Pedi para que ele escolhesse entre mim e o emprego e ele escolheu o emprego!

66

Leitora: Olá. Meu problema é o seguinte. Começou quando meu marido foi trabalhar de motorista, ficou muito amigo do patrão e começou a ganhar razoavelmente bem, mas não tem horário pra entrar e sair. Temos um bebê e ele quase não vê nosso filho, quando chega ele já está dormindo.

Nosso casamento esfriou e ele começou a brigar comigo pq eu falava q ele tinha que estipular um horário pq ele chegava a trabalhar quase 18 horas direto. Liguei pro patrão dele e a mulher do patrão ligou pra me xingar e quase saímos no tapa. Pedi pro meu marido sair do trabalho, pq não aguentava mais. Ele disse q não e eu saí de casa. Ele me pediu várias vezes pra voltar mas disse q não vai sair do serviço. O que eu faço? 

Obrigada!

ele trabalha muito

Eu acho que faria o mesmo que você fez. Afinal de contas, ter um bebê, o marido não ajudar em nada (no quesito carinho e atenção de pai) e só chegar basicamente pra dormir, é demais, né? Se você tentou, tentou e tentou conversar e não deu em nada, você fez certo em sair de casa. Porém, agora que você já tomou a decisão mais difícil, não volte atrás até negociar certas coisas com ele.

Entenda que, se ele ganha bem e precisa desse dinheiro para sobreviver, pedir para que ele saia do emprego é pedir demais, concorda? Ainda mais que, se ele gosta tanto assim do chefe, ele acaba ganhando um bom salário emocional também. No seu lugar, eu diria que se ele quer tanto voltar pra casa assim E não quer sair do emprego, que se vire e arranje uma proposta boa para AMBOS OS LADOS. Ou seja, que você entende ele não querer sair do trabalho, porém, que ele precisa entender que é pai de um bebezinho + esposo e que, se ele não é homem o bastante pra saber conciliar tudo, que fique apenas com o que ele dá conta. No caso, o emprego.

No fundo a gente sabe que, se ele te ama mesmo, ele dará um jeito de conciliar as duas coisas. Afinal de contas, quem quer dá um jeito quando a bunda coça, né? Sem contar que eu duvido que, se ele conversar com o patrão dizendo que tem uma família para dar atenção e que isso está destruindo o casamento dele, o chefe não iria entender nada, né? Só se for muito escroto. E se eles são ”tão amigos” e ele gosta tanto do trabalho do seu marido, não tem como dar errado.

Sinto que se você continuar firme em sua decisão e cobrar dele uma postura madura coisas boas acontecerão. E se não acontecerem, doerá ficar sem ele, mas toda vez que você pensar em voltar, lembre-se do sofrimento que você passou nessa mesma situação e o mais importante de tudo: se ele não tiver empatia, não será você que terá pelo ”pobre trabalhador escravo” que só quer uma mulher pra dormir, né?

Sinto que vai dar certo….

Até amanhã,

Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Wana

    Como é? A mulher de um funcionário ligar para o patrão do marido reclamando de horário? É verdade isso, ou é piada?
    Chamaria o empregado e daria um aviso só, na próxima, rua.
    Já pensou se vira moda?
    Fico imaginando quantas ligações a Chevrolet, por exemplo, receberia por dia.

    • acho q no caso dela por ele nao ter horário foi uma atitude final
      imagina se vira moda funcionário virar escravo? rs

      • Wana

        Ele que procure outro emprego, daí uma pessoa que não tem ligação alguma com o trabalho ligar? Ela tem de reclamar com o marido, nunca com o patrão.
        Em qualquer lugar do mundo isso é vexaminoso para o funcionário, e põe vexaminoso nisso.

        • mas parece q eles eram meio amigos
          sei la, mas concordo q o ideal era resolver com ele, mas ele nao conseguiu e se apavorou kkk

        • eu so nao entendi a esposa dele ligar d volta xingando
          será q tinha um caso? Mas é pesado falar coisa q nao sabemos tbm afe

          • Wana

            Estranho, muito estranho.

  • Carol

    Moça, vc está sendo mãe solo! E isso não é justo nem com vc e nem com o seu filho. Mantenha sua vontade e saia de casa até que ele se imponha para o chefe. Boa sorte.

  • Ana

    Será que a leitora tem certeza que é só isso? É só trabalho? Passar 18 horas fora de casa. É estranho o fato da mulher do patrão ligar de volta pra ela e xingar ela. ¿ what?! E ele mesmo não fazer esforço para passar mais tempo em casa. Mesmo tendo um bebê pequeno. Talvez as coisas sejam mais profundas do que somente ter arrumado um emprego que exige muito.

  • Hadassa

    “Nosso casamento esfriou e ele começou a brigar comigo pq eu falava q ele tinha que estipular um horário pq ele chegava a trabalhar quase 18 horas direto. Liguei pro patrão dele e a mulher do patrão ligou pra me xingar e quase saímos no tapa. Pedi pro meu marido sair do trabalho, pq não aguentava mais. Ele disse q não e eu saí de casa. Ele me pediu várias vezes pra voltar mas disse q não vai sair do serviço.”
    ————————————————————————————————————————
    Amiga leitora então vou ter que falar direto e reto contigo o seu marido mudou desde que pegou esse emprego é fez uma amizade estreita com patrão e tem uma carga horária de 18 horas como motorista particular desse casal não está tendo tempo para estar presente com filho de vcs que é baby e além disso está notando nitidamente que seu casamento a relação de ambos está virando um freezer.
    Na boa intuição de mulher não erra tem certeza que seu marido não tá te engando lê-se tá te TRAINDO você sim está tendo um CASO EXTRACONJUGAL com a esposa do patrão pelo amor de Deus gente a reação dessa mulher super suspeita ou melhor não acho bem entregativa de amante ordinária e abusada querendo peitar oficial aff. Que história essa ligar pra vc que é esposa pra te xingar oi??? Minha amiga abre olho corra atrás para saber disso investigar se o seu esposo tá te traindo e te colocando chifres com a mulher do patrão tem gato nessa tuba a se tem não duvido nada. Cerca e enquadra esse seu marido para confessar tudo que tá acontecendo isso não é normal tem algo de errado nessa história. Independente do resultado lute pelo seu casamento ele pode ser renovado e restaurado não deixe ninguém destruir a sua família recomendo: “Casamento blindado a prova de divórcio” autores: Cristiane e Renato Cardoso. Boa Sorte!!!!!!!

