O misterioso homem da portaria do hospital

27

*Essa pergunta foi muito longa e por isso vou respondê-la de uma forma diferente. Me ajudem aí leitores com a moça sonhadora.

LEITORA: Boa noite! Minha irmã teve que fazer um procedimento médico no hospital por cinco dias consecutivos. No primeiro dia a acompanhei, chegando lá, na entrada da emergência do hospital tinha um rapaz que controlava a entrada e saída das pessoas. Cheguei a comentar com minha irmã: que rapaz bonito. Desde então, disfarçadamente procuramos olhar para ele sempre que tínhamos a oportunidade. Teve uma hora, dentro da sala de emergência, que estava louca por um café, então, minha irmã comentou que na entrada da emergência tinha uma garrafa de café. Nossa! Como gostei de ouvir aquilo, pois seria um motivo para que eu pudesse beber um cafezinho e ao mesmo tempo olhar para o rapaz que tinha atraído minha atenção naquele dia.

MARI: Quem nunca arrumou desculpas para bizoiar um boy gatchinho né? Contudo, você deixou de fora do contexto sua idade e isso atrapalha bastante na hora de analisar seu perfil, mas vamos lá.

LEITORA: Quando consegui pegar um copinho de café, fiz um comentário: nossa como é bom beber um cafezinho, e ele por sua vez respondeu: verdade, um cafezinho é bom. A partir daí, percebi que ele também me olhava, e eu, com medo dele me julgar como uma mulher fácil, procurei me manter normal, sem disparar nenhum olhar a mais, me retraí.

MARI: LEITORA QUERIDA, mas que caipirice essa hein kkkkkk. Só faltou falar sobre o clima, não tinha coisa pior para comentarem não?! Até eu que sou bobinha e lerda consigo puxar mais papo que você guria kkkkkkkkk.

Será que ele olhou MESMO MESMO MESMO ou só olhou pq você ficava encarando ele? Será que ele te olhou por que a profissão dele é entediante, pois não vejo emoção ao abrir e fechar portas e alguém passando é mera distração?! Se houvesse interesse da parte dele, ele falaria sobre tudo, menos “sim, um cafezinho é bom”.

Pare de sonhar um pouco e vamos descer pra realidade.

LEITORA: No quinto dia, quando só levei minha mãe e irmã ao hospital, lá estava ele. Notei que quando estávamos dando entrada na emergência, ele não tirava os olhos da entrada, bem como parecia que estava pensativo. Quando sentamos na poltrona esperando a chamada de minha irmã, ele tentou de alguma forma se aproximar, tentando fazer comentários sobre o noticiário que eu estava assistindo. Porém, por estar com minha mãe e irmã, não me senti à vontade de corresponder ao comentário dele e acabei passando a imagem de uma pessoa antipática. Mesma coisa, quando chamaram minha irmã, me despedi das duas e nem sequer olhei para ele, sendo uma pessoa antipática pela segunda vez.

MARI: OH MY GOD não creio que ele estava trabalhando no local de trabalho dele e no horário de expediente! PUTA COINCIDÊNCIA essa hein kkkkkk

Moça, se as pessoas têm enormes dificuldades para entender o que é dito claramente e com todas as letras, sílabas e consoantes, como você vai tentar decifrar o moço que estava estranhamente pensativo?

Ele poderia estar pensando na morte da bezerra e já pensou que passam por ele milhares de pessoas por semana? Nesse contexto, seu rosto é só mais um “conhecido” no meio da multidão.

LEITORA: Acontece que, desde então, me paro pensando nele e às vezes me pergunto como pude perder a oportunidade de conhecer uma pessoa. Por esses dias, tive uma inflamação de garganta boba, mas não perdi a oportunidade e fui ao hospital porque queria vê-lo. Chegando lá, não sei como, mas meus olhos literalmente não saíam de cima dele. Claro que era um olhar saudável e nada de vulgaridade. Ele percebeu e lembrou de mim, percebi na forma como ele me correspondeu com o olhar, chegando até a gaguejar o número do consultório o qual eu tinha que entrar para ser consultada, quando fui chamada por ele. Neste momento, pude ler seu nome no crachá. Fiz uma pesquisa nas redes sociais, mas não consegui encontrá-lo. Percebi que ele não usava aliança. Queria saber alguma coisa dele, se é casado ou comprometido com alguém, pois não quero me envolver ou nutrir um sentimento por alguém que possa ter algum tipo compromisso com outra pessoa. Para mim está muito difícil, pois não sei nada dele, apenas o nome.

