Somos comprometidos e pensamos em romper nossos casamentos por a química estar forte demais:

64

Leitor: Sou casado há 7 anos, eu 35 e minha esposa 29, sem filhos. Minha colega 36 e o marido 37, casados há 8 e eles tem um filho. Eu e minha colega trabalhamos em uma empresa há quase 7 anos, nos conhecemos relativamente bem, ela já fez algumas investidas em mim, das quais sempre me neguei a sair. Mas neste ano parece que não conseguia escapar (paixão, não sei.) E já sai com ela uma vez, mas sem contato físico. Agora a coisa tá pegando, ambos com vontade de romper com os cônjuges, para viver esta paixão, maluquice, química, sei lá, é MUITO FORTE, e evitar a traição (pelo menos física né). Não sei, confesso que nunca senti isso e estou confuso. Peço ajuda, será que vale a pena viver isto??

amor proibido

Você disse: “Paixão, não sei”, “Confesso que nunca senti isso e estou confuso”. Ou seja, dois grandes alertas para você prestar atenção onde está se metendo.

Não estou dizendo que ficar com sua esposa seja o melhor caminho, porém, estou pedindo para que você pense muito bem em tudo para não fazer nenhuma das duas – e nem você mesmo – de “trouxa”. Ninguém pode ficar chorando depois.

Se não pretende trair, por que fica saindo com ela? É por algo que é relacionado ao trabalho de vocês? Pelo sim ou pelo não, ouça o grande clássico que diz: na dúvida, não faça nada. Nisso você verá que o tempo irá passando e as coisas irão se esfriando, OU se esquentando de vez kkk. Só peço para que nesse meio tempo você repare bastante nas qualidades e nos defeitos de ambas, principalmente “da que chegou agora”, visto que não dá pra comparar “uma esposa desgastada dos 7 anos” com a “paixão nova” – e que visivelmente está tentando te conquistar – que você conheceu no seu trabalho. Preste muita atenção e toda sabedoria é pouca. Sei que você foi esperto ao ser fiel até agora, mas por favor, não emburreça.

Agora vou te contar uma notícia boa e outra ruim. Preparado? kkkk

A boa (caso você não queira largar sua esposa) é que, na grande parte das vezes, se trata apenas de fogo de palha. E não estou falando isso só porque você é casado: isso serve para os solteiros também!

Por quantas mulheres você já se apaixonou de verdade? Quantas delas de fato valeram “o seu sangue”? E quantas valeram apenas “uma foda bem dada” e olhe lá? Independente da “vencedora”, mova-se sempre pelo coração, aliado ao sexto sentido que acredito que nunca falha. Como você disse, “se é paixão, não sei”. Então, espere mais, porque a sua resposta ainda está sendo “fabricada”.

Agora vamos para a notícia ruim:

Apesar de tudo que foi dito, meu querido amigo, se no fim a conexão entre vocês for de alma, mas de alma mesmo, vocês passarão um tempo tentando se esquecer um do outro e poderão até tentar “cortar contato” pra ver se o fogo esfria. E o interessante é que, em alguns dias, você até pensará que não gosta mais dela, mas depois a vida te jogará na cara algo que fará o fogo vir, mas vir com tudo. Você correrá e a vida sempre (re) aproximará vocês por algum motivo. No fim, chegará um ponto que você estará tão sufocado ao guardar todo esse sentimento para você (me lembrou até essa música da Maiara e Maraisa kkkk), que precisará transbordar a partir de uma vontade muito maior do que o medo de tentar. Será um risco sem saída, simples assim.

Nessa hora, será algo que ambos simplesmente precisarão viver, e que enquanto não viverem, a agonia será incessante para ambos e talvez a saída única seja terminar os respectivos relacionamentos mesmo. Só que aí entrará outra notícia boa (caso, mais uma vez, no fundo você não queira largar a esposa): na maioria dos casos, é só vontade que dá e passa com um lepo-lepo mesmo kkkk. E aí, em um caso como esses, é claro que será melhor viver sem essa parte do que “trair ou largar” a esposa “por causa de algo secundário”.

De qualquer forma, na primeira opção já estamos entendidos. Agora, se for a segunda, converse bastante, mas bastante com “sua colega”. Isso te sanará algumas dúvidas e também já servirá de teste para ver se ela daria uma boa amiga, né? Sei que em geral homens detestam falar sobre sentimentos, mas acredite, será melhor para vocês. Ainda mais se sua desconfiança for do tão temido (mas também tão desejado) encontro entre almas (tô chutando que não é o caso entre vocês, MAS….).

Converse sobre o que você sente, ouça o que ela sente também. E como AMBOS estão no mesmo barco, debatam sobre os próprios medos também. Usem o lado racional para que fique claro se é isso que ambos querem. Conversem até mesmo sobre o fato de que vocês poderão sentir falta do parceiro (a) passado(a) e que tá tudo bem – DESDE que antes de tomar a decisão, ambos tenham certeza do que estão fazendo e do preço que envolve tanto fugir, quanto ir ao encontro um do outro.

Use também a lógica que disse nesse vídeo aqui, e que apesar dela não ser atualmente a sua ex, é bom que você ouça antes de tomar providências maiores.

Lembrando que todo mundo quer que o casamento dure a vida inteira, que ninguém se casa para terminar, mas aí lembre-se do fato de que a vida está aí para isso mesmo: nos fazer engolir e questionar muitas das nossas crenças.

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.