    • Wana

      E imaginaçãozinha fértil.
      Você esqueceu a possibilidade do caso ser com o patrão, e não com a esposa.

      • vou confessar q tbm pensei em casos, e até suruba, mas achei q seria algo mt sério e como nao temos certeza, fiquei com medo d colocar algo q pode ser viagem na cabeça da leitora kkk

        • Hadassa

          Você não falou cachinhos mais nós aqui comentaristas a gente fala melhor escreve rs não vai tentar colocar panos quentes para bem que nós pede ajuda,luz, direção do seu problema . Não sei falo por mim eu quero os nossos leitores e leitoras recebem um tratamento de choque mais para bem deles para acordar porque viver sendo enganado(a) não dá né?

          • eu penso igual!!! Tem gente q fala q eu pego leve, mas sei la, eu falo oq acho mesmo. Me acho até boca dura demais as vezes kkk Vai d ponto d vista será kk

      • Hadassa

        Imaginação? Espero que não seje mais a realidade desse tipo de caso sempre tem traição do marido. Olhe que eu prefiro pensar que o marido da nossa leitora tá tendo com a esposa do patrão não ele tendo caso com próprio patrão aff.

  • Franciele

    Ah, leitora, quer dizer que teu marido ficou tão mas tão amigo do chefe que aceitou uma ilegalidade dessas! Sim, porque, um empregado doméstico, ou mesmo que não seja exatamente isso, estar à disposição do patrão por 18 horas por dia não é nem recomendável por questões de saúde e emocionais.
    Agora que tu já saiu de casa, explica para o teu marido que, só com os juros e acréssimos das horas extras não pagas, mesmo considerando que ele ganhe um salário mínimo, isso sem falar nos reflexos de férias, décimo terceiro e fgts, provavelmente vocês consigam quitar eventuais despesas com a chegada do bebê.
    Apenas recomendo que nunca mais desça de nível, pois adultos não resolvem nada no tapa, e tua reclamação foi mais que justa, afinal tu tens um marido e não um banco.

  • mariana cobra

    Leitora, ninguém aceita trabalhar 18hrs por dia se não houver benefícios. Essa história ficou muito estranha pra mim, trabalhei mtos anos com a classe trabalhadora e sei muito bem que a peaozada jamais vai trabalhar 18hrs sem reclamar e deixar chegar nesse ponto.
    Outra coisa que não existe é vc se intrometer e ligar para o patrão e me estranha mais ainda o Feedback da esposa do patrão.
    No fim essa conta não fecha e eu começo a pensar que seu marido tá de rolo.
    Eu tiro por mim. Se o trabalho influenciar de forma negativa a minha vida, mudo de trabalho, pq a vida só temos uma!
    Ano passado um colega de trabalho do mozao comentou num jantar que tinha desejo de passar para o turno. Na época o alertei e disse a ele e a sua esposa “o casamento de vcs vai acabar, não vá para o turno, vc tem filha pequena e outras prioridades”.
    Ele e nem a esposa ouviram. Resultado: divórcio com uma bebe de colo.
    O cara ficava em casa nos horários q a esposa estava trabalhando e mal se viam. O cara arrumou amante e o fim da história vcs já imaginam. Hoje o dinheiro que sobra na carteira dele é o da pensão pq o resto vai pra cachaça e mulheres.
    Daqui uns anos vamos ver o arrependimento dele pela filha que outro homem está criando.
    Eu quis dizer que vc está certa ao ter saído de casa e deve exigir que a família venha em primeiro lugar. Não ceda.

  • Denilson

    Quem, mesmo em meio a crise consegue trabalhar 18hrs por dia ?
    Seu marido está trabalhando registrado ?
    Que história doida, pq se seu marido estiver registrado, ele pode processar o patrão por exceder as horas permitidas, e o patrão dele não seria bobo o suficiente e dar uma causa ganha de mão beijada. Se o seu marido (ou ex) não estiver trabalhando registrado, pode tbm processar o patrão, desde q comprove q trabalha pra ele (o q seria fácil com toda essa carga horária).
    Seu marido sempre trabalhou como motorista ? Ou pegou esse trampo pq não tinha outro ?
    Ele é motorista da empresa (supondo q o chefe dele tenha uma), ou é motorista particular do chefe/família do chefe?

    Sim, vc errou e muito por ter ligado pro chefe dele, problemas com o seu marido, vc resolve com seu marido.

    Só vejo três opções:
    – Seu marido transa com o patrão
    – Seu marido transa com a patroa e o patrão dele
    – O patrão do seu marido gosta d ser corno, e seu marido é a rola que ele precisava para ser manso.

    Agradeça aos céus por não estar com ele, e já q ele está ganhando tão bem, exija a pensão do seu filho, já q presente ele não estava mais, mesmo morando sob o mesmo teto q vcs.