MARI: Depois de tudo que foi relatado, não consigo me desvencilhar da imagem de uma moça jovem (18 a 25 anos), sonhadora, de família religiosa e rígida que precisa de uma desculpa bem das esfarrapadas pra ver o crush.

Por vezes ressaltou o quão discreta foi e que tentou não demonstrar interesse, de forma a sua família não perceber suas intenções e um desespero pra mostrar que é moça de família, recatada e do lar. Sei lá, me soou desesperada a forma como você pensa que o mundo te enxerga e tente se libertar disso o quanto antes.

Quem vive a sua vida é você e só há uma vida a ser vivida, por mais clichê que possa parecer, é uma verdade. Pare com esse pensamento de “o que as pessoas vão pensar de mim” e vá ser feliz, talvez só assim você pare de romantizar tudo, sonhar acordada e pare de criar situações com um cara que mal conhece e malemal sabe o nome.

Continuando, não estar nas redes sociais e não usar aliança não te garante muita coisa.

Primeiro: você pode ter procurado por JOÃO DA SILVA enquanto no facebook ele pode estar num perfil duplo de casal brega.

Segundo: muitos locais de trabalho não permitem o uso de assessórios. Hospitais e fábricas é um bom exemplo de locais onde adornos são proibidos. O meu mozão mesmo não usa aliança no trabalho. Ele retira a aliança no início do expediente, coloca no armário e volta a colocá-la quando pega o busão de volta.

Ah e ele também não tem facebook kkkkk. Já pensou se você encarnou no mozão e eu não tô sabendo? Ainda bem que ele não trabalha em hospital!!!

Terceiro: pra saber alguma coisa dele, só perguntando para ele ou para as colegas de trabalho dele, que diga-se de passagem, você tem intimidade ZERO.

LEITORA: Até para vê-lo, só se eu for na emergência do hospital, como fiz no dia que estava com a garganta inflamada. Não faz meu tipo correr atrás de algum homem e também tenho medo de ser mal interpretada. E penso que a entrada de emergência não é lugar para isso, e lá também é o local de trabalho dele.

MARI: Quem acha que ela beirar porta de hospital pra paquerar é furada levante as mãos! E por favor, não me vá achar outra doença pra forçar um encontro com o moço da porta.

LEITORA: Hoje, me arrependo muito de não ter respondido ao comentário dele quando, na verdade, poderia ser o começo de uma amizade ou até mesmo de um relacionamento. Me arrependo, porque não sei quem ele é, onde encontrá-lo a não ser na porta de um hospital. E fico pensando: será que ele também não tem esse mesmo pensamento sobre mim? Pode pensar que não respondi seu comentário por ser uma mulher comprometida. Enfim, estou aqui para buscar um conselho no que fazer. Obrigada.

MARI: Pare de sofrer por uma situação que só aconteceu na sua cabeça e foque no que é real.

“Mas Mariana, o que foi real?”

Tudo não passou de um flerte e olhe lá. Todo o romance ficou restrito na sua cabeça e deixe-o onde está, pois os riscos são grandes demais.

Tenho certeza que você não terá coragem de chegar na porta do hospital e dizer “Oi, meu nome é Ícara Sonhadora, estive aqui faz alguns dias e reparei que você é gato e também me deu umas encaradas nervosas, toma meu número pra marcarmos um sorvete”.

TEM GENTE QUE TEM O DOM PRA SER DIVA, ir lá, fazer carão, arrasar na cara do boy e sair por cima. Todas as vezes que eu tentei divar, me dei mal.

Eu não teria coragem, até mesmo por que o risco dele te ignorar e proporcionar um momento de vergonha alheia é enorme. Até mesmo você já sabe que ele está trabalhando, não lhe deu NENHUMA evidência (salvo troca de olhares que eu desconfio muito que existiram) e falou sobre como é bom tomar café. SÓ ISSO, FIA.

CONTUDO, se o que você sentiu foi MUITO forte e todos os riscos valem a pena, escreva num bilhetinho seu nome e número para contato e entregue para ele. Simples assim, e você não será uma puta por isso, só uma mulher corajosa e que sabe o que quer.

Instagram
Share.

About Author

Mari Cobra

Intolerante a lactose, quase advogada, geminiana e fodidamente
indecisa. Apaixonada pela vida, pelo meu namorido e em dar pitacos na
vida dos outros.

  • Faltou uma informação:
    Qual é o nome que a divagadora escolheu para os filhos que terá com o Sr. Porteiro?
    Curiosa ironia. Ele controla o acesso e ela não vê como entrar.
    Não tem saída, neste caso, realmente.

