Minha mulher quer que eu fique com outras e parece ter fetiche em ser traída!

47

Leitor: Nosso relacionamento tem quase quatro anos. Eu estou com 27 e ela com 23. Acontece que, no início do relacionamento, eu transava com outras mulheres, mas parei com tudo quando resolvi assumir o relacionamento a sério, há cerca de três anos.

Tentando não ser injusto, eu contei pra ela que transei com outras, mas não contei detalhes de tudo que aconteceu. Só que toda hora ela insiste em tocar no assunto, fala sobre as meninas que eu tive e também admite que sente tesão e se masturba pensando em mim com elas na cama. Ela também gosta que eu conte as transas detalhe por detalhe pra ela durante o sexo, ocasionalmente. Dá muito tesão para os dois e o sexo fica muuuito mais intenso.

Na maioria das vezes, fico com a sensação de que ela acha monótono esse namorado que agora é fiel e tem vontade de me ver com outras, só não tem coragem de tocar no assunto. Eu não tenho vontade de submeter ela a esse tipo de coisa, mas fica a dúvida – como trabalhar essa curiosidade dela de uma forma saudável e que faça bem para a relação? Vale a pena trabalhar o assunto?

Obrigado pela atenção. Adoro o teu trabalho! Beijão!

Minha mulher quer que eu fique com outras e parece ter fetiche em ser traída!

Amigo, alguns pontos: primeiro, se você conta e ela deixa, não é traição. Podemos chamar de fetiche, mas traição, não. Traição é quando existe um ato fora do combinado: uma facadinha nas costas, o falar uma coisa, mas fazer outra e demais coisinhas escondidinhas, rs. O caso dela é escancarado, e se ambos concordarem, ninguém é corno.

Porémmm, isso não significa que ninguém sofrerá. Só relaxa que prometo deixar essa parte clara até o final do texto, rs.

Ela gostar de fantasiar em palavras na hora do sexo é uma coisa, te ver transando na vida real pode dar resultado adverso. Apesar do fetiche em enfiar terceiros no relacionamento ser relativamente comum, partir pra prática – e aguentar possíveis consequências – é pra poucos. E olha que engraçado: nesses dias mesmo recebi um email de um leitor desesperado porque depois de ter cedido “à suruba”, ficou extremamente enciumado por causa do tamanho do biroba de um, porque ela liberou a retaguarda pra outro (e nunca pra ele, rs), e por aí vai! O bichinho ficou tão doido, mas tão doido, que quase me deixou doida junto, rs. Ele não queria tentar nem a consulta gratuita, nem a particular: só queria que eu respondesse tudo por email e operasse um milagre em 30 segundos na vida dele kkk. E olha que resolver problema por email eu não faço nem pagando kkkk.

Enfim: não faça nada que qualquer um dos dois possa ficar inseguro depois. E tão importante quanto isso: não pense que é porque ela acha uma coisa, que você tem que achar o mesmo. Não se preocupe em ser descolado. Se preocupe em ser feliz. Ou seja, ainda que culturalmente muitas pessoas pirem nessa ideia de surubão, pode ser que você simplesmente não pire. E aí tá tudo bem, vai fazer o quê? Forçar e se arrepender depois que não vai, né?

Tente saber o que talvez nem ela saiba sobre si mesma. Isso é complexo, eu sei. Mas a lógica é mais ou menos a mesma da pessoa que pensa que só precisa ganhar na loto pra ser feliz, mas depois que ganha descobre que continua depressiva. Ou da mulher que fala que é super modernosa, que adora transar de primeira, mas depois chora porque o cara não ligou, rs. E claro, a mesma regra vale para você! Com isso quero dizer que, muitas vezes, nem as pessoas sabem direito o que querem da vida e o que realmente precisam pra serem felizes. E aí entra a boa e velha frase que diz pra reparar mais no que elas fazem do que no que elas dizem. E ao mesmo tempo reparar mais no que você quer, não (apenas) no que elas querem.

