Sou casado há 22 anos, mas percebi que não a amo mais

70

Leitor: Bom dia, ando muito confuso, sou casado há 22 anos, tenho 46 anos e minha esposa 47. Sempre procurei agradar minha esposa, mas de dois anos para cá, percebo que não tenho esta vontade mais, acontece que minha esposa é muito fechada e quase não temos diálogo, falta de assunto mesmo.

Não tenho prazer em estar sozinho com ela, a não ser na cama, pois o sexo é bom. Infelizmente não tenho paciência em ficar ao seu lado. Casamos devido a ela estar grávida, na época tinha 22 anos e não tive maturidade para entender a situação. O nosso namoro foi eu que procurei e em insisti, pois ela se mostrava difícil , ficou tipo um jogo para mim, mas aconteceu de engravidar e ainda ficou emburrada ou me demonstrava isto, me dava a impressão que me culpava pela situação, e olha que engravidou sem haver penetração.

Há algum tempo atrás fiz um DNA para saber ser realmente a filha é minha e deu positivo. Ela sempre falou que separação era coisa normal e para ela não faria diferença alguma. Sempre me fez sentir que não lutaria por nosso casamento, mas quando fiz um acompanhamento psicológico e percebi que o errado era eu em aceitar que ela se posicionasse desta forma, passamos a conversar sobre separação e ela afirmava que não acreditava mais em nosso casamento, no entanto, quando chamei para separarmos, ela mudou e hoje vive querendo me agradar, só que não consigo falar mais que lhe amo, pois não sinto este amor.

Fazemos sexo umas três vezes por semana, mas faço por gostar do sexo e não por amor. Hoje sinto vontade de me apaixonar e de viver um amor. Ela não tem formação superior, pois nunca se interessou, vivia reclamando de ficar em casa, assim montei um comércio para ela se valorizar, mas não assume de cabeça e acabou sobrando para mim esta função, apesar de ter meu emprego. Tenho outros negócios e ela não ajuda e acaba me falando que não vê necessidade de ficar buscando algo mais, só que sou eu que banco tudo sozinho.

Tudo que começa errado, acaba mal.

Seu relacionamento era pra ter terminado lá atrás, mesmo com a gravidez indesejada, mas você resolveu persistir e sentia prazer em correr atrás de quem não lhe dava moral, e agora que o jogo virou e é ela que está correndo contra a maré, é você que está fazendo cu doce. Só consigo pensar que você é um bundão.

Bundão por curtir correr atrás de quem não lhe quer. Bundão por esperar 22 anos pra descobrir que seu relacionamento poderia ser substituído com facilidade por um masturbador masculino e uma TV de 42″. Bundão por vir num site de aconselhamentos ao invés de sentar e conversar como adulto com a sua esposa.

Contudo, sempre há luz no fim do túnel pra gente perdida e sem rumo voltar a ser feliz, assim, trago para você uma lipoaspiração de bunda e, se você seguir esses conselhos, te garanto que os dias de bundão vão ficar pra trás!

Não vou entrar no mérito do seu casamento, mas vou abordar “como não ser um bundão na vida”. Peço que não leve a mal, que leia tudo na esportiva e tire as lições que achar aplicáveis ao seu caso.

1 – Nunca, jamais, brinque de pega-pega

Brincar de pega-pega só é legal na infância e qualquer adulto que sinta prazer em correr atrás de quem faz cu doce tem sérios problemas de autoestima, autoaceitação, autoafirmação e todos os autos que você pesquisar no Google.

Se o desafio da conquista mexe com seu cerebelo, vá jogar The Wicther, Horizon ou Mario World que lhe garanto muitas e muitas horas de bons desafios e quebra-cabeças. Serve também qualquer tipo de entretenimento, tal como airsoft, paintball ou jogar bola com os colegas.

Livrando-se dessa necessidade absurda de correr atrás da própria sombra, pode ter certeza que vai morrer de infarto, mas não por falta de amor, sinceridade e carinho.

2 – Nunca, jamais, contente-se com pouco

As pessoas agem na nossa vida na medida que permitimos acesso, liberdade e controle.

Acesso: as pessoas tem aquilo que procuram em você a qualquer momento do dia (seja carinho, favor ou conselhos);

Liberdade: as pessoas falam e fazem aquilo que querem na medida em que se sentem livres para fazê-lo, ou seja, dificilmente um conhecido (amigos, parentes ou marido) meu vai me mandar à merda ou me tratar mal, pois vai saber que vai ouvir uma resposta à altura;

Controle: a partir do momento em que o outro entende que não tem controle sobre você e que não há certeza de nada (a não ser que todos vamos morrer), haverá mais cuidado em falar ou fazer merda. Um exemplo: eu sei que não tenho controle sobre as atitudes ou sentimentos do meu marido, por isso, faço por onde para mantê-lo feliz em estar ao meu lado e lhe dou muitos motivos para querer estar comigo. Contudo, se um dia ele decidir partir e procurar outro amor, que vá e faça, pois estarei tranquila com a minha consciência ao saber que sempre fiz o meu melhor.

