Fiz sexo a três sem vontade e me arrependi

68

Hoje eu não chamei o bombeiro, mas chamei nossa colaboradora maravilhosa com experiência na delegacia da mulher para ajudar. Espero que gostem e, claro, compartilhem caso conheçam alguém que esteja passando por isso, já que infelizmente, sempre tem.

**********************************

Estou lhe enviando este email porque acompanho seu blog há algum tempo e me senti desesperada (sem saída, sufocada mesmo) pra contar o que me aconteceu.

Bem, tenho 24 anos e recentemente eu conheci um carinha no Tinder e a gente começou a trocar uma ideia. Pois bem, papo estava ótimo (ele havia levado um amigo dele para esse encontro e eu não.. erro meu né?) até que a gente decide ir para o hotel. As coisas começaram a esquentar, quando de repente ele pede para incluir o tal amigo no lance. Eu fiquei chocada e falei que não, ele insistiu, eu disse não, fiquei meia hora dizendo não.. até que por algum motivo eu cedi (provavelmente serei julgada, estou preparada). 

Eu não estava bêbada, mas estava alta já e sabia o que estava fazendo, mas quando esse amigo dele chegou… eu olhei para o carinha e disse que não queria. Daí vocês podem imaginar o que aconteceu… Eu não reagi em nenhum momento e mesmo nenhum deles terem sido violentos, eu decidi ficar imóvel. Foi difícil e eu só chorava, olhava para a pessoa com os olhos cheio de lágrimas e nada dele ter empatia comigo. Estava com nojo, a cada toque do homem eu me sentia enojada, e aí não aguentei e deixei o choro vir mais alto. Foi aí que ele parou.

Depois disso eu não sei como reagir, sinto que a culpa foi minha, totalmente minha. Que eu deveria ter reagido e ido embora, eu sei que muitos vão falar isso. Também sei que deveria denunciar, mas o sentimento de culpa não deixa, pois o ato não foi violento (pra deixar marcas fisicamente, mas psicologicamente fez estrago) para se comprovar o abuso.. Então quem levaria a sério a minha palavra? Gostaria de uma opinião e sei que vou ter que lidar com as mais duras possíveis.

Fiz sexo a três sem vontade e me arrependi

Querida Leitora,

Não foi culpa sua. Leia bem: não foi culpa sua. A culpa é um sentimento extremamente perigoso, porque ela te deixa presa ao passado de duas formas: primeiro ela te leva a acreditar que suas ações te trouxeram consequências negativas e, por outro lado, te faz crer que se você tivesse agido diferente seu futuro seria melhor. Veja bem: pense em quantas vezes fazemos coisas boas e temos coisas ruins de resultado? Ou quantas vezes agimos de forma negativa, mas temos um resultado positivo? Viu? Não há certezas sobre o que poderia ter acontecido. Você teve medo. Provavelmente qualquer pessoa em seu lugar teria sentido o mesmo. Por tudo isso, eu particularmente, não gosto muito do termo culpa. A partir de agora, iremos falar em responsabilidade, ok?

Leitora, naquele dia, você não conseguiu fazer diferente. Não conseguiu. A partir de agora, eu preciso que você passe a revisar positivamente todo o acontecido, mas tudo feito sem cobranças. Onde você poderia ter tido mais cautela e ser mais cuidadosa? Além dessa situação, quando é que eu deixo as pessoas se aproveitarem de mim, mesmo eu querendo dizer não? Pode ser, leitora, que você tenha dificuldades em impor alguns limites, inclusive em outras áreas de sua vida. Então, é preciso que você se pergunte: eu me coloco em muitas situações desconfortáveis, com uma frequência maior do que eu gostaria? Por que eu digo sim querendo dizer não? É para agradar? É porque eu me sinto “fraca” nessas horas? É porque eu sinto que não posso dizer a palavra não?

Minha querida, sua culpa está ligada diretamente ao perdão. Você precisa se perdoar. Mas te dizer isso não é suficiente. É preciso que você perceba que estamos todos em crescimento. Todos nós, em algum momento, nos arrependemos de algo que fizemos. Quando entendemos isso, julgamentos severos e críticas em demasia perdem um pouco da importância e, assim, não te afetarão tanto. Acontece que, por algum motivo, questões sexuais nos afetam mais do que outras e, principalmente, quando nos levam a sofrer julgamentos dos outros. Pode ser que sua criação, seu meio social, tenham contribuído para isso. Mas o que eu sei, como psicóloga e ex-Delegada da Mulher, é que o perdão só acontece quando a gente se vê como um ser imperfeito, capaz de errar e de se arrepender. A partir de agora, você tem a oportunidade de se perdoar e de crescer.

Para romper seu ciclo de autoflagelo e autopunição, retire algo de positivo desse infortúnio e restará alguma lição. Então, novamente se pergunte: quando eu não quiser ficar com alguém, o que devo fazer? E repasse isso algumas vezes em sua consciência, até que esteja plenamente segura de sua situação e qual ação deverá ser tomada. Nesse momento, o melhor que você pode fazer é, ao tomar consciência das respostas para as perguntas feitas acima, procurar uma maneira de não repetir o que foi feito. Assim, nós usaremos seu emocional a seu favor, leitora. Faremos do seu sentimento de culpa um sinal de alerta e, em alguma eventual situação desagradável, você poderá se proteger com mais facilidade.

