Não sei mais como ajudar a minha amiga que está sempre triste e reclamando sobre os relacionamentos dela:

28
Leitor: Tenho 19 e ela também, namoramos dois anos, mas no fim não deu certo por algumas questões. Voltamos a ser amigos e estava tudo bem até aí. O problema é que ela sempre foi uma garota muito romântica, não acho isso problema, só que por conta disso ela se magoou muito comigo e com outros namorados. 

Ela saiu com outro cara, mas teve o mesmo fim, o relacionamento acabou e ela está mal de novo. Não estou apontando dedos para ninguém, mas queria mesmo que ela fosse feliz e acho que os dois deveriam ter se esforçado mais. E sem mais delongas, eu estou aqui tentando cuidar dela, só que ela fica triste todo dia e de um jeito muito intenso. Fico ouvindo ela reclamar da vida falando que nada dá certo para ela, que ela não acredita em amor e que vai ficar sozinha, só que ela sempre foi uma pessoa forte, superou tantas coisas, não digo que ela não possa ficar triste, mas eu quero ver ela normal de novo. Porque consolo ela todo dia, estou ali do lado dela, conversando, ela fica boa por um momento, mas aí chega outra hora e volta mais triste ainda. 

Por favor, eu não sei mais o que fazer. Essa situação está me desgastando e sinto que não ajudo em nada, por isso vim perguntar aqui. O que eu faço para ela poder ficar bem de novo? 

ajuda amiga

Óin, quer ser meu amigo também?! kkk Você parece ser um ser humano incrível: gosta de conversar, de ouvir, de ajudar. Porém, bondade demais pode te atrapalhar, e tão ruim quanto: atrapalhar a outra pessoa se ela não souber valorizar seu carinho. E como a maioria não sabe valorizar (nem sempre é de propósito), lascou.

Não que eu esteja no seu nível, mas me identifico muito com você (não é à toa que criei esse site, né? kkkk). Sempre gostei muito de ouvir, de ajudar e mais do que isso: de ver o progresso das pessoas e saber que tinha meu dedinho lá. Porém, com o tempo aprendi que ser “uma amiga/conselheira/ombro amigo pra quem não valoriza” me sugava e sugava “meu amigo(a)” de forma igual. Eu, por estar sempre vivendo uma vida que não é minha e um problema que não era meu, e o amigo por ficar “sem dia e hora” pra falar sobre problemas. O resultado é que ficava péssimo para ambos os lados, que ficavam viciados em conversar sobre coisas negativas e o pior, “o ouvinte (no caso eu ou você kkk)”, ainda se sentia culpado por não ter resolvido um problema de uma vida que, querendo ou não, não era dele.

Aprenda a diferenciar a sua cruz da dos outros.

No meu caso, eu me “profissionalizei”. Não ouço mais quase ninguém “de graça” e te digo que me doeu bastante no começo. Pensava: “nossa, vão me achar egoísta, etc”. Mas no meu coração eu sei que era o melhor a se fazer. Afinal de contas, todos nós precisamos ter e seguir nossas vidas.

No seu caso, como você “não é da área”, realmente recomendo que você peça para sua amiga procurar um profissional. Isso fará com que ela “tenha dia e hora pra reclamar”, ou melhor, “para tentar resolver“. Nisso eu garanto que a qualidade de vida de vocês dois melhorará.

“Nossa Luiza, então você quer dizer que eu como amigo não posso ajudá-la? Que devo virar as costas para ela?”.

Nada disso! Você pode ouvir/conversar uma, duas, três vezes, dar seus conselhos, etc. Viu que ela sempre volta ao mesmo assunto, e o pior, sem ter ouvido e praticado absolutamente nada do que você disse? Isso acontece porque:

1- Você não conseguiu ajudá-la.

2- Ela não quer ajuda, mas sim reclamar – quase que esperando que alguém (você) carregue a cruz dela.