    • Franciele

      KKKK
      Até o momento ela só quis entrar mesmo foi embaixo ddos lençóis com ele, mas, moça decente não pensa nessas coisas; triste.

  • Jps

    Eu me recuso acreditar que essa moça tem mais de 20 anos, rs

    A realidade a Mari já comentou, foi só um flerte e olhe la, porque o cara teve varias oportunidades para te abordar e não o fez.

    Ele estava trabalhando sim, mas pelo número de encaradas que você deu já estava na cara o seu interesse, então ele poderia ter aproveitado um momento qualquer e pegar o seu telefone para falar depois do trabalho.

    De duas uma……ele não se tocou, ou não levou a sério, então por favor esqueça todo esse romance que ficou na sua cabeça.

    Pode ser o caso dele ser timido, mas isso é uma possibilidade pequena e que não afeta o final. Vocês mal tiveram 4 linhas de dialogo pelo que eu percebi, então não houve esforço da parte de ninguém.

    O melhor a se fazer é seguir em frente e tentar ser mais confiante de si e nas suas decisões, para não ficar arrependida depois.

    Não é errado ouvir o que nossos pais falam, mas se isso vai totalmente contra o que achamos certo para nós, é de se pensar. Nem sempre eles vão estar certos, então é melhor errar fazendo o que é melhor para nós.

    • Mariana Cobra

      Também acho que ela é novinha, tímida e tem mil regras impostas pela família como condutor das decisões dela.
      E não acho que o moço seja tímido…talvez não quis abordar, não prestou atenção ou isso acontece sempre…vai saber.

      • Jps

        É então. Depende de quanto atraente ele é.

        Arrisco a dizer que ela deve ter uns 16/17 e ele maior de idade (22+), então por isso nem a levou muito a sério.

        Em todo caso, também acho que ela devia se soltar um pouco e ser mais corajoso….nem que for para um próximo caso.

        • Bell Waltzi

          No meu caso se olhar mais de uma vez, vou na hora, nem que seja pra levar um fora, mas deixar passar, nunca!
          Concordo com vocês com a idade da moça, mas já aconteceu comigo um caso desses com uma mulher mais madura e quando cheguei, fugiu! Às vezes a troca de olhares não é suficiente para surgir algo e se um dos dois não tomar a inciativa fica ainda pior. Gosto quando uma mulher fica me olhando, que puxa papo e que se quiser, dá em cima, pois a vontade não deve partir só do homem.

          • Jps

            É então, mesmo que a menina desse um fora no cara, pelo menos ela saberia que ele estava interessado. Nem isso ele demonstrou.

            No caso deles ainda, a menina ficou encarando por vários dias.

            “Gosto quando uma mulher fica me olhando, que puxa papo…”

            Também curto, mas se pelo menos ela for acessivel quando a gente a abordar (se ela estiver interessada, é claro) já seria 10x melhor. O problema é que rola muita questão de “não ser facil”, “o homem é responsável por 100% da abordagem” e acaba que muita gente perde a chance de conhecer novas pessoas

          • Bell Waltzi

            “mesmo que a menina desse um fora no cara, pelo menos ela saberia que ele estava interessado. Nem isso ele demonstrou.” Concordo com você, Jps! O camarada viu e percebeu o interesse e ficou moscando.
            Sou do tipo de converso com todo mundo, que dou atenção pra todo mundo e se for mulher então, melhor ainda rsrsrsrsrs

  • Gomes

    hahahahahahahahahaha. que imaginação é essa hahahaha.
    já tem 3 filhos e esta aposentada.
    olha, quando vc quer uma coisa tente não dar mais importância para os “pré conceitos” sociais aos seus interesses ou caso assim não seja vc viverá de sonhos e frustrações.

  • Franciele

    Leitora, isso que te aconteceu é resultado da castração
    psicológica, responsável por esse impulso de se reprimir para parecer uma “moça
    de respeito”, aliada a timidez, da qual resulta esse medo de não agradar.

    Infelizmente, tenho duas más notícias: tenha tu qualquer
    conduta, será criticada em algum momento pela postura que adotar, afinal, nunca
    dar o primeiro passo poderá te fazer parecer presunçosa aos olhos de alguém, ir
    conversar poderá te fazer parecer fácil para um e interessante para outro,não
    demonstrar interesse sexual explicito te tornar-a sem sal para algum outro e
    demonstrar segundas intenções te fará puta para uns e a mulher ideal para
    outros, embora esses sejam minorias, mas acredite também eles existem.

    Portanto, escolha o modo de agir que mais combina contigo e
    teus desejos, entendendo que nunca vai ser bem vista por absolutamente todas as
    pessoas, nem conseguir agradar todo e qualquer rapaz queapareça na tua vida.