    **Aguardo respostas para as minhas perguntas.

  • Gaia

    Talvez por estar desempregada (e desesperada por um emprego) posso dizer que entendo seu marido. O que não significa que acredito que ele esteja certo.
    Ano passado consegui um trabalho frellancer de 5 meses e, nos últimos dois meses, não fiz nada além de trabalhar. E quando digo nada, é nada além de dormir mesmo. No último mês, vi meu namorado apenas uma vez, perdi até o fds do dia dos namorados trabalhando (mas consegui 5 horinhas livre para jantar com ele e conversar um pouco). Cheguei a deixa-lo plantado me esperando por 4 horas pq disse que chegaria às 16h no shopping, mas o trabalho apertou e depois de 4 horas eu ainda estava trabalhando. Ele foi embora e eu sai do trabalho às 3h30 da manhã. E eu sabia o tempo todo que o que fazia não era certo, não era justo e parecia que eu estava escolhendo o trabalho a ele. Mas eu precisava daquele trabalho, tanto financeiramente como emocionante (estar desempregada e depressão é uma combinação perigosa). Claro que eu preferia estar com ele e era claro que ele estava chateado, mas ele não podia pedir que eu escolhesse pq aquele era meu emprego e ele não poderia me dar o dinheiro que eu ganhava lá. Era acreditar quando eu dizia que minha profissão contava com esse trabalho insano 2 meses por ano e aceitar por ser temporário. E acho que aí está a palavra chave: temporário. Seu marido trabalhar muito não deveria ser o problema, mas sim o fato de fazer isso o tempo todo. Uma coisa é aguentar as fases, outra é nunca vê-lo. E acho que se quiser voltar, ambos precisam buscar esse equilíbrio.
    Ah, e ligar para o chefe com certeza não deve ter pegado bem… Se minha chefe recebesse uma ligação dessas me punha na rua na hora! (Até pq, pressupõe-se que adultos falem por si mesmos. Ter a esposa ligando parece com ter a mãe ligando para avisar que vc faltou por estar gripado.)

    • Denilson

      Mas no seu caso vc tinha uma motivação à mais: depressão !
      Imagine isso aliado ao fato das contas chegarem ?
      Ele tem um bebê, não adianta ele sustentar e não estar presente na educação/crescimento do mesmo, outra coisa q vc tbm disse, quando ele (marido) foi questionado sobre as hrs trabalhadas, ele deixou claro q sentia muito ou que era temporário ?
      Tanto a leitora, quanto o seu namorado, sabem o q serve e o que não serve pra eles, seu namorado foi paciente com vc, a leitora se cansou.
      Que ela errou ligando pro chefe do marido não tenho dúvidas, mas a esposa do chefe brigar ? Muito suspeito essa história.

      • Mika

        A leitora não informou qual o tipo de trabalho dele. Pelo que ela contou, faz mais sentido deduzirmos que ele trabalha como motorista de família. Explica as muitas horas de trabalho (tipo levar criança pra escola logo cedo, levar e buscar crianças e esposa do patrão em inúmeros lugares e ainda fazer serviços extras de banco, correio e farmácia, só pra citar alguns exemplos). Pensando assim, pode fazer sentido a esposa do patrão ligar, já que seria ela quem efetivamente utilizaria o serviço de motorista. Mas são só suposições…

        • Denilson

          Pela carga horária só sendo o motorista da família mesmo (ou de ambos, empresa/família), mas mesmo assim, não é a esposa do patrão que deve tirar satisfações com ela, conversasse com o marido dela ou com o próprio funcionário do marido, ao invés de bancar a desequilibrada, mas como faltam muitas respostas, é impossível chegar à um consenso.
          Exemplo: Se o marido dela não tinha nenhuma experiência como motorista, seria mta bondade (ou inocência) ele ser contratado pra estar à par da rotina da família. Ele estava com dificuldades para arrumar emprego ?
          E mesmo assim, 18hrs eu acho muita coisa, caso ele realmente esteja trabalhando (como motorista), daqui a pouco adoece, e o patrão faz exatamente como as empresas, contrata outro pq ele deixará de ser útil.

          • Mika

            Já que estamos “supondo”, se ele for motorista particular, quem manda nele é a “patroa”. O patrão só faz pagar o salário.
            E trabalhar 18 horas por dia não quebra a mão de ninguém (não vou entrar no mérito dos direitos trabalhistas, porque uma grande parcela da classe trabalhadora desse país trabalha por conta própria e nem sabe o que é direito).
            Minha mãe criou 6 filhos praticamente sozinha, porque meu pai trabalhava até 14 horas por dia, durante muitos anos, inclusive aos sábados. Quando ele chegava, os menores também já estavam dormindo. Minha mãe reclamava e dizia que não era fácil, mas nem por isso o considerávamos “ausente”. Pelo contrário, nós o esperávamos pra jantar (os que não estudavam à noite, obviamente). Ele era o “provedor” e só participava dos problemas mais importantes. Todo o resto era função dela.
            Sobre o caso em questão, parece que ele gosta do trabalho e dos patrões, e pela forma como ela descreveu a situação, ele “começou a ganhar razoavelmente bem” (não estariam aí embutidas as horas extras e gorjetas?). Também não está me parecendo que ele faz isso há muito tempo. Pra mim, ela está é com mimimi. Deixa ele perder o emprego e ficar sem pagar as contas ou a pensão do rebento por um mês que seja, pra ver se ela não vai mandar ele se “coçar”… E outra… Se eles se separarem, ela vai ter que ir trabalhar, e essa criança vai sentir a “ausência” não só pai, como também da mãe.
            E ainda tem gente que usa a “intuição” pra enfiar a pulga da traição no ouvido dessa infeliz. Oh, céus! Querem mais é que o circo pegue fogo… com toda a criançada dentro… rs

          • Caio César

            Mika, eu ia escrever exatamente sobre isso, mas você acabou falando antes. Kkkkkkkl

          • Gaia

            Bom, se ele é motorista, com certeza não trabalha às 18h seguidas, deve haver pausas durante o dia. O que com certeza ajuda.
            Vc comentou do seu pai, minha mãe tb trabalhava altas cargas horárias (até hoje o normal dela são 10h/diárias.) e cresci correndo no serviço dela pq ela ia trabalhar de fds e não queria estar longe. Trabalhar tanto não a impediu de ser muito presente durante toda a minha vida e com certeza foi melhor que crescer passando necessidades (já que meu pai era um zero a esquerda na época).

          • Wana

            Também duvido.

        • Gaia

          Tem muita lógica! E se for assim, ela seria a mais afetada com a diminuição da carga horária dele.

          • Mika

            De tudo o que eu li até agora, seu texto foi o que fez mais sentido pra mim. É importante se colocar no lugar do outro e entender as razões de certos atos. Nesse caso, tanto faz se o trabalho é temporário ou permanente. Ou aceitamos o outro com suas opções, ou tomamos nosso rumo. Só não podemos nos esquecer que a emenda pode ficar pior do que o soneto. No caso da leitora, acredito que a separação seria muito pior pra todos… pra ela, pro marido, pra criança.
            Sempre que leio esses casos, fatalmente me lembro do famoso verso de Drumond: “No meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho…” No caso da leitora é só uma pedrinha, mas que os casais modernos não sabem – ou não querem – transpor. Preferem dar meia volta e partir em busca de um caminho mais fácil.

