Não tenho força de vontade e sinto que preciso que alguém segure minha mão e me ajude

16

Leitora: Querida Lu, há 4 anos minha família tem problemas econômicos, mas ajudo desde o começo. Tive depressão (quase me tirei a vida, fiquei um ano indo à escola, mas sem proveito algum) e ansiedade. O ambiente me deixava mt doente, cresci numa família desestruturada. Agora, com 19 anos, nem quitei o colégio ainda. Quase passei no curso q queria, mas não deu. Me sinto mt perdida. Tenho estudado em casa, mas sinto q congelei no tempo. Não tenho garra. Parece que preciso que alguém segure minha mão e me ajude. O q faço? Algum conselho?

Não tenho força de vontade e sinto que preciso que alguém segure minha mão e me ajude

“Parece que preciso que alguém segure minha mão e me ajude”.

Quem é que nunca sentiu isso? Bem, ao menos eu já. Tem vez que a gente tá tão cansado da vida que esperamos que aconteça um milagre e alguém nos salve. Só que depois a gente descobre que quem pode salvar a gente somos só nós mesmos. E que assim como os outros também estão em uma batalha interior e não podem te salvar, você está na sua. Porém, a notícia boa é que eles podem sim te AJUDAR a SE salvar. Porém, muito cuidado ao esperar isso. Primeiro que o maior – mas maior mesmo – trabalho será seu. Depois que, ao esperar demais, você pode acabar se frustrando caso não aconteça algo da forma exata que você esperava. Sem contar o famoso pretexto do “ninguém me ajuda” que temos enquanto, na verdade, somos nós mesmos que não queremos nos ajudar.  E aí fica fácil jogar a culpa em terceiros, concorda? 🙁 Pense que se pra você – que é a maior interessada, tá difícil – quem dirá para os outros que teoricamente “não têm nada a ver com isso”, entende? O fardo é seu. E você vai conseguir!!!

“Mas como Lu?”

Eu te aconselho a começar do começo mesmo, com calma, sabe? Se esforce em dar os primeiros passos. Saia de casa, se encontre com um amigo, mesmo quando você não quiser. Tome um pouco de sol e ande no parque, mesmo quando não quiser também. Parecem atitudes bobas, mas fazem MUITA diferença.

Outra coisa que ajuda todo mundo, mas todo mundo MESMO que tenta, é a meditação. Procure dicas gratuitas sobre isso na internet, mas dê preferência a um curso de sua cidade (existem cursos livres, nem tudo precisará gastar dinheiro).

E falando em estudos, sabe aquele exame que você não passou? É normal. Eu também não passei na universidade que queria de primeira, mas e aí? A gente só precisa tentar de novo e de novo. Afinal de contas, ninguém acerta na loto se não tentar, certo? E quase ninguém ganha na primeira aposta 😉

Por fim, se sua família é desestruturada, procure entender o porquê eles são assim. Ou seja, ao invés de ficar depressiva junto com eles, busque os “motivos que a vida teve para você estar nessa família”. O que é que você terá que aprender, nem que seja à força? O que você aprendeu, inclusive sobre o que NÃO fazer, com eles? O que você pode fazer para não repetir os mesmos defeitos que te incomodam na sua mãe, por exemplo? Não precisa ser religioso pra entender que nada acontece por acaso, que não estamos onde estamos à toa. E isso é óbvio pra todo mundo depois de certa idade. Porém, irá de você usar todos esses seus problemas para se lamentar (sei que é tentador, mas controle-se) ou como uma oportunidade para pensar que, ainda que doa agora, no futuro você terá tirado algo de muitooooo bom disso. Nem que você tenha que forçar “saporra”, rs.

Um exemplo pessoal é sobre quando vim parar em Curitiba, você já assistiu a esse vídeo?  Vim parar aqui por mil motivos tortos, mas que no fim, me trouxeram uma coisa certa. Você só precisa acreditar que, apesar da dor, o final vai ser bom. E se não for, só dependerá de você tentar mudá-lo mais quantas vezes forem necessárias, até ficar bom de fato.

No pain, no gain“. Anote na testa, rs.

Lembrando que estar animada para a vida exige esforço, é uma luta diária, uma questão de resiliência mesmo. Não é tipo algo que “todo dia você acorde diva, linda e bem disposta”. Mas acredite, todo mundo que realmente quer, supera. Só nunca, jamais, se coloque na posição de vítima ou azarada, pois isso só será um pretexto que atrasará o seu sucesso final. E ah, é claro que tia Lu e TODO mundo fica triste por alguns dias também. É normal. O anormal é viver sempre assim. E quando a tristeza bater, lembre-se que ninguém ganha uma medalha sempre, e tá tudo bem também. Na verdade, seria até meio sem graça se ganhássemos tudo o tempo todo.

PS 01: Se tudo der certo, em breve quero postar dicas para aliviar ansiedade, a depressão (ou as duas coisas) lá no canal. Assine, atualize as notificações e fique de olho!

PS 02: Procure ler sobre florais ou homeopatia, são baratos e não custa nada tentar. Converse sobre isso em uma farmácia de manipulação perto de você. (E se algum leitor entender e quiser fazer um texto colaborativo sobre essa forma de tratamento, mande para [email protected]).

Boa sorte!

Assista/ leia:

Dicas para aliviar a melancolia/depressão

O caso do leitor que pensou em se matar (o problema não é o mesmo, mas a moral é!).

Como vim parar em Curitiba

Dei 5 minutos (essa é pra compartilhar com os amigos egoístas kkk).

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.