Por fim e na minha humilde opinião, só de você usar o termo não quero “submetê-la” já significa que você não está preparado pra isso. Ou seja, que não concorda com a lógica dela. Logo, se seu cérebro não conseguir entender a situação de outra forma, não force-o, porque o trauma pode ser muito pior.

“Ahh Luiza, mas ter medo de se jogar no surubão é algo cultural.”

Sim, mas o que somos se não seres culturais? Lembrando que é exatamente a cultura que leva muita gente pro psiquiatra, rs. Somos muito mais o que pensamos do que qualquer outra coisa: se as pessoas soubessem um décimo do rombo que traumas psicológicos causam, parariam de fazer tantas coisas no desespero e investiriam muito mais na hora de saberem o básico sobre si mesmas.

Assista ao vídeo sobre o passado sexual da mulher.

E leia o texto: Vale a pena realizar seus fetiches?

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • mariana cobra

    “Só que toda hora ela insiste em tocar no assunto, fala sobre as meninas que eu tive e também admite que sente tesão e se masturba pensando em mim com elas na cama”.

    Já parou pra pensar que a tara dela esteja nas meninas?

    • Eros Himeneu

      Ontem estive pensando em um assunto diferente desse post. Já percebeu que quando dormimos, o mundo pára? Horas passam em segundos, mas poderiam ser milhões de anos. Vejo notícias de pessoas que ficaram décadas em coma, e quando acordam, é como se houvesse passado apenas 1 segundo. Eu quando tinha 12 anos de idade, cai do alto de uma árvore de cabeça numa pedra. Fiquei dias sem saber quem era, minha família sofreu com isso. Mas de repente acordei e para mim é como se tivesse passado apenas 1 segundo. Muito estranho, aonde eu estava?

      A tara da moça pode ser nas meninas, não sei.
      Só sei que preciso de você, por algum motivo, na minha vida, no meu destino.

      • Eros Himeneu

        Ah Mari, segue algumas perguntas que farão um upgrade na sua mente kkkkkkk
        – Como um cego, surdo, mudo e tetraplégico pode aprender com a vida? Como ele vai aprender sobre Jesus, Reencarnação, etc….
        – Futuro: Vejo filmes de Holywood falando de futuro, ano 2100, 2150, etc…
        Para mim futuro é ano 2.496.285.668 kkkkkkkkkkkk Você já imaginou como seríamos nesse ano ai que eu imagino kkkkkkkkkkk

        • mariana cobra

          Sobre Jesus eu sei o que me ensinaram na catequese, crisma, lendo a própria Bíblia e num curso de 6 meses de filosofia que fiz na faculdade com um sr. (já aposentado) que achava que eu era infiltrada pelos militares (essa é outra história boa)…só posso dizer que foram 6 meses intensos.
          Voltando, Jesus = ressurreição, ou seja, vc fica lá morto, inerte, esperando a volta Dele para subir aos céus de corpo, mente e alma. Na católica não há reincarnação ou vidas passadas.
          Complicado responder a sua pergunta, seria mera especulação de minha parte, MAS uma pessoa cega, surda, muda e tetraplégica veio a este mundo novamente para aprender sobre gratidão e dependência…pense vc, TALVEZ, essa pessoa viveu de forma egocêntrica, arrogante e presa aos prazeres efêmeros da carne e voltou para se redimir das falhas do carma passado.
          Pra mim, a era que vivemos é chamada de “Os últimos dias da Lei”, não pq o mundo vai acabar, mas pq os seres humanos serão capazes de compreender que cada um possui dentro de si a capacidade inerente do Buda.
          Todos os 10 estados de vida coabitam dentro de cada ser, basta esse ser abrir os olhos da mente para ascender nessa vida mesmo ao estado de iluminação.
          Tudo isso que disse traduz o budismo Mahayana, em específico, o de Nitiren Daishonin (o que sou devota e estudo) e ele prevê que qdo tudo estiver na merda, todos os bodisatvas da Terra se levantaram e conduziram a humanidade para os bons caminhos.
          Essas pessoas não são só budistas, mas todos aqueles que procuram levar ao próximo o bem, a felicidade, a abnegação e os ensinamentos humanísticos capazes de eliminar os 6 maus caminhos da vida.

