Por que eu sou “mão aberta”, mas ele é mesquinho comigo?

22

Leitora: Boa Tarde, conheço um garoto desde a minha adolescência, mas só quando eu tinha 18 anos que ficamos juntos. O nosso relacionamento era bem aquela coisa de adolescentes, ficávamos todos os dias na casa dele, eu achava que isso era namoro, mas depois de um tempo, percebi que ele ficava com outras meninas além de mim, e com isso eu terminei com essa relação, mas depois de um tempo voltamos e começamos a namorar.

Eu sempre trabalhei muito, sou independente desde os meus 16 anos e ele até então nunca tinha trabalhado, teve o 1° emprego com 23 anos eu acho, mas o que me intrigava bastante é que eu sentia que bancava a relação e isso me deixava muito frustrada, pois eu não me sentia bem com isso, já ele não parecia se sentir tão mal, muito pelo contrário, ele ainda me induzia a comprar coisas pra gente comer com meu cartão e nunca se importou se eu iria precisar da grana ou não, tivemos uma relação assim por um bom tempo, nos meus aniversários ele nunca me deu um presente ou me levou pra sair, o máximo que ele fazia era mandar uma mensagem me parabenizando, já eu, sempre dei tanto pra ele como pra mãe dele.

Mas enfim, terminamos. Hoje eu tenho 25 anos e ele também, e por vezes a gente se encontra na casa dele, ou melhor, da família. Ele atualmente tá desempregado e, por incrível que pareça, ele parece ter aqueles mesmos hábitos, nessa sexta eu fui pra casa dele e ele foi ao supermercado comprar algo pra nós comermos e gastou 50,00 do meu cartão que eu dei, porque ele disse que não tinha dinheiro.

Eu fico me perguntando, por que será que ele age assim? E por que será que, quando ele tem, ele não me convida pra sair ou fazer algo legal??!

Eu gosto dele, mas ao msm tempo acho isso tão miserável e ele não, muito pelo contrário, se acha o máximo. 

Me ajudem a entender tudo isso por favor 🙏

Miga, eu já entendi tudo: você gosta de agradar, morre de medo de se posicionar e, por isso, na frente dele fala (ou age) como se estivesse tudo bem. Porém, na hora de “reclamar”, reclama pra todos os seus amigos e familiares, menos pra pessoa mais importante: ELE!!

Entenda que quando você faz algo por alguém, a maioria entende que você faz porque quer e que no seu caso, “esse dinheiro talvez não te faria falta”.

“Nossa Luiza, mas eu só queria reciprocidade e um pouco de noção da parte dele”

Te entendo de verdade, porém, você já percebeu que, em geral, o ser humano é um pouco folgado? Que se você vai deixando, a pessoa vai indo, até chegar ao ponto que chegou?

O certo seria você falar que “tá sem grana”, “que dessa vez ele que paga”, ou algo do tipo. Não “pra ver retorno”, mas sim para testá-lo (no bom sentido) e assim ver se ele realmente se importa com você. Ou você acha que, por mais pobre que ele fosse, se ele realmente gostasse de ti, que ele não daria um jeito de te pagar um sorvete ou um miojão que fosse, por exemplo? E nem seria “só por gratidão pelo o que você fez por ele”, ou “por bom senso”, mas sim porque quem gosta, quer agradar: isso é NATURAL e automático de todos os seres humanos – inclusive dos mais folgados do mundo! Nem precisa da pessoa “pensar muito a respeito”. E se ele não pensa…..

Eu sempre falo que as duas coisas mais importantes que uma pessoa pode te dar (ao menos nessa nossa sociedade moderna) é tempo e dinheiro:

  • Tempo porque em um mundo egoísta/antissocial, saber que alguém gastou esse “ouro” pra conversar contigo ou te fazer qualquer outro tipo de agrado, é porque sim, você é muito importante. Ainda mais com esse monte de escolhas que todos nós temos….
  • E dinheiro porque, como hoje em dia raramente alguém dá algo para alguém, significa “que só ganha quem vale” (em um sentido metafórico, claro kkk). Sendo assim, se a pessoa te deu algo, é porque sim, você é importante de alguma forma pra ela: e nem precisa ser um carro não, pode ser um brinquinho de camelô, mas que a fez se lembrar de você, entende? Um telegrama, pombo correio, qualquer coisa que a gente veja que precisou de algum “esforço”, ou de no mínimo “uma lembrança” para ser formulada.

Tem gente que associa o “dinheiro a dinheiro” e o “tempo a tempo”, ou seja, como algo “puro e simples”. Porém, eu vejo essas duas coisas de uma maneira muito mais profunda.

No fim, é como nosso saudoso Samuel disse uma vez aqui no blog (adaptado em minhas palavras):

Ele disse que, quando ele não tá muito afim de uma menina, male mal vai um dogão e uma dolly. Porém, quando ele tá afim…. se esforça, né miga?

