Descobri que meu marido me traiu com travestis durante anos

41

Leitora: Luiza, sou uma mulher de 33 anos, tenho três filhas e sou casada com um homem de 38 anos. Faz três meses que estou separada do meu marido, ainda não nos divorciamos, mas não vivemos mais juntos.  A razão dessa separação foi uma profunda decepção que tive com meu marido, pois descobri que há anos ele vinha se encontrando com travestis para fazer sexo como passivo.

Descobri várias fotos e até vídeos em seu computador com ele se fazendo de mulher para os travestis. Essa descoberta foi profundamente chocante e revoltante para mim, pois além do sentimento óbvio de traição, também senti sua masculinidade se dissolvendo por completo à medida em que via as fotos e assistia aos vídeos. Foi o pior sentimento da minha vida descobrir que meu marido na verdade nunca foi homem.

Naquele dia, quando ele chegou em casa, despejei tudo o que sentia em cima dele, o ofendi tremendamente, o expulsei de casa e ele saiu chorando convulsivamente. Passamos dois meses inteiros sem nos comunicar, sem trocar uma palavra sequer, mas há cerca de um mês retomamos o contato. Ele se mostra profundamente arrependido do que fez, jura que nunca mais vai se encontrar com um travesti, diz que continua a me amar profundamente e afirma que não consegue viver longe das filhas. Eu também me arrependo da reação que tive com ele quando descobri e confesso que sinto muita falta dele, mas ao mesmo tempo, me sinto profundamente traumatizada e violada por sua traição. Sempre que nos encontramos ele pede muito que eu o aceite de volta e chora profundamente por arrependimento, mas eu sempre peço um tempo para pensar melhor.

Luiza, eu confesso que apesar de tudo continuo a amá-lo e no fundo desejo que ele volte. Será que devo dar-lhe uma segunda chance? Será que posso confiar que ele não volte a se encontrar com travestis? O que você faria no meu lugar? Obrigada.

Descobri que meu marido me traiu com travestis

“O que você faria no meu lugar?”

No seu lugar, eu não voltaria mais com ele. E até o final desse post, vou tentar te explicar todos os motivos, ok?

Primeiramente, ainda que saiba que, pra tudo na vida tem exceção, esse fetiche por travestis parece ser algo muito maior do que ele. Ou seja, parece ser algo que ele realmente gosta e se sente realizado. Tanto é que até filma, guarda lembranças e tá na mesma há anos.

Outra coisa que me faria não acreditar nele, é o fato de trabalhar com isso. Já atendi, e atendo, muitos homens com todos os tipos de “problemas” e “fetiches”, e te afirmo uma coisa: já vi traidor virar fiel (arrumou alguém que ama de verdade, por mais que isso possa parecer polêmico, ou simplesmente amadureceu, etc), mas nunca vi um fetichista – seja lá qual fetiche for – deixar de ser fetichista. A não ser que se trate de fetiches pontuais. Por exemplo, querer fazer um a três, querer fazer em um banheiro público e coisas que, em geral, só da pessoa realizar já fica satisfeita e não sente mais necessidade de repetir. Porém, fetiches como “gostar de fazer com travestis”, “gostar de usar lingeries femininas”, “gostar de fezes”, entre outros, dificilmente são “revertidos”. E sabe por quê? Porque costumam ir muito além de uma “simples brincadeirinha/curiosidade” e pegam muito mais num plano psicológico – e a depender do caso, até mesmo de orientação sexual – do que qualquer outra coisa.

Eu, Luiza, também não acho que gostar de sexo anal passivo faz um homem deixar de ser hétero (assista a esse vídeo em que explico tudo), até porque, muitas mulheres gostam de anal e nem por isso são lésbicas ou “menos mulheres tradicionais”. Porém:

1- Ele poderia ter pedido pra você fazer, não uma travesti.

2- Por mais que a traição seja horrível: por que ele, mais uma vez, escolheu uma travesti, não uma garota de programa? Muitas fazem esse serviço.