          • Eros Himeneu

            Conheci Jesus hoje, me iluminou e decidi contar toda a verdade para a minha esposa. Me sinto tão bem.

          • mariana cobra

            Que bom Eros. Fico feliz por vc e espero que encontre a paz que tanto busca.

        • João

          Caro Eros,

          Teve uma leve fuga do tema aqui, mas sobre a questão da pessoa cega-surda-muda, recomendo para ti o álbum “Tommy” da banda The Who. Ele foi gravado em 1975 e depois virou filme. Trata da história de um menino que se acreditava ser deficiente, mas no desenrolar da trama se questiona como determinadas experiências podem causar traumas que isolam as pessoas, como se elas fossem fisicamente privadas dos seus sentidos de interação com o mundo e com os outros.

      • mariana cobra

        O que é o tempo para nós senão um grão de poeira no universo?!
        Já teve algum sonho muito real que pareceu durar a noite toda? Dizem os cientistas que isso acontece em segundos.
        O que nós sabemos sobre o universo? Nada!
        Quanto ao seu coma e sobre seu estado de amnésia, não sou médica pra opinar, só posso dizer que nosso subconsciente é um oceano de enigmas não resolvidos.

        • Diego Macedo

          Nos comentários do Eros nós podemos ver o que a droga faz com um cara, ele entra em um blog que fala sobre sexo e comportamento e começa a falar coisas que não tem o menor sentido com o assunto em questão.

          • Eros Himeneu

            Mas eu não uso drogas, só se for os anti-depressivos. Realmente não tem nenhuma relação com o assunto, mas eu precisava saber a origem do universo e principalmente, chamar atenção da deusa Mariana.

    • Sol

      Essa foi boa, o Leitor se empolgou tanto com a possibilidade de trair que nem analisou a situação por todos os ângulos.kkkkkk

      • João

        Cara Sol,

        Agradeço a contribuição.

        Que pena que foi isso que você entendeu, mas na realidade é o oposto disso! Fiz a pergunta num momento de desabafo porque estava me sentindo frustrado ao sentir que ela insistia muito nesse assunto e que isso não me interessava tanto.

        Se você já passou por algo parecido, por favor comente. Abraço

    • João

      Cara Mariana,

      Obrigado pela contribuição.

      Respondendo: sim. Estou ciente da possibilidade de ela ser bi, do desejo dirigido às outras mulheres e tudo mais.

      Na realidade, ela já ficou com mulheres, até transou com algumas, nunca tivemos problemas em falar disso. Sempre lidei com naturalidade com essas coisas do universo feminino, procurando não fazer juízo de valor, não rotular e não reprimir nada em ninguém. Simplesmente considero que isso é parte do mundo das mulheres, da construção das suas identidades e sexualidades, e que nós homens não devemos nos meter para julgar.

      Porém não parece ser o caso aqui. Não me parece que seja algo tão simples quanto o desejo sexual por essas mulheres do meu passado, mas sim uma questão mais profunda de comparação, de auto-estima e de insegurança. Ou seja, deixando o meu ego a parte, a resposta não parece ser tão simples.