Ele tá falando sobre dinheiro? Não. Ele é milionário e por isso “dá algo”? Também não. Ele dá simplesmente porque quer agradar a pessoa que ele gosta. Simples assim.

Resumindo, me surpreende você ainda precisar que alguém te explique o óbvio, porque parece que você só quer se enganar e espera por “uma explicação milagrosa que te faça acreditar que talvez ele goste de você e só houve uma falha na comunicação”, entende? 🙁

Mas vamos lá:

Ele nunca te pediu em namoro (não que isso signifique algo, mas…), também ficava com outras e, por fim, duvido que ele sairia com você se fosse para ter que se esforçar por algo.

Aposto que ele devia sair só pra transar e pra comer (acertei? kkkk). Daí, só te falta se tocar do óbvio e entender que, a partir de hoje, não só com ele, como com qualquer outra pessoa, você tem que PARAR de oferecer as coisas que você simplesmente não quer – ou não pode – dar!! Parece que não é de coração, mas sim que você “quer comprar a companhia”, ou está com “necessidade forçada de aprovação”. Daí depois você só fica se matando de raiva, claro!

A regra é simples: dê quando tá afim e avise quando não pode! Fácil e prático assim…. De resto, não gaste nem 2 minutos do seu dia tentando agradar alguém. Sem contar que, cá pra nós, quando você tirar a mamata dele, acabará descobrindo se ele realmente gostava de você – ou do que você poderia oferecer! Concorda?

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Mariana Cobra

    Tem tantas diferenças de interpretação dos fatos e da sua própria perspectiva que fica difícil definir se vc é iludida ou se faz de boba.

    Vcs ficavam na casa dele todos os dias ou vc ia para a casa dele todos os dias e ficavam?

    Vc dá a impressão que ele é folgado com tudo e todos, mas eu e meu irmão começamos a trabalhar no primeiro/segundo ano da faculdade, pois meus pais priorizaram meus estudos e nem por isso somos folgados.
    Então vc pagar as contas só mostra que vc estava barganhando a atenção dele, não que ele é um folgadão.

    Como um cara induz uma moça independente e fodona? Não induz. Mais uma vez vc se entrega e demonstra que não conquistou o moço pelo coração e nem pelo pinto, vai que cola com o bolso né?!
    Aí vc tentou, tentou, tentou e viu que a compra não surtia os efeitos desejados e começou a ficar puta. Não é coisa de gente doida ter a mesma atitude sempre e esperar resultados diferentes?

    Ainda assim ele nunca te presenteou, ou levou pra sair ou comemorou contigo os aniversários pq ele nunca gostou de vc, simples assim. Por outro lado, vc ainda carrega um caminhão de bosta pelo cara e tenta comprar até a opinião da mãe, vai que ela te apoia e fala pro filho lhe tratar bem né.

    Terminaram e agora vc tem 25 e ainda impõe a sua presença na casa e na família dele, obviamente sem obter nenhum resultado disso, continua tentando comprar a companhia, atenção e por “incrível que pareça ele parece ter aqueles mesmos hábitos” (assim como vc).

    Eu não me perguntei em nenhum momento pq ele age assim, mas pq VC AGE ASSIM?

    • Nussa, vou apagar a minha resposta e colocar essa miga kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      matou a pau, arrasyany, como dizem por aqui kkkkkkkkkk

      • Mariana Cobra

        To esperando outros comentaristas kkkkk não seja afoita, sempre vem um que explana com outros olhos kkkk

        As nossas próprias experiências prove esse olhar. Tiro por mim mesma, pois varias amizades minhas vieram pelo oq eu podia oferecer e foram qdo eu percebi o pq estavam ao meu redor.

        A minha diferença da moça é que eu não comprava atenção, percebi a tempo a intenção e me esquivei dos que aproveitam. (Quase rimou).

        A última decepção com amizade foi nas festas de fim de ano. Uma grande amiga (ou era assim q eu pensava) pediu pra passar o ano novo na minha casa. Como eu sabia q ela tava dura, disse q não precisava trazer nada…assim q surgiu “proposta melhor” eu levei o bolo e estou esperando a bonita até agora.

        Fiquei puta pq deixei outros convites de lado pra recebê-la e não dar pra trás, mas cada um dispõe do tempo do outro como acha certo.

        • M Holmes

          Também tive uma “amiga” assim e meus relacionamentos foram marcados com “não precisa, vc precisa mais que eu”. Nem preciso dizer que isso me trouxe muitas decepções de achar que poderia comprar as pessoas com as coisas que eu dava e com os “sacrifícios” que fazia “por elas”.