Leitora, você está em um momento bastante vulnerável. E eu tenho que tocar em um assunto bastante delicado agora. Sobre sua denúncia. O mais adequado é que você procure uma Delegacia especializada em sua cidade e conte tudo: quando e exatamente o que aconteceu, já que você foi breve em sua pergunta. Mas para todo esse processo é preciso que você esteja fortalecida e amparada. Lidar com tudo isso e ainda ter que clarificar todos esses sentimentos é tarefa longa e difícil. Eu aconselho você a procurar ajuda psicológica. Terapia é um processo de autoconhecimento em que há empatia, identificação de comportamentos auto-destrutivos e muito, mas muito acolhimento. Não pense que você está sozinha ou desprotegida. Você não está. Mas só você é capaz de dar outro contorno para essa história. Desejo toda força para você.

Instagram
Share.

About Author

N.S.

Psicóloga por formação, observadora da vida alheia por opção. Adora comer mirtilo e é apaixonada em gente com bom humor! =)

  • Alguém tinha comentado no outro post? Deu falha tecnica q respondeu ai se puderem falar d novo

    desculpaaaaaaaaaaaa e obrigada cara de pedra pelo aviso!

  • Stan Lewis

    É uma situação complicada, na qual a leitora se sentiu pressionada pela situação e acabou se arrependendo durante o ato, mesmo que ‘inicialmente’ tenha havido consentimento dos envolvidos, acho que faltou eles terem a percepção que você não estava confortável durante o ato. acho que a melhor coisa a se fazer nesse caso é buscar ajuda psicológica para superar esse trauma.

    • Felipe Biancardi Justo

      Fiquei com essa impressão também, mas parece (não ficou claro) que no início do ato ela desistiu e mesmo assim eles forçaram ela a realizar o ato, só parando quando ela desandou a chorar.

      Se foi forçado ela deve denunciar. Porém, se foi consentido e eles pararam no meio quando perceberam que ela estava desconfotável aí não vejo crime, vejo uma situação delicada, que infelizmente a própria leitora se colocou e que ela precisa de apoio para superar.

      • Beatriz

        “eu olhei para o carinha e disse que não queria. Daí vocês podem imaginar o que aconteceu… Eu não reagi em nenhum momento” por esse trecho parece ter sido forçado sim, já que ela disse que não queria e aconteceu mesmo assim. Nesse caso ela precisa sim denunciar os dois.

        • Faah Dias

          Também acho que foi de uma certa maneira forçado, se ela disse não, era pra ter respeitado a vontade dela.

    • vdd
      falou ela dizer não
      faltou eles perceberem que ela provavelmente estava em choque e não conseguia dizer esse não
      faltou mt coisa

      • mariana cobra

        “até que a gente decide ir para o hotel”.
        Ok, ela tem 24 anos e é direito dela transar no primeiro encontro.

        “As coisas começaram a esquentar, quando de repente ele pede para incluir o tal amigo no lance. Eu fiquei chocada e falei que não”.

        Como o rapaz que mal a conhece percebe o choque? É algo extremamente delicado, pessoal e depende de uma percepção bem aguçada…exigir isso de uma pessoa embriagada e pensando com o pau é complicado.

        “Ele insistiu, eu disse não, fiquei meia hora dizendo não.. até que por algum motivo eu cedi”
        Ok. Ele devia ter parado, da mesma forma que ela devia ter pego as coisas dela e ter ido embora…

        Aí eu penso Lú, será que uma moça de 24 anos é tão ingênua e despreparada assim? Conhece um carinha no Tinder e se dispõe a tudo isso esperando um desfecho diferente?

        É muito fácil demonizar os rapazes que não leram os detalhes, a não ação e os nãos subentendidos.

        • Tem muita gente q tem dificuldade em “ter personalidade forte” e isso independe da idade
          mas é triste Ma, pq rola mt trauma q nem estamos vendo =(

          E isso d tinder vc acertou a enquete q fiz d manha la na fanpage, c ja viu? kkk

          • mariana cobra

            Não vi a enquete, dei um tempo de facebook.
            Mas realmente não entendo as mulheres da nova geração…com tanta informação, tanta gente lutando por equidade sexual, política, trabalhista e mais um larai de outras áreas vemos aí uma classe de mulheres que nadam contra a corrente da evolução da humanidade.

          • mas é que o problema não é resolvido apenas com a evolução da humanidade, mas tbm a pessoal

            E ninguém é evoluído em tudo, é normal isso. A grande pegada é aprender, não ficar se matando por dentro
            como disse o buda. Nós somos capazes d fazer mt mais mal a nós mesmos do que o externo

            Eu por ex já errei e pensei ”nossa se eu tivesse me julgando eu falaria q porra era tão obvio, mas quando vc está LÁ nem sempre é obvio assim”
            é complicado demais Mari.

          • mariana cobra

            Leia evolução da humanidade como novas liberdades/direitos/posição social da mulher.
            Realmente, todos temos nossos lados fortes e os deficitários…estamos nesse mundo pra evoluir.
            Foi o q disse em cima…pra moça usar esse episódio para crescer como ser humano e ser a protagonista da própria vida e dona de suas próprias vontades.

    • mariana cobra

      Como alguém vai ter percepção sobre o outro se mal se conhecem?
      Eram pessoas que mal se conheciam e saber que o outro está desconfortável leva tempo e todos os atos são interpretados conforme a situação foi evoluindo.
      Isso serve de alerta para homens e mulheres que se colocam em risco…pense vc, ela teve sorte do rapaz parar…de não estar morta numa vala qualquer.