Eu quero dizer é que por muito tempo você deixou a sua esposa acreditar que o jogo estava ganho, que ela tinha controle absoluto na relação e que você estava comendo um caminhão de cocô por ela, onde os discursos de “não acredito no nosso matrimônio”, “não quero mais você” e “não sei se vale a pena tentar” eram utilizados para manipular seus sentimentos e nutrir o seu êxtase pela conquista.

Não faça mais isso e utilize esses 22 anos como aprendizado do que não fazer para outro ser humano (mulher ou homem). Não vale a pena se contentar com migalhas afetivas ou conviver com quem não lhe dá valor.

3 – Nunca, jamais, aceite permanecer num relacionamento onde não há admiração, respeito, cumplicidade e amor

Pra mim, um relacionamento deve estar alicerçado no quarteto fantástico: admiração, respeito, cumplicidade e amor.

Admiração: pra você ir na surdina fazer DNA é por que não havia admiração e muito menos confiança.

Respeito: você não respeita a sua companheira como mulher, basta ler o seu relato em voz alta e visualizar as oportunidades que ela desperdiçou e seu discurso “quem banca as contas sou eu”.

Cumplicidade: voltar para casa e ser recepcionado por quem se quer bem é tudo de bom, mas voltar para casa e ficar ao lado de quem não se tem assunto ou o que compartilhar, é pra acabar com o piqui de Goiás! Melhor criar gato ou cachorro.

Amor: sei não, mas acho que não era e nunca foi amor. Tava mais pra carência e pra cumprir a tabela das obrigações masculinas (assumir a criança feita nas coxas).

Por fim leitor, procure um advogado, reparta os bens, converse com a criança e deixe claro que você vai largar a mamãe, mas que nunca vai deixar de ser pai e vá ser feliz. Tenha coragem pra enfrentar todo o drama emocional que um divórcio acarreta, mas sabendo que você está sendo homem o suficiente pra ser feliz e deixar a sua esposa (futura ex) procurar alguém que queira estar ao lado dela.

Tenha orgulho de si, orgulho das suas escolhas, orgulho da sua família e prazer ao partilhar a vida com quem se ama e admira.

Boa sorte, pare de ser bundão, pare de ameaçar com o divórcio e vá lá agora terminar de enterrar o defunto, pois seu casamento tá mais morto que meu pé de pimenta.

Instagram
Share.

About Author

Mari Cobra

Intolerante à lactose, bem cuzona, nunca disse que sou legal, tenho um coração grande e geralmente tomo na tarraqueta, geminiana e fodidamente indecisa. Apaixonada pela vida e falo muito palavrão.

  • Omagnífico

    Amor não existe. Amor é um conceito abstrato que as pessoas se apegam para ter alguma magia na vida. O que existe são apenas um conjunto de reações químicas, com o único objetivo de procriar a conservar a espécie. Seu casamento, que nada mais é que um acordo social, cumpriu seu papel. A magia “is over” fera.

    • Claudia

      Então um casal que se junte e opte por não ter filho, não se amam porque não priorizam a procriação?
      Se o objetivo fosse somente procriar, não haveria relacionamentos.
      As pessoas amam, seja a pessoa ou as sensações que elas geram, há um processo químico óbvio mas resumir o amor como “vontade de procriar” é transformar o mundo em bordel (:
      Acho que deveria fazer terapia com a Luuh.. vc é bem amargo moço.

      • Elisa

        Luiza é terapeuta?

        • Terapia é diferente de “psicologia”
          Pra muita gente, oq eu faço é terapia sim. Logo, sou terapeuta.
          Muitas áreas mexem com “terapias”, não só a psicologia.
          Outros me chamam de “coaching”. Até pq nem existe certificado reconhecido para isso (ou existe agora e eu não sei? Da última vez q pesquisei sobre nãõ existia kkk).
          Pra mim tanto faz, só quero tentar ser útil mesmo e tentar mudar a vida da pessoa, nem que seja um pouco.

          • Elisa

            Quem sabe um dia não veja como é seu trabalho, mas acho que você não iria me aguentar rs. Eu gostaria de saber como elevar a autoestima sem encontrar, aparentemente, motivos pra isso, mas acho que meu problema é de natureza bem mais grave.

