Como não me estressar tanto pelas pequenas coisas?

103

Leitora: Olá. Tenho 31 anos e trabalho como auditora. Estou noiva de um homem que tem 33 anos e é engenheiro. Namoramos há dois anos e 3 meses. Já aviso: eu sou a errada aqui. Mas não sei o porquê e nem como mudar. 

Ele é um homem muito legal, confiável, honesto, engraçado, trabalhador. Enfim, tudo o que eu preciso. Maaaas a questão dessa vez sou eu. Eu me apego em detalhes. No geral, a relação é ótima. Mas basta uma frase ou ele fazer algo que eu não goste que é o suficiente pra eu pôr tudo a perder. Deixo de falar com ele por horas ou até mais, desmarco algum jantar ou barzinho. Exemplo: Eu estava de folga e estava procurando uma chave em específico numas gavetas. Ele chegou do trabalho e pedi que me ajudasse. Tínhamos um compromisso dentro de 1 hora e ele queria ir tomar banho pra se arrumar. Enquanto me ajudava, ele suspirou. Eu perguntei: “Está com pressa?” e ele disse: “Na verdade, um pouco.” Pronto. Foi suficiente pra eu me chatear. Eu demoro muito tempo a “desemburrar” e não sei como melhorar isso. Até hoje, não foi nada abusivo ou agressivo. Só frases mal colocadas mesmo, mas que eu começo a agir meio que de forma mimada. Entende? Como a gente faz passar a raiva que dá? É como se eu ficasse sabotando minha relação toda hora, sabe? Preciso de ajuda prática mesmo. Obrigada a você e aos comentaristas.

mulher de saco cheio

Adoro quando vocês pedem dicas práticas, porque isso sugere que a coisa é simples e externa. Ou seja, que não exigiria um esforço “muito maior de vocês” para aí sim, quem sabe mudar o externo. Mas tá, concordo que também adoro as tais das dicas práticas para mim também kkkkkkk

Apesar da gente querer tudo como receita de bolo (ô sonho!!! kkk), você terá que se coçar bem mais do que apenas ler esse post. A começar por procurar acompanhamento, caso o que diga não seja suficiente para te mudar. Afinal de contas, constantemente até entendemos a teoria, mas se não conseguimos praticá-la, é de bom senso procurar ajuda “para internalizar melhor o que já sabemos”, por assim dizer.

Mas bem, vamos “às dicas práticas” kkkk:

Vai mudar em algo?

Quando você se emburra, algo muda que não seja pra pior? Muda seu dia? Soluciona seus problemas? Melhora seu relacionamento com ele? Deixa sua pele mais jovem? Não, né? Então por que você faz? Pensar que ficar com cara fechada não alterará em nada (positivamente) a sua vida, já será um ótimo começo para se policiar.

Entenda que você é manipuladora

Calma, todo ser humano é em menor ou maior grau, e você não é um monstro por isso kkkk. Pense apenas que, quando você faz o que faz, você o está manipulando para agir conforme você quer: ou seja, no seu tempo, no seu interesse, nas suas coisas. Daí você há de concordar que se emburrar por pouco é um problema seu, não dele. E por mais que você fale que já sabe disso, se estivesse realmente internalizado, você até poderia se emburrar vez ou outra (somos humanos), mas NUNCA conseguir se policiar? Isso tá com mais cara de mimo e manipulação do que “falta de controle em si e por si”. Até porque você não passou para auditora à toa. Tem que ter muito foco, miga kkkk.

Entenda que você é egoísta

Você até disse que a culpa “é sua e tals”, mas de novo, será que você REALMENTE internalizou isso? Porque se tivesse internalizado, o simples fato de sentir VERGONHA já te pararia naturalmente. Nem precisaria processar mil e uma dicas práticas, sabe? Não sei, mas me pareceu muito mais uma “autocrítica pela metade”, do que uma autocrítica internalizada, entende?

Você é perfeita?

Ninguém quer errar, mas você com certeza erra váriosssssss, mas vários detalhes ao longo do dia, mas nem por isso ele fica buzinando na sua orelha. Na verdade, ele deve até evitar falar de tão chato que já sabe que isso é kkkk.

Se coloque no lugar dele

O que você acharia de uma pessoa que faz o que você faz? Por mais que você obedecesse (pra não gerar briga, ou quem sabe por ter um perfil submisso, por exemplo), você iria achar pessoa chata pra caramba, ou iria até mesmo broxar com ela, não iria?

Você quer controlar o cara e até mesmo os horários dele, mas aí eu te pergunto: você quer mandar nele ou quer que ele te ame? Porque não tem muito como amar uma “ditadora” por muito tempo. Só se ele estiver meio doente mentalmente, mas aí nem seria amor. Então, pense também que, a cada vez que você abrir a boca pra fazer o que você faz, você estará – mesmo que inconscientemente – matando um pouco do amor que ele sente por ti.

Para te incentivar a se coçar ainda mais rápido: em casos extremos, pense até que você poderá levar um belo de um chifre ou um belo de um pé na bunda se continuar assim kkkk. Pense que ele pode continuar “bonzinho” na frente e se vingar pelas costas (já pensou!!!). Não que ele vá fazer isso, mas só pra você se espertar kkkk.

Saia de perto

Não conseguiu processar? Quer enforcá-lo mesmo assim? rs. Saia de perto. Invente que vai ao banheiro, tome um suco, faça um chá e só volte quando estiver mais calma. Ou você não consegue nem caminhar quando tá brava?

Vai miga, no fundo no fundo você quer que ele veja sua cara de tobinha, que por mais que DEPOIS você perceba que “foi infantil”, na hora você só quer que ele ceda e faça o que você quer: custe o que custar.

Por fim, se a partir de hoje você realmente for sincera em NÃO QUERER que ele veja o seu aborrecimento, você dará um jeito para que ele não veja. O ser humano é ótimo em beneficiar o próprio umbigo. Basta ter interesse.

Pense também se você não abusa do fato do cara ser provavelmente muito mais tranquilo do que você. Sem contar que, será que ser abusiva não estaria inclusive nas suas palavras e caras feias? Será que foram “apenas palavras mal colocadas para ele”? E será que ele teria mais a aprender contigo ou você com ele? Por que você quer ensinar tanto? Quem foi que te iludiu que existe algum ser humano com essa bola toda pra isso?

Pedir desculpas também é outro belo passo, mas não abuse delas. Do contrário, perde a força.

Boa sorte e até amahã!

Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.