essa parece ser a opção mais honesta e menos sofrível para todos.

Assista/Leia:

Sintomas que o amor acabou

Por que as mulheres traem?

Você tem medo de ser corno?

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • hadassa

    Leitora esqueça a sua mãe e até o seu filho nesse momento se concentre no seu problema que você está metida. Vê se eu entendi você é casada já faz algum tempo está tendo vários conflitos, brigas, indiferença, traição( por parte do marido), esfriamento da intimidade sexual entre vcs dois não tem sexo a 3 meses etc… separou em dezembro mais logo voltou com marido por causa da senhora sua mãe que é cristã evangélica não aceita um possível separação e divórcio de sua filha. Agora está metida num problemaço nessa história um surgimento de um rapaz que vc diz que se apaixonou e passou a ter agora um caso extraconjugal quer dizer quem tá traindo agora é você o seu marido. Cá pra nós colega vc não acha que está agora inconscientemente se vingando do seu esposo tipo você acabou na verdade rebaixou o seu valor tipo perdeu a sua moral e se igualou seu marido que te traiu. Como existe aquele conhecido ditado: “Um erro não justifica o outro” jamais deveria ter cedido arranjar um amante como bem diz que a tentação é bem oportunista logo nesse momento um cara atravessa o seu caminho quanto está: frágil, confusa, raiva, ódio, isolada, deprimida, perdida aff.
    Não se iluda achando que esse “amante” aí é melhor que seu marido e que ele tá apaixonadinho por você fia sabe de tudo não é bobo que continua casada mais vc mais “uma casadinha” na lista do mesmo ele nunca vai te levar a sério e assumir alguma coisa contigo vou falar o português claro só quer te “comer” ponto final.
    O que posso te aconselhar primeiramente termine imediatamente esse caso com esse amante e depois aconselho vc procurar ajuda psicológica e terapia de casal junto com seu marido sim eu acredito que um casamento pode ser restaurado eu lendo seu texto eu senti coisa de intuição mesmo que amor entre vc seu marido não acabou. Ele só tá desgastado o tempo do casamento pode fazer isso o amor entre vocês está enterrado em escombros do dia a dia só que precisa ser arrancada do buraco então quero dizer e reforçar lute pelo seu casamento e sua família não desista. Boa sorte!!!!!!

  • Gaia

    Claro que vc quer agradar sua mãe e deixá-la orgulhosa, mas fazer isso a custa da própria felicidade não seria certo para nenhuma das duas, especialmente para vc. Não deixe de viver a sua vida para atingir as expectativas dos outros, afinal vc só tem uma vida e não dá para gastá-la assim.
    Quanto ao seu filho, sou filha de pais divorciados e sempre disse que antes de mais nada quero ver meus pais felizes e sabendo que eles não conseguem sê-lo estando juntos, então que fiquem separados. Lembre-se que muitas vezes continuar casada numa relação ruim causa mais problemas e traumas a criança do que um divórcio.
    E sim, ninguém casa esperando se divorciar, mas somos humanos, somos falíveis e consertar nossos “erros” é muito mais inteligente do que viver negando-os. Vc tentou com ele, se não dá mais, largue a toalha e encare a próxima batalha. Dar murro em ponta de faca nunca resolveu a vida de ninguém

  • Sr. Marston

    Leitora, deixa eu ver se entendi sua situação
    – Vc se casou com 17 (ele com 19)
    – Tiveram um filho
    – A rotina apareceu e vcs não tiveram maturidade pra encara-la
    – Brigas, discussões, traições…
    – O casamento foi se desgastando aos poucos, e vcs, numa atitude egoísta decidiram cada um procurar fora o que não tinham em casa.

    Agora pergunto, esse ambiente é um ambiente saudável pra uma criança crescer?? Vcs se consideram exemplos de “pais” pra essa criança? Complicado, né…

    Enfim…Se vcs não tivessem filho, seria mais fácil de aconselhar…Neste caso eu diria pra cada um seguir teu rumo (como já fizeram) e bola pra frente. Mas não, agora com um filho vocês tem que pensar primeiramente nesta criança, pois ela é responsabilidade de vcs dois.