          • Elisa, não precisa ser o meu trabalho, mas vc precisa urgentemente cuidar da sua autoestima mesmo. Li seus comentários anteriores e fiquei verdadeiramente preocupada.
            Se vc continuar assim, vai atrair bem esse tipo ai q vc tá falando. Cuidado mulher

          • Paulo

            Todo relacionamento duradouro ou termina cm puladas de cercas ocasionais ou termino

      • Omagnífico

        Eu já fiz terapia, foi a maior perda de tempo e dinheiro da minha vida. E olha a psicóloga era bem gabaritada. Enfim, não funcionou em nada.

  • Elisa

    Bem, eu tenho pra mim que isso sempre vai acontecer em relacionamentos de longo prazo. Sempre vai haver um momento em que aquele sentimento por aquela pessoa vai acabar. A magia vai acabar e o que restar será apenas amizade. Amor romântico, infelizmente, tem prazo de validade. Só que, nesse caso, ela nunca gostou dele, só ficou com ele na marra mesmo porque ele insistiu muito. O que não deveria ter feito. E está agora querendo agradá-lo porque sendo uma dona de casa, que não faz quase nada e cujo filho já é maior de idade, é muito mais vantajoso se manter nesse matrimônio do que deixá-lo, ainda que não o ame.
    Eu acho melhor se divorcia de vez.

    • Como as pessoas já se casam “errado”, como no caso do leitor, já sabendo que “era mais ou menos”, “pq engravidou”, etc, faz sentido que pensem que todoooooooooooooooo relacionamento acabará assim mesmo.

      É claro que ninguém ama todos os dias. É claro q rola tédio. É claro q ficamos sacudos as vezes, mas a gente sabe quando “queremos descanso”, ou só estamos forçando algo que começou errado.

      Na verdade, mt gente pensa como vc pensa e por isso não termina e isso é preocupante.

      E mesmo SEEEEEEEEEEEEEEEEE fosse verdade, não seria tb melhor terminar? Ou vai ficar “com um amigo q é só amigo e mais nada pq todo casamento é assim mesmo”? Com a diferença d q não pode tentar de novo? Daí não seria melhor ficar com o amigo como amigo e tentar d novo o novo?
      Sei lá, não sei se é pq sempre fui corajosa, mas acho que o povo em geral tem mt desculpa pra não coçar a bunda.
      Tipo “ó meu Deus, se o normal do casamento é ser um fracasso com o passar dos anos, vou me casar mesmo assim e só aceitar pq é tudo igual”

      WHAT? kkkkkk

      Fase é uma coisa, agora passar ANOS na merda pra mim não é normal.

      • Monalisa

        Eu tenho um amigo que é gay, eu conheço ele a 18 anos, somos amigos de infância. Combinamos que se nenhum de nos casasse até os 50 anos, a gente se casaria! Quando eu falei que ia casar ele chorou e disse que me amava. Sei que esse amor não é de um amor romantico, mas de um amor de gostar verdadeiramente, um amor de companheirismo. E acredito que em casais que são verdadeiramente amigos, quando a paixão, o tesão vão embora, é esse amor que fica, e o faz permanecer juntos por anos e anos.

        • Mas aí esse seu amigo ia t deixar transar com outros? Ou vcs fariam isso tb?

          Dependendo, não precisa se casar com o amigo, mas sim façam a casa dos solteirões e ninguém ficará sozinho (que é o grande medo).

          Agora se casar com amigo só pq é amigo “e ambos ficaram sozinhos”, boto fé não kkkk

          • Elisa

            Luiza seria massa vc falar sobre solidão, em algum post ou vídeo mesmo. Seria muito massa.

          • Vc lê mentes?
            Cara, eu tava almoçando e pensando sobre o quanto meus 12 anos (não sei se é exatamente isso) morando longe de literalmente TODA a minha família me ajudaram a rever meus conceitos sobre muitas coisas.

            Tipo, eu sempre fui corajosa com mt coisa (tanto q né, fazer oq eu fiz é meio coisa d loko kkkk), mas essa experiência me fez ver d uma maneira mt diferente a tal da solidão. Hoje eu não tenho aquele medo, sabe? Me preocupo mais em ser feliz, me viro mt bem sozinha. O Thi fala que até se assusta com isso.
            E olha q estranho: eu sou uma pessoa extremamente intensa tb. Muito mais do que a média (o Thi tb fala q se assusta com isso kkk) e pq será q mesmo assim não tenho tanto medo da solidão?
            Digo “tanto” pq todo mundo tem um pouco. Mas não me paralisa, sabe?

            Tb passei uns anos (sem nenhum amigo) e eu sempre tive MUITOS amigos e isso tb me ensinou mt coisa.
            Acho que é legal levar “uns baques” da vida pq eu levei e valeu a pena, sabe? Não me sinto um cachorrinho com medo.
            Tipo choro, sofro (sou a maioria chorona q vcs sabem), mas é diferente. Não paralisa, não sei explicar.

