Contei pro meu namorado que tenho HPV e desde então ele não para de perguntar sobre o meu passado!

111

Leitora: Primeiramente eu gostaria de dizer que adoro seu trabalho, amo ler as histórias e seus conselhos, aprender e até dar boas risadas com eles.

Eu tenho 23 anos e meu namorado tem 22, namoramos há 1 ano e 8 meses. Há cerca de 2 anos atrás, eu já tinha uma noção que iria começar a namorar com ele, devido às conversas e planos que tínhamos e como prevenção, resolvi ir na ginecologista ver se estava tudo bem com a minha saúde e tudo mais. Chegando lá, além de estar com candidíase, também estava com uma mancha branca no colo do útero e então a médica, por prevenção, resolveu fazer uma biópsia. Eu sai do consultório com um tratamento e um exame para fazer. O tratamento fiz direitinho e rapidinho a candidíase foi embora, mas o susto maior estava no exame. O exame acusou HPV!

Voltei na médica e ela me indicou que fizéssemos uma cauterização da mancha, para evitar a proliferação do vírus e para sarar mais depressa, mas como tinha ido sozinha, acabei por não realizar o procedimento no mesmo dia, já que eu poderia sentir cólicas ou complicações e ir embora sozinha seria perigoso. Até aí tudo bem. Até a parte em que eu contei para o meu namorado, que na época era meu ficante. Contei e instrui ele a procurar um médico, falei que era uma doença comum tanto em homens quanto em mulheres, que havia várias formas de contaminação. Achei que devia isso a ele, pois eu estava me relacionando com ele e não queria que ele tivesse complicações.

Porém, o que pareceu é que ele só queria saber de quem eu tinha pego a doença. Só que não tem como saber, pois mesmo usando camisinha nos relacionamentos casuais que tive, eu não sai pedindo atestado e se a pessoa não apresenta os sintomas, não tem como saber se ela tem o vírus. O detalhe é que ele tem uma filha, ou seja, o mesmo erro que eu cometi, ele cometeu também, a diferença é que eu não engravidei de ninguém, mas tive o azar de pegar HPV.

O pior é que eu sinto que até hoje ele tenta me punir com essa história, me obrigando a falar quem me passou a doença, sendo que ele escolheu me aceitar e a me pedir em namoro mesmo após o ocorrido e eu não estou querendo aceitar que isso aconteça depois de 2 anos do ocorrido. Parece que ele não olha para o próprio umbigo e vê que errou também, sendo que as consequências dos atos dele durarão para o resto da vida.

A última novidade neste assunto é que agora ele quer saber com quem eu transei antes dele, e eu não estou querendo contar, porque primeiro acredito que isso não é assunto da conta dele, é um assunto só meu, e segundo porque eu não vou deixar que ele use disso para me ofender e diminuir como mulher. O que eu faço nesse caso, Lu? Como chegar em um acordo? 

Desde já agradeço pela atenção! Amo seu trabalho! Beijos!

Contei pro meu namorado que tenho HPV e desde então ele não para de perguntar sobre o meu passado!

Sabe o que me irrita mais do que homem machista? É homem ignorante que, ao invés de tentar te ouvir e estudar a doença, prefere jogar a culpa inteira em você!

Se ele estudar um pouquinho sobre HPV, saberá que pode ser inclusive ELE que te passou!! E mesmo se não fosse, basta uma transada para ter o azar de pegar qualquer DST. Ou seja, pode ter acontecido com ele e isso nem sempre tem a ver com promiscuidade, mas sim com uma infelicidade mesmo. Sem contar que, fora existirem vários tipos de HPV, nem todos são anulados com camisinha!

E outra: sabia que tem homem que, mesmo tendo, o exame não detecta? Isso acontece devido à anatomia masculina, que pode dificultar o exame. E sim, existem alguns tipos de HPV (no homem e na mulher) que conseguimos ver até mesmo a olho nu, mas como são vários tipos e não sabemos qual você – ou ele – contraiu, nem sempre dará para “reconhecer o criminoso” e “se a história começou com o ovo ou com a galinha”…

Explique tudo isso para seu namorado sabichão e diga que, qualquer dúvida, basta ele procurar um urologista ao invés de ficar te atazanando! kkk.

Quanto à candidíase, muitos nem a consideram uma DST, visto que até crianças “pegam” e a danada nada mais é do que um fungo já presente no nosso próprio organismo que, quando está desequilibrado, se prolifera mais do que o necessário e começa a arder, coçar, etc.

Veja também se você não está sendo boazinha demais com ele. Eu no seu lugar já teria tirado forte com a cara do garoto, tipo no bom humor mesmo, sabe? Pediria não só para estudar um pouco mais, como também diria que, quem vê, pensa que ele é o virjão, né? kkk. Diga também que, se ele quiser escolher mulher pelo passado sexual, não pelo sentimento, que procure uma virgem. Em paralelo a isso, deixe claro que você não irá ficar em um relacionamento tóxico só porque ele não se garante não… Tenha atitude, mulher!

Para ir tomando coragem, se eu fosse você, já começaria a moldar minha mente para a possibilidade de terminar esse namoro de vez. Isso porque se do jeito que está não está legal, só te resta dar uma prensa e partir pro tudo ou nada ao dizer as coisas que te sugeri, né? Do contrário, tu viverá em um relacionamento que, cá pra nós, tudo leva a crer que a tendência será só piorar…

Lembre-se sempre que nenhum amor ou medo de perder vale a sua paz, ok!?

E outra aqui em off: se ele te amar mesmo, ao levar esse choque de realidade, acredito que ele não só não terminará esse namoro, como te “amará” ainda mais. Lembre-se sempre que a admiração é o ingrediente básico do amor e que ninguém admira gente que vive insegura e com medo de perder, concorda?

Por fim, tô contigo nessa de não contar sobre seu passado sexual (envie esse vídeo justamente sobre esse tema pra ele). Primeiro porque ele já provou não ter maturidade para isso. Depois que, se a neura é dele, não sua, que ele procure uma terapia, né? Afinal de contas, ele não é obrigado a namorar uma menina que já teve vida sexual. Porém, você também não é obrigada a (con)viver com essas neuras infantilóides dele.

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.