      • Afilhado do Temer

        isso é fogo mesmo menina.
        nem todo ser tem a mesma forma de pensar,
        eu uma vez fiquei com uma menina que conheci numa festa por intermédio de uma amiga nossa em comum, mas que na hora que a festa acabou e que ficamos a sós pra rolar o vamos ver, na hora que a coisa esquentou, ela disse NÃO, aí eu insisti mais um pouquinho, ela me disse outro NÃO, aí eu desisti, eu nunca mais nem quis saber da menina, sei lá, mesmo tendo curtido ela, eu
        achei que ela não sentia nada por mim, que ficou apenas por ficar mesmo.

        aí o foda de tudo é que ela contou pra essa outra colega nossa em comum e pra mais uma outra que tbm me conhecia,
        que não rolou os finalmente porque eu fui lerdo que não soube insistir por ter parado nos primeiros NÃO.
        aí é que eu junto o meu caso com esse daí de cima.
        EU, EU não gosto de forçar a barra não, eu digo eu, mas nem todo homem pensa assim, acham que se desistir a mulher o verá como molenga (que nem a do meu caso), meus colegas mesmo já me falaram sobre isso de que quando ficar a sós com a mulher, não parar no NÃO dela não e insistir até ela ceder mesmo,
        e muitos vão tentando apertar dali e daqui até a mulher ceder a brecha, que foi que nem nesse caso da menina do relato, aí se a menina cede, eu já não considero nem mais violência, pois ele insistiu, ele não agrediu, não pôs uma arma na cabeça e nem amarrou a menina para que o ato fosse relato.

        • mariana cobra

          Talvez dizer não na cabeça de algumas mulheres significa que ela não é tão fácil, valorizando assim o passe, mas não passa de pura idiotice.
          Não é Não…não, não deveria ser talvez ou insista mais um pouco para que eu me sinta menos fácil.

          • Ícaro Pereira

            Concordo contigo. Prefiro não ficar com uma menina que faça joguinho do não.
            Não preciso de correr risco por gente que não se resolve.

        • Stan Lewis

          Eu agiria da mesma maneira, e se depois sair falando pra outros que eu sou lerdo, que se dane, pra mim ‘não’ é ‘não’ e pronto! Se a moça ta afim mesmo, não fica de frescura, curto mulher que ta afim e sabe muito bem o que quer, que não fica de mimimi. Meu interesse diminui muito só de perceber que a pessoa é indecisa ou frescurenta.

      • Thomaz Aquino

        E necessario mais valores espirito e menos
        Valores da matéria , Luxuria por exemplo , e os pecados capitais que levam a pessoa a decadência.
        Nao importa a evolução
        A Fama o Dinheiro ex
        Elvis , Witney ,Mikel , Marylin , e outros …que indicam os valores certos a felicidade fica longe..

      • Stan Lewis

        No relato a moça disse que estava chorando e mesmo assim o cara não parou, pra mim o choro é um sinal óbvio que ela não queria continuar com aquilo.

    • Thomaz Aquino

      Essa porra de midia do tudo pode , esta acabando com as mulheres , elas acabam passando por cima delas mesmas pra serem liberais , iguais e a merda toda..
      Homem e tudo meio aninal , muito mais instinto …nao tem jeito…e instinto de procriação com varias
      Enquanto elas o instinto natural e de um macho protetor forte ..
      Por isso está dando errrado.
      Se acham acima da regra natural

  • Empatia: consiste em perceber corretamente o marco de referência interno do outro com os significados e componentes emocionais que contém, como se fosse a outra pessoa, em outras palavras, colocar-se no lugar do outro. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Empatia

    Tenho muita dificuldade em avaliar os dois pontos de vistas deste relato.
    Como homem, eu não consigo me imaginar em uma situação dessas. Não sou de ficar insistindo tanto e creio ser impossível eu não perceber o desconforto da parceira. Nunca participei, nem sinto a menor atração por ter um outro homem ao lado. Mas não se trata de um julgamento moral, apenas uma preferência pessoal. Tudo, nesta história, é muito brochante para mim.
    Talvez, eles tenham percebido como sim, os diversos “nãos”. É uma distorção comum, infelizmente.

    E o lado dela? Esse é mais difícil para mim. Por que ir até o ponto onde foi? Por que não reagir antes? Mas, se entender plenamente qualquer outra pessoa já é muito complicado, imagina um homem compreender a perspectiva de uma mulher. Eu só sei, que nada, neste mundo é tão cartesiano assim. Julgamentos são temerários.

    Reforçando o que a N.S. disse sobre culpa, cara perguntadora, observe o que você escreveu:

    “sinto que a culpa foi minha, totalmente minha. Que eu deveria ter reagido e ido embora, eu sei que muitos vão falar isso … e sei que vou ter que lidar com as mais duras (opiniões) possíveis.”

    No final das contas, parece que você está buscando, aqui também, uma autopunição.
    Não é por aí. A sua parte neste acontecimento não deve ser interpretada no plano da autopunição. Eu, você e todos, estamos envoltos em uma realidade que nos supera, é mais forte.

    Provavelmente, a sua reação, mesmo que tardia, seja a melhor solução. Procure uma rede de apoio, como aconselhado, e vá em frente. Apesar dos percalços, que ainda devam acontecer, isto pode te fortalecer no futuro.

    • Franciele

      Por incrível que te possa parecer, mulheres ainda são ensinadas a “servir” no contexto dos relacionamentos, e os verbos vulgarmente utilizados para referir o ato sexual exprimem bem essa conotação.

      • Não sei se você leu, mas fiz um texto sobre esta relação entre palavras relacionadas a sexo e seus significados.

        http://www.pergunteaumamulher.com/2015/08/os-incriveis-significados-por-tras-das-palavras-sexuais.html

        • Franciele

          sim, lembro desse texto, mas nem nele nem naquele que trata da virgindade feminina, tu chegaste a sutileza contida nos verbos “dar” e “comer”, cujo significado maior é apresentar o sexo como necessidade apenas do homem, e perpétua liberalidade da mulher, que aliás, sequer gosta ou precisa disso, e essa informação do inconsciente coletivo é que gera a “permissão” para situações como essa vivida pela leitora.