            Enfim, será q faço vídeo ou texto?

          • Elisa

            O que for melhor. Trouxer mais informação. Tenho medo que com o vídeo vc se esqueça de certas coisas durante a explanação o que é mais difícil quando é texto. Se mudar pra Curitiba não é fácil, povo aí é muito fechado, mas aqui em Brasília tb é assim rs.

          • M Holmes

            Eu adoraria assistir, tô passando por um momento bem tenso em relação a isso.

          • Adendo: Na verdade o Thi se assustava no começo, daí ele fala q é pq era novo, hoje em dia ele adora pq ri horrores kkk
            Tipo eu chego na cozinha dançando a dança da periquita kkkkkkkkk e eu começo a rir muito sozinha.

            Ou eu começo a brincar d box com a bunda dele (essa eu rio só de escrever kkkk)

            ou aperto mt ele e começo a falar um monte d bobagem

            Ele fala q sou completamente maluca (seria esse o “intensa” dele?) e as vezes eu fico pensando se outro homem não se assustaria comigo kkk
            De qualquer forma, tudo isso pra dizer q acho q fiquei “meio autista” de tanto q fiquei sozinha, sabe? Aí eu começo a perder um pouco o senso d realidade em alguns casos, principalmente quando é zoeira.

            Com meus amigos tb é interessante, eles falam q eu faço coisas na rua como se não tivesse ninguém me olhando. Vou p academia d roupa amarrotada, ai no outro dia saio que nem “Miss”. Parece que é pq “na minha casa ninguém me vê” e levo isso como extensão da rua, será?

            é estranho, mas o “viver sozinha” te ajuda meio a tacar o foda-se tbm, sabe? Não sei se deu pra entender, mas tudo isso aprendi mais depois de “morar sozinha”< inclusive a ser mais intensa e a valorizar as pessoas enquanto estou com elas. MASSS tb saber q se elas forem embora, eu já sei como seria, entende? Estranho

            e quanto ao povo d Brasília, vc sabe q sou daí né? Aonde vc mora aí?
            E ó, o povo de Curitiba É BEMMM mais frio. Hoje em dia acho brasiliense pura simpatia rs

          • Elisa

            Nossa, sério que eles são tão frios assim? Vixi. Vivo no Plano msm.
            “De qualquer forma, tudo isso pra dizer q acho q fiquei “meio autista” de tanto q fiquei sozinha, sabe?”
            kkkkkkkk Tõ precisando, viu? E muito kkk

          • Eu nem acho brasiliense frio. Eu mesma sou uma kkkk
            Curitibano sim é frio, mas no sul é mais em “Curitiba” q rola esse problema.
            Por isso o povo aki me acha louca kkkk

          • Elisa

            Dizem que Santa Catarina o povo é mais simpático.

          • No interior do PR tb, só em Curitiba que é assim.

          • Elisa

            Gente que bosta. Que azar do caraio, sem ofensas. Tb sou brasiliense e sou extrovertida, quer dizer, mais ou menos. Não gosto de gente muito fechada rs. Não me sentiria bem em Curitiba.

          • É bem massa, vou ver se gravo ou escrevo sobre isso qualquer dia. Espero não demorar s2

          • Elisa

            Ai, espero mesmo. Seria muito interessante ver como vc passou a ver o mundo a sua volta

          • Monalisa

            Eu falo apenas com relação a amizade, dessa forma não existiria sexo entre nos se a gente casasse. Acredito que se a gente casasse a relação seria aberta mesmo. Iriamos nos casar apenas para um ter a companhia do outro, o cuidado do outro, dividir as contas, essas coisas formais de casamento. Além de não ficar sozinho em casa kkk. Que é a coisa que mais me apavora. De vez em quando até que vai, mas viver sozinha eu não aguentaria. E não falo nem de parceiro, falo em conviver com qualquer pessoa, uma amiga, pai e mãe.
            Eu contei esse fato simplesmente para ilustrar o tipo de amor que eu estava falando. Fizemos esse “pacto” aos 10 anos de idade!. Hoje lembramos disso mas não levamos a sério.. rsrs.

    • Mariana Cobra

      Será que temos essa impressão que “isso sempre vai acontecer em relacionamentos de longo prazo” pq os nossos exemplos bons são raros?

      Eu vejo que hoje tem mais exemplos bacanas que antigamente. Casais com mais de 25 anos juntos são de outra geração. E nessa outra geração eles se uniam por todos os motivos errados e não se separam por comodismo e mais N razões um tanto absurdas.

      Por fim eu não acredito no que vc escreveu sobre “Sempre vai haver um momento em que aquele sentimento por aquela pessoa vai acabar”. O sentimento só acaba qdo deixamos de nos importar e de cultivá-lo.