  • Franciele

    Leitor, teu título sozinho me fez esperar por aquele enredo clássico em que um dos parceiros propõe, egoisticamente , ao outro que divida a intimidade do casal por um número maior que dois, situação que até o momento não vi resultar em bons efeitos.
    Entretanto, teu relato demonstra que falar do teu passado é apenas uma maneira que ela encontrou de aumentar o repertório de estímulos, visto que, ao que parece, nenhum dos dois anda muito criativo em matéria de sexo. se fosse apenas isso eu te diria que em time que tá ganhando não se mexe, mas me parece que tem mais coisa aí.
    Fiquei com a impressão que, e considero esse um ponto importante de reflexão, teu incômodo talvez se deva ao fato de ter tranzado com várias mais por impulso que por decisão consciente; daí tu encontrou tua namorada, percebeu que uma relação consolidada era mais digna que aquela pseudo liberdade, e hoje se sente um “idiota” por ter sido imediatista naquelas ocasiões. Infelizmente não há como mudar o passado, mas tu podes se libertar dele agindo diferente, como aliás tem feito, e creia-me, o que incomoda as pessoas nos relacionamentos não é a rotina, o excesso de estabilidade ou mesmo a convivência que acaba com o encantamento da novidade, mas o conformismo de não procurar reajustar o que está caindo de qualidade, como é o caso do sexo por exemplo, esperando por algum milágre que leve o casal aos momentos de descoberta do início.

    • Thomaz Aquino

      Queria ver a opiniao deles daqui 30 40 anos sobre isso , opiniao deles mesmos, quando provavelmente se vivos estarem sem alguem com quem teve um passado , que hoje e tudo normal sem restricoes morais , prazer imediato a curto prazo , queria saber deles daqui alguns anos quando a meia idade chegar.. o que dirao de si mesmos e se valeu a pena .,

      • Franciele

        Eu penso que as pessoas precisam ser honestas consigo mesmas, porque, se é verdade que nem todo mundo tem perfil para monogamia, e nesse caso a idade chega, passa e o comportamento não muda, também existem aqueles que se deixam levar pelo modismo, tanto no sentido da promiscuidade, como fez o leitor, como casando sem preparo porque é bonitinho, como já vi acontecer muitas vezes.

      • Sol

        Thomaz, as pessoas estão cada vez mais escravas dos seus desejos e alienadas de si mesmo. Pouquíssimas pessoas tem esse perfil de promiscuidade, aventuras selvagens, entre outros, e lidam bem com isso. A maioria depois fica com vergonha do passado, com problemas psíquicos e infelizes. A verdade dura para alguns é que somos pessoas simples que gostamos de estabilidade e amores duradouros, mesmo que não sejam eternos.

        • Thomaz Aquino

          Realmente , bem isso mesmo , parece que sao auto destrutivos pscologicamente , esse tipo dr comportamento , lembra pessoas que estao num lugar lindo , bem acompanha e pra curtir tudo isso acha que precisa de droga e usa …
          Se voce esta com uma pessoa que gosta pra que colocar esses tipos de taras no meio , Porque fetich saudavem seria uma banheira com petalas de rosas , massagem , uma langer ou o cara vestido de algo diferente , tipo no teatro ,entre o casal , pra gerar um clima diferente e imaginario um faz de conta . saudavel , onde os dois incorporam personagens .. alem de divertido , pode ser exitante , atuar e viver algo diferente..
          Mas misturar coisas negativas pra relacao . Podemos chamar de drogas na relacao .,..

        • Thomaz Aquino

          Vdd ..os mais velhos , dizem:
          Esse mundo se perdeu..faz alguns anos nao era assim…

      • João

        Caro Thomaz,

        Não espero nem quero que esse problema se prolongue. Mas gostaria sim de saber do que as pessoas/casais de mais idade têm a dizer sobre isso tudo. Fique a vontade para comentar e obrigado pela atenção.

        • Thomaz Aquino

          Importante mesmo e saber o quanto isso te incomoda , so voce pode saber o quanto , se isso te da um tipo de insegurança , o que a medio e ao longo prazo nesse relacionamento , pessoa desiste de relacionamento serio por N motivos ..ex.
          Genio , pessoa ser bocuda , video Game , gente encostada , familia , etc..sao muitos os motivos …
          A minha opinao e que isso nao e saudavel num relacionamento serio , porque ja diz sério , se e uma ficante tudo bem ….
          Quando se fala serio e pensando em futuro , planos e quanto se pode arriscar, investir na relação …..
          E o que e necessário para tanto …
          Acho que e o que esta fazendo alisando …
          Esta certíssimo afinal e seu futuro …
          O que aceitar agora , influenciará no futuro da relação , voce pode cortar esse fetiche e dizer nao gosto de vc com essas fantasias , corta e pronto .
          Pode também ver ate onde vai isso …dar corda e saber o que ela pensa e se nao for legal pra vc , voce larga …
          Nao da pra dizer larga , sem saber até onde vai esse fetiche , mas nao pra pra
          Falar casa junta etc…
          Vai namorando nao assumi
          mais que um namoro ..enquanro isso nao estiver bem claro pra você …
          Você esta conhecendo ela continue assim…