          • Mariana Cobra

            Que bom que vc percebeu isso e teve tempo pra mudar.
            No meu caso, eu sempre espero que as pessoas façam o mínimo, não espero que façam o que faço por elas, mas o mínimo de consideração e respeito.
            Já ajudei tanta gente, mas tanta gente que vc não tem noção…claro sem esperar nada em troca. Mas qdo vc ajuda um amigo, faz o que pode para ajudar e está ali pra todas ocasioes, o mínimo a se esperar é reciprocidade.

            Pra vc ver…dois dias antes eu levei essa amiga numa cidade vizinha pra resolver uns problemas, por não querer que ela pegasse estrada de moto… no dia 31 eu liguei e disse que buscaria ela na casa dela, pois estava chovendo (ela ia dormir na minha casa) e chuva não combina com moto, aí levo um cano desses, sem ao menos a pessoa me procurar depois pra pedir desculpas.

            Eu hein, to fora. Infelizmente eu me dedico muito as pessoas, mas a intensidade é a mesma qdo decido me afastar…o choro depois é livre e tenho certeza que quem perdeu não fui eu.

          • M Holmes

            “Eu hein, to fora. Infelizmente eu me dedico muito as pessoas, mas a intensidade é a mesma qdo decido me afastar…o choro depois é livre e tenho certeza que quem perdeu não fui eu.”

            Sou dessas tbm, acredito que qualquer relação precisa de reciprocidade. O problema é nós conseguirmos enxergar ela, pois normalmente quem se doa muito acaba esperando muito em troca. E é justamente isso que estou tentando aprender, é se doar sem esperar o que EU QUERO em troca.

          • Meu pai sempre diz que quando vc dá “Um real para alguém”, esse um real raramente volta da pessoa q vc deu, mas sim do mundo

            Faz todo sentido pra mim

          • M Holmes

            E eu concordo com essa afirmação, só preciso acreditar mais nela pois ainda espero muito a reciprocidade da maneira que eu acho que mereço. Mas estamos caminhando para melhorar este aspecto.

    • Jps

      Nossa, não tinha percebido que ela já tinha se separado dele. Acho que porque não faz sentido na minha cabeça ela continuar indo na casa do ex, por isso acabei esquecendo esse fato.

      “fica difícil definir se vc é iludida ou se faz de boba”

      Ela está com cara de ser daquele tipo de pessoa que faz as coisas e acha que é obrigação dos outros retribuir de acordo, sem contar a parte de forçar só para ser do jeito que ela quer (tipo namorada que não larga do cara, mesmo ele tendo amante e etc).

      Concordo contigo Mari, ele nunca gostou dela, mas provavelmente deve ser um cara mais passivo/relaxado, então deixou rolar a situação porque convêm.

      • Mariana Cobra

        Não acho que ele seja passivo ou relaxado, quero dizer, não pra ela.
        Ela é o tipo de pessoa que impões as próprias vontades, se faz de cordeirinha, mas as intenções estão todas minimamente planejadas. Contudo, o que ela planeja não vem trazendo bons resultados.

        Imagine a sua mãe e família infernizando a sua cabeça o tempo todo pra vc namorar alguém que vc não gosta?

        Ela fez amizade com a família dele não pela amizade em si, mas pra marcar território. Aí não resta muita coisa que o cara possa fazer, a não ser demonstrar que não quer nada além disso com ela. E ele sabe que se der brecha, mesmo que seja mínima, ela vai se aproveitar.

        “Então deixou rolar a situação porque convém”. Claro, o cara tem uma mulher querendo ele por tudo o que é mais sagrado, lambendo o chão que ele pisa e disposta a mimá-lo.

        É ele que está indo atrás?

        Na hora que ela perceber que não tem jeito e que desse mato não vai sair coelho, no máximo uma transa sem compromisso, ela vai sair da vida dele e da família dele…tipo acabar a amizade com todos…vai por mim

        • Jps

          Acho que de duas uma.

          Ou ela não deve reclamar diretamente para ele, então por ele fica confortável ter essa pessoa que lambe o chão.

          Ou ela reclama e ele finge que escuta.

          Se ela não reclamar, pode ser que ele não seja relaxado/submisso, mas do contrário acho dificil não ser. Alguém mais ativo ia cortar essa relação (com a familia incluso) a muito tempo, porque não iria querer cobrança.

          • Mariana Cobra

            Definitivamente ela não reclama pra ele, ela reclama pras amigas, aqui no site, menos pra quem realmente importa.

            Tem gente JPS que foge de conflitos e nem por isso é folgadão.

