Só fico satisfeita praticando dominação e submissão, mas ele negligencia o que eu gosto!

27

Leitora: Eu e meu namorado (17 anos, ambos) namoramos há 2 anos e 6 meses. Soube a pouco tempo que sinto interesse e bastante tesão por BDSM (em específico DS = Dominação e Submissão). Já experimentamos umas 2 vezes, e sim, eu realmente gosto. Porém, ele, na grande maioria das vezes, deixa isso de lado e faz como ele gosta. Me sinto insatisfeita. Já tenho dificuldade para chegar ao prazer e a pessoa ainda negligencia algo que eu gosto… O que faço?

Só fico satisfeita praticando dominação e submissão, mas ele negligencia o que eu gosto!

Amiga, você já parou pra pensar que, às vezes, o egoísta não está sendo ele, mas sim você? Percebe que, da mesma forma que você acha que ele está “negligenciando” o que você gosta, ele pode estar pensando o mesmo a seu respeito?

A meu ver, faltou diálogo aí. O lado bom é que ao menos o cara tentou fazer o que você queria – e por duas vezes! Só que, né? Ele não conseguiu, já que convenhamos que, se ele super tivesse gostado, teria repetido a dose porque ninguém é bobo nesse mundo kkkkk. Porém, se por falta de diálogo, pressão sua ou até mesmo por algum possível traço de personalidade (omisso/medroso?), a opção final dele acabou sendo te enrolar, vai de você ter uma conversa clara com o boy OU continuar achando um monte de coisa a respeito da personalidade do cara que às vezes nem procede.

É claro que todo ser humano tem um lado egoísta, mas nesse caso, acho que faltou pensar no óbvio. Você já parou pra pensar que talvez seja constrangedor pra ele te bater, te fazer de submissa ou qualquer outro tipo de coisa do gênero? E que isso pode até mesmo cortar o tesão dele? Logo, ele acabou optando por pular essa parte. E do mesmo jeito que você sente tesão de uma forma, ele pode sentir necessidade do oposto para se estimular. Sem contar que, cá pra nozes: é mais comum alguém ter o gosto dele do que o seu. Então, bora dar um desconto – ainda que claro, ninguém seja obrigada a aceitar ninguém, rs.

Ao que tudo indica, existe uma incompatibilidade sexual aí. Porém e por via das dúvidas:

1- Converse com ele: Tente entender se ele realmente não gosta do fetiche ou se preferiria algumas adaptações, quem sabe.

2- Entenda que talvez nenhum dos dois poderão abrir mão de algo, e isso não necessariamente significará egoísmo de alguma parte, mas sim que muitas vezes, o limite de um baterá com o do outro.

Por fim, em relação ao que você disse de ter “dificuldades em sentir prazer” assista ao vídeo com uma dica para chegar ao orgasmo mais rapidamente. Sei que às vezes eles erram, mas em outras, a gente bem que poderia ter feito bemmmmmmm mais por nós mesmas. Aproveite e assista logo em seguida ao vídeo com 8 curiosidades para chegar ao orgasmo =)

Boa sorte e cogite da próxima já encontrar seu parça em comunidades específicas, já que nesse caso, a “diferentona” é você, rs.

Boa sorte!

Leia e dê para ele ler a entrevista com um praticamente de BDSM. Quem sabe ajude no debate do que ele gosta e não gosta.

Leia também: Vale a pena realizar seus fetiches? (esse texto talvez diz mais sobre o comportamento dele do que o seu, mas também é válido para o debate).

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Gaia

    Tb acho que vc não está vendo o lado dele, pois está pensando “se eu gosto, pq não?” enquanto o mais provável é que ele não gostou da coisa.
    Vc prefere assim assim e provavelmente ele não sente prazer com isso. Não quer dizer que ele tenha algo contra, até pq ele tentou, mas que vcs possuem gostos diferentes e formas distintas de sacia-los
    Digo que essa é uma daquelas situações em que nenhum está errado, simplesmente são incompatíveis. Só resta então conversarem e verem se é isso mesmo. Se for, talvez a única solução seja não ficarem juntos, pois uma relação nunca será completa se um precisar ficar infeliz para deixar o outro feliz

  • Deb

    Secalhar, se ela SÓ consegue sentir-se satisfeita SÓ com esse tipo de estimulação… talvez ela tenha algum problema, não?
    Algum entrave a nivel psicologico, sei lá, será que ela não passou por algo na infancia/adolescência e subconscientemente pensa que “merece ser castigada” dai essa ser a unica forma de ela pensar que não está fazendo nada de errado e assim, sentir prazer?
    Eu não faço ideia, é só uma sugestão mesmo. Eu também gosto dessa onda bdsm (não acho que gostar disso, só por si, signifique transtorno) MAS também me satisfaço com outro tipo de sexo.

    Agora, se não houver nada de errado… talvez seja incompatibilidade mesmo! Há pessoas que não gostam ou têem dificuldade em ter tesão ao bater/diminuir/subjugar o parceiro, mesmo que num ambiente “teatral” do sexo..