    • Sol

      Franciele, perfeito teu comentário!

    • João

      Querida Franciele,

      Teu comentário realmente foi impressionante. Tem muitas verdades aí.

      Em primeiro lugar, realmente não tem nada a ver com o enredo clássico do cara que quer arrumar alguma desculpa para ter outra. Nesse caso, eu só queria saber como agir da melhor forma e manter o relacionamento bom.

      Segundo, o que tu falou sobre “aumentar o repertório” tem tudo a ver. Para ela é esse o efeito mesmo. Eu procuro sempre trazer outras coisas “mais interessantes” para a cama, mas justamente nada parece ter o mesmo efeito. Na hora, tudo ótimo, muita excitação. Mas depois rola um arrependimento da parte dela. E eu sei que isso machuca.

      Por fim, tu foi a única pessoa que conseguiu perceber algo nas entrelinhas. Realmente, eu me sinto mal pelas atitudes do meu passado. Sei que nada foi tão grave, mas foi a primeira e unica época da minha vida em que eu me permiti fazer o que vinha na cabeça. Enfrentei muito julgamento, coisas que inclusive refletem até hoje. Pra mim é tranquilo entender que isso é coisa de um passado distante; pra ela aparentemente nem tanto.

      Eu gostaria muito de conversar mais contigo. Nada de forçação, mas é que tu parece ser uma pessoa real, sincera e, como eu, preocupada em entender essas coisas e preocupada em não se identificar/expor hahah Poderia ser de grande ajuda. Obrigado pela atenção. Bjo!

      • Franciele

        Fico feliz por saber que ajudei, considero que o melhor remédio para qualquer aflição é justamente auxiliar quem apareça no nosso caminho.
        Falando em questões práticas, acredito que uma solução interessante, capaz de promover o completo desligamento do passado, seja vocês passarem a ler contos anônimos na internet; tu, ao propor isso, dará a ela a sensação de segurança que ainda é incompleta, e ela, usando essa ferramenta, poderá desenvolver ideias autênticas para o exercício da sexualidade, mas sem o ônus da desigualdade preexistente entre vocês.

  • Stan Lewis

    Eu acho que ela deve ter tendência “Bi” , proponha um menage com vocês dois e mais uma mulher.

    • João

      Caro Stan, obrigado pelo comentário.

      O fato de uma mulher ter desejo por outras mulheres não significa que ela gostaria de fazer um menage com o namorado. As coisas são bem diferentes. Não temos problemas com esse assunto.

      • Stan Lewis

        se ela não quis um menage, certeza que ela vai querer apenas assistir voce e a outra na cama, proponha isso a ela.

  • Mas quem disse que ela quer participar realmente de um menage?

    Ainda aguardamos o lançamento de um “female translator” para ajudar alguns incautos na interpretação do que suas parceiras querem dizer com as palavras.
    Eu, de cá deste lado de fora, duvido que o desejo dela seja ter uma outra mulher na cama. É outra coisa…

    Caro perguntador, simplifique. Conversa com ela, ao invés de ficar nessa masturbação mental.
    Perguntar diretamente não vai matar ninguém, mas fazer algum movimento, baseado em achismos de tua parte, pode te matar!

    • João

      Caro Carlos, obrigado pelo comentário.

      Concordo contigo. Pelas tuas palavras, tu parece ser um cara mais experiente. Já toquei no assunto diretamente e ela se bloqueou. Menage e traição não estão sendo cogitados aqui.

