Agrado minha mãe evangélica ou me separo e tento ser feliz?

36

Leitora: Olá Luiza e leitores. Tenho 26 anos e sou casada desde os 17 e temos um filho. De mais ou menos dois anos pra cá, meu casamento não anda bem, coisas que desgastam a relação entre a rotina de uma família cooperaram muito pra isso. Só que de um tempo pra cá ficou insuportável a nossa convivência, brigas frequentes, discussões e até traição dele. Nos separamos em Dezembro, mas por pressão da minha mãe eu voltei (ela é evangélica e pra ela o casamento é pra sempre). Nesse meio tempo, conheci um rapaz e me apaixonei, não tenho coragem de dizer que voltei pro meu esposo, pois gosto muito dele e não consigo pensar em perder. Minha vida sexual com meu “esposo” não existe mais, ficamos já três meses sem sexo, ele tem 28 anos. Na minha cabeça não se encaixa um homem nessa idade com uma mulher em casa não querer nem pensar em sexo. Esse rapaz com quem estou, me trata muito bem, porém, tenho medo de causar algum trauma no meu filho me separando. 

O que eu faço gente? Está difícil pra caramba.

Agrado minha mãe evangélica ou me separo e tento ser feliz?

Amiga, eu sei que o sonho de todos os filhos é agradar e dar orgulho aos pais e, justamente por isso, acabamos cometendo muitos erros, a começar por aqueles grosseiros que implicam infelicidade em troca de uma suposta felicidade dos pais. E que no fim, nem felicidade se torna, visto que no caso da sua mãe, é apenas uma teoria cômoda que ela quer ver sendo praticada, não algo que traga felicidade em si.

Por sua vez, é claro que quando a gente se casa, pensa que será pra sempre. Porém, existem as fatalidades e acasos da vida. E mais do que isso, a não colaboração do seu esposo ao te tratar como uma amiga, enquanto nenhum dos dois parece suficientemente motivado a procurar ajuda. Ou seja, se é assim, nada feito. Até porque, cá pra nós: fora ele já ter procurado fora, agora você também está apaixonada por outro e dificilmente se interessaria de verdade em fazer esse casamento reviver. Se quando um não quer, dois não fazem, quem dirá quando nenhum dos dois parece muito empolgados em realmente querer algo.

“Mas Luiza, e quanto ao meu filho? E se ele se traumatizar com a separação?”.

Eu sou daquelas que pensa que, tanto o casamento, quanto o divórcio podem gerar traumas a uma criança – ou NÃO! A diferença será como o casal lidará com isso. Por exemplo, da mesma forma que se divorciar sem dar a mínima explicação pro menino poderá ser traumático, não adianta nada estar casada e ficar com cara de bunda, sem muito ânimo para sair/brincar ou até mesmo brigando com seu marido. Sendo assim, se vocês forem mesmo se separar, combine com o pai da criança que PARA O BEM DA MESMA, nunca, jamais, em hipótese alguma um falará mal do outro pelas costas, brigará na frente da criança, ou tentará fazer a caveira do outro. Da mesma forma que também é legal levar a criança em uma psicóloga especializada em divórcios, caso veja que ela não está reagindo tão bem aos fatos.

É claro que o ideal é que os pais fiquem juntos e se ajudem, porém, mais do que isso, a criança precisa sentir que ambos estão felizes e que ela está sendo amada. Sem contar que tem criança que até gosta de ter duas casas, ganhar dois presentes em épocas festivas e poder ficar transitando por aí kkkkkk. Porém, isso acontece DESDE QUE haja união, parceria, amor, PRESENÇA e respeito entre os pais, mesmo que separados. “Sabecumé”, né? Criança de boba não tem nada e elas percebem tudooooooooooooo! rs.

No fim, se pensarmos no contexto geral da coisa e, desde que as devidas precauções sejam tomadas, parece uma boa ideia se separar do seu marido. Primeiro porque você já está traindo ele. Segundo que se seu amante descobrir que é amante ou se seu marido descobrir que é o corno, federá mais ainda pro seu lado. E nisso você acabará perdendo o respeito do seu marido + o sentimento de quem você não quer perder (no caso, seu amante). E claro, de quebra ainda aumentará as chances da criança se envolver numa “bad” ao ouvir resquícios da treta que isso dará. Sem contar que se seu marido também já te traiu e provavelmente tá de saco cheio que nem você, então não precisa prolongar o circo, né? rs.

Você não quer terminar essa história com marido + amante te considerando uma traidora mentirosa, quer? E ainda tem sua mamis, que se for pra pensar nela, provavelmente prefere ver a filha separada, do que com fama “de puta” que trai o marido e faz sexo sem compromisso por aí. Não que a gente pense isso de você, mas se você se preocupa com sua mãe, acaba sendo contraditório agir assim também…

É claro que no ponto que chegou, nada será 100% indolor pra ti. Porém, essa parece ser a opção mais honesta e menos sofrível para todos.

Assista/Leia:

Sintomas que o amor acabou

Por que as mulheres traem?

Você tem medo de ser corno?

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.