3- Por fim, com travesti, mulher de balada ou garota de programa, qual é o peso que a traição tem em sua mente?

E ok, você até poderia pensar que ele talvez não tenha te contado justamente por ser chocante demais. Porém, não deixa de ser uma traição e também não deixa de ser um gosto que, acredito, ele preferiria não ter (raramente alguém quer gostar de um tabu social). Mas ele tem, e por mais que te ame e o choro seja sincero, sempre existirá esse lado muito forte dentro dele.

Sendo assim, a única solução seria você aceitar esse fetiche e realmente conseguir viver FELIZ com isso, ou ele trocar de cérebro/coração. Do contrário, ou ele continuará contigo fingindo que não sente mais nada por travestis (e ficará frustrado caso de fato pare de fazer), ou você fingirá que tá ok ele sair com elas, enquanto se sentirá paranoica e deprimida com os gostos que você nunca aceitou de coração, mas sim engoliu pra não ter que passar pela dor da separação.

Sem contar que, continuar com um homem que, na sua cabeça, já não é mais homem, é pesado demais e você sabe disso.

Por essas e outras, preferiria me acabar de chorar e depois superar do que voltar com ele e nunca mais ter paz, até porque já deu pra entender que o fato de vocês se amarem é o de menos por aqui.

Quanto ao argumento do “viver longe das filhas”, achei muito mais um apelo emocional pra vocês não se separarem do que um fato em si. Além do mais, se a gente sabe que quem quer dá um jeito, é só você dizer que ele sempre poderá ir ver as filhas dele; que poderá passear, viajar, etc. Ou seja, não é porque vocês não serão mais casados que ele deixará de ser pai. A não ser que ele não queira ver as filhas dele, o que obviamente, não é o caso. Se é assim, é realmente necessário saber diferenciar a vida de pai/mãe da vida emocional de vocês. E não adianta aceitar o moço “só porque ele é o pai” e a mãe ficar que nem um zumbi cheio de sequelas toda vez que olhar pra cara dele dentro de casa.

Por fim, voltando ou não, procure terapia e acompanhamento. Você está visivelmente abalada e não me parece que irá conseguir se curar disso sozinha, muito menos voltando com ele. A propósito, a última coisa que você deveria se preocupar por agora é com o seu marido, mas sim com voltar a ter sua estabilidade emocional, essa sim, pelos filhos de vocês. E aí quem sabe, DEPOIS pensar em alguma escolha.

Peça exames de DSTs e faça os seus também. Não necessariamente pelas travestis, mas sim pelas traições.

Boa sorte.

Luiza

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.

  • Monalisa

    “Outra coisa que me faria não acreditar nele, é o fato de trabalhar com isso. Já atendi, e atendo, muitos homens com todos os tipos de “problemas” e “fetiches”, e te afirmo uma coisa: já vi traidor virar fiel (arrumou alguém que ama de verdade, por mais que isso possa parecer polêmico, ou simplesmente amadureceu, etc), mas nunca vi um fetichista – seja lá qual fetiche for – deixar de ser fetichista”.
    Concordo totalmente com a Luiza. Acho que o fetiche está tão enraizado nos hábitos dele, que seria difícil abandonar.
    Eu não voltaria, primeiro: porque traição é traição, não interessa se é com mulher ou travesti. Segundo: dificilmente ele largaria o fetiche. terceiro: dificilmente vocÊ conseguiria ter paz de espirito com isso. Com certeza inconscientemente ou conscientemente você ia ficar fiscalizando, procurando se ele fez de novo, e isso ia fazer da sua vida um inferno. quarto: acredito que sua auto estima tenha ficado abalada com isso, ou seja, esse fetiche dele, prejudica até sua confiança como mulher.
    Ninguem gosta de terminar uma relação de anos, sei que é muito triste, essa falta que sente dele é natural, vocês tem filhos juntos, uma vida juntos. Mas você já fez a parte mais dificil que é separar ( fisicamente) dele, e acredito que deveria continuar assim e pedir o divorcio. Esqueça desse negocio de que “não quer que seus filhos cresçam sem o pai”, se ele for um bom pai agora, será também separado. Cobre a pensão e atenção que seus filhos precisam do pai. Mas você também é uma mulher, além de mãe e precisa ser amada e desejada.
    Não cometa o erro de empurrar as coisas com a barriga, essa dor inicial é grande mas vai passar. Siga firme na separação, se vocÊ voltar com ele dara varios passos para trás na sua “recuperação” para esquece-lo. Siga em frente!