      Acho que vamos ter que ficar no aguardo pelo tal “female translator”. Por enquanto a Luíza está sendo o recurso mais próximo disso heheh

  • Thomaz Aquino

    Caminho perigoso esse , mas se e so namorada , voce pode ate trilhar , mas tera que abrir mao de uma relação certinha , pensar em futuro a longo prazo..
    Saber que dara errado , esse e um caminho sem volta..
    A verdade e que ja nao tem mais volta , se voce cortar sabera que ela curte escutar ….
    So falar pega nada , problema e pra onde levará isto..e ate onde..
    Como a Luiza disse sempre acabam se machucando..se for em frente. .
    Mas acho que e so fetich mesmo , nao passara disto , ouvir historias…imaginar…
    E com isso ter desejo…so isso. .

  • Marcelo

    Cenários possíveis aí:

    1o) ela é bissexual e viu, no que você contou, a deixa para satisfazer certos desejos dela;

    2o) é altamente competitiva e quer testar o poder de sedução que tem sobre você;

    3o) é a insegurança em pessoa e, achando que vai ser traída de qualquer forma, quer ter algum controle nisto.

    Recomendo cuidado e bom senso antes de seguir o rumo que ela propõe.

    • mas tem hetero q tem fetiche em ser corno (a)
      é meio surreal pra mt gente, mas sempre converso com gente q sente isso
      e nem todos são bi

      • Marcelo

        Este fetiche está ligado à insegurança em relação ao/à parceiro/a, a pessoa considera a traição do/a cônjuge inevitável e quer ter algum controle sobre isto.

      • Afilhado do Temer

        kkkkkkkkkkkkkk
        mas essa parada de ser corno, no caso do homem,
        não tem como não ser bi.
        pq quando ele não vai lá e cai de boca no bilau do outro camarada ( q nem aquele caso do camarada do pau pequeno, q além de corno, a mulher dele fazia ele de veado mamando o canudo da rapazeada do bairro),
        sempre ele vai ter que aproveitar gosma do outro na mulher dele, seja a que o comedor deixou na pepeka, seja a que o comedor deixou na boca dela.
        isso um homem hétero teria nojo de degustar, não só na sua mulher, mas como em qualquer outra mulher, resto de espermatozoide de outro.
        é por isso que o povo nunca irá tirar essa qualificação desses homens que gostam de ser submissos corno.
        kkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Thomaz Aquino

          Cara so e corno ou idiota quando assumi a relação ou investe n e nela ..portanto todo inclusive eu quando mais jovem deveriamos ter regras
          1 NAO ASSUMIR OU INVESTIR COM PESSOAS QUE 1CONHECEMOS A POUCO TEMPO
          2 NAO PROPORCIONAR COISAS FINANCEIRAS OU COMODIDADES A ELA ANTES DE TER CERTEZA S NAO SER SO PRA TRANSAR E DEPOIS XAU
          3 NAO ACEITAR QUALQUER COMPIRTAMENTO DESVIRTUADO , DESDE CHILIQUES , AGRESSIVIDADES VERBAIS ETC. ATE FETICHES QUE NAO ENVOLVA SOMENTE O CASAL EXCLISIVAMENTE.

          Dar o tempo suficiente para descobrir essas 3 . E nao passar por cima delas , poderando…
          Mas sempre a maioria so aprende se ferrando.

          • Afilhado do Temer

            mas aqui eu não falei do corno traído,
            falei desses caras fetichista q gostam de serem cornos e depois que o cara goza na mulher deles, eles vão lá beijar a mulher e chupar a mulher dele cheia de esperma de outro macho.
            isso não é coisa de homem muito firme não.
            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Thomaz Aquino

        Somos muito mais o que pensamos do que qualquer outra coisa: se as pessoas soubessem um décimo do rombo que traumas psicológicos causam, parariam de fazer tantas coisas no desespero e investiriam muito mais na hora de saberem o básico sobre si mesmas.
        Explendido….Eu nao poderia dizer melhor..