      • Gaia

        Acredito que o que me diferencia do marido dela na verdade é apenas o fato do meu excesso de trabalho ser uma questão temporária.
        Ele tb tem contas a pagar e pode ter seus motivos emocionais. Por isso o entendo, mesmo não achando certo. E entendo tb o fato dela ter cansado. Para que se ter alguém que nunca está perto?
        Gostaria de dizer “escolha o trabalho ou a relação” pq não dá para levar ambos nesse ritmo, mas na necessidade… Não sei se essa é uma escolha possível. Ainda mais quando empregos estão tão difíceis de conseguir.

        • Denilson

          Eu acho até meio surreal esse pedido de escolha, eu digo por mim, se eu estiver numa relação onde o cara nunca tem tempo pra ficar comigo, eu converso, e mesmo assim ele não me dá uma saída, me deixa consciente de que é uma fase temporária, eu mesmo retiro o meu burro.

          Como já foi dito aqui, quando a fome entra pela porta, o amor foge pela janela, não dá pra negligenciar um, em prol do outro, vc recompensou seu namorado, mas e o marido dela ?
          Junta o fato de que ele trabalha 18hrs por dia, ela é mãe 24hrs e está criando o filho sozinha, no lugar dela eu teria feito a mesma coisa.

          Meu pai quando não estava trabalhando, tava na casa de algum amigo dele, eu não tenho UMA lembrança se quer dele me educar, de me ensinar à andar de bicicleta ou ir em alguma reunião escolar, mesmo quando estava em casa, a educação q ele me deu foi:
          Se quer algo, trabalhe muito pra ter, muito do que eu sou e do que eu aprendi, pro bem ou pro mal, eu devo à minha mãe.

          • Gaia

            Eu não sei o que faria. Pq se fosse eu a trabalhando muito, iria querer que entendessem, mas quando é o outro… é muito duro ser deixada de lado.
            Por isso acho essa escolha tão dificil e realmente não julgo quem não aguenta. Vc diz sobre compensar, mas será que compensar resolve? Seja com dinheiro, presentes ou um fds em família, será que isso apaga todo o tempo em que foi deixado de lado? Se foi por pouco tempo, sim, mas e quando isso dura anos? Fico pensando, será que ele não trabalha assim para oferecer mais a eles? Ao mesmo tempo, será que esse mais vale mais que a presença dele?
            Aprendi com minha mãe que o trabalho vem sempre em primeiro lugar, pq não adianta ter tempo se não pode pagar as contas. Estou desempregada e juro que era mais feliz trabalhando 7 dias por semana do que ficando em casa o dia todo. Ao mesmo tempo, será que eu seria feliz trabalhando tanto se isso se estendesse por meses? Que relações humanas eu construiria? Queria que achar o equilíbrio fosse fácil e possível a todos.

          • Como moro em uma cidade pequena conheço a vida de todos aqui.
            Um fato curioso que percebi é que todos os homossexuais
            tiveram pais ausentes na vida.

  • Monalisa

    Ele trabalhar 18 horas direto porque quer. Isso esta totalmente fora dos direitos trabalhistas! Ele faz isso porque quer puxar saco de padrão para ganhar um extrazinho. Compensa trabalhar tanto assim e perder a convivência com a mulher e o filho? É claro que se ele não tivesse outra escolha tudo bem. Mas se ele pode trabalhar 8 horas por dia e ganhar o salario dele e da para pagar as contas para que tanta cede em ganhar dinheiro? a mulher e os filhos são tão porre para ele, que prefere se matar de trabalhar para ganhar um bonuszinho do que descansar e ficar com eles. Até porque duvido que ele ganha tanto assim para compensar

    • Hadassa

      O que eu acho tbm tudo deve existir equilíbrio entre o trabalho e casamento/filhos resumo acredito quando a família é importante para um homem e uma mulher eles vão sempre procurar não prejudicar, comprometer o seu maior tesouro abaixo de Deus que eu creio vem família sempre!!!!!

  • Mika

    Leitora, sei que vão discordar de mim, mas na minha opinião você está muuuito errada. Errou em desistir tão cedo, em não ter paciência, não entender o lado dele nessa história. Calma… eu explico…
    Vocês têm filho pequeno, as despesas aumentaram e ele está tentando equilibrar o orçamento. Vocês são casados há menos de 3 anos? Houve muitas despesas extras com a vinda do bebê? Por acaso você trabalha? Ou a renda só vem do papai? Há quanto tempo ele está fazendo essa jornada dupla?
    Além de trabalhar muitas horas, ele é também um pai e marido ausente? Pode parecer, mas não são a mesma coisa. Quando chega em casa é frio, distante, impaciente, irritado? Ou chega apenas cansado de uma longa jornada, mas disposto a conversar e contar o que fez no dia?
    Você ama realmente o seu marido? Se ama, nunca deveria fazer a besteira de chantagear ou ameaçar uma separação pra conseguir qualquer coisa do parceiro. O tiro pode sair pela culatra e não dar mais pra “consertar” o estrago.
    Você errou feio em ligar pro patrão dele. Queimou seu filme com eles e com o marido. E ainda não tem o direito de reclamar que a esposa do patrão se meteu onde não era chamada. Afinal, você fez o mesmo.
    Tem mais: Essa história de 18 horas está mal contada. Já vi muita gente “puxar” 36/48 horas sem piscar o olho. É tudo uma questão de necessidade… e de troca. Tem sempre um toma lá, dá cá. Nem tudo se resume a direitos versus obrigações. Veja os exemplos de motoristas de ônibus, taxistas, policiais, médicos, comerciários e comerciantes, camelôs, executivos. Não é porque alguns ganham bem que a vida fica mais fácil. São os “ossos do ofício”. Motorista sempre trabalha de forma diferenciada, e muitas vezes com carga horária que extrapola as 40 hora semanais.
    Minha opinião é que você não tem o direito de interferir na vida profissional do seu marido… mas conversar, argumentar, pedir, negociar, são todos verbos permitidos.

