Por que só atraio gays, mesmo sendo hétero?

36

No post de hoje pedi um help para o leitor colaborador – que já virou amigo – Felipe Batista responder.

*************************

Leitor: Sou um rapaz de 25 anos, heterossexual, com ensino superior e há algum tempo tenho um caso com uma garota onde ela pode ficar com outros caras e eu com outras mulheres sem problema. No entanto, tenho passado um longo tempo sem conhecer mulheres interessantes para ficar ou mesmo namorar. Isso acontece porque durante todo esse tempo que tenho apenas ficado com ela (sem esperar mais nada que isso), não apareceu mais nenhuma mulher interessada em mim, e no máximo quem tem dado em cima de mim são gays ou caras bissexuais (que definitivamente não me interessam) e sempre tenho presenciado amigos ou conhecidos se dando bem com seus rolos e namoros (homo ou hétero) enquanto minha vida amorosa/pessoal estagnou completamente.

Amigos já chegaram a dizer que sou “exigente demais”, mas o máximo que eu estou querendo é alguma mulher que eu me sinta sexualmente atraído e goste de ao menos parte das mesmas coisas que eu, como frequentar eventos nerds/geeks, fazer cosplay, jogar videogame e etc.

Além de não entender esses caras que ficam dando em cima de mim, visto que eu nem ao menos faço o tipo “afetado/afeminado mas que é hétero”. Existe alguma maneira de atrair mulheres (que é o que eu desejo) e meio que repelir gays/bissexuais? Gosto do meu atual grupo de amigos, mas fico pensando se tenho que parar de frequentar certos ambientes ao mesmo tempo em que não quero frequentar lugares que eu nunca me identifiquei (como festa de forró, funk e ritmos populares) e nem boa parte deles ~~   

Amigo, sem querer ofendê-lo, mas o universo geek atrai muita gente do vale dos homossexuais. Eu tô falando isso, pois tenho muitos amigos que cobiçam conhecer um gatinho nerd também. Assim poderiam jogar videogame juntos, ver animes e tal. Uma coisa bem de macho nerd, saca? Mulheres não entenderiam isso. 

Mocinho, essa sua ideia de que, afeminados se atraem por afeminamos, é um mero engano. Não vou dizer que não acontece, mas como eu sempre digo: não podemos analisar a pontinha do gráfico pra saber a opinião da maioria. Entretanto, no mundo gay, há uma super valorização “do macho alfa” (aquele cara super másculo que é gay, mas ninguém nem sonha). Em geral, quanto mais perto desse perfil, mais desejado você é. Quanto mais afeminado, mais rejeitado você é. Pouquíssimos homens têm atração por afeminados

Bingo! Joãozinho, você sabe a resposta. A solução pro seu problema é sair mais, se permitir mais, entrar em aplicativos de pegação, abrir mais a sua mente. Você pode ter mais esquemas, sim. Elas não precisam ter tantos gostos em comum contigo. Você precisa permitir-se. Dar aquela chance pra uma moça que aparentemente você não daria. Não acredito que SÓ gays te deem bola, vamos lá!

Bom, se você  gosta de lugares que vão muitos gays, obviamente será assediado por gays, né! Entretanto, você pode frequentar lugares que eles são minoria. Informe-se qual é o público da festa antes de ir. Dê uma olhada nas redes sociais e tal. 

Se você deseja atrair mais a mulherada, você precisa melhorar a sua aparência. Depois amigo, você precisa ser um rapaz interessante: saber conversar sobre o grande gama de assuntos, estar atualizado sobre o que está acontecendo, frequentar bons lugares (indireta). Dê a impressão que você é um rapaz que se  diverte muito (sozinho também), que você vai a bons bares, festas, teatro, eventos culturais. Após a atração física, alguém se interessa por ti por pontos de interesse e compatibilidade. A pessoa pensa: eu tenho tudo a ver com ela. Por exemplo, um tipo de compatibilidade acontece quando um do relacionamento é super tímido, mas outro é extrovertido. Um é muito estourado, mas o outro super calmo. Um torna-se um equilíbrio, a compatibilidade pra um “defeito” seu.

Moço, você sabe a solução, só está com medo de arriscar.  É como eu sempre digo: em time que está ganhando, não se mexe. Mas como você quer melhorar a performance desse time, você vai ter que sair da sua zona de conforto, sim. Ao ler essa pergunta, lembrei de um filme na hora. Você já assistiu ao filme “Amor à toda prova”? Se não, conta-lo-ei um pedacinho: um quarentão é surpreendido com o pedido de divórcio da mulher. Após um tempinho casado, ele volta pro mercado da paquera completamente enferrujado, querendo conhecer mais mulheres. Entretanto, ele sempre vai a bares e volta frustrado. Não consegue ficar com as mulheres que ele cobiça. Um bonitão do lugar percebe que ele sempre vai lá e deseja ajudá-lo. Ele dá algumas dicas desde de como se vestir, procurar um cabeleireiro que faça um corte que mais combine com o rosto dele. Como se portar nos lugares, ser mais confiante, abordar as mulheres… Enfim, não tô dizendo que você precisa fazer isso tudo. No entanto, pequenas mudanças podem gerar grandes resultados. 

Se você já conhece o filme, quero indicá-lo dois livros que me ajudaram muito desde a fazer mais amigos a entender melhor como funciona a paquera e tal. O primeiro titulo é “Como fazer mais amigos e influenciar mais pessoas” do Dale Carnegie. Ele vai te dar dicas desde como conversar com alguém sendo seu amigo, uma paquera, o que pode fazer e não, como se tornar mais relacionável, como fazer as pessoas gostarem de ti, como conquistar alguém. O outro livro é mais relacionado a dicas de paquera: “A linguagem corporal do amor” do Allan & Barbara Pease.

Espero tê-lo ajudado e sucesso. 

Instagram
Share.

About Author

Felipe Batista

Brasiliense, vegetariano, hiperativo, apaixonado por animais e livros, sagitariano, professor de inglês.