      • João

        Com certeza esse é um dos desejos mais comuns nos homens. Mas, como tu mesma ressaltou bem, Luíza, é outro caso em que a cultura atual opera com muito peso.

        Culturalmente, para o homem, existe uma repressão extrema em trabalhar esse aspecto da sexualidade, o corpo de outro homem e o grande desespero em traçar uma barreira entre o que é “viril” e o que é “gay”.

        Logo, quanto mais condenação moral e mistério existe sobre o tema, mais a curiosidade aflora na forma de desejo secreto ou reprimido.

    • Sol

      Gostei do “altamente competitiva”, eu sempre fui curiosa por natureza e gostava de perguntar sobre as experiencias do meu ex namorado, quando descobri algo que só eu dava importância fiquei radiante. Podia ser mentira dele, mas que foi bom, ah isso foi.

      • João

        Sol,

        Era esse tipo de comentário que eu esperava ler quando fiz a pergunta. Obrigado! E fala mais, por favor… pode ser a forma de eu entender a partir do relato de uma mulher.

  • Deb

    Se tu não tens vontade de a submeter a esse tipo de coisa, porque raio haverias de querer trabalhar essa curiosidade dela?
    Não vejo nada de positivo nisso, pode até piorar.

  • Sol

    Caro leitor, o que o faz pensar que ela quer propor que você fique com outras? Você não está confundindo seu desejo de ficar com outras mulheres com a real situação? Uma coisa é ela se excitar com suas histórias e outra e ela querer ver você com mulheres diferentes. Se eu fosse você deixaria como está, como o Luíza falou, envolver um terceiro na relação é muito complicado. E você tem uma mulher que te perdoou, pois provavelmente gosta de você e ainda aprecia ouvir as suas histórias anteriores, você quer mesmo correr o risco de perder tudo isso?
    Existe formas mais seguras de apimentar o sexo, busque elas.

    • João

      Querida Sol,

      Concordo inteiramente contigo. As outras respostas que mandei pra ti vão explicar melhor. Eu não quero outras, não quero correr riscos, nada disso. Só quero saber como lidar com isso da melhor forma e ajudar ela a superar essas inseguranças. Amor e respeito antes de qualquer fantasia egoísta!

  • João

    Agora eu quero falar sobre a resposta da Luíza e agradecer mais uma
    vez a ela por ter escolhido a minha questão e por ter tratado dela com
    serenidade e sabedoria.

    Achei incrível perceber que o simples
    fato de eu ter externalizado a dúvida já foi suficiente para que eu
    melhorasse a minha atitude em relação ao problema. e fiquei mais
    satisfeito ainda ao ver que a resposta da Luíza foi muito parecida com
    as lições que eu aprendi disso sozinho, mesmo antes de ter lido.

    Ressalto o que mais me tocou na resposta:

    1) “Tente saber o que talvez nem ela saiba sobre si mesma.”

    Exatamente!
    eu sempre me preocupei muito em tentar compreender qual é o conflito
    interno no qual a mulher que está comigo se encontra, cuidando para
    nunca perder o respeito e para nunca machucá-la ao tocar nessas questões
    delicadas. Desconfio que a inquietação dela em retornar ao assunto do
    meu passado/”traições” tem a ver com questões íntimas de auto-estima,
    insegurança natural, auto-comparação, etc. Daí percebi que não cabe a
    mim “solucionar” o problema, mas no máximo lidar com maturidade enquanto
    ela amadurece essas questões particulares.

    “(…) se as pessoas soubessem um décimo do rombo que traumas psicológicos
    causam, parariam de fazer tantas coisas no desespero e investiriam muito
    mais na hora de saberem o básico sobre si mesmas.”

    Definitivamente!
    me preocupo cada vez mais com o impacto que as palavras e atitudes têm
    sobre a psique do outro e tenho muito medo de causar transtornos,
    sobretudo em uma mulher mais jovem do que eu.