    • josè

      Que me deixou surpreendido foi o fato dele ter as imagens guardado e a esposa achou ,imagina se fosse as filhas !

      • Monalisa

        Tem alguns homens que são relaxados com isso. Por isso dizem que quem trai mais é o homem, mas não necessariamente. é que as mulheres são mais espertas para trair. Alguns Homens parecem muito burros para esconder provas. kkkk
        Como esse ex marido ( espero) da perguntadora.

  • Rodrigo Silva

    A atitude mais sensata é nao voltar! A única preocupação dele é se ela vai revelar o fetiche dele a alguém. Só está querendo contornar essa situação.

    • Mas vc acredita q mesmo assim ele pode amá-la, Ro?

      • Rodrigo Silva

        É difícil imaginar se alguma vez existiu amor de verdade… Pode ter existido… Ou existe ainda… Mas com certeza o que está em jogo agora não é isso.

  • josè

    Por mais que vc aceite ele é de uma nova chance ,vc não vai conseguir viver com isso na cabeça ,o pior que vc viu a imagem e isso vai ficar sempre na sua mente e nas lembranças !
    Se vc não consegue lidar com esse problema,nem adianta continuar!

  • Ana Elisa Bacon

    eu acho que ele está arrependido de verdade.
    mas caso eles voltem, capaz de ele sentir falta desse fetiche. aí vai depender da comunicação e tolerância entre o casal, caso ele peça pra mulher fazer inversão.
    caso não voltem, espero que esse trauma não seja eterno na perguntadora e que ela consiga ser feliz com o próximo boy.

  • Franciele

    Leitora eu concordo totalmente com a Lu, quando escreve que o fato de um homem gostar de estímulo anal não o torna define orientação sexual; sabia que existem gays cujas práticas não envolvem penetração anal ou ela não é o principal? Pois bem, insistir nesses rótulos, para mim, é tão incoerente quanto achar que mulher que gosta de determinadas posições ou faz muito barulho durante o sexo é puta.
    Entretanto, no teu caso específico, as imagens e fotos provam que ele gosta não somente do estímulo anal mas também do contexto, o que te coloca em posição de nunca ser “suficiente” sexualmente em razão do fetiche.
    Entenda que, caso ele gostasse apenas do estímulo, poderia ter contratado alguma garota de programa, conversado contigo sobre usar um strap on (cinto com pênis de borracha acoplado), enfim, buscado alternativas de conciliação, portanto, se tu o aceitar de volta, terá que ser compassiva com essa preferência que não te envolve.
    Pessoalmente, eu não voltaria, porque houveram duas quebras de confiança, primeiro por ele não ter te contado do que gostava sexualmente, porque acredite, fetiches são descobertos bem cedo quando existem, e segundo por ter estado sexualmente com outras pessoas, quando o acordo de vocês era de exclusividade.

  • Noêmia Morais

    Bom dia…
    Cara leitora, há um dito popular que enquadra-se em sua situação:
    “para acontecer a segunda basta a primeira!”
    Se ele tivesse a intenção em não fazer mais, a situação não teria perdurado por anos… como vc mesma afirmou.

    Se acontecesse comigo, não voltaria mais, ele não respeitou a relação de vcs!!!
    Vc já parou para pensar que o motivo do choro dele pode ser por medo de vc divulgar o feito ou das filhas descobrirem?!
    E outra, ele “deixou” de ser marido não pai!!!!