      • Elisa

        Tlz. Não sei se parte do meu posicionamento é fruto disso. Não tive bons relacionamentos e tb não tive uma boa referência dentro de casa (casamento dos meus pais foi uma completa merda, vi minha mãe ficar depressiva e infeliz ao lado dele). Não sei até que ponto isso pode estar condicionando minha visão, ou apenas me mostrando as coisas como realmente são. Tenho uma amiga cujos os pais são super parceiros. Um casamento que deu certo, mas sabe, eu olho pra eles e eu fico pensando… Será que eles, de fato, se amam mesmo? Se amam como homem e mulher ou será apenas uma bela amizade que surgiu com o passar dos anos? Tipo, um ser melhor amigo do outro…. Eu tenho certa dificuldade de acreditar nisso que vc tá falando e não é nem por mal, eu apenas… não consigo.

        • Jps

          “Se amam como homem e mulher ou será apenas uma bela amizade que surgiu com o passar dos anos?”

          Acho que uma coisa importante para se levar em consideração é que as pessoas tem libidos diferentes, então nem todo mundo tem a mesma vontade de transar de 20 quando tem 50 anos, rs

          As vezes, os casais se tornam sim mais amigos do que companheiros, mas não quer dizer que eles não transem ou não são felizes.

          É que nem a Lu fala….temos que ver as prioridades de cada um e se a pessoa realmente esta feliz com aquilo….se ela tem paz de espirito e não está numa relação tóxica.

          • Elisa

            “temos que ver as prioridades de cada um e se a pessoa realmente esta feliz com aquilo….se ela tem paz de espirito e não está numa relação tóxica.” Concordo

        • Mariana Cobra

          Nisso aí Elisa eu já não posso te ajudar pq as minhas dúvidas são as mesmas! Fico me perguntando se em algum ponto o amor romântico se torna fraternal, não sei, só o tempo vai dizer.

      • E se realmente acreditar nisso, não se case.
        Acho bizarro gente que fala que é normal, que é assim mesmo, que no fim dá tudo na mesma merda E SE CASA!
        Me explica que eu não entendo, Mari?
        Ok, eles acham que “seria pior ainda de outra forma”, que “seria pior ainda ser solteiro(a). MAS será mesmo? Acho que nada é mais traumático do que morrer sem ter ao menos tentado ser feliz. E pior, achando que ser infeliz é NORMAL e quem diz que vive o contrário disso está mentindo.
        Pq tem gente q chega ao cumulo de achar que quem “admite que o casamento tá uma merda” é sincero, quem não admite tá mentindo. Espelhos…

        • Mariana Cobra

          Eu quis dizer pra Elisa que a impressão obtida na observação dos nossos exemplos não foi boa e por isso muita gente acredita que o casamento vai acabar em barranco, mas isso não quer dizer que seja uma regra.

          Disse tbm que os casais da época dos nossos pais vieram de outra geração, uma geração mais acomodada e que utilizaram o casamento para muitos fins, exceto serem felizes…

          Eu acredito que podemos escrever a nossa história como queremos, basta desejar e correr atrás. E penso que meu casamento é um ponto fora da curva pela simples observação dos casais que nos cercam e digo mais sou mil vezes mais feliz com ele do que quando era solteira kkkkk.

          Quando alguém diz “tudo e todos são iguais” e “vai acontecer isso ou aquilo” é problema, pois estamos falando de seres humanos…

    • Monalisa

      Acredito que a paixão possa acabar com tempo, o tesão também. Mas o amor acho que fica, principalmente se você tem uma relação verdadeira de amizade com o parceiro (a). No caso do leitor, parece que levou o relacionamento meia boca por anos e a esposa dele também. Concordo também que a oferta para mulheres com mais de 40 anos é escassa, porque homem que se separa nessa idade, a maioria só quer mulheres mais novas. E para esposa do leitor, sem emprego, sem objetivo, melhor continuar casada.
      Acho que na epoca de juventude deles , so ficaram um com o outro por falta de coisa melhor, e foram levando com a barriga. Triste isso, eu sugiro também a separação. Antes tarde do que nunca.

      • Elisa

        Nossa, que merda, cara. Bateu uma bad agora. Desperdiçaram a juventude deles. Nesse ponto, concordo com a Luiza. Melhor ter coragem pra dar a cara pra bater do que perder anos a fio assim. Melhor ser só msm.

      • Mariana Cobra

        A maior parte do tempo é sossego, aconchego, carinho, cumplicidade e companheirismo. Na outra parte do tempo é fogo/paixão/vontade. Acho que vc e a @disqus_pRTgOxHCK4:disqus estão pensando demais no tempo.

        O tempo trás tbm uma vontade doida por sossego, a nossa biologia não aguenta 200 por hora aos cinquentão. Desacelerar o tempo tbm faz parte de viver.