          • Franciele,
            releia o que escrevi sobre comer e dar. Ao contrário da tua opinião, salientei e deixei bem claro esta diferença da perspectiva feminina e masculina.

            Comer
            Aí ficou mais interessante! Sim, agora falamos de prazer, de saciar uma necessidade. Mas tem um porém… Se um come, é porque outro foi comido, portanto é bom só para metade dos envolvidos. E como são os homens que comem, não adianta muito para as mulheres, pois continuam fodidas.

            Dar
            É o lado feminino… Os homens comem e em contrapartida, as mulheres dão… Pois é, quando termina a foda, eles saem alimentados e presenteados, enquanto elas estão devoradas e como deram algo, saem com menos do que quando entraram. Portanto, não adianta mudar a perspectiva do palavreado, as mulheres permanecem fodidas.

          • Franciele

            sim, de fato tu referiste esses verbos, mas não na conotação que eu linha argumentativa que coloquei acima, até porque o texto é mais humorístico que reflexivo; o resto do meu comentário é ironia circunstancial.

          • Referi os verbos na mesmíssima conotação que você colocou, e o tom humorístico é algo que “diz” à forma e não ao conteúdo. Uma piada, também, faz refletir, a menos, é claro, que o ouvinte tenha tal rigidez que não consiga rir e pensar ao mesmo tempo.

    • Terapia com certeza, espero que ela procure urgente e supere tudo =(

      • hadassa

        Eu tbm espero que a leitora procure ajuda psicológica. bjs Lú

  • Franciele

    Leitora, quando li teu relato um trecho sobressaiu pra mim “até que por algum motivo eu cedi”; vi nesse ponto um provável problema de autoestima, acompanhado de grande distorção em relação ao que esperar de um relacionamento, bem como, da maneira correta de reagir às atitudes alheias.
    Ocorre que, em meio a esta pseudo liberdade sexual, nos ensinam que se um homem não nos quer é porque não somos boas o suficiente, e, sobretudo, que após rompido o himem, devemos deixar de ser “frescas” na hora do sexo; por tudo isso, embora tu dissesse e sentisse o “não”, tua atitude não comportou a mesma firmeza.
    Isto posto, e já te ajudando a seguir o conselho de ver positivamente o que te aconteceu, procure de lembrar dessa situação como o aprendizado prático, segundo o qual, permitir que alguém tenha acesso ao teu corpo não é um favor que tu faz ou deve a essa pessoa, mas sim um privilégio consedido a quem demonstre, com atitudes respeitosas, merecer essa dádiva; e isso vale tanto para “ficadas” de balada quanto para namoro.
    quando tu conseguir internalizar essa verdade, visto que, somente tu é dona das tuas vontades, ninguém poderá praticar qualquer abuso contigo, porque tu não vai mais sentir-se tola por impor limites.

    • Perfeito!!

      “mas sim um privilégio consedido a quem demonstre, com atitudes respeitosas, merecer essa dádiva; e isso vale tanto para “ficadas” de balada quanto para namoro. “

    • hadassa

      Estou aqui aplaudindo de pé seus conselhos sempre tão profundos. Vc consegue vê o que está escondido nós escombros da alma humana.

      • Franciele

        Pobre de mim, rs.

        • hadassa

          Fran vc tem talento nossa Augusto Cury de saia aqui do site. Pode crê não sou baba ovo de fazer elogios pra todo mundo eu só parabenizo quem tem potencial mesmo.

    • mariana cobra

      Não sei se ceder foi problema de autoestima ou o famoso “já que estou aqui…” justamente pq o relato é raso e dificilmente saberemos o todo.
      Acho que essa falsa sensação de liberdade sexual afeta quem não está psicologicamente preparada pra ela, afinal, com grandes poderes vem grandes responsabilidades.
      Seu conselho foi show, parabéns pela forma de pensar.

      • Franciele

        Bem, para adotar a posição segundo a qual houve abuso, considerei que essa medida, justamente por ser tênue, deve ser atribuida de acordo com a sensibilidade da vítima, uma vez que, o mesmo ato pode não significar nada para uma pessoa, e ser motivo de trauma para outra.
        Quanto a liberdade sexual, a classifiquei de falsa porque na verdade ela não existe, basta observar como são tratadas as pessoas que só fazem sexo em determinadas condições, bem como, quem opta por dar vasão aos desejos, respeitando as vontades alheias; se existe um padrão, subliminarmente tão rígido quanto os existentes em épocas passadas, logo não há liberdade.

        • mariana cobra

          Infelizmente não tem existe, juridicamente, sensibilidade da vítima…
          Olha só esse texto que aborda a vitimologia.

          “Muitas vezes nos deixamos levar pelo pensamento de que o agressor é o único responsável pelo resultado da ação delituosa, agindo por razões que somente a ele são inerentes, mas esse entendimento foi modificado com a evolução da vitimologia, pois estudiosos dessa ciência concluíram que, em certas situações, pode a vítima influenciar de forma crucial na ação criminosa. Diante do exposto concluí-se que na mesma medida em que o criminoso modela sua vitima, esta pode modelar o criminoso”.

          Dificilmente um juiz condenaria os rapazes pelo abuso, justamente pelo fato da mesma ter dado o consentimento em várias ocasiões e quando deixou claro através do choro que realmente não queria, eles pararam.

          Fato é que a moça ficou traumatizada e somente com ajuda psicológica a mesma pode sair desse buraco que se enfiou.