    E como a @luizacosta2006:disqus bem disse, vá cuidar de vc, procure ajuda, se não por vc, mas por suas filhas de dependem de sua saúde mental e física!!!!

    • “Se ele tivesse a intenção em não fazer mais, a situação não teria perdurado por anos… como vc mesma afirmou.”

      verdade, ótimo adendo, Noemia

  • M Holmes

    Eu tbm não recomendo voltar, pois ele não agiu de boa fé com vc nestes anos em que praticou este fetiche sem vc saber. E preconceito não é desculpa para uma pessoa trair a outra nesta situação em específico, pois seria melhor para os dois se ele tivesse se separado para ter a liberdade de sair com quem ele quisesse. Neste momento, o melhor a se fazer é cuidar de si procurando uma terapia (pois superar separação nunca é fácil) e deixar claro à ele que não quer pensar em voltar agora.

    • Noêmia Morais

      Nem agora, nem pra “frentemente”!!!!

      • M Holmes

        Sei lá, aí vai depender do que ela vai sentir no futuro e de como ele vai agir daqui para frente. Fora que, quando eu falei agora, é no sentindo de ela não ficar repensando em uma volta neste momento em que ela esta traumatizada com a situação. Mas, acho difícil depois de uma boa terapia a pessoa querer voltar em um situação que a machucou, mas pode acontecer (desde que seja para a felicidade dos dois, tá tudo certo).

        • Vc acha q ele conseguiria ficar sem lepozar com travestis, Holmita?

          • M Holmes

            Acho pouco provável, Lu. Porque uma vez que a pessoa descobre ter muito prazer em algo (como um fetiche), é difícil largar. No caso dele, acredito que virou um vício no qual ele botou seu casamento a perder, ou seja, não soube lidar de uma maneira que não prejudicasse ninguém. E concordo com a Mari que, neste momento, ele precisa arcar com as consequências de seus atos.

      • Como vai minha ex cabeluda?
        Hoje tem dica pra crescer cabelo no canal, mas NÉ, vc é gata d qualquer jeito kkk

        • Noêmia Morais

          Estou bem meu amor, um pouco atarefada com o trabalho e faculdade, mas sabes que mora em coração, sempre te acompanho no insta!!!
          Sobre o cabelo, se eu soubesse que me sentira tão bem, teria cortado ele antes.

          • Eu pensei q vc sempre deixasse crescer pra doar, que fosse tipo um habito cresce e doa cresce e doa, sabe?
            Quanto ao insta, eu sei q está sempre comigo s2 somos manas a distância agora kkk
            E obrigada pelas orações tb, achei mt fofa vc na missa naquele dia

          • Noêmia Morais

            Não amore, foi a primeira vez… só tive cabelo curto qnd tinha 3 anos de idade!

  • Mariana Cobra

    Será que se você não tivesse descoberto nada ele ainda teria essa vida dupla?

    Eu não voltaria tão somente pela quebra de confiança e teria a mesma atitude se descobrisse que ele saia com mulheres.
    Agora ele terá que arcar com as consequências das próprias escolhas e você com a separação.

    Não adianta chorar pelo leite derramado!

  • Marcelo

    Minha definição de um homem heterossexual: é o cara que sente desejo apenas por mulheres nascidas mulheres, a mera ideia de tocar um homem o repugna (mesmo que seja uma transsexual das mais femininas), o seu ânus é uma zona proibida e é utilizado única e exclusivamente para defecar, o seu pênis não fica ereto nem para a mais bela das ”traps” (“trap” significa ”armadilha em inglês e é também uma gíria usada para designar travestis).

    O fato é que o seu marido buscava ”traps”, para comerem brioco dele, pois assim se sentia menos gay, fato da vida.

    Pelo bem das suas filhas e da sua sanidade, termine de vez com este casamento.