    PS: Como dizem, se conselho fosse bom não seria dado, mas como também não precisa ser seguido, vou mandar esse totalmente gratuito: A merda já está feita, mas se eu fosse você, engolia esse orgulho e arrumava um jeito de voltar pra casa.

    • já eu tive a impressao que ela tentou muito, mas muito e que ele nunca a ouvia
      mas se ela tentou pouco, concordo com vc. Um casamento nao pode ser terminado a toa, massssssssssssssss, tambem nao acho certo engolir tudo
      casamos para a vida inteira, mas reconhecer q as vezes não dá é um ato de coragem q poucos tem. Sem contar q esse tempo longe pode ser importante para ambos pensarem melhor. Afinal de contas, ela so saiu um pouco d casa, nao ta saindo com outros homens e nem se separou oficialmente rs. Vejo q ferias salvam muitos casais
      PS: Será q to mt moderna hj? kkk

      • Mika

        Pois eu tive a impressão exatamente oposta. Ela me parece ser muito nova e imatura para o casamento, do tipo manipuladora e que apela pra ignorância quando é contrariada. Exemplos disso foram ter ligado pro patrão dele e ter saído de casa quando ele se recusou a pedir demissão. As coisas são do jeito dela, ou não são. Essa intolerância só leva a dois caminhos: Transforma o marido num banana ou detona o casamento em dois tempos. Como, pelo que parece, ele não é do tipo que aceita cabresto, esse casamento não está destinado a ser “pra vida inteira”. E quem ganha com a separação? O sapo, que acabou não sendo engolido!
        Diante dos inúmeros problemas que eles ainda terão de enfrentar pela vida, esse é dos menores, e se resolve com paciência e diálogo, qualidades que ela ainda precisa desenvolver (falo dela, mas o problema pode estar nos dois, obviamente).
        Casamentos não dão certo porque tiramos a sorte grande ou soubemos fazer uma boa escolha, mas porque conseguimos vencer os desafios que a vida nos apresenta com inteligência, amor e respeito pelo parceiro. Maturidade é conseguir fazer o orgulho se submeter ao bom senso,
        elemento imprescindível à sobrevivência de qualquer relacionamento. E
        isso vale no amor, na amizade, na família ou no trabalho.
        Outro erro é pensar que esse tipo de “embate” que leva à separação temporária faz bem ao casamento. Não confunda crise com férias. As crises desgastam a relação, enquanto “tirar férias” é dar espaço ao outro para que faça coisas ou viagens sem a sua companhia, o que faz muito bem à saúde do relacionamento. Contudo, quantos casais modernos você conhece que estão propensos a conceder esse espaço/tempo ao parceiro?
        Sobre modernidade… Separar é fácil, difícil é ficar casado!

        • é Mi, se ela tiver tentado pouco e for tudo isso aí q vc disse eu super concordo com vc
          e quanto a isso d crise e férias acho q depende muito mais do que o outro faz nesse tempo, do que sair da cidade ou outra coisa. Ou seja, a leitora pode sim, tirar férias mesmo estando em casa, por assim dizer.
          e quanto a separar ser fácil, eu acho tão difícil quanto ficar junto por muito tempo. A diferença é que o casamento pode ser um martírio para o resto da vida e a separação nao kkkk

          No fim, quando existe amor, podemos tudo, mas quando a gente já não ama, confesso q fico sem entender quem continua tentando PS: Acho que a leitora ainda o ama

    • mariana cobra

      Não acho q a tentativa dela foi efêmera. Para uma mulher largar o marido com filho pequeno tem que ter mta coisa.
      Não é a última gota que derrama o copo d’Água.
      Ah e comparar a época dos seus pais com os dias de hoje é um erro. Lá atras era comum somente a mãe cuidar dos filhos, mas ser comum não significa ser melhor ou ser certo.
      Deve haver um equilíbrio na vida e me coloquei no lugar da leitora pq meu marido trabalha muito e já tivemos altas conversas sobre EU não querer ter filhos com ele pq sei que ele será ausente.
      Não quero isso pra mim ou para um ser que ainda nem veio.
      Vai saber como era a relação deles e a forma de diálogo ou a falta dele.

      • eu respondo pensando que a leitora tentou horrores, assim como eu tentaria, mas pareceu que tudo o cara falava q nao dá, não rola. Entao va a merda kkkk

        • Lu

          Tentei mesmo. Mais ele alega que nao teve estudos e nao vai ganhar o que ganha em outro lugar. E aí estou sendo egoísta pq estudei e sou concursada

          • vamos aguardar a proposta do seu marido então. Voltar pra casa sem proposta eu não sei se seria uma boa. A nao ser q vc queira ficar como estava mesmo

          • ele precisa ganhar o dinheiro dele. Vcs só precisam negociar isso tudo. Afinal de contas, todos nós precisamos abrir mão e ter humildade as vezes

