Sou virgem por achar que não levo jeito com as mulheres

28

Leitor: Olá, tenho 21 anos de idade, sou hétero, mas que tem uma coisa que me incomoda há anos: eu sou virgem, mas não por opção ou religião, mas sim por achar que não levo jeito com as mulheres. Eu perdi o BV já um pouco tarde (pelos menos eu considero) com 16 anos, e daí então eu passei a ficar com garotas mas nunca cheguei nos finalmentes. Isso gera em mim um complexo de inferioridade muito grande e tira minha autoestima. Quando vejo mulheres, me sinto menos homem do que os outros caras que já fizeram, eu sei que isso pode parecer neura, mas é o que sinto, o que vc me aconselha? Eu já pensei em perder com uma prostituta mas creio ser muito imoral para os valores que prezo.  

O que você tem não é neura: É EGO!! Medo de fracassar, medo de sair algo errado, sendo que, no fundo no fundo, você bem sabe que é homem de qualquer jeito.

Sabe qual é o homem bom de cama? Aquele que realmente se entrega ao momento. Porém, na prática, a maioria é bem pior do que deveria ser, e sabe por quê? Porque se liga tanto em desempenho, que se esquece de sentir. Porque não tem humildade para aprender com a mulher, não tem humildade para perguntar, para se desmontar um pouco, para dizer que não sabe. Tem homem que não sabe nem interpretar uma respiração, só sai metendo lá e acha que a fonte de prazer de uma mulher é apenas uma vagina. E olha que tem homem bem transão que é assim até hoje, viu! Então nem se ache “muito inferior” só porque é virgem, visto que tem gente que treinou horrores, mas não aprendeu ainda kkkkk. Na minha opinião pessoal, o que diferencia “um pior ou melhor” na cama, é apenas a sensibilidade.

Desça do salto (sei que você é machinho), vá com calma e não se cobre, nem se seu pau vai ficar duro (e tô falando sério!)!! Curta aquela mulher como se fosse o único e último momento de vocês. Beije, abrace, pegue na mão. Sinta ela inteira. Tenha um contato um pouco mais extra-físico. Se conecte com ela. Se esqueça do mundo, de celular, mãe ligando, etc kkkk. E sabe por quê? Porque quando você se conecta de verdade, mas de verdade mesmo, não tem nem como você ter medo daquela pessoa. Nesse momento a gente se esquece até que é virgem, só quer curtir e ser feliz, sério kkkk. Nisso olha que ironia, você acaba pensando tão menos em “desempenho”, que acaba sendo bom de fato!!! Se gostar muito dela, surpreenda, faça alguma surpresa. Mas mesmo que seja coisa de uma noite só, faça o que te sugeri que vai dar tudo certo.

No fim, as regras básicas para ser “bom”, ou ao menos suficiente, na cama são:

1- Saber que mulher não é só vagina: quando eu falo em sentir inteira, é sentir inteira mesmo, sabe?

2- Atenção à respiração dela, mas não neure com isso, visto que ela pode até ficar incomodada “por você estar reparando demais” kkkkkkkk. Fique atento só pra ver se tá bom, questão de segundos, sabe? Depois volte a se concentrar, que é o que realmente importa.

Sabe aquele dia que você taca “o foda-se pra tudo”, só dá seu melhor e dá tudo certo? É tipo isso que proponho, só que no sexo kkkk. Entenda também que transa boa é a que fica na mente, só que para isso, precisam haver vários momentos que antecedem inclusive a penetração. A mecânica também conta, mas migo, com a entrega, você (e ela) ficarão tão sensíveis, que mesmo uma meia-boca já parecerá o máximo kkkk.

Por fim e, tão importante quanto o resto, não se force a ser bom de primeira (e não falo “por ser virgem”, mas sim “de primeira com aquela mulher”, sabe?). Ouso a dizer que, tímidos ou não, com vasta experiência ou não, raramente alguém arrasará como você está querendo na primeira noite. Tem que conhecer as diferenças de cada mapa, sacumé? É claro que existem exceções, mas caso não seja o seu caso, entenda que haverão outras oportunidades – CASO você seja bacana e ela goste minimamente de você.

 Boa sorte! 
Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.