3- Ela precisa procurar ajuda “de alguém de fora”, mas nega e recusa o fato.

4- Tudo isso junto kkkkk.

Eu sou assim com meus amigos até hoje. Quando eu vejo que eles não estão me ouvindo, falo que eles precisam se ajudar também (não só reclamar). Falo que, se a situação não agrada, ou que se conformem ou tentem mudá-la.Teve uma que eu inclusive chegava a ouvir por 3 horas seguidas (TRÊS HORAS!!), ela não absorvia nada (família tende a não valorizar gente de dentro kkk) e aí, sabe o que eu fiz? Parei de ouvir. Ela ficou puta no começo, provavelmente me achou uma vacona egoísta, mas depois sabe o que aconteceu? Ela mesma foi atrás de ajuda. No caso dela em específico, foi a igreja.

Em suma, já fazem uns 3 anos que ela vai toda quinta e, tão bom quanto, ela aprendeu a conversar “mais com Deus” e a resolver seus próprios problemas sozinha (ela não gosta de psicólogo, nem de conselheiro, nem de nada kkk). Tenho certeza que com “a galera que ela não gosta” ela estaria ainda melhor do que está hoje, PORÉM, concorda que ao menos ela não fica se matando, nem matando os outros ao remoer sempre os mesmos assuntos e não mudar nada?

Pense um pouco em você(s). Afaste-se um pouco para que ela se encontre, mas antes diga o “motivo” de estar fazendo isso.

Ah, e um jabá extra aqui kkkk. Quando chegar o aniversário dela, o que acha de dar meu livro de presente? Veja o resumo sobre ele porque tem absolutamente tudo a ver com o caso de vocês.

Boa sorte!

Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Lo Lo

    Eu trabalho em um meio onde conheço e ouço o pior do ser humano. Eu preciso da história para decidir o que fazer, da melhor maneira possível. Eu lido de uma forma profissional. Fora do meu trabalho eu jamais permiti que alguém viesse desabafar comigo, ou me pedisse conselhos. Eu não acredito em conselhos, eu acredito na intuição e ma auto-análise. Eu não permito que as pessoas se abram de forma íntima comigo, pq no foro íntimo, eu não posso decidir nada. E não decido pq essas mesmas pessoas que vem a mim, não mudam por elas mesmas. Exceto se vc for da psicologia e áreas hábeis a tratar alguém deprimida como ela, vc nunca terá qualquer habilidade para ajudar alguém que conscientemente fez as proprias escolhas e se apegou ao sentimento de fracasso. Esse mergulho é só dela. A capacidade de se cuidar e se curar tbm.

    • Em q vc trabalha mesmo? Acho q vc disse, mas me esqueci
      E se vc só acredita na intuição e na auto análise, pq está tentando dar conselhos? kkk
      Todo mundo gosta e precisa de conselhos (nem que seja pra tirar apenas oq faz sentido, visto que nenhum cérebro humano é capaz de pensar em TUDO sozinho), não seja tão durona rs.

      • Lo Lo

        Isso não foi conselho. Foi minha opinião. Jamais me atreveria a aconselhar alguém, não é o meu trabalho.

        • Acho que todos damos opiniões aqui então kkkk

          • Lo Lo

            Vc pode chamar o que vc diz do que vc quiser, é seu direito. Eu não aconselho, eu opino.

    • “Eu não acredito em conselhos, eu acredito na intuição e ma auto-análise.”

      Lo Lo, eu entrei nesse site porque eu era infiel e achava normal. Comecei a contar sobre minhas puladas de cerca, sobre o que eu pensava sobre fidelidade e os comentaristas começaram a interagir. Alguns concordavam comigo e a maioria (mulheres) eram contra ( alô Mariana kkkkkk ).
      Se eu ti disser que os conselhos e interações que recebi mudaram meu pensamento?
      Mas eu fui além, busquei a “Conselheira Mor”, senhorita Luiza Costa e o aconselhamento dela foi muito além do que eu procurava ( ela me ajudou a pensar melhor, pensar como líder e até comprar joia para dar de presente… ).