        Aí como manter a paixão se na outra grande parte do tempo não tem o mínimo de delicadeza e carinho?

        • Jps

          “Acho que vc e a Elisa estão pensando demais no tempo.”

          Sim, pensando muito no fim e esquecendo que é importante aproveitar o presente também…o quanto durar

  • Jps

    “percebo que não tenho esta vontade mais, acontece que minha esposa é muito fechada e quase não temos diálogo, falta de assunto mesmo”

    Mas sempre foi assim, ou só agora?

    Pelo que me pareceu, esses problemas sempre rolaram, mas por causa da correria do dia a dia, criação da sua filha e tudo mais, você não percebeu a gravidade disso e foi empurrando com a barriga. Agora, com sua filha provavelmente formada e com a vida em movimento, vocês começaram a passar mais tempo sozinho.

    A resposta é simples, se separe.

    Nunca é tarde demais para procurar um novo amor e dessa vez, não se contente com migalhas.

    Pelo visto você tem uma vida financeira estável, então aproveite isso e viva um pouco………conheça novas pessoas, viaje, mas claro depois do divórcio.

    Um lado bom é que sua filha já é grande, então o baque sera menor….isso se ela já não tiver ciente do problema de vocês.

    Por fim, re-leia o texto da Mari e siga, caso tenha alguma duvida, rs

    • Me lembrei de quando era jovem e queria q meus pais se separassem. Jovem tipo nova mesmo!
      Na época achava q eles não estavam se fazendo bem, mas não sei se era uma “criança madura”, ou toda criança é esperta como eu era.
      Ainda bem q durou pouco, depois voltou ao normal e aí parei de achar isso kkkk. Pouco tipo meses, ou seja, era só uma fase mesmo. Ufa!

      • Jps

        ” mas não sei se era uma “criança madura”, ou toda criança é esperta como eu era.”

        Dependendo da idade, acho que toda criança as vezes pensa isso por algum momento. Não sobre os pais se separarem, mas se eles fazem bem um ao outro.

        Até casamentos bons tem seus altos e baixos, o importante é com respeito e amor passar por isso.

      • Franciele

        Eu lembro que, aos nove anos, disse a uma tia algo como “se tu continuar esse casamento por causa da prima, (pequena na época), mais tarde vai “cobrar” dela os anos perdidos”; vejamos se tu adivinha o que acontece hoje…

        • Não entendi nada kkkk
          Explica melhor?

          • Elisa

            kkkk Oh Luiza, a tia da Fran cobra da filha dela (que é prima da Fran) os anos perdidos num casamento fracassado.

          • Ia responder, mas ia parecer que tô fazendo bullying com a Fran

            Fran, vc vai superar e estamos contigo kkkk

          • Franciele

            Tu escreveu que, por ser esperta percebeu que o casamento dos teus pais não ia bem; eu passei pelo mesmo com relação a minha tia, e olha que nem morava com ela. O resto a Eliza já disse, rs.

          • Mas dos meus pais durou pouco tempo e parou. Daí sempre foi assim
            Mas depois d “véia” tb teve um lance tenso e eu conversei com os dois:

            Se quiserem se separar, eu apoio. Mas se forem ficar juntos, por favor (e blablabla falei k kk).

            O lance é q tem gente q nunca soube oq “é não ter problemas” e no caso dos meus pais, eles se amam até hj e é nítido. Faz toda diferença.

            Agora Fran, vc tem q fazer q nem eu: eles são eles, a gente é a gente kkk

  • Monalisa

    Cara, eu não consigo entender porque tanta gente acha que casar pelos filhos vai dar certo. Para que ter uma pseudofamilia de comercial de margarina? Já vi pessoas que criam seus filhos bem e são separados.É uma questão de organização e também de deixar bem claro para criança desde cedo a separação dos pais. Mas a maioria faz tempestade em copo d agua , já supondo que a criança será infeliz com pais separados. É mais duro um adolescente ver a separação dos pais do que uma criancinha na primeira fase da infância se acostumar com isso.
    Leitor, você protelou tanto , jogou tanta coisa com a barriga. Se quer mesmo se separar saia da sua passividade. E se separe. Arque com isso, divida os bens, mas tenha uma vida plena. Não contente-se com o mais ou menos que você se contentou até agora.

    • Elisa

      Eu era assim. Preferia que meus pais tivessem se separado. Conviver com a família esfacelada ferra muito o psicológico.

  • Elisa

    kkkkkkkkkkkk

  • Jps

    Senão fosse pelo teste de DNA, ia achar que ele foi enganado, hahah

  • Mariana Cobra

    O ápice da cagada kkkkkkkk

    • Elisa

      As interesseiras devem estar extremamente curiosas pra saber como ela executou essa proeza.

