O que fazer quando seu namorado foi um pegador e isso te incomoda?

80

**Aviso antes de começar esse post: o vídeo de ontem (domingo), provavelmente sairá hoje.

Leitora: Olá, tenho 18 anos e meu namorado 20, estamos juntos há 4 meses e recentemente nós conversamos sobre o passado. Acontece que eu descobri que ele já transou com umas 30 pessoas, enquanto eu transei com apenas 5. Além disso, descobri que ele mentiu sobre uma garota na época em que ficávamos. Pra completar a situação, ele me contou que, quando ficávamos, ele ficava com várias garotas e já chegou até a transar com outras 2 durante o dia e transar comigo à noite.

Fiquei muito mal quando fiquei sabendo dessas coisas, até porque, desde que eu comecei a ficar com ele, não fiz com mais ninguém, enquanto ele estava pegando todo mundo, inclusive prostitutas. Isso não sai da minha cabeça e eu fico imaginando ele no ato com outras e isso me coloca pra baixo, não me sinto suficiente, não me sinto gostosa, me sinto muito insegura com meu corpo. Eu sou a primeira namorada dele e quero me confortar que ele deixou essa vida pra ficar somente comigo, mas as cenas não saem da minha cabeça. O que eu faço?

O que fazer quando seu namorado foi um pegador e isso te incomoda?

Feliz ele que foi sincero e tirou esse peso da consciência, e boba você que, mesmo sofrendo com a verdade, aceitou tudo isso.

Entenda que quando o homem dá pra ser safado, a mulher pode ser linda, maravilhosa, apetitosa, que ele vai, sim, comer outras: inclusive as “muito mais feias e menos gostosas do que ela”!

Sem contar que, cá pra nós, né? Se você depende dele para se sentir “melhor”, é porque já existe algo de (muito) errado nisso aí.

Quer dizer que se ele ficar só com você, é porque você é linda. Agora, se ele não ficar, você já embarangou? Pó parar com isso! Aprenda a ter sua autoestima independente dele. Do contrário, a cada vez que você precisar dele para te validar e você se decepcionar, será mais uma partezinha de você que irá ao chão. Jamais deposite a cura das suas inseguranças nos outros – nem que você precise de terapia para isso.

Outra coisa que, a meu ver, você faz de errado, é querer que ele seja “igual a você”. Ou seja, que só porque você já teve 5, que ele deveria ter um número proporcional, e por aí vai. Isso é uma grande bobagem, visto que, como você mesma já sabe, cada um tem sua própria história de vida, seus defeitos, qualidades, etc.

Se foi combinado, ele pode até te dever fidelidade, mas apagar o passado não, né?

Sem contar que, tal como dito anteriormente, se você já sabe quem ele é, se incomoda horrores, mas mesmo assim continua com ele, é sinal de que a culpa é sua – nem que seja por não procurar terapia – e não dele.

Pense que, aconteça o que acontecer, você sempre terá controle sobre o que fazer a partir disso.

O que você realmente quer para a sua vida?

Quer viver mal e neurótica?

Com alguém que tire a sua paz?

Ou quer um cara meio virjão, mesmo namorando com um safado sincero?

Tudo bem que acredito que homens (e mulheres) que transam (de)mais, assim como qualquer outro “vício em excesso”, é porque falta algo dentro deles. É como se houvesse um vazio gigante que, enquanto não for restaurado, eles continuarão safadões. Só que assim né? Eu que não pagaria pra ser a salvadora da pátria. Até porque, se eles não reconhecerem o problema e/ou procurarem ajuda, continuarão prejudicando os outros de igual forma.

Sendo assim, eu te faço uma nova pergunta:

Quer ser a chorona que quer mudar os outros nessa vibe ou quer ser mais consciente e dona da porra toda?

Por via das dúvidas, coloque na cabeça que ele é um safadão e sempre será. Daí, ao invés de pensar que seria maravilhoso ele só transar contigo pelo resto da vida, pense que, ao continuar com ele, a chance de você levar chifre será de 90%.

Trabalhar essas estatísticas mais realistas evitará falsas expectativas, o que consequentemente, te dará muito mais coragem – e motivos! – para largá-lo de vez. E o melhor de tudo: com menos dor – ainda que, obviamente, ela sempre exista.

Se mesmo assim for muito difícil encorporar (apesar de ter entendido) tudo que eu disse, cogite mais uma vez a terapia que te falei no início desse post.

Assista ao vídeo “tenho vergonha do meu próprio corpo“.

Até amanhã,

Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.