Perdoei uma traição, porém, não sei se ela se arrependeu de fato!

83

Leitor: Somos casados há 8 meses e brigamos quase todo dia, uma vez mexi na bolsa dela e encontrei um papel de motel, fiquei puto, queria matar ela, mandei ela embora de casa no mesmo dia, depois pedi pra ela me explicar o que tinha feito e se já tinha feito outras vezes e, segundo ela, foi a primeira vez, me jurou que foi e me contou tudo detalhadamente.

A relação tava uma bosta e eu percebi que também não tava colaborando, então perdoei ela e voltamos a morar juntos, porém, agora 1 semana depois do ocorrido, se vou perguntar ou falar sobre o assunto ela apela ou fecha a cara e fala pra eu falar direito porque do jeito que eu falo tô sendo grosso e desrespeitando ela. Eu não sei falar direito sobre um assunto desses, ainda tô sentindo a dor, será que ela está arrependida mesmo? Falei pra ela que se ela quiser ir ela pode ir embora que não vou atrás dela, porém ela insiste em ficar, porque diz estar arrependida, será que está mesmo? Será que vai fazer de novo? Tipo tô com medo de esquecer de vez e ela ver que esqueci e fazer de novo porque acha que não deu nada, amo ela demais e já tive muitas chances de trair e nunca fiz, o que fazer?

Perdoei uma traição, porém, não sei se ela se arrependeu de fato!

Amigo, o seu caso é de acompanhamento particular mesmo, porém, se você conseguir seguir à risca o que vou dizer e se livrar da neura sozinho, melhor ainda.

Ninguém se livra da dor ao ficar conversando o tempo inteiro sobre ela. Me diga: do que adiantou ficar perguntando mil coisas e mil detalhes sobre como foi pra sua esposa? Isso te fez sentir melhor? Fez ela se sentir melhor? Amenizou o problema? Não? Também acho que não.

Lembre-se da antiga frase que diz que curiosidade demais matou o gato e pergunte-se sobre o clássico do “sofrer ou ser feliz”.

OUUUU a verdade é que você só quis martirizá-la enquanto foi ingênuo o bastante pra não perceber que isso te martirizaria também?

Traição é tudo aquilo que geral já sabe, porém, simplifique a vida ao pensar no óbvio de que ou você perdoa ou você não perdoa. Se você quiser resolver o problema, mas não estiver dando conta de fazer sozinho, seja humilde e esperto o bastante para procurar ajuda. Afinal de contas, se sua estratégia estivesse funcionando, você não estaria nesse inferno mental que está agora.

Entendo que você quer que ela te dê uma prova de que você pode ficar seguro e tranquilo, mas se você sabe que essa prova só virá com o tempo, qualquer insistência maior só contribuirá para fazer o tempo passar devagar, bem como tornará a vida de ambos cada vez mais complicada e desgostosa. Lembre-se que, no final das contas, a escolha final é sua e você não poderá culpá-la por isso. Se é assim, saiba tomar decisões que te façam bem ou que ao menos sejam sua melhor saída no momento. Lembrando que isso talvez implique terminar ou ser homem o bastante pra continuar com ela sem jogar a culpa na mesma…

Quanto à questão de se perguntar se ela REALMENTE se arrependeu, acho que no fundo você já sabe a resposta, né? Porém, se isso irá se repetir é algo que nem Deus poderá garantir. Afinal de contas, se cada cabeça é um mundo, ela tem o livre arbítrio dela e ninguém saberá o que ela fará com ele. E o mesmo vale pra você. Só lembre-se que, a partir do caráter dela, provavelmente você já conhece “o final provável da história”. Então, convenhamos que não ficará tão difícil assim deduzir algumas coisas…

Se você nunca traiu, bom pra você. Só não use isso como argumento para ela nunca te trair também. Afinal de contas, é óbvio que suas qualidades e crenças jamais serão as delas, e é justamente aí que deverá entrar a sua sabedoria em conviver apenas com o que sua consciência e paz de espírito conseguem ao invés de ficar doidão forçando a barra para ela modificar algo que quem deveria modificar é você.

 Ajude-se que sua situação melhorará.

Beijos da Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.