      Hoje eu superei os meus problemas graças aos conselhos da rainha Luiza Costa, a rainha conselheira do Brasil.

      • Mariana Cobra

        Alô Alô Eros doidão!

  • Eu, na maioria das vezes, acho que os perguntadores omitem algo importante e neste caso parece óbvio que exste muito sentimento de culpa.
    “… não deu certo por algumas questões.” Se soubéssemos o que foram estas “questões” talvez ficasse mais claro porque alguém tá querendo, com tanta vontade, tutelar a vida de outro.
    Conselho:
    Indique o blog para tua ex fazer uma pergunta, se for do interesse dela é claro, e cuide de sua vida, o que já é muita coisa.

    • Jps

      Sim, muito estranho essa necessidade de ajudar a garota.

      Muito mais porque já namoraram, e é difícil ficar amigo do ex depois.

      Mas vai saber, as vezes estamos com a visão muito pessimista do mundo, rs

    • Ele também é meio apaixonado por ela, mas talvez nem ele queira pensar muito nisso s2

  • Mariana Cobra

    Muito bacana e nobre da sua parte tentar ajudar sua amiga e ex-namorada a superar os problemas e as tristezas, mas você tem que entender as suas limitações como conselheiro resolvedor do problemas e tristezas.
    Tem gente que não gosta de resolutividade, mas sim dos problemas em si. A pessoa chora, fala toda a problemática e o quanto a vida é miserável e você vai lá, consola, escuta, dá o ombro e com jeito da seus conselhos e soluções. Na hora parece surtir efeito e parece que a pessoa escuta…parece.
    Algumas pessoas perecem do mal do zangado (7 anões) e vivem da reclamação e das energias de quem escuta, se entristece e aconselha.

    Meu conselho a você? Toda vez que a sua amiga/ex começar a reclamar e demonstrar a intensidade de suas tristezas, seja firme e dê um corte. Diga que você não tem mais o que dizer, afinal, tudo já foi dito e pergunte o que ela quer…

    Ela só quer um ouvinte? Ela só quer reclamar? Ela só quer chorar com uma companhia?

    Se ela só quiser isso e você estiver disposto a carregar toda essa carga negativa toda vez que se encontram, blza…se não, faça como a Lú disse e indique uma ajuda profissional e deixe claro o quanto essa situação começou a te prejudicar e a te deixar para baixo também.

    Tenha muito cuidado com amigos vampiros…são um tipo de amizade muito boa para se evitar!

    “O que eu faço para ela poder ficar bem de novo?”

    NADA. Encontre o limite meu rapaz…seu limite começa e morre nas soluções e ideias que você provê, se ela vai acatar, te ouvir e ser feliz só depende dela.

  • Monalisa

    Todos temos nossa própria cruz para carregar. Deixe ela carregar a dela. Seja solidário, escute quando puder, mas fique na sua, não aconselhe mais, não sofra por ela. Todos nos temos que aprender. E nesse mundo o que eu aprendi mesmo, é que ninguém é vítima, todos nos somos responsáveis pelos nossos atos.