    Quanto ao caso em questão, entendo que muitos namoros“modernos”
    começam de forma análoga ao teu caso, abstração feita do exagero romântico, por
    existir hiper dimensionamento das parcas informações que se tem sobre o outro,
    por isso é importante se libertar desse hábito de ficar criando histórias na
    tua mente sem nada de concreto que as torne pelo menos plausíveis.

    Tu pergunta como conduzir essa situação; eu aconselho que use
    essa habilidade pronunciada de imaginar a teu favor, imaginando como seria
    desconfortável se ele fosse o oposto do que tu gostaria em um parceiro, por
    exemplo, interessado apenas em sexo; com pouco tempo esse tesão, sim o que tu
    sentiu por ele foi apenas atração física, mas, como moça decente não pode
    sentir isso, inventou uma história, passará sem sofrimento.

    Aconselho que, para os próximos flertes, tu dê aos acontecimentos sua devida importância, esperando realmente conhecer a pessoa para criar maiores
    expectativas, compreendendo que para se relacionar tu precisará despertar e demonstrar interesse, não
    havendo nada de errado nisso.

    Nesse caso tu poderia ter feito o comentário sobre o café,
    mas ter estendido a conversa perguntando se ele tinha alguma história engraçada
    ocorrida naquela portaria, porque, nessa primeira conversa poderia descobrir que ele não era nada do que tu imaginava e, se
    ele te achasse fácil, restaria agradecer a Deus, ao universo ou a qualquer
    força superior ter sabido logo que ele não te merece.

    Tire da cabeça essa ideia que se uma mulher é rejeitada a
    culpa é dela, porque, como disse acima,
    qualquer conduta pode gerar críticas.

    • Franciele

      Lembrei agora de uma história pessoal acontecida em hospital:
      Em 2012 eu fiquei 15 dias internada por conta de alergia alimentar; no segundo dia apareceu um enfermeiro bonito de rosto e de corpo, justamente no turno da noite, providencial, não acham?
      ele me olhava, eu olhava de volta, e mamãe alí, rs; até que o dito cujo resolve perguntar se me conhecia de algum lugar; oi! Só rindo de um clichê desses, mas eu, vermelha de vergonha mas com a desculpa do efeito colateral do corticoide que ele tinha acabado de trazer, continuei o papo perguntando se ele fazia academia, o que foi confirmado e me deu chance de dizer que o corpo desle estava bonito, definido sem ser exagerado, e mamãe ali.
      No outro dia mamãe comentava que achou o enfermeiro um amor, enquanto eu respondia que o achei apenas gostoso, porque gentil ele poderia ser com qualquer uma, afinal, era o trabalho dele.
      Fico pensando, leitora, tu com uma aproximação tão explicita como a minha, sairia do hospital crendo-se noiva do cara, que tanto no meu caso quanto no teu, viu o contato, embora diferente, como meio de massagear o égo, mas eu, diferente de ti, aproveitei para fazer o mesmo, afinal, estava sendo elogiada inchada de corticoide, com o cabelo emcebado e uma buterfly enorme no braço.

    • Mariana Cobra

      Show

      • Franciele

        O comentário, a história ou as duas coisas?

        • De olho no corpinho do enfermeiro né rsrs, fiquei até ruborizado aqui com essa história.

  • Aline

    Moça, isso foi mais uma das milhares de paixonites que temos ao longo da vida. Vc parece fazer o tipo mais tímida, então dar em cima do moço no horário de trabalho dele não é algo que vc seria capaz de fazer nem se quisesse, ainda mais por vergonha do que sua família pensaria de vc. Aprenda a relaxar um pouco e não se cobrar tanto, pois ou essas coisas rolam naturalmente ou nem deveriam acontecer.

    No seu lugar eu pararia de alimentar essa fantasia e seguiria em frente.

  • Bell Waltzi

    Uma vez na academia estava eu e mais três amigos treinando quando surgiu o papo de estudar para crescimento profissional. Eu e mais dois trabalhamos com tecnologia e o quarto disse que queria fazer faculdade na área. A conversa estava fluindo quando uma garota, morena, cabelo lindo, olhos castanhos, 1.75 entrou na conversa dizendo que era da área de TI, mas que queria estudar Direito. Papo vai, papo vem, atrevido como sou, já levei a conversa para outro rumo, falei da tatuagem que ela tinha nas costas, que era do Batman e perguntei se ela era Nerd por gosta de TI e ainda curtir o Batman, daí ela riu e disse que não. Ainda falamos sobre música até a hora que tive que ir embora. No outro dia quando já estava na academia treinando, ela chegou e quando me viu veio falar comigo, me deu três beijinhos e foi fazer o treino dela. Aquilo já me deixou com aquele ar de “já tá no papo”, ledo engano, pois no outro dia ela apareceu com um cara, que seria namorado dela, aos beijos e carinhos na academia e apenas me disse um oi. Fique frustrado, porém depois fiquei de boa, pois percebi que ela foi apenas gentil comigo e que não deveria ter expectativas quando a acontecer algo entre nós.