    • vc gosta d dominar ou ser dominada Deb? rs

      • Deb

        Eu prefiro ser dominada, mas a gente acaba meio que trocando pq ele também gosta e tal… depende do clima sabe?

        • posso saber como foi a relação do seu pai com sua mãe?
          Criando teorias q ainda não foram criadas kkkkk

          • Deb

            Hmm, não sei o que pensar com esse “interroGATÓrio” O.õ

            Ah eu acho que é bem “comum” sabe? Conheceram-se jovens, casaram, 2 filhos, só ele trabalha e tal. Se dão bem no geral, ele é calmo ela é um pouco stressada e eu sei que ele muitas vezes ignora ela para não ficar stressado tambem xD Olha, eu acho mesmo que é super normal!ahahahah

            Agora, quer explicar a sua teoria em construção? xD O que tá pensando?

          • nada construído ainda kkk

  • Franciele

    Leitora, acho que tu estás colhendo o fruto da própria pressa; mal descobriu outras utilidades do chicote, das algemas dos cintos de castidade e correntes, e já foi criando uma situação para experimentar, sem antes amadurecer a ideia na tua cabeça, e muito menos na do teu parceiro.
    Digo isso porque, caso tu tivesse real conhecimento da tua sexualidade, certamente já teria encontrado a razão para tua dificuldade de chegar ao prazer, e se tivesse conversado com ele aos poucos sobre esse universo bdsm nem estaria fazendo essa pergunta.
    Entenda uma coisa, vocês começaram a namorar muito jóvens, certamente aprenderam bastante um com o outro, e esse é um processo que não deve ser interrompido; portanto, na próxima relação, conduza ele a fazer as mesmas carícias de formas diferentes, mais intensas por exemplo, para que tu possa se descobrir.
    Por fim, lembro que todo excesso é nocivo, de forma que, uma relação muito “melosa” é tão desestimulante quanto a fantasia que compromete a espontaneidade; o universo bdsm é cheio de possibilidades, mas para o bem da estabilidade do relacionamento real, convém separar o que apenas funciona nos contos do que pode ser agregado à realidade de um casal sem tornar o sexo artificial, e esse discernimento só vem com o tempo e com muito diálogo.

    • to esperando o povo q vai dizer q ela leu 50 tons kkkkkkkkkkk

      • hadassa

        Leu meu pensamento vai saber se ela não teve influência desse livro e filme. Esse tipo de literatura erótica 50 tons do capeta uma propaganda ao sexo bizarro, anormal e nada saudável algo doentio associando e distorcendo sexo a dor aff.

  • Uma analogia que se pode fazer sobre os relacionamentos, é que eles são como uma parede e o sexo é a argamassa. Não é o principal, mas é elemento fundamental para que os outros elementos fiquem unidos.
    Afinidade sexual não une pra sempre, mas se ela for impossível não tem como segurar…

    Cara perguntadora, fico tentado a te criticar. Parece muita radicalização, mas os olhos são teus…
    Não sei o que se pode fazer para eliminar um desejo insatisfeito. Talvez o melhor seja partir pra outra, mesmo que essa seja a forma de descobrir que o que parecia ruim não era tão insosso de fato.

    • “Cara perguntadora, fico tentado a te criticar. Parece muita radicalização, mas os olhos são teus…”

      gostei kkkk por cara de pedra

  • Pudim

    É uma questão de conversa. Provavelmente ele não curte muito esse fetiche. Na maioria das vezes, um acaba introduzindo (opa) o outro nesse mundo. Mas em geral é difícil mesmo encontrar alguém que curta as mesmas coisas que a gente.

  • Eros Himeneu

    Leitora, você e seu namorado são dois amadores no sexo. Eu com a minha esposa já fomos assim quando tínhamos nossos 18 anos, mas hoje com 33 sai até faísca aqui em casa kkkkkkkk
    É submissão pra cá, dominação acolá, oral pra cá, anal acolá kkkkkkk é sexo no sofá, na mesa, varanda, até de ponta cabeça kkkkkkkk
    Hoje estou igual adolescente, cheio de marcas de chupada, todo arranhado.
    Meus jovens, deixem o egoísmo sexual pra lá. Um deve completar o outro.

    • será q ela ta com medo d te perder? kkkk

  • Afilhado do Temer

    kkkkkkkkkkkkkkkk
    queria eu encontrar uma mulher assim que me bata na cara, que me arranhe, que me dê mordidas na pressão
    que tbm me deixe bater nela, dar uns tapas na cara dela, dar com o cinto de prender a calça no corpo dela, pingar vela pelo corpo
    ôooooooo louco meu, isso ia ser demais,
    um dia encontro uma assim.
    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    • hadassa

      Ironic rs rs

      • Afilhado do Temer

        não é ironia não menina
        to falando a verdade moleca,
        eu gosto dessas paradas
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • hadassa

          Afilhado primeiramente por favor não em chame mais de “moleca” sabe significado disso de um “deus” chamado moloque que sacrificava crianças para ele pesquise pra vc vê aí meu lado autodidata de estudar sobre demologia rs. Só me aborde com meu apelido hada valeu!!! Como eu gosto de lê o que a pessoa escreve porque mostra ideias, opiniões, pensa de verdade quem é de fato revela a sua “alma” quem é você interiormente.
          Colega que medo essa sua relevação algo oculto de você kkkkkkkkkkkkkkk.