  • Gaia

    Eu TB não voltaria. Não pelas travestis (TB não vejo o prazer anal como sinônimo de homossexualidade), mas pela traição em si. Não duvido que as lágrimas deles sejam sinceras e que ele tenha vontade de não fazer mais isso (como a Luiza disse, é duro gostar de algo visto como tabu social), mas se fosse só uma questão de vontade ele já teria parado. E mesmo que pare, vcs cairiam naquele relacionamento em que uma das partes é infeliz para agradar a outra (e por mais que ceder faça parte de uma relação, ninguém deveria ceder em algo que o torna infeliz). Não vale a pena. Como a Lu disse, amar nem sempre é o suficiente

  • Roberto Silva

    A pergunta que eu faço pra vocês não é se ele merece uma segunda chance. A pergunta é: será que este homem não merece ser feliz? Eu sei que ele traiu, escondeu e fez coisas que ela não aceitou. Mas agora já passou, ela sabe e diz que o ama ainda. Eu não sei se ele a quer de volta por comodismo e depois seguirá fazendo o que já fazia. Vou pensar apenas que agora ele está nu diante dela. E provavelmente saiba como é difícil na nossa sociedade viver com desejos que não são socialmente aceitos.
    Quando ela diz que apesar de tudo ela ainda o ama, e vem até aqui perguntar, todas essas respostas dadas por todo mundo, já foram devidamente dissecadas por ela. Agora ela tenta entender também o que se passa com ela. Sabe, ela passou de fase, cresceu como pessoa e o julgamento moral se esvaiu.
    Concordo que esta situação talvez não tenha solução. Concordo que ele pode repetir a situação, mas me pergunto se os dois não podem achar o que faz com que ainda existe alguma coisa.

    No fundo tantas pessoas conseguem vencer vícios pq querem viver melhor, muitas vezes sabendo que os vícios nem afetam tanto sua vida. Mas tem muito fumante, usuário de álcool e de drogas, que mesmo que o vício não afete, em determinado ponto da vida sempre acha melhor abandonar velhos hábitos em prol de momentos melhores.
    Acho que ela gosta dele e talvez até aceite o fetiche, só tem medo do julgamento moral e do inconveniente que seria se os amigos e familiares souberem. No fundo ela não faz por ela, faz pelo que as pessoas pensam, e justamente por isso que ele escondeu. E justamente por isso tudo que pode ser que ele queira ela de volta, hoje ela é uma cúmplice dos desejos dele, coisa que talvez nunca mais ele consiga ter.

    • Monalisa

      Interessante seu ponto. Mas a problemática número um para mim não é nem o fetiche, e sim a traição, ainda com conteúdo guardado! Se ele tivesse traído ela com uma mulher mesmo assim eu teria dito a mesma coisa. Porque a base de uma relação é a confiança. É complicado confiar de novo, e depois não jogar na cara na primeira briga, não ficar fiscalizando, e duvidando cada vez que ele for sair. Mesmo ele traindo com homem, mulher, travesti, sendo ativo ou passivo, pouco importa, e sim essa confiança que dificilmente ela voltara a ter nele, e que pode só gerar mais magoa, e torna-la até uma pessoa “pior”, podendo ela se tornar controladora, chata, neurótica etc.
      Dessa forma ele pode até mudar e não a trair mais, o ponto é, sera que ela vai acreditar nisso? ou ficar louca tentando sempre descobrir se ele a traiu de novo?

      • Mariana Cobra

        Pra mim pesa tbm o fato que ela descobriu sozinha, ou seja, se ela não achasse os arquivos, ele ainda estaria envolvido com isso.
        Então esse tipo de arrependimento pra mim soa falso e descabido.

        A melhor coisa que ela pode fazer é ficar longe dele e entender que a paternidade não acaba com divórcio.