      • Franciele

        É uma combinação de fatores: semana fértil, aquela esfregadinha “inocente do lado de fora, sem camizinha e com ejaculação, ela deitada para facilitar e, como a entrada não é hermética, mesmo que exista hímem…

      • Mariana Cobra

        Vc já viu a velocidade que o esperma sai? Basta estar brincando na porta (como a Fran disse) que já elvis…

        Lembrei da “música” – Que tiro foi esse? hahahaha que merda

        • Elisa

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Rodrigo Silva

          Hahahhahahahahahaha!

        • hadassa

          Hit do verão ouço essa “preciosidade” musical todo dia minha vizinha é funkeira aqui no RJ então virou hino kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Franciele

    Leitor, que o divórcio é o caminho, tu já está bem grandinho para saber; entretanto, não adianta tu sair desse casamento, se o casamento não sair de ti.
    Não adianta querer terminar e, em vez de tomar a atitude, parar de agradar tua esposa, dar gelo e outras estratégias adolescentes, só pra ver se ela termina e te isenta do papel de mau da história;
    Não adianta querer se apaixonar por outra pessoa, em lugar do próprio égo como tu fez até pouco tempo e, contraditoriamente, acomodar-se a foda fácil que além de tudo de gratuita não tem nada de gratuita.
    Falta na tua vida uma grande dose de coerência entre palavras e atitudes, bem como, convencer-se que tu tem vivido um teatro por conveniência e comodismo, resultando em infelicidade como soi acontecer com quem age de modo imediatista e oportunista.
    Sim, tu foi oportunista ao fazer sexo com alguém que tu sabia não gostar de ti, e imediatista ao casar imaginando que as coisas mudariam como mágica, agora aceite o sentimento de tempo perdido como remédio amargo para parar de tentar se enganar.

  • Elisa

    kkkkkkk

  • hadassa

    Melhor comentário de 2018 começamos bem kkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Stanley Lewis

    Se não existe mais nenhum sentimento, a solução é o divórcio mesmo.

  • Agatha Bueno

    É o que sempre digo para as pessoas, baseada na minha vivência e outros exemplos à minha volta- casamento- o cotidiano não é fácil- se você não encontrar alguém que se esteja disposto a se sacrificar por você- jamais se case. Um péssimo namorado (a) não será um bom parceiro (a), quem dirá um bom pai/mãe. Antes de se comprometer com alguém pergunte a si mesmo- essa pessoa que está ao meu lado me inspira a ser uma pessoa melhor a cada dia !!? Estamos alinhados com os mesmos objetivos de vida- carreira, ter filhos ou não, independência financeira? Nós temos um projeto de vida? Nós nos sentimos totalmente à vontade um com o outro- ou seja- nós nos bastamos- não precisamos ter terceiros à nossa volta para que a relação funcione ? Nós temos lealdade e confiança recíproca? E também não case pelos motivos errados- senão pode ter um destino parecido com o caso em questão.

    • Roberto Silva

      Não precisa nem ser um(a) péssimo(a) namorado(a), se for razoável já demonstra que o que é difícil no futuro será impossível.

  • Milena Tyler

    Bem não concordo com a opinião concluída, e nem com a maior parte dos comentários.

    Até parece que nascemos como seres humanos perfeitos, e devemos realizar escolhas perfeitas…

    Pensando dessa forma, todos que erraram alguma vez na vida, ou mais de uma, e de alguma forma por uma não compreensão completa da situação, ou por outros diversos fatores, são todos bundas mole, inclusive a contra parte na história aí ou a “culpa” é unilateral?

    Quem somos nós para saber o que se passa na cabeça e no íntimo de cada um?

    Errou? Sempre é tempo de corrigir, avaliar, ponderar a próxima atitude a se tomar, acho que é isso que o leitor veio procurar.

    Esses conceitos prontos de faça assim, ou se fez isso mude para aquilo, ou errou feio não é assim que se age, etc, é muito fácil na teoria, na prática a coisa toda é muito diferente.

    Muitas vezes a pessoa está estruturando o próprio interior enquanto a vida se desenrola, ou já tem crenças fortes e arraigadas, que direcionam todo o modo de agir e pensar, e isso não se muda como se fosse um passe de mágica.

    Como diz a frase: Quem não tiver errado na vida, que atire a primeira pedra. Não conheci em vida absolutamente ninguém assim.

    Quanto a viver com uma pessoa que não admiramos, que não amamos, etc, em partes concordo. Se está infeliz, ajuste as velas de seu barco e saia do relacionamento que não te alavanca como ser humano.

