5 coisas que não te contam sobre o casamento

46

Sempre olhei com desconfiança a instituição do casamento, até mesmo porque todos os meus exemplos ou não eram bons ou se faziam de bons. Desta forma, nunca pensei, cogitei ou quis casar. Assim, durante quase três décadas, vivi por mim e para mim, sem a preocupação de buscar por algum príncipe encantado.

Por nunca ter prestado muita atenção a detalhes relacionados ao casamento, sempre me perguntei: “por que as pessoas vivem mal juntas?” Aí comecei a pensar que os casados estão lá infelizes, se fodendo e querendo ver todo mundo na merda, por isso faziam a propaganda: “case-se é tão bom e legal!”

É triste, eu sei.

O que quero mostrar é que eu não estava preparada para morar junto com ninguém e, quando aconteceu, foi um baque para mim, então talvez esse post possa te preparar para as coisas que não te contam sobre ser casado(a).

Antes de tudo, peço que reflitam sobre três questões básicas:

  1. Você sabia dividir a bolacha (biscoito?) ou lanche com os amiguinhos?
  2. Conseguia emprestar a bike pro irmãozinho dar uma volta?
  3. Sabia que impreterivelmente teria que passar a vez quando morresse ou passasse de fase no Mario World?

Se respondeu NÃO a 1 dessas três questões, NÃO CASE!

Sabe o porquê de tantos matrimônios falidos? Nem todo mundo tá pronto pra casar. São ótimos namorados e noivas, mas péssimos maridos/esposas. O casamento não é para todos, mas a sociedade vai nos empurrando pro “precipício” kkkkkk.

Assim, vos presenteio com 5 coisas que não te contam sobre o casamento:

1 – Família pé no saco

Já ouvi algumas pessoas afirmarem “não me casei com a família dele” e pensei na hora: “que burrice tremenda, alguém salve essa alma perdida!”. Sim, casamos com a família e ignorar isso só trará sofrimento, desentendimento, estresse emocional e muita merda.

A única vez que eu propus terminar meu relacionamento com o mozão foi por causa da convivência dele com os meus pais numa época crítica, quando ele disse “nunca mais vou à casa dos seus pais”. Quem acompanha o blog e já leu uma coisa ou outra que comentei, sabe que os meus pais achavam que ele não era pra mim. Na época, ele não estava errado, porém, eu disse: “jamais vou abdicar dos meus pais, nem por você, nem por ninguém”.

Nos acalmamos e ele entendeu o meu ponto de vista. Certas vezes temos que engolir nosso orgulho, nos colocar no lugar da pessoa que está lhe ofendendo e fazer um exercício de empatia.

Não temos e não podemos nos desvencilhar do núcleo familiar primário (pai/mãe/irmãos), portanto, você terá que saber conviver com as diferenças e entender que não está entrando num território inimigo e que não vai dividir ninguém, na verdade você está somando a família do seu mozão ou amorzona.

Sem contar também que qualquer pessoa em sã consciência deve analisar que a criação da pessoa veio da família, assim como os hábitos do dia a dia. Ou seja, a família vai estar lá contigo mesmo quando não estiver (se é que vocês me entendem).

Assim sendo, imagine cada encontro familiar, cada almoço de domingo serem recheados de caras de bunda de quem não quer estar ali? Imagine isso por longos 10, 20, 30 anos. Então o negócio é levar de boa e ser gentil com todos, curtir esses momentos, apoiar seu companheiro(a) mesmo com aqueles(as) que não merecem um único pingo de gentileza.

2 – Privacidade: hora da caquinha

Gente, vocês não tem noção do quanto o meu intestino era tímido. Não conseguia imaginar fazendo caquinha na mesma casa que ele kkkkkkk.

Até que você vai morar junto e impreterivelmente a hora da caquinha vai chegar. O banheiro vai feder e ele vai entrar LOGO EM SEGUIDA e você vai fazer aquela cara de pastel de feira.