          • Hadassa

            Que bom a própria leitora trouxe um dado novo que muda agora até meu pensamento a gente aqui supõem não afirmamos nada eu tava achando que marido dela tava traindo agora dá para entender a história Lú pra mim decisivo eu acho que já achei a raiz do problema dela e com seu marido e seu trabalho esse conflito tá passando.
            No livro que recomendo: “Namoro blindado á prova de coração partido” para solteiros(as) e quem já tá namorando e vias de um noivado rumo ao casamento. Não basta só ambos ter atração física, emocional, sexual estarem apaixonados tá tudo lindo para um relacionamento amoroso dá certo e ter futuro de ser bem sucedido NÃO tem que vê outros fatores cada um verificar se outro tem que vc busca todo mundo tem na cabeça o PERFIL do par que vc quer encontrar e se combina com a gente ou NÃO chama de COMPATIBILIDADE e COMBINAÇÃO:valores, princípios, espiritual, gostos, gênio, intelectual,trabalho, ambição, estudos, planos, projetos, família, filhos. Uma delas no livro um capítulo o nível intelectual(estudos, trabalho) fala as pessoas no modo geral e os casais de namorado acham que não ignoram isso só amor e sexo basta é alicerce para dá certo é uma armadilha verdadeiro engano.
            No caso da leitora a raiz do problema incompatibilidade intelectual com esse marido que ela casou a mesma teve oportunidades de estudar acabar o seu ensino médio não sei ela fez uma faculdade mais ela correu atrás fez concurso público e passou quer dizer ela esforçada e bem sucedida nos estudos e tem trabalho uma funcionária pública graças unicamente dela pelo seu esforço e empenho. Não há desculpa hoje quem diz a eu não tive oportunidade de terminar a escola, blá, blá,blá tem escola estadual pública tem o EJA(educação de jovens e adultos) gente quem parou de estudar outras conjunto de fazer um ensino médio em escolas técnicas e profissionalizantes públicas para qualificar as pessoas ao mercado de trabalho. Já se vê que o marido não oposto dela não tem mesmo nível intelectual dela e nem tem força de vontade parece daquelas pessoas acomodadas para correr atrás e sempre reclamando e com desculpas a não tive oportunidade e vê de querer crescer e evoluir tipo vou mudar essa situação não tipo que aceita em estar em qualquer emprego que patrão explora e ganhando pouco.
            O que acaba acontecendo nesses casos o desnível intelectual a incompatibilidade nessa área de estudos e trabalho ambos estão nível diferente entendeu o que isso pode gerar na outra parte que oposto do seu parceiro(a) nível intelectual diferente gerar problemas e conflitos quais: desentendimentos, brigas, discussões, desconforto, diminuído(a), recalque, inveja do parceiro(a) e sente deslocado(a) isso vai mexer com ego, orgulho próprio e dignidade de qualquer ser humano quando não há nessa área a compatibilidade intelectual.
            No caso do marido claro ele sendo homem e muito abaixo intelectualmente e profissionalmente da esposa porque ela já que é a bem sucedida do casal ele por não ser ainda o bem sucedido no trabalho e ter que aceitar empregos do nível dele suponho que ele possui só ensino fundamental dá para entender porque aceita?
            Esse tipo de trabalho explora os funcionários questão que todos nós temos orgulho próprio e de dignidade ele como homem não quer ficar dependendo da esposa bem sucedida ele pelo menos já vê ele não folgado e nem preguiçoso, explorador, interesseiro de mulher bem sucedida quer manter a dignidade dele mesmo que seu emprego da realidade e compatível seu nível intelectual e de estudo. Isso é um dos fatores que pode afetar um relacionamento amoroso lê-se até a intimidade sexual de um casal casados o nível intelectual, estudos, trabalho,objetivos, metas ser diferente e não ser do mesmo nível que a outra pessoa não combina em nada com o seu nível e problema lá na frente no matrimônio sim infelizmente isso que está ocorrendo com a nossa leitora.

      • Mika

        Desculpe-me Mari, mas a capacidade do copo da moça do post é muito pequena. Encheu muito rápido.
        Será que sou só eu que vejo problemas nessa mulher?
        Você ligaria pro patrão do seu marido? Alguma vez o ameaçou com a separação por conta dele trabalhar muito? Já o pressionou pra ele largar o emprego? Se fez alguma dessas coisas, estava errada também.

        “Para uma mulher largar o marido com filho pequeno tem que ter mta coisa.”

        Amiga, ela não optou pela separação, ela fez um joguinho pra pressionar o marido a sair do emprego. Quando viu que não funcionou, veio aqui pedir ajuda pra consertar a merda que fez. O que ela quer é a sugestão de uma nova estratégia pra conseguir seu intento (fazê-lo sair do emprego) e poder voltar pra casa com um sorriso orgulhoso de vitória na cara. Como se a história e os problemas do relacionamento terminassem aí. Santa ingenuidade!

        Alguns acham que ela deve resistir e não voltar, outros que ela deve escarafunchar a vida dele, porque só pode estar tendo um caso extraconjugal, e eu acho que ela deve admitir que errou de estratégia e voltar pra casa (perder uma batalha não é perder a guerra). Com tão pouca informação sobre eles, qualquer sugestão dessas pode ser válida, até mesmo a de ele ter caso com o patrão… rs.

        Sobre o exemplo dos meus pais, vale pra hoje, sim. Minha mãe trabalhava quando solteira e continuou a trabalhar depois que casou (ela era costureira e trabalhava em casa). E o que era “comum” antigamente é ainda mais comum hoje em dia. Mulheres trabalham fora muito mais do que antes, deixando seus filhos sabe-se lá como ou com quem. Quase 50% é chefe de família e sustenta a casa, sem mesmo a presença de um parceiro fixo. Errado por errado, não sei nem dizer o que é pior. Esse equilíbrio que você citou nunca esteve tão distante das famílias quanto hoje. As crianças de hoje estão muito mais abandonadas do que as da minha época. Meu pai sempre trabalhou muitas horas, mas nunca foi ausente ou omisso. Nós podemos afirmar o mesmo do marido da leitora? Não. Ela não nos forneceu essa informação. A criança deve ser ainda muito pequena pra sentir a falta do pai. Então, quem está perdendo é ele, não o filho. E o que hoje é um problema pro casal pode não mais existir daqui a alguns meses.

        Paciência! Esse é o mote pra essa leitora…

        PS: Não é a quantidade de tempo que dedicamos às crianças que conta, mas a
        qualidade (leve essa máxima em consideração quando tiver outra conversa com o
        mozão sobre ter filhos… rs). Bom feriado e feliz páscoa!