          • Afilhado do Temer

            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk,
            tenho medo de ler essas coisas bíblicas,
            deixa pra lá menina,
            ahhhhhhhhhh minhas revelações são apenas fetiches kkkkkkk

  • Stan Lewis

    Ora, é só conversar antes e combinarem, primeiro você faz o que ele gosta, depois ele faz o que você gosta e pronto! Todo mundo fica feliz!

  • hadassa

    É triste vê cara como sexo é apresentado na sociedade de uma forma irreal, grotesca, animal somente prazer pelo prazer e fulgaz. Os dois tem 17 anos já tem vida sexual ativa e já estão com visão sexual doentia e entraram no mundo do submundo da dominação e sadomasoquismo. Tá claro lendo o depoimento dessa guria que ela associa sexo como dor nem como prazer sexual outra coisa dá para notar que esse namoro dela não vai durar muito nenhum momento ela fala que a relação deles tem AMOR a base da relação deles somente sexo.
    Tudo que exagerado e doentio uma hora a casa cai o namorado já deve tá de saco cheio e achando ela uma louca com essa história de sexo dominação.

    • hadassa

      Errata: *cansa

  • Antonela Bit

    Cara perguntadora.
    Seu namorado pode não curtir BDSM, e não adianta forçar, se ele não gostar, é não gosta e ponto, não dá para ensinar a gostar de BDSM, tem como aguçar aquilo que já existe.
    No meu caso, eu sempre gostei de uma “pegada” mais forte no sexo, tanto que não era completa no sexo baunilha (rsrsrsrsr), conheço bem meu corpo e sei o que me da prazer. Sempre vi muitos videos pornôs e sempre gostei da categoria sado. Por acaso, meu atual namorado também gosta, mas ele já tinha experiência como dominador e eu como submissa não, ele foi me mostrando esse universo que é bem complexo. Pq assim, nossa relação tem que ser separada, quando estou com a coleira (pra quem não conhece, símbolo de submissão a qual você “pertence” aquele dominador”), eu sou a fulaninha que tem que obedecer, conforme já foi combinado de MÚTUO acordo e ainda tem a safety ou safe word que é a palavra e/ou gesto secreto que eu posso parar a brincadeira a hora que eu quiser. Sem a coleira, eu sou a namorada e tratada normal.
    Pode ser que ele como homem, tenha medo da mulher ser louca ou endoidar e ir fazer uma denúncia, não é com qualquer uma que da pra fazer, por isso os limites e tudo mais.
    E outra, se ele te der uma punição como dominador e quando voltar tudo ao normal você ficar chateada por aquilo que ele fez, vai fuder a relação. Tem toda uma questão por trás disso. Não é 50 tons de cinza, hahahahahahhahahahaha. Te aconselho fortemente a procurar na internet, pois tem material a rodo e se ele não gostar partir para outro (não é fácil achar dom e que queira namorar ainda), e cuidado com quem você faz essas coisas, pois tem uns loucos por ai que não são do meio e quer mesmo e ferrar e machucar você.

  • paula siqueira campos

    Toda relação tem que ser consensual. E tem que ser boa para os dois. Se vc é dominadora, tem que ter um namorado submisso, que goste das mesmas coisas que vocês e o relacionamento de vocês tem que ser SSC ou seja São, Seguro e Consensual. Eu sou muito dominadora. Meu marido é submisso. Eu queria que ele vivesse em regime de castidade controlada e hoje ele usa cinto de castidade. Eu gosto de mandar, humilhar, torturar, gosto de ver os homens sofrendo. E ele gosta disso. Nossa relação é perfeita porque é bilateral. Relações unilaterais não são boas.
    Um pouco da minha vida está em nosso blog e se você quiser pode entrar em contato conosco
    http://submissocornoecontrolado.blogspot.com.br

    • Sandro

      sempre sonhei em ser dominado tipo escravo sub usando cinto casti dando prazer a dona. hj vivo assim to trancado sou corno! Agora meio que arrependido mina mulher gostou tanto fa ideia quase nao abre.no fundo me arrependo.to frito kkkkk

  • David Coelho de Souza

    minha namorada é Dona de mim e dentro de alguns meses irei ser marido/escravo dela e somos felizes assim, não deixamos de ser namorados curtir momentos juntos sem estar relacionado ao BDSM, contudo sabemos qual é nossa posição e agora ela até controla meu direito de ter prazer usando um cb 6000 como por enquanto moramos longe, usamos lacre numérico mais quando morarmos juntos iremos adotar o cadeado e assim ela terá a chave e o poder absoluto de mim, inclusive dentro do trabalho e fora dele. ou seja um TPE