Eu tenho uma amiga que, até a pouco tempo atrás, ia ‘cagar’ na casa dos pais, até que um dia deu uma zica de noitão e não teve jeito. Foi um sofrimento tão grande e desnecessário, né não? Todo mundo faz cocô e xixi gente, o negócio é não fazer caquinha de porta aberta kkkkkkk.

Portanto, a sua privacidade entrará em conflito com a privacidade dele. Às vezes você estará tomando um banho de boa, relaxando, precisando que a água leve seu cansaço no silêncio e quem entra no banheiro e invade o seu chuveiro? Sim, o mozão.

Depois de um tempo, se ele para de invadir, você sente falta kkkkkkk.

Também vai acontecer dele estar lá ocupando o banheiro e a sua barriga dar um nó que vai te pedir para que os céus abram uma latrina na sua frente. Se você morar numa casa/apartamento com mais de um banheiro, tá fofo, mas se for que nem eu. Ferrou-se…

Assim sendo, eventualmente, você vai soltar um peidinho ou arroto na frente do mozão, vão rir disso e bola pra frente.

3 – Casal “trás pão”

Desde o início da nossa convivência marital, decidi que eu não queria ser um “casal trás pão” e amava demais namorar pra deixar as coisas ruírem ao nível “trás pão”.

Vejam só, o casal “trás pão”, só se conversa pessoalmente (ou nem isso) e, quando estão longe um do outro, se comunicam apenas para avisar sobre algum fato relevante, pedir um favor (trás pão) ou falar que alguém morreu.

Já um casal de namorados, tem a maior propensão a ser gentil no decorrer do dia. De mandar um beijinho gratuito, de encaminhar uma foto fofa, dizer eu te amo gratuitamente e de forma inesperada. Então por que cargas d’água eu deixaria a nossa rotina nos transformar no casal “trás pão”?

Nesse sentido, saiu uma matéria essa semana no UOL na coluna da Lia Bock sobre como os casais param de beijar e essa é uma realidade de MUITOS casamentos. A rotina engole tanto os casais que eles se esquecem de como era a rotina anterior e como eles se tocavam mais, se tratavam com mais gentileza e como eram mil vezes mais amorosos.

Como se já não bastasse ser “casal trás pão” e parar de beijar, descobri, em algumas conversas informais e na observação da vida alheia, que existe um comportamento muito comum: ser grosseira(o) com o marido/esposa e isso tá mó errado. Você pode ter a capacidade de dizer “vai à merda” com gentileza e a pessoa não vai se ressentir e jamais se esqueça de tratar o melhor possível a pessoa que está ao seu lado. Vejo muitos tratando amigos e colegas de trabalho com mais zelo que a pessoa que dorme junto todo dia.

Então, para que você não seja um casal “trás pão”, crie rotinas:

Rotina pela manhã ao se despedir: Nada de beijinho, tô falando em beijão, em língua, em sair de casa descabelada. kkkkk

Rotina no reencontro, demonstrando saudade e perguntando como foi o dia de seu parceiro(a).

Rotina enquanto você ou ele está no fogão ou outra atividade doméstica: Agarre, boline e beije muito.

E GENTILEZA. Seja gentil. Afinal, gentileza gera gentileza.

4 – Hora da naninha

Ah, dormir agarradinho, mas que delícia cara! Só que nem tanto kkkkkk

Dormir junto foi a maior problemática que tive ao dividir a minha cama, pois eu tenho o sono leve, sou espaçosa, tenho hábitos noturnos estranhos e pareço uma idosa de 85 anos incomodada com barulho.

São vários problemas relacionados à hora da naninha, mas destaquei 4 principais:

Problema 1 – empurrar o mozão mais pra lá e quase derrubar o coitado;

Problema 2 – ronco no ouvido. Às vezes ele quer ficar agarradinho (delícia), mas fica roncando no meu ouvido;

Problema 3 – ele rouba o edredom;

Problema 4 – meu nariz entope no ar condicionado e eu fico sempre com receio de acordá-lo na hora de assoar o nariz;

Contudo, quando durmo sozinha, todos esses problemas fazem uma falta do cacete!