        • é q vc ta lendo muita entrelinha do texto q nao sei a Mari, mas q eu nao vi
          Sobre o lance das crianças eu concordo: conheço inclusive pais separados que dão muita, mas muitaaaa atenção para os filhos e pais casados q são omissos e acham q dar conforto é dar amor
          Meu pai sempre fala uma coisa muito legal sobre a mãe dele (a minha avó q gravei aquele video, lembra? Q por sinal, é bem pobre e é super admirada na familia pq deu um pé na bunda do meu avo q aprontou todas com ela. Isso pq ela é do interior EEEEEE de antigamente e teve essa coragem toda, rs)
          Enfim, ele sempre diz q nunca deixou de se sentir amado, que ele nunca deixou de sentir a energia e o poder que ela tinha e tem sobre ele, mesmo a kmtros de distancia e eles se vendo tao pouco!!
          amor é algo que a gente sente e nem precisa ser ao vivo. Eu por ex moro longe dos meus pais ha anos e vejo o quanto cresci com isso. É claro q tudo tem o lado bom e o lado ruim, mas enfim, acho q nada acontece por acaso. E acho errado (nao q vc tenha dito isso) pensar q viver na mesma casa é dar amor para os filhos.
          Inclusive, hj em dia meu pai me da muito mais atencao do q quando moravamos no mesmo teto. Apesar d q o amor entre eu e meu pai sempre foi fortíssimo.
          Quando criança tbm reparava nisso, q ok, meus pais estavam juntos e estao ate hj, mas eles cagavam pra mim em muitas ocasioes a depender da epoca kkkk. So queriam dividir a mesma casa, ainda q tal como disse, meu laco com meu pai sempre foi dos mais fortes (mamis é gente boa tbm, mas é mais na dela e o carinho era mais d outra maneira q renderia um textao kkk

          Pra finalizar, meu pai sempre fala algo q concordo: q se tivesse taoooo na aba (emocional?) deles, nao teria crescido tanto quanto cresci. E sai de casa aos 18 sem grana e sem conhecer ninguem aqui, bem lokona mesmo. E vim d familia classe media pra viver BEM na merda em Curitiba e so depois mudar. Dormia no chao, fui roubada, vixi foi tenso e acho q se tivesse nascido bemmmm pobre, nao teria sofrido tanto kkk
          Por sua vez, meus pais tbm comeram o pão que o diabo amassou para poderem construir algo, mas isso fica pra outro texto, rs.

          • João “Manu”

            Muito bonito Lu seus sentimentos pelo seu papai continua cuidando bem dele pai e mãe só temos 1 só, o meu sempre falou no dia que vc perde eu e sua mãe vc vai senti a falta, por mais que os dias passa lu sempre vai fica o vazio, domingo nem fico em casa no horário do faustão ele gostava de mais das videos cacetadas. abraça seu pai por mim.

          • ninguém vai embora na hora errada. Imagino a falta q t faz, mas tente preencher esse vazio com coisas boas meu amigo
            esse site nasceu d um vazio q vc nem imagina, por ex

        • Wana

          Mika, está me parecendo ser você a única pessoa mais lúcida por aqui.
          Para mim essa menina está dando chilique, e precisa arrumar o que fazer. E crescer, é claro.

  • Leitora, uma mulher de verdade aguenta a pressão em prol da família. Você é fraca, está errada e irá trilhar um caminho sinuoso e sem volta.
    Dos meus 19 aos 25 anos eu trabalhei e estudei das 06:00 as 23:00. Meu filho era pequeno e durante a semana eu só o via por alguns minutos no almoço. Nesse tempo minha esposa cuidou da casa e do nosso filho. Ela deixou de estudar por nós. Ela é um exemplo de mulher para mim.
    Passada essa fase começamos a colher o que plantamos e hoje levamos uma vida confortável. Hoje eu vivo ao lado dos meus filhos ( almoçamos e jantamos juntos todos os dias ) e para a minha esposa eu dou o máximo de conforto possível ( empregada, faxineira, babá e cheque em branco ). Ela trabalha aqui na empresa só 2 horas e o resto do tempo cuida da beleza e fica fofocando.
    Leitora, tenha atitude de campeã, porque desistir assim tão facilmente é típico de perdedores.

    • Franciele

      Interessante Eros, mas existe um ínfimo detalhe que parece diferenciar tua história dessa que apareceu por aqui; tu e a tua esposa combinaram como cada um agiria, por quanto tempo e até atingir determinada meta; no caso da leitora, a julgar pelos muitos desconfortos, parece que as dicisões foram unilaterais.

    • ”Ela deixou de estudar por nós. Ela é um exemplo de mulher para mim.”
      kkkkk
      vc é uma figura. Porém, vc nunca se perguntou se não é por isso q vc não conseguiu amar de fato sua esposa? Eu entendo seu ideal de mulher (que viva pela casa, que viva pelos filhos e até mesmo por vc) e acho q vc tem o direito de exigir oq bem entender. E pelo oq entendo, vc ser rico e dar uma vida de conforto é o suficiente pra ela. PORÉM, oq me preocupa em histórias assim é que a admiração pode se perder: nao só sua por ela (tirando o fato de ser boa mae e essas coisas q vc procurava) e até mesmo dela por ela mesma
      Será q ela gosta mesmo d ter abdicado tudo isso? Nao ter basicamente vida propria? Viver como uma madame, sem grandes lutas ou motivos para vc admirá-la?
      Como um bom machista q já aprontou muito, é normal vc elogiar uma mulher q fique quase sem vida por vc, mas e aí, será q vc fez o certo mesmo? Será q realmente não dava para ter estudado? Será que é realmente legal passar todos os dias cuidando da beleza e fofocando? Será q ela não sente um vazio e por isso gasta tanto dinheiro assim? Tipo 25 mil em uma bolsa?No fim, será q ela foi forte ou fraca? Se ela fz por ela, foi forte, mas se fez apenas para mascarar os seus medos e parecer perfeita pra vc….
      E vc, será q foi fraco ou forte?

      Espero ter falado um monte de bobeira

      • Hadassa

        Me abraça Lú essa foi no fígado doeu até em mim kkkkkkkkkkkkkkkkkk.

        • Falando em me abraca, assista ao video de hoje pq acho q vamos nos abracar real heim kkkk

          • Hadassa

            Tô numa fase de abraçar todo mundo que eu conheço, namorado, amigos, colegas, familiares que vejo e encontro. Tem um filme drama, comédia um pouco apimentado maiores de 18 anos “Os estagiários” uma turma de estudantes de medicina num hospital agitando com as aventuras e desventuras de cada personagem. Tem uma cena muito engraçada dois pacientes no corredor do hospital com roupa e de bumbum de fora vê cena um dos estagiário com a mãe obstetra depois deles brigarem se abraçando fazendo as pazes e se abraçam:
            Um deles paciente andando no corredor olha comovido a cena é diz:”É O MUNDO PRECISA MAIS DE ABRAÇO” que eu vejo hoje em dia isso tão verdade as pessoas na nossa volta estão carentes disso não coisa só de ficção e até científico de estudo o efeito de um abraço pode fazer a pessoa doente ou que tá com depressão a se levantar e melhorar seu organismo numa escala altíssima o que provoca um abraço sincero abraçar significa dá para outro afeto e ternura.