          Quanto a liberdade sexual…não podemos negar a evolução das liberdades, ontem mesmo vi uma moça praticando sexo oral na calçada de sua casa em dois rapazes como se nada fosse…o que seria da mesma nos anos 40?

          Como disse antes, todo tipo de liberdade vem cercado de vááááárias responsabilidades.

          • Franciele

            Juridicamente, grosso modo, vale aquela premissa do conto dos homens cegos que tocam partes de um elefante, e depois precisam descrevê-lo; ou seja, na falta de testemunhas, parcial.

          • mariana cobra

            Não entendi direito…justiça parcial?
            Nosso sistema jurídico é horrível…o código penal é totalmente deficitário, mas é o que tem pra hj…o negócio sempre é a prevenção e evitar situações onde vc potencializa os riscos contra tua própria vida.

          • Franciele

            Não, a parcialidade do estabelecimento do ponto, ou modo de vista, que é uma das morais da parábola apócrifa que citei (parábola dos seis homens cegos).

  • Sr. Marston


    Pelo teu relato, é bem complicado dizer se houve abuso ou não…A linha que separa o seu consentimento da situação forçada é muito tênue. Prefiro não me arriscar a dizer se você deve denunciar ou não.

    Porém, sejamos realistas…A chance de ter alguma punição pra estes dois indivíduos são muito pequenas (caso as autoridades entendam que houve o abuso), e mesmo que eles sejam punidos, isso não vai impedir que situações assim voltem a acontecer com você.

    Você não foi a única culpada por isso (Tem homens que não sabem o significado da palavra “Não”), porém, você deve concordar que teve a sua parcela de culpa…Então, o melhor que você pode fazer é aprender com seus erros e trabalhar para que você não caia nessa de novo. Talvez uma ajuda de um psicólogo(a) seja bem vinda.

    No fim das contas, entre o Mach – barzinho – motel, acredito que seu principal problema foi a falta de atitude, a falta de pulso firme…”ele insistiu, eu disse não, fiquei meia hora dizendo não.. até que por algum motivo eu cedi”. Assim que ele começasse a forçar demais a barra era a hora de você dar um basta e sair fora se fosse preciso…Era a hora de você dizer que não queria e que se ele insistisse de novo você iria embora!

    Isso vale pra todos os aspectos da vida…Todos nós devemos ter atitude de dizer “Não” quando chegarmos ao limite de algo, pois, se não fizermos isso, as pessoas vão se aproveitar e nos forçar a algo que nos fará mal.

    • e tem mt homem q tem mania d forçar sexo
      achando q a menina quer tbm, ou q só precisa d uma forcinha, aí dá merda
      enfim, espero q muitos parem d agir assim depois d lerem esse caso

      • mariana cobra

        Da mesma forma que tem muita guria que diz não para valorizar o passe…
        Pra mim, se é não é tchau e benção…esse lero de não, não quero, mas quero, mas não sei, talvez…aí do nada ela aceita e vai pro hotel com o cara e continua na ladainha do não…
        Na real e na sinceridade Lú, qual a mensagem que ela passou?

        • Eu acho mesmo q ela não soube dizer o não mari
          e que se uma mulher não faz nada os caras podiam se tocar
          MASSS não é todo mundo q se toca
          e acho tbm q todo mundo erra
          ela, eles, eu, vc
          e que agora q rolou oq rolou, é bola pra frente, procurar ajuda etc Tentar entender pq ela não conseguiu ir embora, etc.
          não dá ficar se punindo, mas dá pra fazer diferente
          Uma coisa q aprendi mt nesse site é não pensar muito por mim, mas sim pelo outro, pq cada pessoa é um mundo, sabe? Não tem certo ou errado
          q nem tava falando com um amigo, EU por ex posso saber dizer não, ELE pode ter outro ponto forte q eu não tenho, fica muito comodo a gente falar ‘olha eu ia la e fazia o certo no seu lugar”, pq certamente em outra área a gente não arrasaria tanto
          por isso q o bom é ver cada contexto e tentar ser feliz apesar disso

          • mariana cobra

            Sobre a ladainha do não…acontece que a maioria dos meninos/homens entendem que a insistência leva a resultados justamente pq existem muitas meninas/mulheres que dizem não querendo dizer sim.
            Não foi o caso da colega, ela a princípio quis, mas depois não e o não dela foi interpretado como sim.
            No fim, meu ponto central é que tbm não podemos punir os rapazes e muito menos a moça…o que a moça DEVE fazer é se livrar desse peso e bola pra frente.

        • “Da mesma forma que tem muita guria que diz não para valorizar o passe.”

          essa é outra polemica Mari

          se EU fosse um cara, eu entenderia um NÃO como um NÃO

          SEEE a menina ta fazendo isso pra fazer charminho, problema é dela e perdeu, pq isso não é algo q se faça, PORÉM, se eu achasse q era um sim fantasiado de não e NÃO fosse, eu poderia traumatizar a menina

          (isso vale para homens tbm)
          ou seja, é melhor entneder o não como um não, e se for um blefe o trouxa perdeu kkkk
          agora forçar eu não iria querer correr esse risco nem na pele d um homem, nem na pele d uma mulher

          q nem os cara sfalam ”ah é cu doce”, ja falaram isso pra mim e era um NÃO mesmo kkkkkkkkkk
          ou seja, na duvida nao encha o saco , eu penso assim pelo menos kkk

          • mariana cobra

            Mas esse pensamento é seu, assim como tbm penso assim…não é não e sim é sim…não tem meio termo.
            Se fosse homem tbm não daria mole pra guria cu doce, mas esse tipo de pensamento é exceção num mar de insistências que trazem resultados.