5 – Tá bom, tá bom, tá bom

Tem coisa mais chata e irritante quando alguém quer terminar uma discussão e começa a dizer “tá bom, tá bom, tá bom” e você ainda não terminou de brigar? Kkkkkkk

Duas pessoas diferentes convivendo sob o mesmo teto não é moleza e exige muito jogo de cintura, muito diálogo e paciência um com o outro.

Há alguns minutos estava conversando com uma colega de trabalho e perguntei: “Pra você, qual a maior dificuldade em ser casada que não te contaram antes do casamento?”. Ela citou a intimidade (banheiro), conversamos sobre dividir a cama e concordamos que realmente é difícil, mas pra ela o pior foi o “tá bom”.

Essa amiga é casada há oito anos e destacou que conviver com alguém com uma personalidade muito diferente é um desafio do caralho.

Ela é toda pra frentex, enquanto ele é todo retraído e guarda para si as raivas do dia a dia. Obviamente que conflitos aconteceram e, quando eles brigavam pelos motivos mais variados, ele não conseguia se expressar e dizer as frustrações, ou melhor, se recusava a discutir e vinha com o discurso do “tá bom” enquanto ela se debatia e se irritava por querer conversar e expor o que a incomodava.

No decorrer desses oito anos, ambos tiveram que aprender a dialogar para viverem bem. Assim, o destaque desse tópico foi ela ter ensinado ele a dialogar.

Quanto a mim, não tenho lá grandes problemas com diálogo, pois conversamos muito e sobre absolutamente tudo, mas de vez em quando eu fico puta com ele e não sei dizer no momento certo o que me emputeceu. Eu meio que demoro a descobrir por que estou possessa ou como me expressar corretamente para que ele saiba que estou braba. Tenho comigo que ele não é obrigado a desvendar meus pensamentos e sentimentos, cabe a mim dizer, mas e quando esses pensamentos e sentimentos estão confusos? O que fazer?

Não sei e nem ele. Descobri recentemente que algumas atitudes minhas o irritam profundamente, mas como eu poderia adivinhar que pedir um copo d’água o deixa ressentido? kkkkkk.

Ou seja galerinha, tenham paciência, saibam ouvir e saibam falar, visto que viver com outro alguém lhe trás momentos lindos de autodescoberta e é um prazer imensurável partilhar a vida ao lado de quem se ama, ainda mais quando tudo flui com naturalidade, paz e harmonia.

Instagram
Share.

About Author

Mari Cobra

Intolerante à lactose, bem cuzona, nunca disse que sou legal, tenho um coração grande e geralmente tomo na tarraqueta, geminiana e fodidamente indecisa. Apaixonada pela vida e falo muito palavrão.

  • Uma coisa que indico para as migas “prafrentex” que se casaram/namoram com os tímidos é sempre estimulá-los a falar “mal” das coisas (inclusive de você também kkk). Se a pessoa não tiver razão, vc tem direito de resposta, mas se ela tiver razão, concorde, “calaboca”, agradeça a dica (não existe “levar para o pessoal” em vida a dois) e fica de boas.

    Parece bobagem, mas ajuda mt uma pessoa “tímida” a ser menos tímida pq muitas vezes, ela só não fala nada pq tem medo de treta, de vc fechar a cara, ficar 15 dias sem conversar, “se vingar”, etc kkk. Se vc mostrar q tá tudo bem, o processo natural é ela ficar “menos fechada”

    Afinal de contas, 90% dos tímidos/fechados são assim a depender da pessoa/contexto e diferentes com quem cativa algo diferente.

    Palavra de quem já criou alguns monstrinhos kkkk

    • Pudim

      Nada melhor pra quebrar a timidez do que falar sobre algo que nos deixe à vontade (e não só reclamar das coisas hahahaha).