    • Mariana Cobra

      Concordo com a Monalisa que o ponto chave não é o tabu, mas a quebra do pilar fundamental de toda relação que é a confiança.
      Mesmo que ele nunca mais faça isso e que ela “perdoe”, essa traição estará para sempre entre eles, desta forma, a paz de espírito dela acabará.
      Pense tbm que Trair envolve mentir, ludibriar, dissimular, esconder e encenar uma realidade que não existe.
      Quem faz tudo isso que disse acima não pensa no outro, nos sentimentos do outro, na família, filhos ou na saúde física e mental do outro. Pensa tão somente na satisfação dos próprios desejos, mesmo que esses desejos sejam momentâneos.
      Ele teve uma escolha que era sentar com a esposa e devagarzinho ir preparando e criando uma cumplicidade para quem sabe eles evoluírem a sexualidade e aceitação dela. Mas não, ele preferiu arriscar, mentir e sabe mais lá o que.
      Concordo que realmente não é fácil para ele que ela tenha descoberto dessa maneira tão terrível e que esteja numa fragilidade gigante, nu (como vc mesmo disse), mas isso não quer dizer que tudo o que passou deixou de ter peso.

      Por fim, eu jamais iria querer ter ao meu lado um mentiroso, desleal e traidor. Aceitaria de boa usar a cintaralha, brinquedos e qualquer coisa entre nós dois e entre quatro paredes para satisfazer a ambos, mas aceitar mentira e falsos arrependimentos, JAMAIS!

      • Roberto Silva

        Olha, o que eu acho que ela já perdoou. E todos os dia assistimos casais se perdoando por traições e seguindo em frente. A segunda dúvida é se ele vai voltar a se encontrar com travestis. Fala em segunda chance, que significa exatamente isso: chance. E supondo que um casal hétero se dê uma segunda chance, a traição também não é um fetiche? Muitas vezes o casal tem tudo em casa e um dos dois, ou os dois, saem procurando o que? também é fetiche.
        O que você fundamenta é o que eu penso. O que eu quero avançar é sobre o tabu de ser travesti, que no fundo eu acho o mesmo problema.
        Fernando Pessoa já dizia que a ferida dói como dói, e não em função da causa que a produziu.
        Se vocês acham que depois de uma traição não se deve dar novas chances, eu acho que isso deveria estar num editorial do blog, algo como: se você foi traído e ou traiu vá chorar na cama que é lugar quente, já que aqui é um espaço que não aceita e não discute segundas chances depois de traições.
        Em nenhum momento da pergunta dela ela diz que o medo é que ele volte a trair, basicamente talvez ela nem se importasse se não fosse travesti, e como todos dizem aqui, se no relacionamento a traição está combinada, deixa de ser traição.
        Olha qual é a pergunta dela: Luiza,
        eu confesso que apesar de tudo continuo a amá-lo e no fundo desejo que
        ele volte. Será que devo dar-lhe uma segunda chance? Será que posso
        confiar que ele não volte a se encontrar com travestis?

        • Mariana Cobra

          Oi Roberto. Adorei seus pontos de vista, mas mesmo curtindo a sua opinião, ainda encontro divergências insanáveis.
          “todos os dias assistimos casais se perdoando por traições e seguindo em frente”. Na real vemos casais acomodados e com medo de separar e ter que lidar com o novo, com a vida e com a solidão. Então eles se perdoam da boca pra fora, mas o ressentimento está ali e a relação em 90% dos casos ficará manca, frágil e com dois adultos se digladiando nas primeiras oportunidades…é isso o que vejo.

          Sim, todos merecem segundas chances. Ela merece, ele merece. Mas será que essa segunda chance não diz respeito em começar com outra pessoa e não cometer os mesmos erros?

          “Se vocês acham que depois de uma traição não se deve dar novas chances, eu acho que isso deveria estar num editorial do blog”.

          Mas isso é o que EU acho e é a minha filosofia de vida e meu marido sabe disso assim como sei que ele agiria da mesma forma. Já tive muitos exemplos para saber no dia a dia que perdoar um traidor só trás males para família, saúde física e mental do traído (e filhos), portanto, acredito em ação e consequência.
          Escolheu trair? Eu escolho terminar e recomeçar a minha vida e poupar a minha paz interior, pois me conheço ao ponto de saber que jamais viveria em paz, tranquila e feliz.