          • Afilhado do Temer

            é assim mesmo menina, vejo aos montes de mulheres por aí postando essas coisas no facebook, sobre o NÃO e a insistência do homem
            essas meninas e a maduras de hoje em dia, falam um troço querendo exatamente o contrário, cansam de postar isso nas redes sociais coisas do tipo, “Dizer não, é o mesmo que dizer SIM”, se referindo no momento da intimidade entre um homem e uma mulher.

            eu como falei, muitas vezes, levo no pé da letra e se me diz uma coisa, tá valendo o que foi dito pra mim.
            eu já tive com uma menina, que quando a gente tava se beijando no portão da casa dela, do nada ela disse que não podia continuar por causa dos pais dela e ela me mandou ir embora,
            e eu fui embora mesmo kkkkkkkkk, na minha cabeça, não dar não dar.
            uns dias depois ela me ligou com uma raiva, disse pra mim, que ela disse aquilo com a intenção que eu e desafiasse ela e não fosse embora e ficasse lá agarrando ela e continuasse não se importando com os pais dela.
            kkkkkkkkkkkkkkkk.
            isso do NÂO e da insistência do homem na hora do rala e rola, é uma coisa muito variável, onde o NÃO, ultimamente, para muitas mulheres, vem sendo gerado por elas mesmas, como um desafio pra testar a capacidade do homem se ele consegue fazer ela ceder ou não,
            claro, isso não é regra, mas tá numa taxa mais alta do que o contrário pelo que vejo das conhecidas quando converso com elas e pelo o que as mulheres postam nas redes sociais.,

          • Stan Lewis

            exatamente! mulher que faz c* doce é perda de tempo.

          • infelizmente trazem resultados

            e o pior mari, muitas alegam REALMENTE não querer e fizeram só pela insistencia e o cara “ah era cu doce eu sabia”

            na verdade, acho que a minoria é cu doce, até pq nao é tão facil resistir um pão q vc quer por MUITO tempo kkkkkkk

  • Afilhado do Temer

    pelo que vi pelo jeito que vc falou,
    não houve abuso.
    mas agora que passou, coloque isso como aprendizado,
    já começando pelo corte do contato com o carinha que chamou o outro,
    pq oq houve aí, foi falta de empatia e semancol dos caras em não querer aceitar que vc não estava relaxada pra curtir aquilo, vc não estava na onda de curtir o momento com os dois, já começa cortando contato com eles.

    bola pra frente, só acho que um errinho que vc cometeu, pra começar, foi ter se entregado de forma completa pra um desconhecido por esses aplicativos e ter ido lá se encontrar com ele com essa proposta de fazer sexo com os dois.
    vc poderia ter feito isso, caso já ficasse com esse cara já há um tempo e ele te fizesse essa proposta e aí sim vc avaliaria ela, inclusive escolhendo caso tivesse mesmo com vontade de pôr em prática, um cara que vc sentisse atração,
    agora assim no escuro como vc fez, foi perigoso, não só sexualmente, pois vc correu risco de vida, e se os caras de fato de estuprasse e tivessem te matado ?
    pense nisso.

    • hadassa

      Falou somente a verdade e realidade dos fatos!!!!!

  • hadassa

    Sinto muito o que houve com você leitora te aconselho a procurar ajuda psicológica sim. Não só pra tratar o que vc passou mais tbm algo mais profundo essa sua carência, baixa auto estima e dificuldade de dizer NÃO pode estar ligado indiretamente na busca desesperada de ser amada ás vezes pode ter a vê com ausência da figura de um pai então um psicólogo(a) pode te ajudar terapeuticamente a trabalhar isso dentro de vc.
    Que esse seu depoimento sirva de uma vez por todas de exemplo para mulheres jovens ou adultas que estão solteiras. Gente reflitam e parem para pensar não se “procura amor” querer um relacionamento sério em internet no mundo virtual(sites de relacionamento, aplicativos de encontros etc..) porque? PERIGOSO vc está se expondo teclando com desconhecidos que vc nunca viu e vamos falar a realidade sem hipocrisia na maioria dos casos esses rapazes e homens mais velhos estão a procura de sexo casual e seus derivados não tão querendo achar uma namorada aff.
    Então posso dizer abandone a ansiedade essa carência afetiva e deixe o amor te achar isso mesmo na vida real no seu cotidiano tantas pessoas a gente conhece que acha e esbarra com o amor no ponto de ônibus, igreja, trabalho, escola, faculdade, supermercado, fila de banco sei lá alguém te convida numa festa, churrasco na casa de um amigo(a) aquela pessoa “especial” pode está lá não tem nada melhor aquele primeiro olhar da outra pessoa mirando vc e vai puxa papo contigo e começa fazer amizade aí aquele frio na barriga aí viva o amor real, viva o amor puro, viva o amor verdadeiro aff.

    • Franciele

      Infelizmente esse quadro bonito que tu traçou não acontece na vida de todas as pessoas, e a esses sofredores só resta aprender a canalizar essa energia para outras áreas da vida; evidente que focar muito no amor romântico nos priva de perceber o quanto somos cercados de outros amores, mas também é verdade que não existe substituição perfeita.
      De qualquer forma, achei esse teu comentário muito mais compreensivo que alguns outros, porque, não sei se tu percebe, mas as vezes é tão dogmática, que parece esquecer do exemplo dado pelo Cristo na parábola da mulher adúltera, bem como, desconsiderar que entender o outro é uma forma de caridade; ps, leia de forma construtiva.