      Se o assunto nos tirar da zona de conforto, é só ir aos poucos.

      • Só reclamar das coisas não adianta nem com quem não é tímido kkkkkkkkkk cruzes

        • Pudim

          Pois é, criadora de monstrinhos! hahahaaha

          • Nem me fale kkk Agora mesmo o Thi viu umas fotos de divulgação da Embelleze q recebi por e-mail e falou: Nossa c saiu larguinha heim? Q q c fez? Eu falei “to gorda?”. Ele “não, mas saiu bem larga” Kkkkk

            Aí tb teve um making off (esse Vo mostrar p vcs, mas se quiserem mostro as fotostb kkkkk) e ele: c tava cansada?

            Porra, acabou comigo duas vezes kkkkk, mas pelo menos disse q eu era a mais bonita p não me escorraçar d vez (espero q essa não tenha sido por caridade kkk)

            Mas eu tb acabo achando legal pq na hora fico triste, mas depois vou aprendendo sobre técnicas de respiração p não parecer tão cansada, sobre roupas q valorizam (essa parte ainda me bato demais kkk), ou até mesmo sobre angularem. Tipo q apesar d tudo, quando a gente sabe q a pessoa só quer o nosso bem, a gente aceita e até estimula ela a ser assim. Mas né? Pensar q era um tímido q não falava nem nada kkkkk

            PS: Ele tb me ajuda com o cabelo e “manda desgrudar da cabeça” quando tá baixo demais. Brinco q tá ficando q nem meu best gay e q é p voltar a ficar calado quanto tá demais kkkkkk

          • *quando

          • Pudim

            Você deu corda, tá vendo? Agora é trollada pelo próprio namorado! hehehe

            (mas é o tipo da coisa que eu faria, só pra provocar! HAHAHAHA)

          • Mas ele nunca fala “só pra me provocar”, ele fala pq ele realmente acha mesmo kkk (outro soco pra mim kkk).

            Só que também tem coisa que ele não entende:

            -Tipo que por ex as vezes o cabelo tá até bonito ao vivo, mas “murcha” na foto.

            – Ou que vai ter ângulo que vou sair bem pior do que estava ao vivo sim, e não é q eu fiz ou deixei de prestar a atenção em algo, mas sim que é muita gente “em cima da gente” e simplesmente não temos o controle de tudo o tempo inteiro (ele acha q não prestei atenção kkk).

            – Ele tb não vê que uma gravação durou sei lá, o dia inteiro, sendo que no dia anterior nem sempre deu pra dormir. Ele só fala: “e essa cara de casada aí”? kkkk

            Mas eu entendo pq geralmente viajo sozinha e ele não tá lá pra ver todos os prós e contras (parece só glamour, mas é um trabalho da porra tb kkk), daí é fácil “só dar os conselhos a respeito de como deveria ter sido” kkkk.

            Só que, por sua vez, eu tbm peço pra ele ser exigente com as coisas q ele sabe q tenho como meta, sabe? É complexo kkkk

            Enfim, todo esse debate q tivemos foi por causa do último trabalho q devo postar hoje a noite no blog kkkk
            Mas assim, ele amou o resultado (e eu tb!), só fique claro que é pq ele pega TODOS os detalhes e não me perdoa em nada, mas eu tbm peço para que ele me “cuide” nisso kkk

  • Tá devendo tanto assim? Kkkk

  • Stanley Lewis

    “Eu tenho uma amiga que, até a pouco tempo atrás, ia ‘cagar’ na casa dos pais” What??? Como assim?!?! A pessoa não quer cagar na própria casa pra não ficar “constrangida” na frente do marido? kkkkkk

    • Mariana Cobra

      Absurdo, mas era exatamente isso!