  • Mika

    Leitor, acho louvável você querer ajudar sua ex-namorada e atual “amiga”. (isso tá esquisito, heim?!).
    Acho que a maioria do pessoal aqui já deu a dica do que você pode fazer pra ajudar, ou não… rs
    Mas tem uma coisa que acho que você deve saber…
    Já ouviu falar em Distimia? Esse é o nome científico de uma doença que acomete cerca de 5% da população mundial. Essa estatística é estimada, porque a maioria dos casos nem chega a ser diagnosticada. Pode ser genética, provocada por estresse traumático, frustrações emocionais, alterações hormonais, etc. É quase duas vezes mais comum em mulheres do que em homens, e costuma dar as caras na adolescência e fase adulta.
    É popularmente conhecida como Síndrome de Hardy. Lembra do desenho animado do sempre otimista leão Lippy e a sempre pessimista hiena Hardy? “Oh vida, oh céus, oh azar”…
    A Distimia é uma doença, uma depressão mais branda, em sua forma crônica. A pessoa não tem altos e baixos (na verdade, só tem baixos), vê tudo em preto e branco, não acha graça em nada, não confia em ninguém, leva a vida muito a sério, tem humor pessimista e sarcástico, trabalha muito, é pouco sociável e não tem lazer. O distímico sofre muito por boa parte da vida, sabe que é um chato, mas não consegue pensar diferente… e parentes e amigos costumam confundir a doença com o “o jeito de ser da pessoa”.
    O tratamento é o mesmo da depressão: Mesmo tipo de medicamento e terapia.
    Meu conselho: Ao invés de dar conselhos para os problemas pessoais dela, preste atenção ao seu comportamento, sonde se há abertura para falar sobre depressão e distimia, mostre-lhe artigos na internet. Talvez ajude.

    Boa sorte!

  • Stanley Lewis

    Acho que você deve conversar com a sua amiga e fazê-la procurar apoio com algum psicólogo, que com certeza vai poder ajudar melhor ela.

  • Aline

    Bom, acho que a possível solução deste problema possa se dar por três caminhos:

    O primeiro é saber se esta tristeza dela é recorrente ou ocasional. Se ela está triste pq perdeu o namorado, deixe ela chorar. Não há nada de anormal em ficar triste por perder alguém (esquisito seria se ela não ficasse kkkk). Com o tempo a dor passa, ela supera e segue adiante.

    O outro caminho é observando se o comportamento dela de reclamar é mais um padrão do que um momento. Se vc acha que este é o caso, confronte-a, diga a ela pq ela acha que tudo na vida dela da errado e qual é a responsabilidade dela nisso. Faça-a enxergar o quanto a forma que ela pensa e age está gerando sofrimento para ela própria. Ela precisa entender que ela é a senhora da própria história e não é a vida que tem que ser boa para ela, mas ela que deve ser a única responsável pelo que acontece de bom consigo mesma. Claro que certas coisas são inevitáveis, mas a maior parte do nossa vida está sob nosso controle. Reclamar é sempre a alternativa mais fácil, pois além de eximir-se de qualquer culpa, a pessoa também não precisa fazer nada para mudar, concorda? Acho que vc a ajudará e muito se fizer com que ela reflita.

    Por fim o último caminho é saber se ela possui alguma doença de ordem emocional, como a depressão. Se vcs são próximos, observe no dia a dia dela como ela reage com a rotina. Se ela trabalha/ estuda/ se exercita, se tem pique para sair de casa, se tem mais amigos. Caso vc perceba que ela não tem ânimo para mais nada (nada mesmo, nem o que a daria prazer), vá devagarinho tentando convence-la a passar em um psiquiatra/ psicólogo. Como vc disse pouco sobre ela fica difícil deduzir qual o real problema. A partir de agora dependerá de vc ter esta sensibilidade e perceber qual caminho ela realmente está seguindo.

    Espero ter ajudado e boa sorte.

  • Alaska

    Eu sempre gostei de dar conselhos. Mas ultimamente, percebi que não faz muita diferença, a não ser se a pessoa confiar muito em vc e em suas palavras. No meu caso, ninguém confia em mim e acho que não confio em ninguém.

    • Eu penso que não preciso confiar na pessoa, vejo o conselho em si e por si. Se faz sentido, faço. Se não faz, não faço.
      Não penso nem se a pessoa pratica, nem se é confiável, por ex. Uso apenas do bom senso e tem dado certo kkkk

      • Alaska

        Meu bom senso alerta !!
        Se afasta dos sangue e sugas, pq eles só dão problemas. kkkk

        • uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa kkk

        • Wana

          Curiosidade: O que é sugas?

