Vida de amante?

14

Leitora: Quero ficar com um cara que tem namorada. Ele parece estar bem afim de mim e eu estou doida pra ficar com ele. O problema é o medo de ser amante e acabar me dando mal. Fico ou não fico?

vida-de-amante

Está aí uma grande questão: ficar ou não com alguém que já tem outro alguém? O jeito aparentemente mais simples de resolver isso seria se você quisesse ficar apenas por ficar, porque nisso pouco ou nada importaria o que ele iria pensar de você. O problema é que nem sempre pensamos em algo importante: na mulher desse alguém. Nisso entra aquela velha frase que diz “não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você”. Se você está mais interessada nele do que o normal, e quer mais do que uma simples ficada, ficar de amante acaba sendo pior ainda, já que é impossível não concordar que o mundo sempre foi e continua sendo muito machista, e dificilmente você não será julgada – e até mesmo desvalorizada – por isso, a começar pelo julgamento do próprio homem, que pode nunca mais te ver como uma mulher para levar a sério, já que “topou ser a outra”.

Assim, se você resolve ficar com esse homem, também tem que estar preparada para que ele pense isso, e até coisas piores de você. Claro que se ele não pensar é lucro, mas aqui me limito a falar da “regra”, que querendo ou não é representada pela maioria machista. Você também tem que estar preparada caso não ganhe o que a oficial ganha, e isso diz respeito a tudo: tempo, presentes, e até mesmo sentimentos. No começo, você vai ter que se acostumar em sair apenas nos dias que ele não vê a outra (o que sugere dias de semana, e jamais ou quase nunca finais de semana), e horários nada a ver, tal como a meia horinha do almoço, etc. Também não poderá reclamar muito se ele ficar te escondendo, e querendo te ver em lugares fechados e discretos em detrimento dos lugares públicos. Sem contar os presentinhos, que provavelmente você ganhará nada ou quase nada, já que a mulher secundária costuma ser tratada como tal, e ele provavelmente dará o melhor de si para a mulher que ele mais gosta, que provavelmente é a que ele está e querendo ou não escolheu. Nisso não fica difícil pensar que você levará prejuízo pelo menos no início, e até mesmo pra sempre, caso não consiga reverter a situação.

No fim, o problema é que mesmo que você reverta a situação e o cara se apaixone por você, largue a mulher, você vire a oficial, e mais tudo aquilo que você tanto quis, o relacionamento correrá o risco de ser bastante atordoado: há grandes chances de ele não confiar totalmente em você, já que sabe que você fez o que fez, e tampouco você confiará plenamente nele pelos mesmos motivos. Sem contar o fantasma da  ex. Assim, é importante pensar se vale a pena ou não passar por todos esses “poréns”, bem como se esse homem está valendo todo esse tempo – e risco – gasto com ele enquanto você poderia estar ficando com um homem livre e desimpedido.

Por mais que nem todos admitam, é difícil um homem pensar que uma mulher que aceitou ser secundária não é vagabunda, mal intencionada, ou qualquer outro adjetivo negativo. Nisso nem precisa falar que eles acabam não dando muito valor (ou valor nenhum) para a tal pretendente. É claro que toda regra tem exceção, mas em geral, enquanto a mulher fica apaixonadinha achando que o cara não a trairia tal como fez com a outra, o homem costuma pensar bem o contrário: que ela é uma bisca que não da pra confiar, e muito menos trocar pela patroa. É claro que muito homem não pensa que pior do que você é ele que é comprometido e está traindo. Enfim, é mais fácil pra ele pensar que você é a mulher que “não dá para confiar” do que que ele é o sem vergonha da história. Então, se você está interessada em um homem comprometido, é bom já ir tomando consciência desse preconceito social, ainda que ele seja hipócrita.

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.