      • Stanley Lewis

        Isso é uma pena, já que a graça de um relacionamento é poder compartilhar os momentos e rir juntos. rsrs

  • Pudim

    Eu ri do “tá bom, tá bom, tá bom” porque eu era meio assim com uma ex que tive. Ela era bem invocada (com tudo) e quando ela começava a resmungar e reclamar de alguma coisa, eu falava “tá bom, tá bom, tá bom” HAHAHAHAHA

    Sobre o item 2: tô nem aí. Se tiver que fabricar uns churros no banheiro dela, vou amarradão.

    Jamais eu seria um casal “traz pão”. Adoraria fazer todas as graças que você citou. XD

    Dessas todas, a família, de longe, é a mais complicada. As outras, de um jeito ou de outro, a gente dá um jeito de contornar.

    Eu já passei dos 40 e ainda não casei. E talvez nem case porque não encontrei ninguém que goste de verdade de mim (e vice-versa) e isso me levou a me acostumar a ficar sozinho. Também não tenho medo de que isso aconteça. O que às vezes enche o saco é que a minha solteirice parece incomodar mais os outros do que a mim mesmo.

    • Mariana Cobra

      Quanto mais velhos, mais intolerante à chatice alheia, então vc se torna mais seletivo, criterioso e qqr coisa lhe afasta. De qqr forma, antes só que mal casado e infeliz!

      Os outros que se lasquem com as opiniões.

      • Pudim

        É bem por aí. O que mais vejo é amigos casados há anos, mas vivem pulando cerca ou então que já se separaram.

        • Os casados que pulam a cerca são os mais engraçados. E geralmente são os que mais querem nos ensinar sobre “o como se casar no molde tradicional é maravilhoso”. Claro, eles nunca se casaram kkkkkkk

          O mesmo vale para pessoas q nos ensinam sobre ter filhos, mas acham que ser pai/mãe é só morar na mesma casa e pagar as contas das crias. E ainda nos ironizam pensando que a gente que não sabe de nada.

          É um dando pitaco na vida do outro, mas mudar a merda que vive que é bom nada =( kkkk

          Tô contigo pudim: se nenhuma mulher mereceu se casar contigo, que morra solteiro e te chamo pra tomar uns sucos com a gente kkk s2 s2 E se eu tbm ficar solteira, a gente junta um grupo maior ainda e joga truco kkkkkkkkkk

          • Mariana Cobra

            Antes só que mal casado e infeliz! To com vcs nessa de tomar suco e jogar truco kkkkkkk

            Independente de ser casado, solteiro, viúva ou o kct a 4, o negócio é ser feliz sem prejudicar ninguém.

          • Tudo bem q a gente gosta da vida de casado/namorido, mas já pensou que loko também seria caso tudo na nossa vida desse errado, aí a gente se juntava na “mansão dos solteiros”?
            Ai ia ter mesão do truco, espaço pra relaxamento pra quem encheu o saco da turma, sauna, piscina, tudo normal kkk
            Dai a gente tretava um pouco tbm (faz parte em toda família), mas no fim, a gente faria as pazes (quem tá errado dá o primeiro passo como regra kk) e não faltaria amor
            Dai a gente tb se cuidaria na velhice, faríamos altos esquemas e ninguém sofreria com a tão temida solidão kkk

          • Mariana Cobra

            E isso existe! Há uns dias li uma reportagem sobre república para idosos, onde eles dividem tudo, mantém a privacidade, mas não se sentem solitários. Achei muito legal!
            Se no fim tudo der merda da pra pensar nisso aí kkkkkk

          • Podemos pensar nisso até casadas kkkkk

            Aí fica tipo colônia de férias dos casados? Kkkkk

          • Pudim

            Isso aí, Mariana. As pessoas pensam que a gente é infeliz por estar solteiro, mas não é bem assim. Estar sozinho é um aprendizado diário sobre nós mesmos. Se a gente não se conhecer bem, não vai conseguir estar com ninguém.

