6 dicas para a Internet não prejudicar (tanto) a sua relação

37

Internet: a grande fada bruxa, que te promete entretenimento, mas também muitos stalkeamentos (tá, eu sei que essa palavra não existe) e crises de ansiedade sem fim.

Você era uma pessoa normal e feliz, até que começou a namorar e perdeu a sua paz. Se antes o seu hobby era andar de bike, agora é vigiar o amado(a) e ver o que ele anda fazendo pela internet: “Quem é a biscate que ele curtiu a foto? Quantas putas ele add? Não tô nem aí se é professora dele, é biscate e pronto!”. E lá vai baixaria.

Muita calma nessa hora. Você está doente, mas no fundo tudo o que você mais queria é ser normal, eu sei (rs). Então, essas dicas vão para você.

Ah, e se você (ainda) é normal, leia também pra não ficar doente:

Dicas para a Internet não prejudicar (tanto) a sua relação

Perfil compartilhado é uma furada

Muitos dizem que “quem confia não tem o que esconder”, logo, pode muito bem dividir o perfil, bem como as senhas e afins, mas sinceramente? Ficar sabendo de tudo sobre a vida de alguém não ajudará em nada na sua paz: você sempre ficará curioso(a) para saber mais, mais e mais a respeito da pessoa que você gosta e passará a ver a vida dela quase que como um reality show: “O que será que ela fez hoje? O que perdi? Ela cagou? Vou acessar aqui pra ver tudo! E aquela puta? Ele(a) ainda está conversando ou já parou? Ah, eles estão falando sobre docinhos, mas querem mesmo é se comer, que cinismo!”.

O resultado disso? Mesmo que você seja uma mula estúpida, você já sabe: neuroses, neuroses, mais neuroses e algumas brigas. Daí você vai pra terapia ou opta por encher o saco dos seus amigos mesmo, afim de contar “as novidades”. Sem contar o tempo que você perde cuidando da vida alheia e que você poderia muito bem estar cuidando do corpinho, ficando tesãozinho, mas não, você quer é se destruir, bem como destruir o seu dia e a vida do outro. Isso quando você não passa o dia na Internet com um monte de docinhos.

Escolha bem o seu parceiro

Tem gente que gosta de namorar com o cara mais galinhão do mundo, que vive chamando todo mundo de linda e tem um milhão de amigos no facebook, ou então com uma mulher que adora pagar de bisca tirando foto quase que pelada nas redes sociais e depois que começa a namorar com esse ser humano, quer que ele não fale mais com ninguém, nem se comporte como antigamente. Sentá lá Cláudia…

Seja responsável por suas escolhas e tenha consciência de que ninguém muda ninguém. Pense, se já é difícil se mudar, você vai mudar o outro o como? Me responda…

Cuide da sua autoestima

elevar a autoestima

Costumo dizer que uma “doença” que tem atingido cada vez mais as pessoas é o problema com a autoestima: você não acredita em você, acha que não é bom/boa o suficiente ou que te falta algo. Aí o que você faz? Ao invés de procurar uma maneira de se ajudar, vai lá encher o saco dos outros, que no seu caso seria a pessoa que divide a vida com você. Daí você passa o dia inteiro neurando que ela pode encontrar alguém mais bonito, mais gostoso, mais inteligente e mais atraente do que você. E aí como você reage? Stealkeia a pessoa para ter certeza se ela de fato está fazendo isso!

E o que a pessoa que está com você faz quando descobre? Acha que você é maluco(a), completamente desequilibrado e te dá um pé na bunda, pois afinal de contas: ninguém gosta de ficar com quem não confia na gente, né?

Anote essa: segurança é algo que faz bem não só para você, como também para os outros, que passam a te ver como uma pessoa forte e segura, o que resulta em um maior poder de atração por você (gente segura de si é excitante, diz se não!). Agora, se você bancar o stalker, acontece o contrário disso.

Ciumes só melhora a vida naquele momento que você tem a resposta tão desejada…

Depois só te f*** porque te deixa viciado(a) nesse tipo de informação que te fará querer sempre mais:

Não adianta fazer mil perguntas, dar chilique pelo o que você nem sabe se aconteceu e perder o seu tempo. O que adianta é confiar na pessoa com quem você está. Caso contrário, ninguém se sentirá namorando, mas sim em um manicômio de loucos, surtados e brigões.

Não confia na pessoa com quem você está? O que está fazendo com ela então? Só destruindo a sua vida por falta de tomar vergonha na cara para encontrar alguém melhor e que te faça se sentir realmente feliz e em paz?

Não culpe o outro

Nada de falar que a pessoa que está com você é galinha, namoradeira, que te traiu horrores ou coisas semelhantes para justificar o seu ciúmes. Se você está com ela é porque você quer e nada é justificativa para atormentar o outro. Você é livre. Não está bom? Arrume outro. Ele (a) ela te traiu e você não consegue perdoar ou viver em paz? Arrume outro. O que não vale é usar a sua insegurança a troco de fazer a vida de vocês virar um inferno. Concorda?

tempo engraçado

Tenha mais tempo para você

Não tem verdade maior do que a frase da vovó: “mente vazia é oficina do diabo“. Se você não faz nada que não seja trabalhar e neurar no tempo que te sobra e que você deveria estar, sei lá, andando de bike, é claro que você se sentirá cada vez pior e improdutiva para as coisas que você gosta, e como resultado disso a sua insegurança aumentará, o que consequentemente alimentará o sangue de detetive em você.

Para evitar esse tipo de coisa, faça não só as suas obrigações, como também se encha de hobbies que te façam feliz: pinte, dance, corra, ouça muita música. Enfim, qualquer coisa que te faça bem. Se você ficar feliz de verdade, você será a primeira a não querer estragar isso em você, e consequentemente ficará menos ainda na cabeça do seu parceiro(a): gente feliz tem tanto medo de dar de cara com a infelicidade, que corre que nem diabo da cruz de possíveis problemas e fedores da vida. É tudo hábito: da mesma forma que gente feliz não quer sair disso, gente triste/insegura tende a se afundar.

Desacostume-se!

Você é ciumento demais da conta sô?! Então assista esse vídeo =)

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.