Coloquei Metacril nos glúteos para agradar meu ex e me arrependo até hoje!

21

“Fui casada com um homem totalmente abusivo”

Leitora: Olá Luiza, amo seu blog! Bom, vou direto ao ponto para não escrever textão! Eu fui casada com um homem totalmente abusivo e isso destruiu minha vida por um bom tempo. Eu sou magra, corpo estilo europeia, ombro um pouquinho mais largo que quadril e magrinha. Eu ouvia tanto que não tinha bunda, (realmente era pequena, mas meu bumbum era lindo) que comecei a me sentir muito mal.

Ele vivia babando em fotos de mulheres bundudas e até comentários sobre o corpo delas fazia. Eu acabei fazendo a pior desgraça da minha vida, que foi colocar Metacril no glúteo. Coloquei uma quantidade pequena, com um médico considerado o melhor. Mas mesmo assim tem riscos. Graças a Deus, tenho há 5 anos e nada aconteceu, pelo menos ainda, mas minha bunda está com volume duro. Estou em um relacionamento com um homem maravilhoso, o oposto do meu ex-marido, muitas vezes sinto vergonha de transar com ele por causa da minha bunda. O resultado ficou bom, não mudou muito, mas eu preferia meu bumbum natural. Até esteticamente pra ser sincera, pq agora tenho bunda mas preferia retinha. Se estou transando por cima, ou na posição vulgarmente chamada de 4, fica um volume duro que não é visível, mas é palpável. É horrível, me entristece muito! Pior que se mexer pra tentar retirar o produto pode dar mer… fora as cicatrizes que vão ficar.

Eu tinha um corpo perfeito e estraguei. Agora morro de vergonha de transar com meu atual companheiro. Homens se importam em sentir esse volume duro tipo uma bola apalpando bumbum? Não está visivelmente feio, mas é um produto estranho, volume duro. Estou muito arrependida. Isso está detonando minha vida sexual, não consigo transar sem encanação e me soltar como antes, sempre penso no volume duro que é possível apalpar e sinto muita vergonha. 


“Homens se importam em sentir esse volume duro tipo uma bola apalpando bumbum?”

Vou deixar essa para os leitores do blog. Porém, recomendo que também assista ao meu vídeo sobre “Vergonha do próprio corpo, em que dou minha opinião também =)

Agora vamos lá: se tudo tem o lado bom, ao menos esse seu ocorrido serviu para ensinar três coisas às outras mulheres (e homens também, por que não?):

1- Jamais mudar o corpo apenas para agradar terceiros, visto que, como podemos ver, o resultado pode ser traumático para a vida inteira.

2- Serve também de alerta sobre o Metacril, bem como a necessidade de pesquisar muito bem sobre todos os prós e contras antes de fazer qualquer procedimento estético.

3- Parceiros(as) podem não nos acompanhar para sempre. Porém, nosso corpo, sim. Cuidemos bem dele.

“Tá Luiza, mas e eu, como fico?”

Não estou querendo minimizar a sua dor, mas você não acha que está, mais uma vez, se preocupando demais “com os outros”? Não que a gente não tenha que agradar nossos parceiros, porém, você percebe que tanto com um, quanto com o outro, você estava tão fissurada em agradar, que acabou se desagradando?

No primeiro você quis ter bundão “porque ele queria”. Agora com esse outro você está neurando de novo, só que pelo motivo do “vai que ficou duro demais”.

Mais uma vez, não quero minimizar a sua dor. Porém, não duvido nada que, caso fosse possível retirar esse produto, você poderia passar a neurar com o peito, com a barriga, ou com sei lá mais o quê. E sabe porque acho isso? Porque já deu pra perceber algo que você mesma já sabe: você quer agradar aos homens. Não bem a você mesma. Parece clichê de “feminista pentelha”, mas sério, não é isso que está acontecendo?