          • Pudim

            Ah, não! Você solteira eu não vou guentar não! Fica com o Thiagão, senão vou dar em cima de você! (do meu jeito tímido e ruim, mas vou)

            Mas chama sim! Mas suco não, né? Vou levar cerveja! E truco também não, porque eu não sei jogar. XD Vamos jogar um buraquinho, que é jogo de velho! HAHAHAHA

          • Partiu buraco !!

            Levo o suco e vc a cerveja e a Mari leva sei lá oq kkkk

          • Pudim

            Fechou! É nóis então na República dos coroas solteiros! hauahuha

          • M Holmes

            Quero tbm fazer parte deste time, pq tô percebendo que casamento tá difícil. huahauahauiuaha

          • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
            chega mais Holmita do meu coração s2 s2 s2 kkk

    • NaT

      Eu amo Pudim!

      • Pudim

        Todo mundo me ama. Afinal, eu sou um doce. =)

        • kkkkkkkk essa foi boa de tão péssima kkkk

        • NaT

          Vou te amar pro resto da minha vida…

          Fica a dica….

          • Pudim

            Sou um doce inesquecível! hahahahaha

  • Mariana Cobra

    Até bosta boia kkkkk

    • Rodrigo Silva

      Definiu ainda melhor! Hahahhahahahhaha!

  • 1) Sim, realmente a família da sua esposa/esposo fará parte da sua vida. Ou você se “dá bem” com a família do seu cônjuge ou siga a vida em outra direção ( Não case ou divorcie ).

    2) Ter privacidade é algo essencial. Não é porque está casado que deve fazer tudo junto ( inclusive usar o banheiro ).
    Por exemplo, se a sua esposa quer assistir na TV algo mais voltado ao público feminino, deixe ela sozinha e não intrometa. O mesmo ocorre se o esposo quer assistir um jogo de futebol ou luta do UFC. Se for um conteúdo que ambos queiram ver, ai está na hora de deitarem juntos no sofá.
    Tenho 15 anos de casado e recomendo ao menos 3 pontos completos de TV/Internet na casa.
    Trabalhe por isso.

    3) O raciocínio está correto mas tudo deve ocorrer de forma “não mecânica”.
    O casal deve procurar ser naturalmente como “eternos namorados”, mas sem a palavra rotina embutida.

    4) Aqui está o item que eu considero o maior erro e o que mais desgasta um casamento.
    Pense comigo:
    Você está casado e começara a dormir na mesma casa todos os dias com o seu cônjuge. No início do casamento é uma delícia deitar na mesma cama, sentir que tem alguém do seu lado.
    Porém com o tempo, de forma imperceptível, dormir junto vai minando a relação.
    Imagine que você já está há 10 anos casado, talvez você tenha filhos, você envelheceu e o trabalho e a rotina ficam mais pesados. Dormir é essencial e o sono nem sempre é profundo.
    A temperatura ambiente não agrada homem e mulher ( alguém passará frio ou calor ).
    Qualquer barulho pode atrapalhar uma noite de sono essencial e seguir a rotina pesada sem descanso não trará bons resultados. Uma irritação interior vai silenciosamente se acumulando.
    Dormir é para mim um momento de privacidade também e como tudo no casamento, tem o seu momento de se fazer junto.

    5) Diálogo sim, mas não queria transformar o seu cônjuge em um super amigo. O casamento precisa de sexo constante e ficar com excesso de afinidade “fode” com a relação.

    • Mariana Cobra

      Olá sumido!
      Geralmente escrevemos sobre as próprias experiências e sobre coisas que observamos ou estudamos.
      Cada ser humano é único, portanto, essa unicidade faz com que cada casal funcione de determinada maneira.
      Na minha experiência pessoal posso te trazer algumas considerações adicionais e quem sabe vc tbm entende pela minha perspectiva…

      2 – ter mais de um ponto de TV arruinou a convivência familiar na casa dos meus pais, por isso, sou contra ter mais de uma TV ou TV no quarto. Qdo tínhamos somente uma televisão, a noite era O Momento de nos reunirmos e conversarmos. Era um saco, pois a programação ficava engessada. Porém, depois que cada um conseguiu seu espaço, deixou de existir essa convivência sadia. Acabou as discussões sobre jornal, novela, filme e isso era o que tínhamos de mais legal. Sabe oq veio depois? Cada um no seu canto, isolado. Detalhe: meus pais tem 36 anos de casados, não 15.