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      De onde será q surgiu essa ideia d que mulher simpática = está no papo? É comum, mas nunca entendi direito o sentido disso, sinceramente kkkkk

      • Pudim

        É aquele velho rótulo da mulher simpática que está dando mole, quando na verdade é “sou legal assim mesmo e NÃO estou te dando mole”.

      • Bell Waltzi

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Também não sei onde surgiu, mas ainda bem que não parti pra cima e fiquei na minha, caso contrário, teria sido um fora mais que merecido.

      • Marcel

        Isso é mais que simpática, foi lá puxar assunto com ele, ele não estava errado de achar que ela queria alguma coisa.

  • Stanley Lewis

    Leitora, escreva um bilhete com alguma forma de contato, vá lá e entregue o bilhete diretamente a ele. Daí é só aguardar.

  • Denilson

    Vc tirou toda essa história de uma suposta, troca de olhares ? Minha filha já pensou em ser escritora ? rs

    Se ainda quiser ir em frente com isso, siga o conselho da Mari, escreva seu nome e telefone num papel e entregue pra ele, na cara de pau mesmo, se ele entrar em contato vcs desenvolvem o papo, se não entrar, segue o fluxo.

    Só não fique criando expectativas, pq ele sendo bonito como vc disse, pode ser q seja comprometido, ou que queira somente sexo contigo, afinal de contas, vc não deve ser a única q se sente atraída por ele.

  • Leitora, é nos locais mais inusitados que o amor resplandece.
    Tudo bem que no seu caso foi na portaria de um hospital, cheio de pessoas doentes ao redor, mas algo aconteceu ali entre você e esse misterioso porteiro.
    Eu desconfio que ele seja um homem solitário que não vê a hora de viver um grande amor.
    Ele não sabe como ir até você, mas você sabe exatamente aonde ele está.
    Siga seu coração, faça você mesmo o seu destino.

  • Joao

    texto do tamanho do mundo ainda coloca um viadinho de olhos azul de barbinha que bosta de Homem kkkkk

    se vc gosta do cara chupa ele da CU tem tanta merda que vc pode fazer para saber se o viadinho azul gosta de vc resumindo da porra da buceta e talvez ele fica com vc.

  • Lily Pi

    Típica história dos livros Sabrina ( que por “coincidência”, ou não, são voltados para um público bem adolescente. Moça, já analisou que a senhorita se encantou e se apaixonou foi pela história sedutora e envolvente que criou na sua cabeça? Se a senhorita for adolescente é natural toda essa fantasia e insegurança, faz parte do amadurecimento o aprendizado do flerte e a superação dos medos. Já se for uma mulher adulta, eu preocuparia mais, não seria o caso de ter mais interações sociais ( sair com amigos mesmo), flertar mais e buscar novas experiências para amadurecer e saber lidar e reconhecer as diferenças entre expectativa versus realidade. É lindo se imaginar loucamente apaixonada nos braços de um homem misterioso que lhe oferece um olhar cheio de promessas e juras, mas nós já sabemos que o mundo não é exatamente assim (com homens rústicos e inalcançáveis dispostos a conversar trivialidades enquanto o seu olhar nos fazem juras e prometem segredos incríveis). Sendo objetiva: Se você for uma adolescente esta paixonite é passageira como diversas outras que virão e acredite seu encantamento é por sua fantasia e não pelo homem que a materializa, já se for adulta já é o momento de construir relacionamentos sólidos e amadurecer e deixar suas inseguranças para trás.

    • Nossa, livros Sabrina! Me lembro quando peguei um dos meus pais kkkkkkkk

  • Lo Lo

    Há uns 3 anos, uma escrivã recém empossada em seu 1 plantão comigo ficou visivelmente encantada por um playboy traficante cheio de sorrisos, carinha de anjo e muito bom de lábia.. fico impressionada como muitas de nós ainda veem toda uma história de amor com final feliz onde só existiu um pouco de conversa e gentileza (até forçada no caso do bandido) e ainda se sentem culpadas por não ter “criado” alguma oportunidade ou situação para realizar seu amor a 1 vista.