          • Alaska

            Wana. Eu quis dizer sanguessuga. (Desculpe, me expressei mal).

    • Jps

      As vezes, a sua falta de confiança nos outros transpareça nos seus conselhos e por isso ninguém te ouve. Eles não parecem sinceros, porque você não tem intimidade com essas pessoas, já que a desconfiança cria uma “barreira” ou distanciamento entre vocês.

      • Alaska

        Obrigada Jps. É exatamente isso que eu sinto. Uma barreira entre mim e as outras pessoas. As vezes eu não entendo do assunto então não me sinto capaz de conselhos.
        Mas, existe vezes que eu me sinto bem em ajudar pelo menos com um simples conselho.

        • Jps

          Acho que antes de você querer dar conselhos (não que precisa esperar para isso) é você tentar criar relação com as pessoas. Eu entendo que tem muita gente ruim nesse mundo, mas não é possível que todas sejam ruins, egoístas e sanguessugas, rs

          Não conheço onde você more e nem com quem convive, mas se você se esforçar um pouco acredito que possa sim desfazer essa barreira.

          E quando digo esforço, é sobre ter paciência de falar com os outros e tentar mostrar interesse sobre o que dizem. Não com todo mundo, claro rsrs…..mas pelo menos com alguém que parece ter um papo parecido com o seu.

          A partir dai, você pode destruir esse “monstro de sete cabeças” e tanto melhorar os seus conselho como também conseguir pessoas que os escutem.

          Obs: na minha opinião todo mundo pode dar conselho, mas não quer dizer que sempre precisem da-los. Se a pessoa não tem algo de bom (pelo menos na sua cabeça) para falar, não fale.

          • Alaska

            Obrigada mais uma vez.
            Minha barreira com as pessoas é a confiança.
            Sou uma pessoa muita intensa e não converso apenas por conversar.

            Se for para ser amigo, quero amar a pessoa de verdade. Meus assuntos são totalmente diferentes. Eu sempre vivo a mercê e a disposição para as pessoas (ajudo). Mas, o meu impasse é quando as pessoas que ajudo e dou conselho criam expectativas falsas em mim, do tipo de achar que todos os seus problemas serão solucionados.

            Eu não quero isso: uma pessoa (sanguessuga) quero amar e ser amada. Bom, olha onde vim parar. rsrs, estava falando de conselhos e já estou contando toda minha vida sentimental

            Meu conselho pra você é Obrigada, seja sempre está pessoa ouvinte e de respeito que é.

            Alaska ^_^

          • Jps

            Mas para se ter um amigo assim, você primeiro tem que conhecer a pessoa, ter algumas experiências juntas e ver a relação se desenvolver com o tempo. Não é real conhecer alguém já buscando esse fim, mesmo que existam pessoas com quem a gente faz uma “conexão rápida”, ou o “santo bate”.

            Sem contar que não é muito saudável, já que nem todo mundo vai ser reciproco desse jeito, mas não quer dizer que são “menos” amigos.

            Da mesma forma que o amor (romântico) é algo que se desenvolve e se mantém com o tempo e “esforço” dos dois.

            “Eu não quero isso: uma pessoa (sanguessuga) quero amar e ser amada. ”

            Acho que essa parte você está pensando mais numa relação romântica, não?
            Então, do mesmo jeito, não acho legal querer forçar a coisa do tipo “eu te amo e então me ame”. Se for para amar, ame de coração e faça sem obrigação de se retribuída.
            Obs: Não estou dizendo para ficar numa relação que seu parceiro não te ame, mas para amar de forma sincera e não “oportunista”, digamos assim.

            Para finalizar, só estou comentando, porque você parece uma pessoa que gostaria de ouvir um conselho. Da mesma forma que eu leio alguns comentário do pessoal aqui do site ou da Luiza e tento absorver para o meu dia-a-dia.

            De nada, e tenha um bom dia!

          • Alaska

            Eu que agradeço pelo conselho.