      3 – a rotina (ainda mais com filhos) pode te engolir. Então criar hábitos pode ser a única solução pra manter o clima de namoro. Não se esqueça que vc não é regra, é exceção, pois o dinheiro compra tempo.

      4 – dormir separado..se funciona pra vc, ótimo. Se pra alguns morar em casas separadas tbm funciona melhor q o tradicional, perfeito!
      Pra mim (Mariana) dormir na mesma cama é a melhor coisa do casamento e existem pesquisas que dizem que dormir ao lado de quem se ama libera enzimas e o hormônio da felicidade, deve ser pelas questões de aconchego e segurança, vai saber…

      5 – se vc não for amigo da sua esposa, não dialogar e não puder dizer tudo, sei lá, pra mim não funciona. E entenda que não é transformar o cônjuge no seu melhor amigo, é casar com o seu melhor amigo, não tem coisa melhor!

      • Entendo sua perspectiva sim e no item 2 e 3 lhe dou razão.
        No item 4 eu recomendo muita atenção pois já analisei isso em diversos casais e tenho convicção de que dormir é sagrado e junto é difícil.
        Eu diria que deve funcionar assim: Nos primeiros 5 anos de casamento dormir junto é gostoso e eu recomendo. A partir dos 5 o casal precisa estar amadurecido e se algum dos cônjuges quiser dormir no outro quarto, sem problemas. Tudo deve fluir sem amarras e recomendo sempre dar um beijo de boa noite antes de ir para o quarto.
        Morar em casas separadas é fora de cogitação. Pode dar certo por um tempo, mas eu estou discutindo sobre casamento para a vida toda.

        Sobre o item 5 muita atenção. Mulheres falam 5x mais que homens e gostam de impor suas conversas ( falam de dieta, artistas, beleza, etc . . )
        Os assuntos não são os mesmos, diálogo é importante mas não queira que seu esposo debata dicas de beleza contigo.
        Ou você vai debater futebol com ele?

        2018 continuarei firme no blog para delírio dos leitores rsrs

        • Mariana Cobra

          To me sentindo segregada kkkkk
          Olha o seu problema, achar q todas as mulheres falam sobre frufrus de beleza enqto homens falam de futebol.
          Cara, eu amo futebol. Sou santista desde sempre e o sonho do meu pai era eu ter feito teste pro feminino do Santos. Massss os preparativos pré vestibular tiveram mais peso.

          Aqui em casa ambos falam sobre produtos de beleza, quadrinhos, jogos, futebol e quase qualquer tema q vc imaginar.

          Por isso te falei, pessoas são pessoas. Oq funciona pra vc, não vai funcionar pro seu vizinho.

          • No item 3 você disse que eu sou exceção, no item 5 eu diria que você é a exceção, pois se conheço 1.000 mulheres, uma debate sobre futebol.
            Mas eu não estou dizendo que o casal não deve conversar, eu converso sobre tudo com a minha esposa, mas não me aprofundo em assuntos femininos. Quando o casal começa a ficar amigo demais e aprofundado demais nos assuntos, viram “super amigos” e o tesão se esvai ( Isso claro em anos de convivência ).

            E falando sobre exceção, percebo que as pessoas (principalmente as mulheres) leem muitas notícias sobre os famosos e acabam vislumbrando o mundo de forma enganosa:
            Por exemplo:
            1 – Famosos sempre viajam para lugares com pouco movimento
            2 – Famosos falam sobre parto domiciliar
            3 – Famosos falam em adotar crianças

            Os 2 primeiros itens são relacionados a privacidade.