          Agora se a moça não é como eu, bora perdoar e seguir em frente e nunca mais lembrar desse episódio.

          Assim sendo, resta-nos saber se o que ela sente por ele é só amor ou se ela está movida pelos planos futuros que voaram pelos ares, pelo tempo investido na relação ou pela falácia “manter o casamento pelos filhos”.

          Por fim, acredito que SÓ o amor não segura as pontas e qualquer dia escreverei o que acho desse tema e espero que você esteja aqui para ler a opinião de quem abomina esse tipo de covardia conjugal.

          • Noêmia Morais

            Já vivi esta triste experiência de “dar uma chance”, pois eu tinha somente uma suspeita da traição e SOMENTE por isso dei uma segunda chance, antes de conceder perguntei se havia alguma coisa que ele quisesse resolver com alguém, ele taxativamente afirmou que não. Mas como mentira não perdura, flagrei… e não fiz nada para descobrir, não fiquei revirando celular, nem segui, mas a desconfiança ficou… até que a verdade apareceu, ele já pediu para voltar mas como agora tenho certeza que ele mentiu e recebeu a chance para mudar e não o fez….

          • Roberto Silva

            Então, você fez e não deu certo. Sem pensar em ninguém mais, só em você, nunca em nenhum outro momento você poderá dizer que não tentou. Que você bem sabe que em alguns momentos desconfiamos que poderíamos ter feito e não fizemos.
            Eu não lembro de ter dado outra chance, pq as circunstâncias de quando me aconteceu algo parecido, não davam condições para isso. O que eu lembro é quando isso estava para acontecer, eu estava com alguém que eu não gostava mais tanto, dormindo do meu lado como se fosse uma desconhecida. Foi nessa hora que eu eliminei a chance. E foi por mim, nunca por ela.

          • Noêmia Morais

            “Então, você fez e não deu certo.”
            Dei a chance e não deu certo por confirmar o que eu desconfiava.

            “Sem pensar em ninguém mais, só em você,”
            Não, @disqus_ymPHSIK3U5:disqus, eu oportunizei por não ter a certeza da traição, se isso é pensar em mim… então talvez eu não tenha compreendido sua afirmação.

            “Que
            você bem sabe que em alguns momentos desconfiamos que poderíamos ter
            feito e não fizemos.”
            O que poderia ter feito, eu fiz… que foi oportuniza-lo o benefício da dúvida, pois se eu já tivesse a certeza não teria concedido chance.

          • Roberto Silva

            Ok, mas o que é suspeita? Se eu suspeito de alguma existe um motivo, se isto é com alguém que está do meu lado e eu ignorar, parece apenas um motivo pra se enganar. A gente vê muitos casos de quem suspeita e verifica que era paranoia. Por minha experiência pessoal eu acredito que onde tem fumaça também tem fogo.

          • Noêmia Morais

            Por isso mesmo oportunizei a segunda chance, por haver a possibilidade de eu estar errada!!!

          • Roberto Silva

            Eu também abomino. Só que isso não faz com que eu veja todo dia casais se perdoando e de verdade.
            Não tenho muito mais tempo neste plano, então espero que eu ainda esteja aqui pra ler.
            Só queria dizer que desta vida levo o ensinamento que se houver outra eu entenda e fique menos tempo julgando os outros, não que eu fiz muito, mas toda vez que fiz, hoje me arrependo profundamente, é que cada um sabe onde lhe aperta o sapato, e se aprendermos que essa dor é nossa, não ligaremos tanto para o que os outros pensam.
            Em tempo: Não acredito que eu possa mais usar este conhecimento.

          • Roberto Silva

            Pô, amar é importante…
            Não segura as pontas com certeza. Só que tendo amor sempre fica mais difícil de ir em frente. Apenas a questão é se dar conta que não se ama sozinho.