    Acho que o melhor que você pode fazer agora é procurar um diálogo com seu marido para que vocês decidam se existe chance de seguirem em frente ou não, se ainda existe Amor…Se existe a chance de vocês fazerem a relação voltar a ser o que era antes.

    Se não for possível manter uma relação saudável, é melhor que cada um siga teu rumo do que viver numa relação tóxica, melhor inclusive pra criança, como a Luiza disse.

    Por fim, a sua mãe é religiosa, e esse tipo de pessoa enxerga a realidade de forma distorcida, onde os valores religiosos se impõem sobre os demais…E você já é grandinha o suficiente pra tomar as próprias decisões…Então, te aconselho a decidir com base na racionalidade o que é melhor pra você e seu filho, mesmo que magoe a sua mãe…No fundo, ela só quer o bem pra vc e seu filho.

  • Franciele

    Leitora, convenhamos, escrever que não se separa por conta da religiosidade da tua mãe é tentar transferir para ela uma responsabilidade que na verdade é tua, até porque, o mesmo vercículo da bíblia que impede o divórcio banalizado, faz exceção ao caso de adultério;
    superada essa questão dogmática, pense o seguinte, se tu realmente não gostasse do teu marido, como tenta fazer transparecer, a atitude dele de te trair não teria te atingido, porque seria a desculpa perfeita pra cair fora, e na condição privilegiada de vítima.
    Entretanto, 9 anos não são nove meses, e quando tu descobriu a traição ficou com o égo ferido, e decidiu retribuir o egoísmo dele com uma atitude orgulhosa e vingativa, donde resulta teu conflito atual.
    Aconselho que tu proponha a ele procurarem aconselhamento de casais, para descobrirem a razão primária de todos esses conflitos, porque, independentemente desse casamento terminar ou continuar, vocês precisam se livrar dessa tendência de transformar o amor que existiu um dia em um sentimento ruim.
    Em tempo, não acredito que tu esteja de fato apaixonada por esse outro cara, acontece que quando estamos carentes, o que quer que apareça para nos distrair do turbilhão emocional é tratado por nossa mente como tábua de salvação, sem que a razão seja usada nessa análise.

    • hadassa

      Existe a continuação desse versículo bíblico o próprio Jesus Cristo diz aos fariseus na lei de Moises deu a carta de divórcio por causa da DUREZA dos vossos corações
      Mais no princípio não era assim Deus fez homem e mulher para amarem e se perdoarem que o casamento até que a morte o separe com a vinda do NSJC na terra ele mudou essa ótica vivemos hoje novo testamento não mais a velho testamento.
      Deus deu honra ao matrimônio virou sacramento indissolúvel o que Deus uniu não separe o homem. O casamento é uma vocação não é todo mundo que nasceu com esse chamado um dom e estar abertos a vida quantos filhos Deus quiser dar lê-se família numerosa. Porque amor conjugal é dar-se e pecado fechar-se ao dom da vida.

      • Franciele

        Entendo teu modo de vista, mas observe que no vercículo seguinte (Mateus 19:09) está escrito, “eu porém vos digo que aquele que despedir sua mulher, exceto por imoralidade sexual…”; era a isso que eu me referia, e é evidente que também se aplica aos homens.
        observe também, que Jesus coloca como adultério o casamento com divorciados porque, conhecendo a natureza rude daquele povo, pôde adivinhar que não seriam raros os homicídios de esposos e esposas insatisfeitos, a fim de habilitarem-se a um novo casamento.
        Pessoalmente, acredito que só tem validade divina os casamentos baseados em amor e companheirismo, de sorte que mais vale uma união meramente civil em que haja parceria, que uma cerimônia religiosa motivada pela necessidade de status ou unicamente pela vontade de satisfazer desejos carnais.

        • Mika

          “Pessoalmente, acredito que só tem validade divina os casamentos baseados em amor e companheirismo, de sorte que mais vale uma união meramente civil em que haja
          parceria, que uma cerimônia religiosa motivada pela necessidade de
          status ou unicamente pela vontade de satisfazer desejos carnais.”