          • Jps

            Sim. Acredite, eu fujo de conflito, mas nem por isso eu aceito alguém no meu ouvido enchendo o saco…..só me afasto, rs

            “Definitivamente ela não reclama pra ele, ela reclama pras amigas, aqui no site, menos pra quem realmente importa”

            Sim, você ta certa. Ela ta esperando ele se tocar, mas quem não se toca é ela, rs

    • M Holmes

      Eu até queria adicionar algo, mas seu comentário foi tão brilhante que não é preciso dizer mais nada. hauahauahaah

    • Monalisa

      Muito bom esse seu ponto de vista senhorita cobra. Esse tipo de pessoa é que eu chamo de “bonzinho(a) de faxada”. Que passando para o lado do homem é aquele cara, que paga coisas para mulher, convida para sair, esperando sempre algo em troca. É o “bonzinho” mal compreendido que fica falando mal das mulheres nos bares se fazendo de vitima e não sabe ” o porque” da pessoa não querer ficar com ele.

  • Joao

    vc tá mais e com cara de Maria interesseira se ganha mesmo esse dinheiro que alegar não estaria aqui chorando sobre dinheiro no fim seu relator viro só isso grana vai atrás de um rico ou retardado que jogar bola abre as perna faz um filho pronto pensão de 150 mil todo mês.

  • Ex – trouxedor

    Simples, ele é bonito e você é feia! Ou, pelo menos, ele é mais bonito / menos feio do que você!

    • Joao

      tbm estou pensando nisso talvez na concepção dele ela deve pagar um salário mensal para ficar com tamanha feiura ou não.

  • Paulo

    ”O nosso relacionamento era bem aquela coisa de adolescentes, ficávamos todos os dias na casa dele, eu achava que isso era namoro, mas depois de um tempo, percebi que ele ficava com outras meninas além de mim, e com isso eu terminei com essa relação” tem Mulher ai com mais de 20 anos e acha q isso e´namoro então da em nd kkk

  • Monalisa

    perguntadora, em uma relação de namoro, é normal quem trabalha pagar as coisas. Se você não estava satisfeita em gastar tanta grana, vocÊ deveria ter sugerido saidas mais baratas, ou uma pipoca assistindo televisão. Uma das piores coisas que pode existir em um relacionamento é a falta de comunicação. Tem gente que fica com o pensamento de “ah esquece, não vou falar, ele deve notar as indiretas e tomar jeito”, mas ninguém muda dessa forma, principalmente homens que são horriveis em indiretas, eles precisam de um confronto direto e claro!
    Se você não estava satisfeita deveria ter aberto a boca, e dito que ou ele trabalhava ou você não ia pagar mais nada. Esperar que a pessoa se toque é burrice.

    Digo isso porque, eu amo dar presentes, adoro mesmo. Acho mais legal comprar coisas para os outros do que para mim. E claro que eu gosto de receber também, por mais singelo e simples que seja. Eu dava muitos presentes para o meu namorado, em datas comemorativas, não comemorativas, e ele depois dois anos e meio de namoro não me dava mais nada, nem um bombonzinho. Então, EU CHEGUEI NELE E FALEI DIRETAMENTE: eu gosto de ganhar presentes, bilhetinhos, ursinhos e gostaria que você me desse, porque eu me sinto mais amada assim, eu gosto de coisas para guardar, e dizer que no meu aniversario de tal data você me deu isso. Ele respondeu que não sabia que eu fazia tanta questão assim. Minha mãe achou ridiculo o fato de eu pedir presentes para ele, mas se eu não falasse, ele nunca teria se tocado. Meu namorado ainda acrescentou que a forma que ele tem de demostrar amor é diferente, ele gosta de estar junto, sair, mas ele não tem paciencia par comprar presente. E esse final de ano ele fez um pote do doce palha italiana para mim! eu adorei! mas presente, não é o perfil dele, posso morree seca de presente kkkkk. E meu namorado tem emprego, ganha bem, ele não é miseravel, mas não me da presente e ponto. Já aceitei que é o perfil dele, ele não gosta.

    Então perguntadora, ninguem te obriga ou te induz a pagar coisas, voce paga porque vocÊ quer. E se você sempre esteve tão desconfortável com essa situação, ou abre a boca e fala com ele, ou segue sua vida e busca alguem com independencia financeira como você. Para que complicar insistindo e tentando moldar uma pessoa? é bobagem, segue seu rumo.

    • Joao

      ‘eles precisam de um confronto direto e claro!’ bom ponto

      Em vez de perde tempo igual uma criança de 8 anos melhor chega manda a real logo de uma vez do que fica de mimimimi de indiretas isso pra covarde e pau no cu que não tem segurança nenhuma fala logo a real o que sente pensa do que fica nisso pq so vai aumentando a discórdia antipatia seja inteligente vai logo direto no assunto sem rodeio, se realmente vc faz o que disse seu casamento pode dura.

  • Stanley Lewis

    Esse tipo de situação só acontece porque você fica quieta e não reclama, se queria que as coisas mudassem, era só não aceitar mais pagar nada pra ele, ou então fazer vocês pagarem metade cada um.