      • hadassa

        Só posso dizer obrigada Fran pelos seus conselhos. Não tenho nenhuma restrição de ouvir críticas ou sugestões quanto seja construtivas como seu só me agrega. Tenho alguns lemas que eu levo comigo um deles aprender quando eu encontrei o site da Lú me apaixonei pelo trabalho que ela desenvolve eu me identifico demais de entender o comportamento e complexidade do ser humano e interação dos frequentadores dando suas opiniões livremente esse diferencial do espaço dela.

  • mariana cobra

    “Assim como uma pequena planta deve enfrentar muitos obstáculos antes de se transformar numa árvore, nós precisamos experimentar muitas dificuldades no caminho da felicidade absoluta.”
    (Nitiren Daishonin).
    A vida humana é permeada por bons e maus momentos, depende somente de nós como enfrentá-los, interpretá-los e aprender com cada situação que passamos.
    Cara leitora, não podemos esperar somente flores da vida e muito menos se autoflagelar pelos infortúnios, mas sim aceitar a responsabilidade a nós conferida pelas nossas ações e omissões.
    Não culpe os rapazes pelo o que houve e tenha certeza que ir a uma delegacia não irá resolver seus problemas, justamente pq vc disse sim.
    Eu não queria, mas disse sim…veja a confusão criada por vc não ter voz ativa sobre si e sobre seu próprio corpo.
    “Dominar-se a si próprio é uma vitória maior do que vencer a milhares em uma batalha.”
    ( Sakyamuni )
    Use esse episódio para conhecer a si própria e para que consiga ser protagonista da sua vida, responsável por suas ações, sábia nas decisões que venha a tomar e nobre através de suas ações.

  • Tiago

    Cara leitora, acho que o erro foi seu, sei que muitos vão me criticar ou achar machista. Mas desculpe. Foi sim. No momento que falou que foi com os dois pro motel. Me perdoe. Acho que o outro entro para o que? Ser segurança dos dois? Não né. Ja aconteceu situações comigo assim de ir eu e mais um amigo e uma garota só. Uma rolo, outra a mina deu para tras bem na hora, dentro do motel e outra na entrada pulo fora. Isso saindo de balada. Enfim sempre levei embora e ponto. E outra ja aconteceu situações de o amigo ensistir de eu chamar a mina com nois dois e eu vi que ela nunca ia aceita e tbm eu não queria. Mandava o amigo embora ou achar outra que aquela não ia “compartilhar (sarcasmo a parte)”. Mas ja vi amigos nessa situação de deixar elas no Motel e ir embora. Se não quer ja nem entra. Porque vai achar pessoas totalmente diferente de mim. E outra ainda mais nesse aplicativos, é muito perigoso mulherada.
    Aconselho a ir em um psicologo tambem. E tomar como aprendizado.

    • João Silveira

      Eu fiquei pensando nisso também.
      Porque ela foi com dois para o hotel?
      O que ela pensou que o outro estaria fazendo ali?
      Não entendi.

  • VagnerFeijó

    Os 3 erraram , se de fato houve penetração ai a coisa foi pior ainda um homem em sã consciência percebi sim se a mulher esta afim ou não o sexo é sempre natural e de puro tesão das duas partes.. numa ocasião de insistência quer dizer que uma das partes não esta afim… errou?errou sim e feio mas também os rapazes pisaram na bola também oque vcs fizeram nem de longe se chama sexo..vivendo e aprendendo e vcs(os 3 ) tentem aprender e se respeitar um pouco mais.

  • Gaia

    Cara leitora, o que vc viveu se chama estupro.
    Estupro não é só um cara te pegar a força em algum lugar e forçar o sexo, estupro tb é quando não respeitam o seu não ou te coagem a dizer sim. Sexo consentido é somente aquele no qual vc tem liberdade e está apta psicologicamente para consentir. Sendo assim pressionar por 30 minutos, já é lhe negar o direito de dizer “não”. Não respeitar o fato de que vc mudou de ideia tb. E parar quando vc desatou a chorar não o torna inocente, menos ruim, mas não inocente.
    Se não tiver coragem de denunciar, ao menos procure amparo, seja psicológico, seja com uma amiga, pois o que vc viveu não foi culpa sua. E como disseram no texto, aproveite a situação para tirar lições disso e se prevenir não cometendo as mesmas falhas. E lembre-se, vc ter cometido “falhas” não a torna culpada, ninguém é perfeito e muitas vezes nós colocamos em situações de risco por não querermos ser paranoicas. Achar um equilíbrio não é fácil e se trata de um aprendizado constante.

    • Beatriz

      Eu concordo que tenha sido também.
      ela disse “eu olhei para o carinha e disse que não queria. Daí vocês podem imaginar o que aconteceu…” só isso pra mim já indica a possibilidade de estupro, ela disse que não e aconteceu assim mesmo. o foda é que ela está se culpando por isso por ter dito sim antes.
      e depois “Foi difícil e eu só chorava, olhava para a pessoa com os olhos cheio de lágrimas e nada dele ter empatia comigo”, mesmo que ele estivesse bebendo ele (eles né) não viram que ela já estava chorando? enquanto ela olhava pra eles? ela pode até não ter chorado de soluçar nessa hora e tal mas isso já é chorar. o que tem na cabeça dessa porra desses caras que veem a mulher chorando e continuam? hentai? -.-
      imagino que ela não tenha denunciado porque pelo relato dela ela está se culpando muito, mas eu realmente acho que devia. e procurar ajuda pra entender que NADA disso foi culpa dela.