          É exatamente assim que penso e é dessa forma que entendo a frase “O que Deus uniu o homem não separa.”
          Ele sela a união entre os casais através do amor, enquanto a cerimônia religiosa é apenas um ritual “inventado” pelo homem.

          • as vezes penso q se fosse evangelica teria medo d me casar só d medo d depois “não poder me separar”

            acho mt tristee já se sentir tão preso(a) assim

          • Faah Dias

            Acho errado isso, você casa com a pessoa, não dá certo e tem que estar com ela mesmo assim pq a religião não permite a separação?
            É exatamente por isso que eu decidi não me casar, no máximo morar junto. De preferência com alguém que não tenha essas “amarras”.

          • ou vc pode se casar, mas sem padrões “evangélicos”

          • Faah Dias

            Realmente não quero Lú, acho que ir no cartório e ter uma ‘relação estável’ pra mim é muito melhor. E depois, onde vou arrumar money pra casar no religioso? Tem que pagar e eu quero investir essa grana numa boa mobília… Hahahah

          • ahhhh se vc não quer aí é outra coisa, tinha entendido errado

            e concordo, casar no religioso é caro pracaraiiiiiiiiiiii kkkkkkkk

          • Stan Lewis

            A religião, como de costume, sempre interferindo no livre arbítrio das pessoas rsrs.

          • Mika

            Se você fosse evangélica, pensaria como uma, não como a Luiza…

          • ou não
            tem mt evangélica q pensa como tudo, menos como uma evangélica kkk aloke

          • Thomaz Aquino

            vdd.. tem muita porra loka levantando bandeira ..
            Eu acredito ser certo e de Deus a Biblia e o
            evangelio , gostaria de poder ser como diz pra gente ser la , mas como a humanidade nao presta , estou naquela de olho por olho dente por dente .
            E todos sao culpados ate que provem inocencia..
            Inclusive eu…
            A visao da Mae dela nao e errada …
            Mas e querer que o Mar seja seco.

          • Digo

            Luiza, o que acontece é que tem muito, muito evangélico mal informado (para não dizer louco).. desconhecem os preceitos básicos do verdadeiro cristianismo e depois ficam presos à convenções sociais, visões machistas, homofóbicas, etc, etc… como é, infelizmente, o caso dessa jovem

          • parece q tbm tem vários tipos d igrejas evangelicas, q acreditam em coisas diferentes
            confuso kk

          • Mas se você pensa, como poderia ser evangélica? Quem segue dogmas, abdicou de pensar.

          • vou deixar essa pra la pq isso sim ia dar tretaaa kkkkkkk

          • Eu sei…
            Mas sabe qualé o grande dilema? A gente respeita a opinião dos outros, não persegue quem pensa ou age diferente, defende a democracia, mas de quebra abre espaço pra dogmáticos que querem, justamente, cercear a liberdade alheia. São as contradições da democracia.
            Então, o negócio é não se calar. E só olhar a história e ver quando certas ideologias/religiões estão no poder o que fazem. Eu e você estaríamos na fogueira.

          • KKKK Vdd kkk
            mas sabe pq tbm já reparei? Q as vezes vc só tá dando sua opiniao e a pessoa fica “olha mas respeite a minha”, “tá me forçando a mudar de ideia”, e tipo NÃO, vc só ta conversando mesmo??? Aí as vezes fico meio com preguiça pq sei q se ficar ”respondendo demais” a pessoa vai pensar q to querendo “forçá-la” a algo, oq definitivamente não é o caso

          • Franciele

            Na verdade ninguém deixa de se separar por conta da religião; o que motiva o sacrifício é uma mistura venenosa de orgulho com hipocrisia. se assim não fosse, inexistiriam casais felizes fora das igrejas.

    • Stan Lewis

      Interessante notar que a mãe dela quis que ela voltasse pro marido mesmo ele sendo um adúltero. Ao que parece, a mãe dela se diz evangélica mas não conhece tão bem assim.

      • Franciele

        é que, mesmo nessa subcultura, o que foi deixado sempre fica como a vítima da situação, com o agravante que chegaria às bocas nervosas da igreja, apenas a informação da separação, deixando-se de lado o motivo.