    Hoje eu entendo
    claramente que sexo, desejos e curiosidades funcionam da cabeça pra
    dentro e que jamais se pode ser inconsequente a ponto de forçar um
    desejo próprio sobre o outro. Tem coisas que melhor a gente resolver
    internamente e amadurecer bastante, até entender os porquês para nós
    mesmos.

    Muito obrigado mesmo, Luíza! Teu trabalho, com toda a
    aparência de simplicidade, realmente pode melhorar a vida das pessoas,
    conectá-las, e portanto tem um valor imenso. Pode ter certeza disso.
    Quem me dera se um dia eu pudesse ser um colaborador!

    • Obrigada meu amigo!
      Quanto a ser colaborador, só de vcs comentarem com as ideias de vocês já colocaram e já ajudam MUITA gente, podem ter certeza disso

      beijão e felicidades!

  • Casal Law

    Vou comentar aqui o que já comentei em outro post sobre o assunto.

    Somos um casal na faixa dos 40 anos de idade. Há questão de 5 anos atrás, quando fizemos 7 anos de casados, resolvemos abrir nosso relacionamento.

    Somente saímos juntos, mas já tivemos experiências com homens, mulheres e casais e até algumas festas com mais gente.

    Estar com outras pessoas de comum acordo não é traição, isso não quer dizer que você não ama seu parceiro/a ou que o relacionamento esteja ruim ou com problemas e sim seguir algo que é inerente à natureza humana, qual seja, o desejo sexual.

    Ou que é casado/a nunca se excitou com filme pornográfico ou nunca pensou em sair com um ator ou atriz de Hollywood.

    Se o casal concorda em explorar a vida sexualmente em conjunto, isso somente melhora a relação dos dois. É aceitar que, apesar de você amar uma pessoa, pode sentir desejo sexual por outra.

    Não tem a ver com religião, educação ou moral e sim, respeitar a natureza humana.

    Obviamente, terão aqueles que dirão que depois que estão com uma pessoa nunca mais sentiram desejo sexual ou atração física por outra. Sabe o que é isso? Uma MENTIRA que você se esforça para aceitar.

    Não fosse assim as novelas e filmes trariam pessoas normais nos papéis principais. Sabe porque não trazem? Porque sexo vende e dá audiência.

    E eles sabem que se colocarem um galã ali no papel as donas de casa frustradas sexualmente fantasiarão com ele.

    O problema é que por conta de religião as pessoas estabeleceram que sexo é amor. Não é.

    Amor é uma coisa especial e que envolve sexo, mas não só isso. É o sentimento de proteção, de família, de carinho e admiração.

    Sexo é físico, hormonal, de momento.

    Se os dois tem vontades, desejos e fantasias, tem um relacionamento estável e duradoro, são maduros o suficiente para aceitar e respeitar o desejo dos outros, porque não experimentar.

    Sem culpa, sem encanações, sem pré conceitos estabelecidos.

    Conversem a respeito.

    Minha esposa adora me ver com outra mulher, diz que sente tesão me vendo dar prazer a outra mulher e ver a mulher gozando comigo.

    Eu também adoro ver ela dando prazer a outro homem. É ela, minha mulher, mãe do meu filho que está ali liberada sexualmente para, UNICAMENTE, sentir e dar prazer, sem pensar no amanhã, sem encanar com idiotices religiosas que somente existem para te controlar e embotar a sua mente.

    Estava até pensando em sugerir de eu escrever uma coluna aqui no site, sem ganhar nada com isso obviamente, porque sempre que aparece um tema de menage, orgia, sexo casual, sempre é bem comentado.

    A vida liberal não quer dizer que vocês não se amam, quer dizer que vocês são maduros o suficiente para aceitar uma condição da natureza humana, qual seja, o desejo sexual.

    Leiam a respeito, esclareçam dúvidas antes de criticar. E deixem os preconceitos de lado, afinal estamos na segunda década de um novo milênio e vocês ainda pensando com cabeça de 200 anos atrás.

    Beijos do casal.