            Em 2018 minha missão será ampliar a visão periférica dos leitores do PAUM.

  • Mariana Cobra

    🙂

    Ronco sim e ninguém me impede! :p

    • Pudim

      Serrote! =P

  • Apareça mais vezes e pare de guardar suas dicas pra vc kkkk

  • Pudim

    hahahahahahahahahhaaha

  • Franciele

    Sempre quis casar; não tê-lo feito é a maior frustração que trago comigo.
    Observo que o maior problema dos casais, que abarca os citados no texto e muitos outros, é a síndrome do “tem que”; mulher casada TEM QUE trocar sobrenome, senão pra que casar? sim, isso ainda existe; casal que é casal TEM QUE sair sempre junto; Tem QUE querer comer a mesma coisa no almoço; TeM QUE brigar duas vezes a cada fim de ano para saber onde vão passar natal e ano novo, sendo que muitas vezes as famílias nem são católicas ou evangélicas, rs; TEM QUE dormir junto, mesmo que seja para acordar querendo sufocar o outro porque faz uma semana que ele/ela não te deixa dormir direito; TEM QUE chegar em casa e conversar sobre o dia, quando, muita gente só quer uma horinha de silêncio para recarregar as baterias e depois conversar com mais ânimo; TEM QUE visitar todos os parentes, inclusive a tia do primo do amigo de infância, mesmo que a última vez que ela tenha sabido do casal foi quando voltaram de lua de mel.
    Eu conheço bastante gente cujo relacionamento degringolou quando tentaram fazer as coisas do jeito tradicional, para “se tornarem um casal” aos olhos dos outros, então preso pela criação de uma dinâmica única que leve em conta criação, personalidade e necessidades de cada um e de ambos, mesmo aquelas de cunho transitório.
    Dou o exemplo do irmão de uma amiga que, após namorar 12 anos, passa natal e ano novo longe da esposa, ambos enfiados na casa dos pais e tudo bem; agora que vão ter filhos isso terá que mudar, mas ninguém fica de beiço porque já é o terceiro natal que passamos em tal lugar.

    • Franciele

      Sobre dormir juntos, só a título de informação;
      judeus acídicos, os mmais tradicionais, dormem jntos separados do início da menstruação até o décimo dia após cessar o sangramento; para além de noções, machistas diga-se, de pureza feminina, dizem os sábios que isso cria saudades em pessoas que, de outro modo, negligenciariam oportunidades de fazer sexo, por puro comodismo.

    • Mariana Cobra

      Como já disse ali em cima. Cada casal é único e se adapta da forma que funcionar, não há regras qdo tratamos de comportamento de seres humanos.
      Se pro Eros funciona legal dormir em camas separadas, ok. Tudo oq vc salientou tem seus SEs entende?
      Eu não troquei de sobrenome, não saímos sempre juntos, temos amizades que não se comunicam, assim como “os amigos do casal”. Qdo saímos pra comer geralmente cada um pede seu prato ou qdo coincide as vontades, comemos o mesmo.
      Tenho sorte pq ele não tem lá mtos frufrus como eu.
      Final de ano tbm tá frau pq nem eu e nem ele faz questão de nada. Gosto mesmo é de ficar de boa na minha casa e pro próximo final de ano ja temos duas opções (pasme, aqui no interior o natal é resolvido antes do carnaval). Ou vamos para um rancho e unimos a família (minha e a dele) ou em fevereiro compramos um pacote pra irmos pra praia. Tudo se resolve no diálogo.

      Não existe jeito tradicional, somente duas pessoas que se amam e se adequam uma a outra.

      Oq tentei trazer aqui foi um texto engraçado, genérico e otimista pra quem tá afim de unir as escovas de dentes.

      • NaT

        Acredito que antes de casar existe o período do namoro onde várias coisas podem e devem ser avaliadas. Acredito também no “o combinado não sai caro”.