  • mariana cobra

    Jamais perca a sua identidade pelos outros.
    Cada pessoa precisa ter seus sonhos, desenvolver uma vida com identidade bem definida estando disposta a batalhar pelo o que gosta e deseja. Isso naturalmente vai desencadear uma batalha e uma tensão espiritual. A vitória a essa batalha enriquece o caráter.
    Olha que interessante, no Brasil Seikyo (Lú..esse é o jornal “budista”) dessa semana trás conselhos sobre a FAMÍLIA CRIATIVA, com conceitos e reflexões sobre os caminhos que uma família forte e feliz percorre.
    É um infográfico bem interessante e vou tentar resumir…quem sabe te ajuda a pensar por outro viés.
    1 – ser autêntica: cada um deve ser aquilo que é e não aquilo que esperam seja;
    2 – respeitar a criança: as crianças entendem e sentem o ambiente familiar, respeitá-las é um ato de sabedoria, pois estaremos forjando bons adultos;
    3 – revitalizar: o lar é o local onde revitalizamos as nossas forças. É o solo fértil de árvores frondosas;
    4 – diálogo: entender o outro e sempre fazer exercícios de empatia..
    E mais N outros detalhes.
    Se vc não está feliz no seu casamento, siga sua vida com respeito ao pai do seu filho, ao seu filho e a vc mesma.
    Só vivemos uma vida, portanto, pare de viver de expectativas alheias.

    • E esse lance d lar eu ando muito preocupada kkk Sempre tento melhorá-lo
      agora mesmo recebi uns lances da the gift box q amei, vou até divulgar lá na fanpage, na cor VERDE

      e cara, cor verde me tras muitas coisas boas, ainda q ame vermelho kkk

      (tava estudando cromoterapia, liga não kkkkkkkkkkkk)

  • Lisa Rowe

    Pior trauma para um filho é ver pais casados pela conveniência, as brigas e traições de vocês devem tê-lo traumatizado muito mais, eu vivi isso, meu pai traia a minha mãe e as brigas eram constantes em casa, peguei nojo dos dois por causa disso… Bom… cabe você a decidir qual tipo de vida você quer levar daqui por diante: a vida que você quer ou a vida que a sua mãe quer, é muito fácil viver a vida que o outro escolheu né? pois lá na frente quando tudo estiver numa merda ainda pior, você vai poder culpar a sua mãe pelas SUAS escolhas erradas. Tome as rédeas da sua vida de uma vez por todas, você não é mais uma adolescente. Assuma seus erros e assuma seus riscos. Tenho certeza que esse casamento aos 17 anos não foi uma escolha sua. Até quando vai ser assim?

    • E vc algum dia chamou atenção deles por causa disso, ou era mais da sua indole não se meter e tals?

      • Lisa Rowe

        Sim, reclamei inúmeras vezes, mas eles não deram importância. Infelizmente deixei essa situação me afetar demais.

  • ana

    vai por mim.. ser criado num casamento bosta é MUITO mais traumático do que um divórcio de boa. e outra, quem está sofrendo é você, não sua mãe, desculpe, mas dessa vez a opinião dela vai ficar pra escanteio.
    vai ser feliz.

