Ele é viciado em masturbação e isso atrapalha nossa vida sexual

53

Leitora: Oi, Lu! Estou precisando de um help! Namoramos há 4 anos. Tenho 27 anos e ele 33. Estou sofrendo desde Outubro do ano passado porque ele me disse que é viciado em masturbação. Quase não transamos, na hora H falhava muitas vezes e por isso achamos no passado que era disfunção erétil, mas em uma consulta com a psicóloga, ele se deu conta de que a masturbação que o atrapalha. Ele criou uma crença de que quando se masturba, vai falhar na hora H, e falha algumas vezes.

Antes transávamos de 2 em 2 meses ou 3 em 3 meses em média, mudou pra de 1 em 1 mês. Estou subindo pelas paredes. Ele não parece querer muito, mas diz ele que é por medo de falhar. Nos amamos muito, mas isso é uma grande falha na nossa relação. Ando ciumenta demais depois da descoberta dos vídeos. Muito insegura. Já chorei muitas vezes pensando nisso. Se ele diz que gostou do sexo que rola às vezes, por que este vício?

Ele diz que não tem nada a ver comigo, mas é difícil acreditar. O amor não está mais bastando. Este fim de semana, fiz uma pesquisa sobre vibrador na frente dele e acabamos transando mais do que esta média rs… acho que ele viu e se sentiu ameaçado. Mas não tenho muitas esperanças de que tudo mude de vez. O que eu faço?

viciado em masturbação

É muito complicado opinar nesse caso, visto que só você sabe os seus limites, o quanto se sente amada de fato, o quanto gosta de sexo, etc. Porém, vou dizer o que eu faria no seu lugar, tá? Daí os comentaristas fazem o mesmo e você peneira da forma que achar melhor.

Se, tal como você mesma disse, “só o amor” não está bastando, eu daria a ele 3 opções: o divórcio, ele fazer terapia (inclusive trocar de terapeuta, caso o atual não esteja ajudando), OU se lembrar que sou a esposa dele e que, por isso, não existem motivos para ter medo de falhar.

Casamento é parceria, e se rola vergonha até com isso, é porque mais uma vez ele precisa de terapia. Na verdade, a segunda e a terceira opção feitas em conjunto me parecem as mais coerentes para o atual caso de vocês.

Digo isso porque seria extremamente legal que enquanto ele fizesse a terapia, tentasse colocar em prática o que aprendeu na cama, sabe? Eu mesma conseguiria ajudá-lo, ainda que claro, sempre preciso que a outra pessoa faça a própria parte também. Veja a diferença entre conselheiros, psicólogos e psiquiatras.

Daí, quando ele falhar, não se desespere, não fique neurótica pensando que “é tudo culpa sua e blablabla”. Do contrário, ambos se sentirão muito mais pressionados e, como resultado disso, fora o sexo não ficar natural, aí que ele vai broxar mesmo.

Sendo assim, ele broxou? Sigam a vida, conversem, liguem a TV (sem cara de bunda) e façam o que mais vocês quiserem. Só não se desesperem, muito menos se cobrem tanto. Não somos máquinas e ninguém precisa acertar sempre.

Na verdade, o ideal é que vocês tentem namorar bastante, e claro, você também pode propor o desafio dele ficar ao menos 3 dias sem pornografia para que, assim que ele visse a diferença que dará, quem sabe não se estimule a ficar mais tempo sem.

Lembrando que, por ser um vício, nem sempre as coisas sairão tão facilmente como na teoria e é por isso que, mais uma vez, é fundamental existir a terapia em paralelo. Na verdade, ela é recomendada inclusive para você, visto que precisará ter psicológico forte para aguentar essa fase que certamente não está sendo fácil.

E por falar em psicológico, ele também será fundamental pra você na hora de “dar uma prensa” no namorado que precisa tomar uma posição urgente.

Não fique chorando no sentido de “nossa, eu sou tão bosta que ele não consegue nem transar comigo”, mas sim diga a ele a mesma coisa que você disse aqui: que só o amor não está bastando, que não vale a pena só você se esforçar e ele ficar falando “que tem medo” e não fazer nada para mudar isso, etc. Enfim, pergunte se ele quer continuar o namoro ou ficar com as pornografias dele ao não se assumir verdadeiramente fraco para isso. Aproveite que vocês ainda não se casaram para ver se é isso mesmo que você quer para sua vida, bem como reparar no esforço pessoal desse homem….

A gente sabe que, quando a água bater na bunda e, se ele te amar mesmo (ou até mesmo por orgulho de macho), dará um jeito de se virar. Agora, se ele ver que você só reclama, mas que não existe o menor risco de te perder, aí de fato a tendência é ficar eternamente na bronha mesmo. Esse seria o caminho mais cômodo para quem já está na merda, então pra quê mudar, né?

Na verdade, as maiores mudanças só acontecem quando estamos com problemas. Então, usem isso a favor de vocês.

Assista e dê para ele assistir: Broxei e agora?

Leiam também a entrevista com um homem que foi viciado em pornografia.

Até amanhã,

Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.