      • Afilhado do Temer

        vai denunciar os caras e não vai dar em nada,
        não há tanta ingenuidade assim da leitora.
        pq ela consentiu, ela não foi dopada, não foi coagida a fazer o ato,
        ela apenas não se sentiu a vontade na hora da realização,
        isso não vai caracterizar estupro, pois não houve ameaça e nem impedimentos de uma livre manifestação da menina, ela disse não de início, mas depois teve uma variável em seu comportamento topando por livre espontânea vontade, que realizar o ato.
        desculpe lhe dizer, mas não dará nada pros rapazes,
        não é porque eu sou homem, mas não posso demonizar os rapazes pela omissão dela em tomar uma atitude de não querer e pronto.
        houve falta de empatia, esperar isso de tudo mundo, é o mesmo que aponta uma arma contra própria cabeça e brincar de sorte numa roleta russa, mas estupro não houve não.
        se ela levar esse caso para o delegado vai ser pior do que o caso da menina aqui do rio que alegou ser estuprada por 33 rapazes.

        • Beatriz

          Por essas e outras que uma porrada de mulher é estuprada todos os dias mas não denunciam.

          • Afilhado do Temer

            mas vamos ser sincero, não vamos por os caras como algoz e a menina do relato como vítima, não vejo crime nenhum no que aconteceu.
            estupro é muito diferente do que esse caso que aconteceu aí, e do caso da menina que alegou ter sido estuprada pelos 33 rapazes (coisa que essa menina vivia fazendo orgia na favela e a merda só deu porque um trouxa resolveu filmar e o vídeo parou na NET).

            agora cabe essa menina do relato aí acima tocar a vida pra frente, porque ela em si, não tem a exclusividade da culpa, mas ela errou sim, errou em ter se permitido ir para um motel com 2 caras, e chegando lá tendo aceitado trepar com os dois.
            ela achava o que?
            ela achava que ia meter com o que marcou e o amigo que ela aceitou dele ter levado ele junto pro motel, que ele iria dar uma voyeur, bem típico desses corno manso fetichista e ficar só tocando punheta ?
            não, não, e não.
            vc vai me desculpar, ela sabia sim o que iria rolar quando aceitou ter ido com os 2 pro motel, como alei, houve falta de semancol dos caras em perceber que a menina não estava curtindo o combinado,
            mas isso não é estupro, quando o ela jogou pra fora as lágrimas eles resolveram por não continuar, quem estupra não está nem aí pro sofrimento da mulher que está numa condição indefesa na hora do ato.
            é como falei, não houve estupro e ela só vai estressar o delegado.

  • Thomaz Aquino

    Procure terapia , ou ate desabafar com amigas ,nao acho que deveria denunciar agora , nao por eles mas por voce , procure paz agora se perdoe e perdoe os pscopatas, por enquanto depois refeita você decide agora e deixae o tempo agir no trauma e nao sentir mais culpa , um dia tudo isso sera so uma vaga lembrança. .imagine voce la com 50 anos , nem ira lembrar disso , tudo passa nessa vida, as coisas boas e as ruim tambem…
    Nao valorize demais isso , so tenha cuidado com você…
    Isso vai passar…

  • Ícaro Pereira

    Por isso que sempre pergunto se posso. Temos que ouvir um sim. Essa de quem cala consente não funciona. Mas eu nunca tinha pensado no caso de choque ser confundido com consentimento. Tb é uma péssima ideia ficar com quem bebeu. Para ambos os sexos,. Os caras poder perder o medo da polícia e serem uns psicopatas e as mulheres podem ter amnésia alcóolicas e acharem que foram drogadas. Nesse caso aí foi algo bem cinzento, mas eles deveriam ter notado que ela não estava gostando.

  • Lisa Rowe

    Amiga eu poderia vir aqui com aquele papo de ”o mundo é machista, esses caras foram abusivos e você é a vítima coitadinha e blablabla”, mas acho que isso não vai ajudar em nada, prefiro ir pro lado mais da realidade: acho que você precisa se situar mais na vida, aposto que você deve ser aquele tipo ”boazinha que odeia desagradar”, te trago más notícias, se você continuar assim, vai ficar a mercê de gente muito ruim na sua vida. O não de uma mulher deveria ser a regra, mas não é assim que funciona INFELIZMENTE, o mundo é machista e nós temos que ter algumas manhas pra sobreviver. Aprenda a dizer não, aprenda a impor seus limites, pare de dizer sim a tudo e todos, pare de acreditar em qualquer merda bonitinha que te dizem, pare de cair em qualquer conversinha, as pessoas ruins especialmente, homens ruins, sentem onde esta o elo mais frágil e vão atrás disso. Tente ver qual é a sua responsabilidade nisso que te aconteceu, procure ajuda psicológica acho que seria muito bom… não dá pra ficar esperando os homens se tornarem ”bonzinhos”, temos que tomar alguma providência até o dia disso acontecer, e fortalecer o nosso psicológico é o caminho.

  • Valdeci Soares Lustosa

    Fiz um comentário de um outro assunto falando sobre isso. Fazer coisas sem vontade é muito ruim, pois não nos sentimos bem, não tem a mesma graça que quando a gente concorda, além disso fica esse sentimento de culpa e no caso da leitora um trauma psicológico. Por outro lado tem uns homens, que acho que nem deveriam ser chamados assim, que não tem percepção de quando não estão agradando e cometem esse tipo de erro. Gosto de sexo, mas quando ambos estão com vontade, desejo, tesão, pois há um ano atrás estava num casamento onde minha ex mulher só transava comigo por obrigação e quando comecei a perceber isso, não quis mais e decidi separar e foi a melhor coisa que aconteceu, pois assim tive a oportunidade de conhecer outras pessoas e sentir prazer novamente no sexo.