  • Ana

    Li esse relato, e lendo outro artigo hoje, me lembrei dessa história. Acho que esse artigo do Psicólogo Flávio Gikovate é bem interessante e fala bem sobre isso.
    http://flaviogikovate.com.br/a-excitacao-anal-nos-homens/

  • Leo Cruz

    Mano, o cara deu o brioco pro grupo de risco mais atingido pela AIDS, os travestis. Só isso já é um bom motivo pra acabar com esse homossexual enrustido e seguir tua vida.

  • Paulo

    ão acho que gostar de sexo anal passivo faz um homem deixar de ser hétero (assista a esse vídeo em que explico tudo), até porque, muitas mulheres gostam de anal e nem por isso são lésbicas ou “menos mulheres tradicionais”. Mas mulher lésbica n faz anal

  • Brito

    Eu moro com uma dominadora profissional. Inclusive temos uma masmorra em casa!
    Eu vou expôr a minha visão sobre seu marido.
    Já te passou, em algum momento que ele não é gay. Duvidar da masculinidade dele, perante o susto, é perfeitamente normal. Raiva, angústia e tudo mais.
    Mas eu quero te falar sobre os homens que eu conheço. Pais de família, grandes profissionais, grandes pessoas, que tem fetiches. Gostam de serem crossdressing, serem passivos, entre outras fantasias.
    Posso te dizer que 98% dos clientes que frequentam a masmorra NÃO sentem atração por homens, mas gostam de ser enrabados, se vestirem de mulher, serem humilhados, etc… É um prazer diferente.
    Eu sempre imagino o quão dificil deve ser pra cada cliente que entra na minha casa e sempre dizem, que tem medo de contar esses desejos mais secretos pra esposa, por medo da retalhação.
    Minha colega de quarto, é uma mulher madura, e muito experiente, uma dominatrix que sabe fazer o homem se sentir seguro e realizado.
    Muitos desses homens falam que antes de encontrarem uma mulher disposta a lhes satisfazer, de maneira saudável e segura, só lhe restavam os travestis. Sim, pois estes trabalharam sempre para satisfazer passivos.
    Imagine que droga que deve ser, você ter esse desejo reprimido e viver com medo de compartilhar com a parceira tamanha intimidade. EU NÃO SOU GAY, MAS EU QUERO DAR O CÚ. Quase ninguém entende, ou não está disposto a entender.
    Seja sincera e pergunte a você mesma, se o teu marido, MUITO ANTES DE TE TRAIR te confidenciasse esse desejo mais íntimo, depois do susto, o que você faria? Procuraria uma maneira de vocês descobrirem esse prazer juntos, ou surtaria cada vez mais e mais, achando que o teu marido é viado?
    As pessoas numa forma geral precisam ser mais abertas a sexualidade. Não se faça de vítima o tempo todo, pense no fardo que o teu marido carrega nas costas.
    Converse com ele, dê uma chance pra ele se explicar.
    Você usaria uma cinta caralha pra enrabá-lo? Tu deixaria ele desfilar de salto alto? Tu trataria ele como uma putinha?
    Para de se martirizar e pense no teu marido.
    TODOS MERECEM UMA SEGUNDA CHANCE, e eu te digo, é tão difícil pra ele quanto pra você. Me responda anonimamente. Beijos

  • Stanley Lewis

    Leitora, devido ao fato de você enviar a pergunta para o site, já demonstra que você ainda o ama e gostaria de reatar o relacionamento, mas por causa de imposições sociais (o que as pessoas vão pensar), você está em dúvida quanto à orientação sexual de seu marido. Sugiro que tenha uma conversa séria com ele, pra tentar entender melhor sobre qual é realmente o fetiche dele (atração por travestis, humilhação ou inversão), há uma possibilidade de seu marido gostar de ser penetrado independente do sexo de quem o está penetrando, isso significa que se vocês fizessem inversão ele poderia se sentir realizado sexualmente. Mas de qualquer forma não dá pra garantir nada, e além do mais, você precisaria abrir um pouco a sua mente para conseguir perdoá-lo, satisfazê-lo e ainda assim ter prazer. É uma situação complicada.