    Mas também sonhar que vai estar vivendo super bem, sempre, em todos os aspectos com uma pessoa em particular, isso soa aos meus ouvidos como conto de fadas. Relacionamentos são complexos, e temos que superar as diferenças diariamente, a vida toda, se pretende estar com alguém a vida toda. Mas com certeza, há algumas “tampas” que se encaixam melhor que outras. Aí vai de quanto a pessoa tem sabedoria para identificar isso, e apostar no que acha melhor para si.

    No mais caro leitor, a vida é muito mais ampla do que as opiniões que são postadas aqui. Reconheça as suas próprias profundidades, e aja conforme o que acha que é o correto para você. Acolha as opiniões que achar que lhe somem positivamente. E boa sorte!

    • Milena, mas esse povo que fala que é corajoso pq “nunca abre mão de nada” na verdade é bundão (com o perdão da palavra kkk)

      Pra mim, não faz sentido nenhum falar que quem pensa “não mudo nada na minha vida”, “só sigo ideias fixas”, “tenho a cabeça mais dura que pedra”, “não aceito as mudanças”, “tenho constante medo de fracassar”, “tento controlar tudo o tempo inteiro”, é uma pessoa corajosa. Muito pelo contrário: a pessoa tem tanto, mas tanto medo, que prefere apenas falar que é “pq segue ideais”, pra ficar mais bonito, do que apenas assumir q tá se cagando todo (a) kkkk

      • Milena Tyler

        Oi Lú! Tudo bem? Então, se o caso for realmente insegurança e a pessoa precisa de uma “sacudida”, algum tipo de orientação nesse sentido é válida.

        Tenho um amigo que levou um pé na bunda, no casamento exatamente por isso: Seguir ideias rígidas, que no fundo eram em sua totalidade insegurança.

        Mas não tem como avaliar com propriedade no relato do leitor que seja esse o caso, e na verdade não consegui identificar esses traços ou essas nuances no relato dele (de insegurança).

        Mas como disse no meu comentário anterior, podem ser muitas, muitas coisas. Insegurança no meu entendimento deve ser tratada, até mesmo em um consultório se for o caso.

        No mais, acho que ele deve sim ajustar as velas da própria vida e não esperar que as coisas caiam do céu. Bem é isso, rsrs

        PS.: Para os homens que tem um boa “saúde financeira”, e uma auto-imagem decente, fica muito mais difícil sofrer de insegurança nos relacionamentos. Fica a dica.

        • Jps

          “Mas não tem como avaliar com propriedade no relato do leitor que seja
          esse o caso, e na verdade não consegui identificar esses traços ou essas
          nuances no relato dele (de insegurança).”

          Não sei se é insegurança, mas pelo relato do perguntador ele não tem assunto com a esposa e só consegue ficar a sós com ela quando vai transar. Só isso já mostra que algo esta errado.

          Ele manter uma relação assim, já diz que algo não esta muito certo com ele, talvez ele a ame demais, mas mesmo assim ele precisaria perceber que não ta sendo uma mão de via dupla.

          “PS.: Para os homens que tem um boa “saúde financeira”, e uma auto-imagem
          decente, fica muito mais difícil sofrer de insegurança nos
          relacionamentos. Fica a dica.”

          Mais ou menos…as pessoas mais inseguras, as vezes, são as mais ricas, mais bonitas e etc. Só ver a galera de hollywood

          • Milena Tyler

            Entendo seu ponto de vista. Claro que algo está errado, senão ele não teria se dirigido a este tópico.

            O que quis dizer, é que achei a conclusão do relato estereotipada demais, já logo do início. Mas cada cabeça uma sentença. Procurei de alguma forma contribuir para que haja mais espaço para reflexões, em resumo o que quis dizer é exatamente isso.

          • Jps

            Tendi.
            Sim, que nem você disse no primeiro comentário, o melhor que ele tem a fazer é ler tudo e absorver o que ele achar legal.

          • E fez muito bem em dar a sua opinião. Inclusive, os leitores sempre elogiam muito vcs. Dizem que conseguem ver mil pontos d vista em um site só kkkkk
            Eu tb adoro isso. Ainda mais que quero deixar minha mente cada vez mais livre, que nem passarinho (?!)
            Tô no processo, mas a luta é constante pq nosso cérebro tende a ser danado e acomodado. Mas ao sabermos disso, a gente vai trocando altas ideias q nem fazemos aqui s2

  • Ariel jablonski

    Esse cara deve ter sido péssimo aluno em biologia kkkk. Que cara besta porque não dizer BURRO? Dois jovens uma moça e rapaz saudáveis ele pensou o que? Só ficar de esfrega e esfrega “brincando” sem penetrar com a namorada sem usar camisinha não teria risco dela engravidar repito esse homem bem burrinho. Quem já viu no microscópio espermatozoide sabe a velocidade como esse bichinhos são rápidos e pula igual sapo desesperados ao encontro de um útero aff.