  • Faah Dias

    Olha só, vou dar o exemplo que tenho em casa: meus pais estão juntos há 28 anos e o casamento deles acabou logo no começo. Depois veio esta quem vos fala e meu irmão mais novo. Não vou nem entrar com a questão do que meu irmão pensa, pq eu não sei… Mas eu… Eu passei os 25 anos da minha vida vendo meus pais se detonarem, brigarem, meu pai bater na minha mãe. Isso a VIDA TODA. Teria eu trauma do divórcio? Não. Traumático mesmo é ver toda essa agressão, todas as brigas.
    Vamos agora pro seu caso: Você é feliz com seu marido? Não. Você não é obrigada a ficar num “lar” em que o convívio é insuportável. Isso não faz mal só a seu filho, faz mal a você também, faz mal a seu marido, tanto é que ele já te traiu. Ninguém, nem sua mãe, nem a religião e nem o que pensam os outros dos quais você não tenha pedido opinião podem te obrigar a nada.
    Essa coisa de ‘o que Deus uniu o homem não separa’ não se aplica a TODOS os relacionamentos. Em todo casamento, namoro, noivado ou a p***** que seja terão seus momentos de tensão, momentos de desentendimentos etc.
    Mas vamos pensar por um outro lado, vamos analisar: esse relacionamento só está sofrendo um desgaste ou realmente já foi pro brejo? Há formas de reatar? É nisso que VOCÊ precisa pensar, de preferência longe da pressão de qualquer pessoa, afinal não é a sua mãe que está passando por isso. Se há maneiras de salvar, é ideal que tu chame seu marido e converse (aliás vale pra tudo) com ele se ele TAMBÉM está disposto a salvar o casamento, até pq a bomba não é só sua. Se você vê que a coisa só tem tendência a piorar, se não tem diálogo, não tem salvação… Separa, vai cuidar da sua vida, do seu filho e com certeza se dê a chance de ser feliz com outra pessoa.
    Não tem justificativa continuar num casamento que já morreu ou está na beira da morte, ser pressionada pra não sair dele e ter um marido que não está fazendo absolutamente nada pra resolver (na verdade eu não sei se ele já tentou alguma coisa pra melhorar). Quanto ao seu filho, no começo será confuso pra ele, vai ser difícil, ele vai questionar. Não esconda que não deu certo e desde pequeno o incentive a tentar sempre ser feliz com alguém, pra que ele cresça tendo em mente que o casamento não é prisão, nem pressão e que ele DEVE refazer sua vida com que o valorize.

  • Stan Lewis

    A sua mãe tem a vida dela e você tem a sua. Se ela é evangélica, opção dela. Seu casamento só diz respeito a você e a seu marido, se não há mais sentimento, não compensa ficar insistindo, é como disseram nos outros comentários, é melhor se separar e buscar a felicidade do que viver junto brigando, sendo infeliz e ainda por cima afetando psicologicamente os filhos.

    Tente buscar a felicidade, se você estiver feliz, provavelmente vai transparecer isso para seu filho e ele também ficará feliz.

    • pois é, quem ve pensa q os pais q tem q aturar o/a mala depois kkk

  • Thomaz Aquino

    Pelo jeito so falta separar os corpos porque o resto ja esta separado , infelizmente , uma pena , para os dois , nao sera nada facil , mas quando envolve uma terceira pessoa , fica impossivel tentar consertar , mas nao se esqueca que um dia esse que hoje e seu marido , um dia foi namorado , te tratou bem e tudo mais , casou com ele nao foi , nao separe porque essta iludida com outra pessoa , separe porque a que esta nao esta servindo pra voce .
    De fora , so saindo sem rotina , filho pequeno , contas , compromissos , stress por causa da responsa detona qualquer tipo de clima entre o casal , quem esta de fora vira
    tipo um pscologo que te ouvi , um amigo que te abraca e um amante que te da prazer , mas quando muitas vezes esse entra no posicao de marido e enfrenta certas situacoes que maridos enfrentam pode ficar pior que o que esta , e muito facil ser namorado ou amante ..
    Muitos homens e cada vez mais , estao fujindo de morar junto ou casar e outros ainda ja dizem vou dar uma juntada , ja prevendo a separacao , sabem quanto e dificil compartilhar certas coisas .
    Talvez por isso sua Mae prefira que voce mantenha , ela actedita que casamemto e tudo igual e a merda toda faz parte do casamento.
    E aquela coisa , ninguem quer ficar so , ai junta casa e vira uma merda depois de um tempo.
    Ai casam 1 2 3 4 ate ficar velho ai quieta o faixo , por falta de opcoes e de pique pra comecar tudo denovo.
    E como sucesso na carreira , todos querem ser felizes no casamento mas so alguns conseguem…
    E voce minha cara esta na primeira separacao e nao tem mais jeito de vice continuar , so vai pior , melhor separar de vez agora sue o seu filho e pequeno.