          • nossa eu amo abracar, mas confesso q fico meio envergonhada e nao é com todo mundo kkkk
            preciso me sentir confortavel e ai fico um tempão. O coisa boa!! O foda é q acham que a gente é carente, nao q o lance é bom mesmo kkkkkkkkkkkkkkk

          • Hadassa

            O meu abraço é segundos bem rápido só demorado com meu namorado. Tem que deixar claro né? kkkkkkk.

          • eu dou demorado nazamigas tbm kkkk

      • Você não falou bobeiras Lulu, na verdadeira colocou na mesa inúmeras indagações sobre a minha vida, meu relacionamento. Mas a vida está dando uma guinada e em 2018 ela irá para faculdade. Agora eu ficarei em casa com a nossa “pequena” enquanto ela estuda e corre atrás dos próprios sonhos.
        ..
        ..
        E você Lulu, você é muito acelerada e não sabe cobrar R$ pelo seu excelente serviço. Manda o boleto que eu estou ficando “nervouso” rsrs, minha “Personal life” e minha “Advisor for Political Life” rsrs

        • eu já disse que foi um presente, tá tudo bem. Todo mundo gosta de presentes, mesmo podendo pagá-los kkkk Inclusive, acho que fazia tempo q vc não ganhava um pq todo mundo deve achar q vc não precisa, rs.

    • Mika

      Entendo perfeitamente quando você diz que ela é um exemplo de mulher. É muito comum as mulheres fazerem sacrifícios pessoais em prol da carreira do marido. Entretanto, gostaria de saber se ela fez algo por si depois que a situação econômica melhorou. É só uma curiosidade minha. Não precisa responder, se achar que sou intrometida… rs.
      Minha opinião é que não importa quanto dinheiro vocês tenham, ela precisa retomar o caminho interrompido. Ela deve ter sonhos, não? Vocês já conversaram sobre isso? Ela tem faculdade? Tem uma carreira além de mãe e dona de casa?
      Você fala dela sempre como uma dondoca que só faz gastar o SEU dinheiro. E isso é muito sintomático: Nenhum homem respeita uma mulher que não se dá valor, que só trabalha “duas horas” por dia (ou seria por semana? rsrs). Profissionalmente ela parou no tempo? Ou você é que é muito conservador e acha que ela tem que ficar em casa cuidando de filho? Não é essa a visão que tenho de você, do tipo que cercearia as ambições da parceira, mas vai saber… rs

      • Quando vejo essa foto, esse olhar sereno, de certo modo místico, cabelos cacheados, eu já sei que receberei um comentário da rainha do blog… Arrepio inteiro rsrs
        Recentemente assisti um filme chamado “A Cabana” e esse filme respondeu uma dúvida que eu carregava há tempos, dúvida essa relacionada ao tempo:
        “Como funcionaria o tempo após a morte”?
        Eu tive um amigo que faleceu há 15 anos e na minha mente humana, ele ficava distante de mim a cada dia. Eu me questionava: ” E quando chegar a “minha hora”, como será o nosso reencontro, depois de tanto tempo?
        No filme diz que quem está “lá”, não sente o tempo passar, não sente ansiedade, não sofre.
        Desde os meus 10 anos de idade eu já sabia o que fazer na vida, qual o meu dom, qual faculdade seguir, etc. Minha esposa não. Durante todo o nosso casamento eu apoiei ela a estudar, a trabalhar em outra área, mas ela não sabia o que fazer.
        Coincidentemente, após ler o seu comentário, conversei com ela e fui surpreendido. Finalmente, aos 33 anos de idade, ela sabe o que quer, fará uma faculdade de moda. Agora ela tem na mente todo o planejamento que eu, de forma iluminada, tive aos 10 anos de idade.
        O tempo passou e ela agora poderá ser plena, poderá seguir os próprios sonhos.
        Ela não fez sacrifício em prol do marido, na verdade ela fez a escolha certa na hora certa. Eu já estava no caminho, ela ainda não. Ela optou por ficar juntinho do filho, apoiando o marido e não “atropelar tudo” em prol da família.
        Para a leitora eu torço que ela seja sábia e tome as decisões certas, no tempo certo.

  • Marcel

    Seu marido teria que ser muito burro pra escolher vc em vez do trabalho, até porque sem trabalho não se tem mulher, e hj tá bem difícil de conseguir trabalho.

    • mariana cobra

      Eu fico de cara com o pessoal que fala de dificuldade de arrumar trabalho.

      • Marcel

        Vc não tem esse problema? rs

  • Lu

    Oie gente. Meu marido é motorista de guincho. Não é motorista particular nao. A mulher do patrão e a secretaria só passa os serviços pra ele é o patrao e q comanda la. Trabalham 4 pessoas na empresa. Ela ligou dando chilique pq eu xinguei o marido dela por nao querer assinar a carteira dele. Faz 2 anos que ele trabalha lá.

    • Franciele

      Considerando que tu sejas mesmo a leitora, accredito que precisa ponderar que vocês dois erraram: tu por ligar para reclamar, afinal, roupa suja se lava em casa e quem deve satisfação pra ti é o teu marido, bem como, por ter saído no tapa com essa esposa secretária.
      Ele, por sua vez, errou ao aceitar uma condição de trabalho que inviabilizava a convivência familiar, podendo inclusive afetar a saúde.
      Recomendo que tu imponha como condição de retorno ao lar que as decisões sejam tomadas em conjunto, para estabelecer se um ou ambos vão trabalhar, em que condições e por quanto tempo, afinal, como escrevi acima, tu quer um marido e não um banco que apenas traga dinheiro pra casa.