Até onde vai a sua vaidade em querer agradar o tempo inteiro? Você não acha que esse próprio trauma com o metracril já serve para, por sua vez, parar de inventar “moda” ao querer cair de novo nessa vibe neurótica-da-mulher-perfeita de antes? Ou seja, que se não tem como retirá-lo, mais vale você tentar lidar da melhor forma possível com os fatos – nem que seja com terapia (veja a diferença entre conselheiros, psicólogos e psiquiatras), do que apenas ficar se punindo por isso?

Eu sei que nem tudo “é fácil” como minhas palavras, e é justamente por isso que te dei as sugestões acima. Mas também sei que já está na hora de você pensar um pouco mais na sua saúde mental do que em qualquer outra coisa. Até porque:

1- Se isso fosse tão broxante para ele, ou até mesmo mais importante do que a pessoa que você é, ele não se relacionaria contigo.

2- Sexo bom tem muito mais a ver com conexão entre almas do que se a pessoa que você está transando tem o peru pequeno ou a bunda dura, por exemplo.

3- Sim, sempre podemos melhorar. Porém, tudo em excesso não só faz mal, como pode acabar inclusive afastando o seu namorado de você, visto que ele pode pensar que você é uma robô fútil e vaidosa. Ou no mínimo, uma pessoa que não se entrega ao sexo, uma mulher sem personalidade e coisas que, claro, podem ser falaciosas, mas concorda que é o que você pode estar passando ao se comportar assim?

É fato que todo mundo tem medo, que todo mundo chora e não só podemos, como devemos, compartilhar nossos medos (isso inclusive também ajuda na conexão entre o casal). Mas não faça seu relacionamento girar em torno do tema “medo de reprovação”. Entende a diferença?

Ah Luiza, mas eu tô preocupada com a minha saúde

A gente sabe que, ainda que isso seja também uma verdade, sua maior preocupação é ele. Então, reveja isso e não se engane.

Sem contar que, bem como estava dizendo, podemos e devemos sim, fazer (quase) tudo para melhorar e agradar nosso parceiro. Mas esse “tudo” jamais poderá te prejudicar – até porque esse negativismo reverberará no outro que, ironicamente, você queria agradar.

Eu, por exemplo, tenho feito uso de cintas e alguns tratamentos contra celulite. Tem melhorado bastante, porém, a depender da época do mês, parece que elas voltam com mais força. Sem contar nossa TPM que, se a sua for forte como a minha, pode te engordar até 4/5 quilos!

Daí eu te pergunto: você acha mesmo que vou deixar de fazer minhas coisas, de me fazer bem e fazer o outro feliz porque “nossa, nem tô tão gata como no instagram hoje”? Fia, quando você sabe que a sua mente e a sua alma são únicas (a de todas nós é), você até se importa (e “neura”) com a aparência, mas isso não te paralisa, entende?

Meu conselho: pesquise sobre a retirada desse produto, inclusive no exterior. Veja qual é o país que tem a tecnologia mais avançada para a remoção do mesmo e, se possível, arrume até outro emprego para poder pagar o tratamento. E enquanto nada acontece, brinque com a sua situação, se divirta enquanto busca, sim, melhorar. Isso melhorará a sua saúde, a sua autoestima e, consequentemente, te fará ser um ser humano muito mais agradável para os outros e, fundamentalmente, para você mesma.

Sem contar que, se certamente você irá envelhecer, é sua alma que segurará o seu relacionamento, né não? E outra: aposto que ele também deve ser/estar cheio dos defeitos e nem por isso fica “nossa, acho que minha namorada vai me trocar por outro melhor”. Viu? Aprenda com ele, porque ele está certíssimo!!

Relaxe, vai lá fazer um sexo gostoso com ele e dar umas risadas. A vida é assim mesmo, às vezes a gente faz merda, depois a gente acerta e o importante é continuar sempre em frente.

Boa sorte e um beijão;

Lu

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.